Log In

Reviews

Once Upon a Time – The Return

Pin it
Série: Once Upon a Time
Episódio: The Return
Número do Episódio: 1×19
Exibição nos EUA: 22/04/12
100
5
2

Para os fãs que se encontravam empoeirados na biblioteca lendo sobre contos de fada, já podem saber que Once Upon a Time voltou e está em sua triste jornada para a season finale. Sim, muito triste, já que cada episódio tem sido mais maravilhoso que o outro e temo em dizer que sentirei falta da série até começar a segunda temporada (as renovações da ABC não foram anunciadas oficialmente, mas é quase garantida da de OUAT, e nós, Oncers, agradecemos).

The Return definitivamente enganou todos os fãs que acreditavam que August era filho do Sr. Gold. Mas, cá entre nós, analisaremos aquela incrível promo e sinopse que diziam que haveria algo estranho em August e que o Sr. Gold tentaria descobrir, enquanto no mundo da magia, Rump e seu filho Bae tentariam encontrar uma maneira para acabar com a maldição do Senhor das Trevas. Era quase certeza que essa era a grande revelação. Mas era uma mentira. Apesar da cena emocionante de pai e filho, August – se esse é o seu verdadeiro nome – criou uma ótima encenação, revelando estar doente e necessitar de magia. O plano era controlar o Senhor das Trevas – Sr. Gold – para assim, se curar da doença não revelada que está prestes a matá-lo. Existem indícios de que August seja Pinóquio, mas para nossa alegria, descobriremos no próximo episódio – denominado The Stranger – quem é August.

Saindo um pouco do contexto principal, alguém, além de mim, achou incrível aquela cena entre Regina e Sr. Gold discutindo sobre a maldição? Quer dizer, é claro que todos sabem que ambos tinham consciência de que estavam no mundo humano, mas que ainda se lembravam do mundo da magia, mas vê-los citar e discutir, ainda se comportando como humanos, foi algo tão magnífico que estou sentindo até medo do que esperar desses três últimos episódios.

Ainda tivemos aquela terrível cena na qual Regina obriga Sidney a levar toda a culpa pelo desaparecimento de Kathryn. É certo que ele não fez boas coisas para Emma, mas sua paixão amaldiçoada o obriga a ficar preso a Regina para sempre. O amor pode levar a situações terríveis e isso Regina sabe muito bem – descanse em paz, Daniel.

Agora, tragam o piano e abaixem as luzes da sala ou do quarto para acompanhar a cena cute entre Mary e David. Após o aparecimento de Kathryn, Mary foi liberada da cadeia, pois não houve assassinato, e David foi se desculpar com ela. Apesar de furiosa, ela mesma concluiu que existe algo que sempre tenta separar ambos de um final feliz. Ah, se eles soubessem quem tenta impedir ou o porquê. Já pararam para pensar que no último episódio pode abaixar o santo em Adam e Edward e eles resolverem trazer a memória de todos os personagens de uma só vez? Imagina o que vai acontecer quando a Mary lembrar que ela é a Branca de Neve e que Regina está tentando matá-la e acabar com os finais felizes! Não é bom nem pensar, pois pode acontecer loucura atrás de loucura.

A questão principal que quero levantar nessa review, já que estamos na reta final para a season finale, é a possibilidade do mundo da magia ainda existir. A maldição pode ter destruído toda a dimensão mágica, mas é certo que uma parte dela ainda existe e se encontra em algum lugar. No Mundo dos Humanos pode não haver magia, mas isso não significa que ela não existe mais. Afinal de contas, o Mundo das Maravilhas ainda existe, certo?

Finalizarei a review com essa ótima frase, que iniciará a grande batalha nessa season finale, que vem de ninguém menos do que a própria esperança para a bruxa má:

“Sei que manda no jogo. E o controla para mais ninguém ganhar. Mas vou jogar um jogo diferente. Não me importa o que acontecerá com você. Não me importa o que acontecerá comigo. Só me importo com o que acontecerá com o meu filho. E você o deixará em paz. Tentou afastar alguém que eu amo. Agora afastarei alguém que você ama. Terei o meu filho de volta”.

Séries citadas:

Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade São Judas Tadeu. Nasceu em São Paulo, Brasil, no ano de 1993. Trabalha com desenvolvimento de software na Foster, empresa afiliada a WPP, estuda teatro e desenvolve vários experimentos em seu Laboratório. Assiste Once Upon a Time, Nashville, Downton Abbey e muitas outras.

Website: http://www.mariomadureira.com.br

4 Comments

  1. Bianca Mafra

    ótima review e nada a acrescentar. será que eh o Pinocchio mesmo? mas ainda muita coisa vai rolar antes da revelação. eu ainda proponho que a Emma saia beijando todo mundo para ver se lembram!

  2. Mônica Almeida

    Eu jurava que o August era o filho do Rumple. Até chorei no “encontro” dos dois. Surpresa! Não era. Imagino que o August seja o Pinocchio mesmo.
    Quanto a Mary Margareth e David já está ficando chato. O David é muito banana pro meu gosto, bem diferente do Prince Charming, ele sim, um homem de verdade.
    Falta muito pro próximo episódio? Cada vez que vejo um fico mais ansiosa pro próximo.
    Ótima review!

  3. biancavani

    Pois é, Mônica, David tá muito bobão – expressões, atitudes, palavras -, mas acho que faz parte da maldição ele ter ficado assim.

    Verdade, como esta série é boa! Nunca houve sequer um episódio mais ou menos, redundante, previsível: são todos perfeitos.

  4. Bruna

    Foi uma surpresa ver que o August não era filho do Rumple (como é que eles conseguem pronunciar esse nome dificílimo?) Se ele for mesmo o Pinóquio, não vou querer que ele seja o foco por mais de um episódio, já que odeio essa estória. É esperar pra ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account