Log In

Reviews

One Tree Hill – The Room Where You Sleep

Pin it

Série: One Tree Hill
Episódio: The Room Where You Sleep
Temporada:
Número do episódio: 9×02.
Data de exibição nos EUA: 18/01/12

Quando eu assistia One Tree Hill há uns quatro anos atrás, sentia que por aquele momento eu poderia esquecer de tudo ao redor e me divertir e distrair por quarenta minutos que passavam voando. E o episódio desta semana foi exatamente deste jeito. Ao contrário do que tivemos na semana passada, o episódio In The Room Where You Sleep, resgatou um pouco do sentimento de estar assistindo a um episódio de One Tree Hill, na leveza dos personagens e na intensidade de uma história que está a poucos episódios de terminar. E é nesse pensamento que posso afirmar que alguns personagens agora estão de volta. Brooke é o primeiro exemplo. As cenas iniciais já me foram o suficiente para descobrir que ela ainda esta ali. E sentia saudades, de vê-la sorrindo ou apenas se atrapalhando. Era esta personagem que estávamos acostumados a ver. E ela de fato ainda está ali. Tremendo susto que ela e Julian levaram ao acordar sem o choro dos bebês. “Roubaram eles”, disse Julian. Boas risadas que demos. Mas tudo estava sob controle, com Victória sendo a avó do ano. Ou o que dizer de Brooke sentada esperando horas o pai, fazendo aquelas caras, de quando ela suspeitava que Peyton e Lucas estavam juntos de novos? Ou dela passando o maior sermão na mãe, no fogo cruzado entre Victoria e o seu pai? O ponto é que, Mark Schawhn esta trazendo aos poucos, a velha Brooke, aquela Brooke que nos encantou. Não digo que ela não esteve ali, nas ultimas temporadas, mas digo que ela precisava desse destaque, dessa motivação. Estamos começando a nos despedir dos personagens, e nada melhor do que nostalgia para isso.


Falando em nostalgia, vocês também ficaram com um sorriso de canto a canto, ao rever a família “Naley” unida novamente? Jamie, Nathan e Haley, agora com Lydia formam uma das famílias mais bonitas da TV. É uma pena que teremos pouco disso nesta temporada, mas são momentos únicos também. É muito legal poder ver que ainda há amor ali, por parte de todos eles. Assistindo a eles juntinhos, me passava um filme de Nathan conhecendo Haley, do “Sempre e para sempre”, do acidente na ponte depois do casamento, a chamada pra NBA e babás psicopatas. Foi longa a caminhada que tiveram – e que está longe de terminar com certeza. Mas qualquer que seja o desafio de Nathan e Haley eles estão ali um para o outro, e é o que os tornam um dos casais mais bonitos não só de One Tree Hill, mas também de todas as séries que eu assisto. Encho-me de orgulho deles.


Quem não esta nada bem com a família Scott é Dan. Com exceção de Jamie, que acha tudo um barato, Nathan e Haley estão com um pé atrás sobre a permanência do dito cujo de baixo do mesmo teto. Nathan foi firme em deixar claro que, Dan não pode ficar ali. E Haley concorda com o marido, mesmo sendo um pouco mais aberta a idéia. Na semana passada, talvez a maior crítica tenha sido a de Haley aceitar Dan em sua casa. Muitos comentaram, inclusive eu, de que jamais deixaria uma pessoa como Dan dormir debaixo do mesmo teto que nós, telespectadores assíduos dos moradores de Tree Hill. E quando achávamos que Dan estava conquistando a nora, eis que ela me solta as melhores palavras do episódio e que rebate algumas de nossas críticas: “Eu sinto falta do Keith todo dia. E sinto ódio de você todo dia, por fazer o que fez a ele, a Nathan e a nossa família. Não tenho simpatia por você. Mas se existe algo como reabilitação ou perdão, então acredito que uma pessoa merece oportunidade de provar que mudou. É por isso que está aqui”.  Será que existem mesmo segundas chances, e que as pessoas como o Dan podem mesmo mudar? Veremos.


Falando em nostalgia, dois personagens que estavam sumidos desde o final da oitava, eram Mouth e Millie. E, mais alguém ficou assustado com a aparência de Mouth? Tudo bem é enchimento e maquiagem – ao contrário de Robert Buckley que só enche, Lee Norris não está gordinho; mas foi bem estranho ver Mouth daquele jeito, que parece que esta tendo problemas com a balança, devido a matérias e resenhas para o programa matinal deles. Mesmo sendo coadjuvantes, e quase não aparecerem, eu gosto muito dos dois. E principalmente de Mouth, que esteve com agente desde o piloto, narrando os jogos emocionantes dos Ravens, lembram? Saudades daqueles episódios. E confesso que adoraria rever algo do tipo. Quem sabe? Por enquanto, fica uma promessa de ter que voltar ao peso que era, de uma maneira não muito tranquila. Mas que promete também boas cenas, mesmo que poucas.

E quem voltou tambem foi o amiguinho de Jamie, o Chuck. Tendo todas as cenas praticamente com Chase. E eu odeio dizer isso, mas até que ele teve algumas cenas legais, e não esta sendo mais o garoto chato que costumava ser. Caramba, como o Mark tem o dom de fazer crescer personagens. E foi bem engraçado ver o garoto interagindo com Chris Keller, que esta cada vez mais a vontade na temporada, como nunca tivesse saido. A cena de Nathan descobrindo pela boca de Keller, e não de Haley que ele estave de volta foi ótima. Nós agradecemos, pois episódio sem ter algumas risadas, não é episódio de One Tree Hill.

E as despedidas de fato começaram neste episódio, e a ficha de que a temporada final está aí começou a alardear. Este foi o ultimo episódio de Jana Kramer, e conseqüentemente de Alex Dupré. A personagem que entrou na sétima temporada rendeu bons momentos na série, com a paixonite por Julian, e os problemas com as drogas, logo depois tentando se matar. Mas o legal foi que, assim como muitos personagens Alex também cresceu. E se tornou uma pessoa bem bacana (e sexy) de se ver. Na oitava se envolveu, e se fixou com Chase, com quem ficou – até agora. Deu dó do rapaz, pegando suas roupas, e levando para seu apartamento e a chamando para morar junto com ele. Enquanto isso, nosso amigo Chris Keller, arruma uma turnê para a moça decolar na carreira musical. Bem, é impressão minha ou estou tendo um dejá-vu. Ah, me esqueci que na segunda temporada Keller, fez o mesmo para Haley. Ficou especialista em separar casais em Keller? Espero que ao contrário de Nathan na segunda temporada, Chase possa entender o caminho que a namorada tem que percorrer. Mas estou achando meio difícil, já que este foi o ultimo episódio com a participação de Krame.

Pode parecer implicância minha, mas continuo não vendo graça nenhuma em Clay, Quinn e todo o seu drama por não conseguir dormir. Afinal o que ta acontecendo com ele? Ta usando drogas? Ele está viciado em alguma substancia? E por quê? Só sei que, esses dois apenas têm rendido para mim cenas tediosas, e totalmente dispensáveis. Fico torcendo pro take acabar logo. Sinto muito, mas é a verdade. Quinn que esta enfrentando uma barra imensa com isso, é a que mais esta sofrendo. E na esperança de que Clay se trate, Nathan vai para a Europa no lugar do sócio separando assim mais ainda nosso casal Naley. E pelo o que parece, foi em vão, já que Clay recusou o tratamento no final do episódio. Agora uma curiosidade: alguém mais notou que a médica que atende Clay, é a mesma médica que atendeu personagens em temporadas bem distantes? Lembro dela atendendo por exemplo Haley e Brooke na quarta temporada, quando Haley descobre que está gravida. Bacana não?


Mas o que valeu mesmo foi o final deste episódio. Preciso dizer que o final valeu por tudo. O propósito de trazer Dan para esta temporada é ainda desconhecido por nós. Mas aos poucos as coisas começam a se encaixar. E como disse semana passada, talvez seja este o propósito de Schawhn. Quando Nathan vai embora, ele deixa claro que quando retornar, ele quer Dan longe dali. E entra num carro. Jamie corre ao encontro do avô, e questiona sobre ele também ter ido embora. E com a cara mais questionável, e com aquele sorriso maléfico que não víamos desde que ele atormentava Karen ele solta “Eu não vou a lugar algum”.

E assim, depois de dois episódios foi lançada a grande premissa desta temporada final que aparentemente, tem o retorno de seu maior vilão. Dan retornou a casa dos Scott com um propósito? O acidente na sua lanchonete foi o que parece ser proposital? Apesar de sabermos alguns ‘Spoilers’ da temporada, vamos ver o que acontece nos próximos episódios. Mas que Dan Scott nos deixou com a “pulga atrás da orelha”, com certeza nos deixou. Semana que vem tem mais.

Ps: Faltam apenas 11 episódios para o final.

Séries citadas:

Mineiro, professor e aficionado por séries. No TeleSéries resenha as séries Hawaii Five-0 e Saving Hope. Mas também é apaixonado por Grey's Anatomy,'CSI, Rookie Blue, The Vampire Diaries, The Good Wife, Homeland, The Walking Dead e muuuitas outras...

7 Comments

  1. Dani Fuller

    ñ sabia q era o último episódio de Alex.. q sacoooooooo eu hein
    Eu não gostando muito dos episódios sei lá.. mas impossível deixar de assistir e o Dan sempre dá medo kkkkk

  2. Bianca Mafra

    Detestei saber que esse é o último episódio da Alex, aprendi a gostar dela e sou muito mais ela do que a Quinn, que entraram praticamente juntas. O Chase merece ser feliz e não tem como não se apaixonar pela alex, ela eh bonita, divertida, engraçada. e Brooke sempre eh a melhor parte de one tree hill, um dos grandes motivos de nunca abandonar a série é a espera do seu happy end, e vejo que aguas escuras estão para chegar me deixa um pouco aflita. se correrem com o final dela tambem, juro que vou eleger oth como um dos piores finais da história das séries.

  3. Hugo Fonseca

    Nossa foi um choque saber que a Alex não vai voltar em OTH. Estava gostando do arco que ela tinha nessa ultima temporada, mesmo parecendo com o arco da Haley no inicio da série. E concordo com você Anderson o arco do Clay é ridículo mas acreditava que o Mark tinha mais criatividade para justificar a saída do Nathan. Concordo em tudo com você, OTH está dando gosto de assistir de novo.
    Que venha 11 episódios dessa forma.

  4. Aline

    Como vc Anderson, tambéme lembrei do “Sempre e Para sempre ” do Nathan e Haley e concordo que não existe personagens mais tediosos que Clay e Quinn que em três temporadas não mostraram a que vieram e não conseguiram suprir a falta de Lucas e Peyton. Medo do risinho de lado do Dan no final do episódio. parabéns pelas reviews e pela especial sobre os 8 anos de One tree Hill aqui no site.

  5. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 23 a 29/7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account