Log In

Reviews

Once Upon a Time – Queen of Hearts e The Cricket Game

Pin it
Série: Once Upon a Time
Nome dos Episódios: Queen of Hearts e The Cricket Game
Número dos Episódios: 2x09 e 2x10
Exibição nos EUA: 02/12/2012 e 06/01/2013
94.4
4.7
5

Queen of Hearts

Após grandes discussões com amigos e fãs, cheguei a algumas conclusões sobre a winter finale de Once Upon a Time. Num contexto geral, uma grande maioria afirmou que ficou um pouco decepcionado com o início de Once Upon a Time. Eu entendo e por parte até concordo. Um dos grandes erros foi separar Emma de Storybrooke para fazê-la conhecer a Floresta Encantada. Mas calma gente! Os haters não precisam atirar pedras em mim! De certa forma, eu acredito que não era um momento propício de Emma conhecer a Floresta Encantada ainda. Um bom momento seria o final da temporada. Mas eu não concordo cem por cento com essa afirmação. Tivemos grandes momentos nesses nove primeiros episódios, com destaque para Mulan e Aurora que entraram no início da temporada, além da evolução da estrutura humana de Emma diante da nova realidade que lhe foi concedida. Mas vamos começar a comentar um pouco dessa winter finale.

O episódio veio recheado de grandes revelações que explicaram muitas pontas soltas. Eu, particularmente, tive uma grande surpresa em descobrir que o real motivo de Cora querer ir para Storybrooke era para ajudar Regina, ao invés de se vingar. E entre nós, estava muito óbvio que ela era a Rainha de Copas. Não precisava ser um expert para deduzir isso. Achei muito interessante a forma com que Hook interagiu com mãe e filha. Afinal de contas, não importa quem for, ele estará do lado da pessoa que o levará até Rumple.

Sobre Emma ter magia: gostaria de colocar um grande ponto de interrogação invisível nessa review. Se Emma possui magia dentro de si, o que isso a torna? Uma bruxa? Uma feiticeira? Ou outra espécie ainda não apresentada na série ainda? Comecem os palpites! Mas uma coisa é certa: se o Mr. Gold já estava planejando todos esses acontecimentos, só me sobra deduzir uma coisa! A única coisa que Rumple quer mais, fora ficar com Bela, é achar o seu filho, Bae. Dessa forma, nos resta a pensar: será que todo esse esquema planejado por Rumple é simplesmente para encontrar o paradeiro do filho? Mais teorias!

E falando em teoria, voltamos para a velha problemática que havia iniciado a série: as mães de Henry. A grande disputa entre a guarda de Henry ainda é manifesta e podem ter certeza que ainda será explorada e muito! Se Regina já tornava a vida de Emma um inferno quando era prefeita, imagina agora que seus poderes voltaram.

Agora que todo mundo está em Storybrooke, vamos começar a ter alguns dramas aí. Já estava com saudades de ver Emma e Regina se encarando numa luta de MMA.

The Cricket Game

Estava ansioso para esse episódio, por que ele representa a nova fase que Once Upon a Time vai entrar. Quer dizer, a série já se encontra numa nova fase, mas essa fase que eu me refiro é aquela em que todos estão em Storybrooke lidando com o retorno da magia – incluindo Emma e Snow – e começa o confronto entre a heroína e antagonista.

Pensando em antagonista, acabei de entrar numa crise existencial. Vivenciamos duas épocas diferentes na série. Podemos dizer que em cada época existe uma antagonista diferente? Isto é, podemos considerar Regina Mills a antagonista da época atual? Eu acredito que não. A Regina de Storybrooke é aquela que está vivenciando o seu recomeço. Lembram o que ela disse antes de destruir a Floresta Encantada? Ela havia dito: “Este será o meu final feliz”. E deveria ser. Ela está com Henry e é uma nova pessoa. Mas, infelizmente, Cora ainda está aqui para lembrá-la que ela será infernizada até o último dia de sua vida. E para o nosso espanto, Archie foi quase morto nesse episódio. Ainda bem que não foi! Ou será que Edward e Adam esqueceram que os oncers ainda vivem um período de luto com a morte do Caçador? Uma morte que até hoje eu não me conformo e ainda fico revoltado só de lembrar.

Por um instante pensei que a chegada de Cora e Hook em Storybrooke seria um vendaval de batalhas e conflitos. Bem, será. Mas não por enquanto. Edward e Adam são espertos. Eles estão preparando o terreno antes de nos jogar tudo de uma vez como uma avalanche que nem a season finale da primeira temporada. Eles estão bolando um plano e isso não está cheirando nada bem.

Gostei de o episódio ter se focado um pouco mais no Achie, pois ele é um personagem que não está tendo muito desenvolvimento nessa temporada, se comparado com a anterior. E pensar na possibilidade de sua morte me levou a refletir sobre a sua existência na série. O que torna Archie um personagem tão especial que não possa ser descartado como ‘quase’ foi nesse episódio?

E nessa review eu começo com a campanha ‘Regina, you’re not alone’ com apoio de todos os oncers que estão emocionados e morrendo de pena ao ver Regina chorando e sozinha em vários momentos do episódio. Ela fez maldade. Ela merece tudo de ruim. Mas acho que ela está recomeçando e Regina já fez muita coisa boa para ser tratada assim. Eu sei que será difícil no começo, mas ainda sonho com o dia em que ela terá o seu final feliz.

Para não passar em branco, em paralelo com o julgamento de Regina em Storybrooke, tivemos um julgamento na Floresta Encantada também. E não me canso em dizer que Lana Parrila é uma ótima atriz que consegue diferenciar muito bem o personagem em suas duas fases.

E aqui deixo o meu pesar por Cora ser uma péssima mãe que só quer ver a filha sofrer. Te odiamos e te amamos Cora!

PS: Pingo  – uma representação da história dos 101 dálmatas?

Séries citadas:

Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade São Judas Tadeu. Nasceu em São Paulo, Brasil, no ano de 1993. Trabalha com desenvolvimento de software na Foster, empresa afiliada a WPP, estuda teatro e desenvolve vários experimentos em seu Laboratório. Assiste Once Upon a Time, Nashville, Downton Abbey e muitas outras.

Website: http://www.mariomadureira.com.br

4 Comments

  1. Paulo Serpa Antunes

    Eu não consigo crer que você dê nota 4,8 de 0 a 5 pra estes episódios, Mario. Once Upon a Time está previsível, rasa, superficial, infantil, tola…

    Agora apoio a tua campanha – porque os produtores acabaram com a Regina, tiraram o gás da personagem.

  2. Mario Madureira

    Lana Parilla é uma ótima atriz. Acho que pode ser por um desses motivos que eu dei essa nota, Paulo. Mas com o retorno para Storybrooke, acredito que a série vai voltar para o que era antes. Tomara.

  3. Pingback: Destaques na TV – Quinta, 28/2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account