Log In

Opinião

O que é que o Brian tem?

Pin it
Cena de What About Brian

Nos EUA, até o mais fanático simpatizante de What About Brian deve ter ficado surpreso com a renovação da série por parte da rede ABC. Afinal a ABC voltou a ser, de duas temporadas para cá, uma emissora top, com bala na agulha para lutar pelo posto de emissora número um. Porque então o canal manteria no ar um seriado com audiência média de apenas 6,32 milhões de telespectadores em sua primeira temporada?

(Para se ter uma idéia, Love Monkey, na mesma linha, foi cancelada pela CBS quando a audiência média caiu para 7,27 milhões).

Por sorte a decisão de renovar What About Brian não passou só pela fria análise de números. O canal deve ter considerado que o show tinha qualidade, que tinha estreado tarde demais (em abril, quando todas as outras séries estão se encaminhando para seus season finales) e poderia fazer uma boa dupla na grade de programação ao lado do reality show The Bachelor (afinal o que é Brian e se não um Bachelor pé-rapado?). Os números da série ainda são pequenos, mas a estratégia parece ter sido adequada: What About Brian vem subindo em audiência lá fora.

Mas eu estou aqui é para registrar as impressões do episódio piloto assinado pela roteirista Dana Stevens (que tem no currículo o roteiro do filme Cidade dos Anjos, que a minha esposa não se cansa de assistir). Aliás, talvez resida aí a razão do roteiro do episódio ser tão preciso e tão certinho – tanta coisa acontece no piloto, que mais parece um longa-metragem.

E não só o roteiro, mas tudo no episódio funciona bem. O elenco está afinado e, pra minha surpresa e a de quem nunca acordou no sábado às sete da manhã para assistir 7th Heaven, Barry Watson manda bem no papel central.

Ainda que recicle velhas fórmulas do gênero romance (estou amando loucamente a namoradinha de um amigo meu) e tenha sido pouco original na trilha (fiquei embaraçado na cena que o personagem do Rick Gomez imita que está tocando os teclados da canção “Baba O’Riley”, tema de CSI:NY, igualzinho a Hugh Laurie em um episódio de House), What About Brian teve uma estréia bacana. Ainda não dá pra saber quanto tempo ela ficará no ar e se o que vem pela frente é tão bom quanto a premiere. Mas é bom torcer para que sobreviva – no meio de tantas séries de procedimento, dramas serializados e seriados médicos estávamos mesmo precisando de uma novelinha para jovens adultos.

Que seja bom enquanto dure.

Séries citadas:

14 Comments

  1. Eric Fernandes

    Quando lembrei de assistir já era 22:45. Vou conferir a reprise pra ver o que é que essa série tem.

    Tava comentando com um amigo que já estou cansando de séries médicas, séries mistérios ou algo do tipo. Quero ver uma novelinha, de preferência no fim de noite, pra não ter preocupação nenhuma, apenas para passar o tempo. Acho que Brian pode preencher esse vazio.

  2. Maurício

    Concordo com o Eric, A TV americana já não tem mais do mesmo. Um monte de series médicas, policilescas ou de advogados. Nãosei se é o caso dessa série, mas seria bom que viessem séries, sem ser sitcons, que não fossem tão carregadas de dramalhão. Histórias mais leves que fizessem um meio termo entre as comédias (excessivamente carregadas de piadas como Friends, mas que prejudicam a trama) e os dramas (excessivamente lacrimosos). Bom! Valeu!

  3. Paula

    A série não me convenceu, nem a trilha sonora. Tudo bem que U2, Snow Patrol, The Who são bandas que amo, mas quando se tem séries como Grey’s Anatomy e The OC, que fazem você correr para internet após cada episódio para descobrir que músicas e artistas são aqueles, uma série com músicas batidas fica meio brega… Se ainda fosse para marcar época, como em Cold Case, tudo bem, mas nem isso!

  4. Cristiano(Highlander_Master)

    Eu tenho uma idéia mas simples do pq ela continua no ar… Foi pra manter o J.J. Abrams fazendo séries pra emissora, pq afinal temos que dar o braço a torcer, o cara é muito talentosa.

    Sobre What about Brian em si, eu não vi. Tava vendo Supernatural, essa sim uma baita série…

    Mania que o pessoal tem de reclamar das séries policiais, vcs não sabem o que tão perdendo, elas são as mas legais, histórias bem simples sem ter que ser um teste de Q.I, as vezes é legal pra passar o tempo, eu também gosto de série complexada de vez em quando, mas não tem o que enganar, as séries simples como a sitcom “New olds of Chistine”, ou uma C.S.I Miami, também é bem legal pra dar uma relaxada…

  5. Eu não tinha me dado conta que estava sentindo falta deste tipo de série. Gosto muito de policiais, séries de tribunal, sitcoms, etc, mas uma série assim estava realmente faltando.

  6. Miguel

    “Foi pra manter o J.J. Abrams fazendo séries pra emissora, pq afinal temos que dar o braço a torcer, o cara é muito talentosa.”

    Mas o J.J. não criou What About Brian, ele é apenas um dos produtores executivos, já que a série é produzida pela sua produtora Bad Robot, o mesmo caso da recente Six Degrees, que aliás está sendo um fracasso de audiência para a ABC.

    Na realidade, o J.J. só criou sozinho Alias, já que, tanto em Lost como em Felicity, ele foi co-criador.

    O nome dele ficou mais conhecido porque ele costumava receber boas críticas da imprensa americana, pelo menos com relação ao seu trabalho na televisão. E porque ele dirigiu o piloto de Lost, o qual lhe rendeu um Emmy.

    Mas as últimas crias da Bad Robot não receberam nem boas críticas nem tiveram boa audiência (estou me referindo a What About Brian e Six Degrees), além disso a audiência de Lost tem caído bastante, mesmo que ele mal esteja envolvido no processo criativo da série, já que está trabalhando em Star Trek XI.

    Ele tem um certo talento, mas, na minha opinião, encheram demais a bola dele e a mesma está prestes a estourar.

    Sobre WAB, concordo com a Paula, não me convenceu. É uma ‘novelinha’ no pior sentido e nem as músicas salvam. Mas acreditem, Six Degrees é pior.

  7. Mônica

    Eu assisti ontem e até agora gostei do que vi. Parece que vai ser legalzinha. Vamos ver se sobrevive.

  8. Diêgo

    Concordo com o Eric e o Maurício. Séries como WAB servem mais como um “descanso” de tanto drama e ação que se vê por ai. Pra quem cansou de novelas é uma boa pedida, sem contar que ver The O.C. já não ta dando pra aguentar…

    Achei a estréia bem apresentável. Deu pra conhecer os personagens e sacar a trama. Se continuar assim vou deixar pra ver Supernatural na hora das reprises.

  9. digo_haha

    Eu tava vendo Nip/Tuck na hora.

    Reprisa em um horário decente?

  10. Eric Fernandes

    Digo tá ai:

    Reprises: quarta, à 2h e às 14h
    domingo, às 17h; segunda, às 4h

  11. Lucas

    Parece que o editor gosta de imprimir o que é bom ou o que é ruim na tv, tendo sempre a palavra final.

    What about bryan não para dizer que é ruim, mas também não dá para dizer que é bom. Não marca, não prende, não pega. Não entendi o porque da renovação já que os índices de audiência não são tão bons nem para valem manter a série no ar. Barry Watson consegue continuar tão chato quanto foi em 7th Heaven, o bom da série e diferencial é a bela e talentosa Sarah Lancaster. Mas a série não merece texto dizendo “vale a pena conferir”.

  12. Thá

    Eu gostei de WAB, achei bem legalzinha, uma novelinha boa pra desestressar. Espero que dure um pouco, pelo menos até o Brian conquistar a Marjorie! Agora, trocar Supernatural por WAB, nem pensar!!! Prefiro ver WAB nas reprises!!

  13. luci

    Estou gostando muito dessa série nova. Tomara que dure um pouco mais. Gosto muito da Marjorie desde que fez Everwood. Ela é bonita e tem empatia. Espero que ela não case. Vamos ver o que acontece no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account