Log In

Colunas e Seções Gastronomia

O hambúrguer perfeito de ‘How I Met Your Mother’

Depois de oito anos de risadas hilárias, muitas partidas de Laser Tag, várias lições do Bro Code e do Play Book, micos gigantescos, intervenções polêmicas, misteriosos doppelgangers (sósias), reviravoltas profissionais e uma especial tendência a desencontros amorosos, a saga dos amigos Ted Mosby (Josh Radnor), Lily Aldrin (Alyson Hannigan), Marshall Eriksen (Jason Segel), Robin Scherbatsky (Cobie Smulders) e Barney Stinson (Neil Patrick Harris) está em clima de despedida. Em menos de dez dias, estreia a última temporada de How I Met Your Mother (HIMYM) – dando fim à ansiedade dos que sabem o que é esperar quase uma década para saber se Ted finalmente encontrará a tão sonhada dona do guarda-chuva amarelo (e do seu coraçãozinho!).

Ted – em Lucky Penny (2×15):

“Filhos, uma coisa engraçada do destino. Eu pensei que eu estava fadado a conseguir aquele trabalho, mas eu estava errado. Meu destino era ficar em Nova Iorque. Porque, se eu não tivesse, nunca teria conhecido a sua mãe.”

Como sempre, as criativas e inusitadas histórias nova-iorquinas vividas pela gang – inspiradas em vivências dos criadores da série, Carter Bays e Craig Thomas – eram lembradas em trechos como esse, nos quais o Futuro Ted (na voz do ator Bob Saget) preparava o terreno para contar aos filhos sobre as suas aventuras com os uncles (tios) e, claro, a forma como ele conheceu o amor da sua vida. Mas, até chegar em 2030, ano em que as histórias são lembradas, Ted e os amigos passaram por vários momentos, que, como sempre lembrado por Barney, foram lendários.

Barney:

Faça todas as noites lendárias!

Entre os longos anos de amizade e experiências, o que não faltou em HIMYM foram bons comes e bebes. Já no piloto, damos nossa primeira volta pelo MacLaren’s Pub, local que é quase como a extensão da casa do quinteto (ainda mais que o apartamento de Ted, Lily e Marshall era longo no andar de cima!). Lá, canecos incontáveis de chopp e lanches saborosos embalaram alegrias e tristezas dos vinte e poucos anos do grupo, repetindo o famoso estilo de outras sitcoms de sucesso, como Seinfeld e Friends.

Mas nem só de MacLaren’s foram recheadas as gostosas horas de papo de HIMYM. Em oito temporadas, os apartamentos da gang e os seus locais de trabalho se tornaram postos para diversas experiências culinárias, assim como os vários restaurantes e bares de Nova Iorque frequentados pelo grupo. As casas dos familiares também eram ponto certo de garfo e faca na mão, em especial no recinto dos Eriksen, em Minessota, onde tudo poderia estar faltando – menos o amor pela boa comidinha da mamãe! A influência do mundo culinário, além da mesa, levou a série ainda mais longe, com a fantasia especial de Halloween de Ted, no episódio Canning Randy (6×07): uma roupa de corpo inteiro com formato de cachorro-quente.

Se pareceu que a coisa ia acabar por aí, HIMYM tem ainda mais segredinhos de cozinha para mostrar. Na 4ª temporada, a série dedicou um episódio inteiro para falar sobre comida. Em The Best Burger in New York (4×02), Marshall convence a gang a ajudá-lo a encontrar o lugar onde ele comeu o melhor hambúrguer de sua vida, logo que chegou à Nova Iorque. No episódio, são incontáveis as cenas dos personagens comendo burgers dos mais variados tipos para mostrar as tentativas da busca de Marshall. Ainda, o grupo conhece o ator Regis Philibin (America’s Got Talent), uma celebridade apaixonada pelo sanduíche que, inclusive, tem um quadro autografado no local. Porém, assim como Marshall, Philibin nunca mais encontrou o restaurante e conta com a gang para finalmente devorar o maravilhoso hambúrguer. Depois de muita procura, deprimido, Marshall quase desiste de sua empreitada. Porém, com a ajuda de Lily e de uma garçonete, descobre o novo endereço do sonhado estabelecimento. Para alegria de todos, menos de Robin – que passou o episódio inteiro faminta – a turma sai, mais uma vez, à caminho do hambúrguer perfeito de Marshall.

 

Robin:

Enfim, é apenas um burger.

Marshall:

Apenas um burger? Apenas um burger. Robin, é muito mais do que “só um burger”. Quer dizer…aquela primeira mordida – oh, é o céu aquela primeira mordida. O pão, como um seio sardento e angelical de gergilim, repousando gentilmente no ketchup e na mostarda abaixo, sabores se misturando em uma sedutora dança. E, então, um picles! O mais brincalhão e pequeno picles! Então uma fatia de tomate, uma folha de alface e…um bife tão gostoso, rodopiando na sua boca, se quebrando, e combinando de novo em uma fuga doce e saborosa, tão deliciosa. Esse não é um mero sanduíche de carne grelhada e pão tostado, Robin. Isso é Deus falando com a gente através da comida.

Enfim, depois de muita procura, o desejo de anos se tornou realidade. Após um momento de tensão, em que todos esperavam pelo primeiro veredicto de Marshall, uma onda de alegria pairou no ar (veja a foto de capa!). Eles tinham encontrado o hambúrguer!

Hambúrgueres – um pouquinho de história

Os hamburgers (hambúrgueres) são bastante comuns (e populares!) na culinária norte-americana e marcaram sua presença especialmente no século XX. Geralmente, são associados aos restaurantes de fast food e, aqui no Brasil, sua entrada na nossa cozinha seguiu esse tipo de padrão. No entanto, assim como todos os alimentos apropriados pela indústria, os hambúrgueres vêm de uma raíz artesanal, caseira. Bastante diferente dos pequenos e padronizados sanduíches que vemos por aí, o hambúrguer norte-americano tradicional – feito em casa e nos restaurantes locais – é maior e possui bifes feito à mão, com uma seleção especial de carnes moídas, que eles chamam de patty of ground beef  (empada de carne moída). O surgimento do sanduíche ícone dos Estados Unidos é um pouco incerta, pois há uma disputa entre os diversos tipos de hambúrguer e muitos foram os que se auto-clamaram criadores. No entanto, acredita-se que, na receita, há grande contribuição dos imigrantes alemães de Hamburgo – o próprio nome é uma referência -, que introduziram nos Estados Unidos o tradicional bife de carne moída, o qual, adicionado ao pão dos norte-americanos, tornou-se o tão conhecido sanduíche. Geralmente, os hambúrgueres norte-americanos levam, como complementos, tomates, cebolas, picles, ketchup, mostarda, maionese e queijo. No entanto, essa não é uma regra, pois há muitas variações desse prato, que já se tornou algo como um patrimônio mundial, cada país com uma receita diferente. Mas, para fazer o especial do Marshall, vamos atacar a la americana.

O Hambúrguer Perfeito de How I Met Your Mother

Ingredientes:

Pão de hambúrguer

Cebolas em fatias

Tomates em fatias

Pepinos em conserva picados (sugestão para substituir o picles)

Folhas de alface

Queijo fatiado (sugestões: mussarela, prato, cheddar)

Ketchup

Mostarda

Maionese

Para os bifes:

600g de carne moída (sugestões: patinho, fraldinha, coxão de dentro)

Alecrim a gosto

Sal e pimenta a gosto

1 ovo

1 colher (sopa) de amido de milho

Modo de fazer:

1. Em uma tigela, misture bem a carne, os temperos, o ovo e o amido de milho, fazendo tipo uma massa com a carne. O ovo e o amido é que ajudarão a dar liga para montar os bifes.

2. Faça os bifes prensando-os com as palmas das mãos, deixando cada um com cerca de 1 dedo de espessura (o bife deve ser mais graúdo para não secar e manter uma consistência macia e suculenta).

3. Frite os bifes em uma frigideira anti-aderente bem quente – cerca de 3 a 4 minutos para cada lado (se for utilizar uma frigideira de outro tipo, coloque um pouco de gordura para que a carne não grude).  Se você quiser a carne um pouco mais passada, deixe por mais tempo, sempre cuidando para não queimar.

4. Com os bifes prontos, basta montar. Eu escolhi esta ordem: pão, maionese, alface, bife, cebolas e picles, tomate, ketchup e mostarda, queijo, pão.

E está pronto o hambúrguer perfeito do Marshall. Bastante fácil de preparar e fica uma delícia! Com essa receita, dá para fazer de 8 a 9 bifes, dependendo do tamanho. Claro, que se preferir, você pode comprar bife pronto, mas, garanto: o sabor não é nem perto o desse caseiro!  O que também é legal nessa receita é que ela não leva farinha de trigo ou de rosca, geralmente usadas para bifes, as quais possuem glúten. Assim, o pessoal que não pode comer essa proteína, fica tranquilinho para experimentar a receita. Ainda, se você preferir, pode escolher um pão integral, ao invés do tradicional adocicado, que usamos tanto em hambúrgueres como para cachorro-quente.

Ah, e antes de dar tchau e partir para uma mordida gostosa nesse hambúrguer caseiro, vale uma lembrança: hambúrguer pode, sim, ser uma comida bem nutritiva e saudável. Todos os ingredientes dessa receita podem ser adaptáveis para versões integrais e menos calóricas e, o melhor de tudo, é que o hambúrguer contempla vários grupos alimentares – é uma refeição praticamente completa!

Bom apetite!

 

Fotos da comida: Guilherme Moreira

Séries citadas:

formada em jornalismo, trabalha como revisora e, sempre que tem oportunidade, adora falar, escrever e estudar sobre comida. Nas horas vagas, também gosta de exercitar os talheres e os copos. Compartilha suas receitinhas caseiras no blog Panela de Pau. Saudosa irreparável de Friends e Barrados no Baile, atualmente acompanha Homeland, Suits e House of Cards.

Website: http://paneladepau.com.br

1 Comment

  1. Pingback: Até logo, Teleséries! Foi uma delícia cozinhar com você! » TeleSéries

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account