Log In

Reviews

Once Upon A Time – Dreamy e Red-Hunded

Pin it
Série: Once Upon a Time
Episódios: Dreamy e Red-Hunded
Número dos Episódios: 1×14 e 1×15
Exibição nos EUA: 04/03/2012 e 11/03/12

Anteriormente em Once Upon a Time… Com dois episódios como esses, uma review era quase uma obrigação de estado. A série está aprofundando-se cada vez mais na realidade, e nos deixando apenas com as migalhas do pão de quando vemos um pouquinho de fantasia. Ainda existe um grande buraco negro em várias histórias de Once Upon a Time, mas não poderiam ser exilados alguns dos nossos personagens favoritos. Lembram na primeira review em que comentei que Zangado seria aquele ladrãozinho sarcástico que traria um ar engraçado a série? Pois então, ele ficou afastado em média de 10 episódios, mas retornou com um capítulo na história dedicado totalmente a ele.

Em Dreamy, cuja tradução é Sonhador, foi mostrada a história do anão que nasce de um pó mágico deixado pela atrapalhada fadinha Nova, uma mulher que sonha em um dia ser fada madrinha. O Sonhador ganha esse nome por querer viajar pelo mundo à fora, conhecer novos horizontes e viver novas experiências. Mas o seu destino é permanecer preso a uma caverna colhendo pó para as fadas.

Quando Sonhador conhece Nova, o destino trata de juntá-los. Ele salva o saquinho mágico da fadinha e os dois se apaixonam apenas no olhar. Sonhador torna-se o herói de Nova. Já no mundo real, Leroy se apaixona por Astrid, uma freira que está tentando vender velas para a comunidade. Quando sem querer, ela acaba encomendado milhares de velas, Leroy se voluntaria para ajudá-la na tentativa de conquistar seu coração. Mas tudo desmorona, quando ele junta-se com Mary e ambos tentam arrecadar dinheiro peregrinando de casa em casa -sem êxito -, pois são conhecidos como o ladrão e a prostituta de Storybrooke. Ele mente para Astrid, afirmando que havia conseguido vender todas as velas, mas como toda a mentira tem perna curta, ela acaba descobrindo…

Uma das coisas que devo ressaltar nas histórias paralelas de OUAT é a abordagem de tratar dois começos iguais que acabam seguindo caminhos diferentes. Enquanto uma história acaba de um modo ruim, a outra tem um desfecho totalmente contrário. E essas são as possibilidades que a série nos traz. De certo modo temos que pensar que todos aqueles personagens de Storybrooke já se conhecem, o que acontece é que eles estão se conhecendo novamente.

É claro que tudo o que é bom, dura pouco, e o resultado foi a fada azul impedindo que Sonhador ficasse com Nova, já que ambos pretendiam fugir para o mundo a fora, e a fada azul lembrava de como era importante para Nova se tornar a fada madrinha. Fugindo com Sonhador, ela não poderia realizar o seu sonho, e com tanto veneno, o anão ficou em uma posição desconfortante. Ficar com a sua amada ou deixá-la realizar o seu sonho de vida? A resposta era óbvia. Os sonhos são maiores que o amor verdadeiro, e o anão nunca ficaria entre o sonho de Nova. Ele acaba magoando o pobre coração da fadinha e ambos terminam em uma cena linda com um ambiente estrelado, mas triste por mais uma história de amor ter ido embora. Já no mundo real, num truque mais do que inteligente, Leroy corta a energia elétrica do evento e todos são obrigados a comprar velas. O desejo da freira é realizado e Astrid perdoa Leroy pela mentira.

Quem não ficou nada bem foi o David que infelizmente foi acusado pelo desaparecimento de Kathryin. Sua busca foi o principal feito em Red-Handed, cujo episódio foi dedicado especialmente para Ruby, nossa chapeuzinho vermelho. A história na verdade foi modificada, mas acabou se tornando um dos melhores episódios da série. Basicamente, Chapeuzinho Vermelho tinha seu grande amor, Peter. Um jovem forasteiro que pretendia fugir com ela para longe, exceto pelo fato de que a Vovó não deixava Chapeuzinho sair sem sua capa vermelha, já que o lobo estava à espreita para matar todos que vissem pela frente. De indas e vindas, Chapeuzinho conhece Branca de Neve e ambas se tornam amigas. No final, Chapeuzinho decide matar o lobo para que ela possa ficar com Peter e após grandes investigações, ela deduz que o lobo, na verdade era o seu amor, Peter.

O aspecto bacana apresentado aqui é uma Vovózinha severa e durona. Deixando de lado a cesta com alimentos para a vovó, Chapeuzinho não é uma garotinha. É uma mulher que infelizmente tem medo de desobedecer à mulher que a criou desde pequena. O que chama atenção aqui é a grande revelação de que Chapeuzinho era o lobo mau, algo que ninguém imaginava – ou ao menos quem não conhece de fato o lado obscuro dos verdadeiros contos de fadas. Isso ficou bem aqueles tipos te revelações de novela mexicana – Dã dã dããã–  que trouxe um ponto positivo para a série em relação à inovação. Foi uma surpresa!

Já no mundo real, Ruby e a Vovó acabam tendo uma séria discussão, e Ruby decide sair da cidade, mas sem ter ideia de para onde ir. Mary a acolhe e Emma a contrata para ser sua assistente na Delegacia. Provando a si mesma de que é capaz de fazer tudo, ela aceita o desafio e acaba fazendo uma grande descoberta sobre o desaparecimento de Kathy. Uma caixa contendo um órgão, mas especificamente, um coração que possivelmente é de Kathryin. Não é difícil de deduzir de que isso só pode ter sido armação de Regina e sua coleção de corações, mas a culpa caiu em cima de Mary, já que é encontrado a impressão digital da professora na caixa. Como aquelas digitais foram parar lá? O Sonhador infelizmente acabou se tornando o Zangado, a Chapeuzinho acabou matando o seu amor verdadeiro e acreditem ou não, mas Branca de Neve também foi uma assassina… Será que Mary também é?

OBS1: Adorei rever Bela no bar atribuindo uma vasta lição do que é ter um amor não correspondido.

OBS2: O que o Henry estava fazendo na Delegacia ajudando a Ruby a encontrar um emprego?

OBS3: Ainda bem que Ruby desistiu de ser assistente de Emma e topou aceitar a responsabilidade da Vovó. Eu gostei muita da química entre neta e avó. Me lembrou muito a minha infância.

Séries citadas:

Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade São Judas Tadeu. Nasceu em São Paulo, Brasil, no ano de 1993. Trabalha com desenvolvimento de software na Foster, empresa afiliada a WPP, estuda teatro e desenvolve vários experimentos em seu Laboratório. Assiste Once Upon a Time, Nashville, Downton Abbey e muitas outras.

Website: http://www.mariomadureira.com.br

9 Comments

  1. Mônica Almeida

    Adorei os dois episódios! O da Cahpeuzinho foi um dos melhores até agora, sem dúvida. Só não foi melhor que o episódio da Bela, pra mim disparado o melhor de todos. Aliás, adorei vê-la conversando como Zangado/Sonhador. Espero que ela apareça mais vezes.
    Só que não acho que a Branca de Neve tenha sido uma assassina. Aquela caixa deve ter sido dela e a Evil Queen simplesmente usou-a para uma de suas inúmeras maldades.
    Parabéns pela review, Mario!

  2. Bruna

    Deram uma distorcida grande, mas achei legal terem juntado Pedro e o Lobo com Chapeuzinho Vermelho. Esses episódios não foram tão legais assim, talvez porque eu não seja tão fã dessas estórias centradas nesses episódios.

  3. biancavani

    Então, guris, vocês se lembram de que a Rainha tem um “armoire” com gavetinhas em cada qual há uma caixa com o coração de quem ela matou? Tomara que no fim da série todos esses voltem à vida: o caçador (que teve um lance com Emma), o namorado da Red, e outros que nós ainda não sabemos (o armário estava cheio de caixinhas). E, quando às impressões digitais de Mary, a Rainha dá um jeito em tudo.
    Justamente essa alteração da história original é que dá tanto interesse à série – bom, pelo menos para mim. Se houvesse uma perfeita correspondência, aí ficaria meio sem graça. Fica tão legal: pó de fada, anões nascendo de ovos, Red-Loba má, “espelho meu”- gênio – enfim, muitas surpresas, a gente não fica no automático.
    Também para mim o episódio da Bela está entre os melhores dentre todos os excelentes que compõem a série.

  4. luce

    Ainda nao superei o facto de os anoes nascerem de ovos. Sinistro
    Agora o episodio da capuchino ta muito bom. Adorei
    Agora a Regina, ou rainha má, nao tem no tumulo do pai, gavetas com coraçoes no mundo da fantasia. Entao, pode ter tirado facilmente o coraçao da katerine, no mundo encantado, e po-lo na caixa… O que nao percebo foi as impressoes da Mary, foram la parar??

  5. Mariela Assmann

    Achei muito interessante saber que Grumpy já foi Dreamy, um dia. E ficou ótima a história da Chapeuzinho, sendo ela própria o lobo. Adoro a junção que o time de roteiristas de OUAT faz, geralmente ficam ótimas. Mas os anões nascendo dos ovos foi muito bizarro, mesmo.

  6. biancavani

    Bom, depois qie eu vi Hannibal petiscando o cérebro do cara vivo, nada mais me afeta…

  7. biancavani

    Mário, não deixe de comentar o próximo episódio, tá? Porque foi muito interessante a Snow ao contrário (e divertido), e também o “empurrãozinho” de um certo personagem, para que as pessoas passem a acreditar na vida pregressa. Mais não digo, para não estragar a surpresa de quem ainda não viu. Mas acho que esse novo episódio abre um novo encaminhamento, sobre o qual a gente estava superansiosa, mas os deslumbrantes anteriores desviaram a nossa atenção.

  8. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 23 a 29/7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account