Log In

Gastronomia

O gumbo e a glória em Hart of Dixie

Pin it

George Tucker:
“Eu só queria te avisar que alguém, de brincadeira, inscreveu você no concurso de cozinheiros da cidade, amanhã.”

Zoe Hart:
“Ocorreu a você que eu mesma tenha me inscrito? Eu adoro cozinhar. Cozinho feito louca a toda hora, assisto programas de culinária no Cooking Food Channel. Você devia solicitar à sua operadora de TV local, é um ótimo canal de culinária para quem adora cozinhar, e eu adoro cozinhar.”

George Tucker:
“Não sei se sabe, mas Brick Breeland sempre ganha o concurso.”

Zoe Hart:
“Foi o que ouvi, mas não ligo. Sério, não comecei bem ao sabotar o desfile de Bluebell, fazendo da sua noiva minha arquiinimiga, mas você sabe melhor do que ninguém que preciso 30% dos pacientes pra manter minha parte da clínica.”

George Tucker:
“Tá, mas como o gumbo vai fazer isso?”

No episódio Gumbo and Glory, o terceiro da primeira temporada de Hart of Dixie, a doutora Zoe Hart decide participar de um concurso de gumbo na tentativa de ser melhor apreciada na comunidade da cidade onde é sócia numa clínica e assim finalmente conseguir pacientes, disputando posição contra o outro médico.

Acontece que seu oponente leva duas grandes vantagens competitivas: ele é da cidade e conhece seus habitantes, e faz um gumbo realmente gostoso. O gumbo é um guisado grosso de carne criado na Louisianna no século 18 dentro da comunidade cajun, isto é, de origem francesa. O nome gumbo deriva de especiarias usadas no prato cujos nomes nos idiomas bantu [afrricano] e choktaw [indígena] soam como “gâmbo”.

Hart of Dixie - Gumbo and Glory

Brick Breeland:
“Pessoal, sinto muito, vocês podem esperar mais um pouco ou voltar depois, mas Doris Culp acha que Albert está tendo um infarto… de novo. Acho que todos nós sabemos que ela está tentando me deixar em desvantagem com meu gumbo. Mal sabe ela que coloquei minha panela para ferver na noite passada.”

Eu achei uma escolha muito feliz dos roteiristas porque este é um prato que reflete a mistura de etnias em seus ingredientes e origens e a série lida com diversos tipos de misturas e combinações: étnicas, de geração, de sexo, de formação, de origem, de interesses e objetivos. Além disso, é um prato com um ritmo mais calmo: não existem atalhos ou correria na confecção do gumbo e isso combina perfeitamente com a trama da transição da médica da agitada Nova Iorque para a tranquila Alabama.

Por fim, um terceiro ponto de identificação entre o prato e o momento da série é justamente o ponto do gumbo: ele tem de ter um ingrediente que vai torná-lo consistente, encorpado após o longo cozimento [geralmente é o quiabo, que na série, metaforicamente falando, seria a doutora Hart].

Hart of Dixie - Gumbo and Glory

Zoe Hart:
“Você acredita que ele disse isso? Bom, isso só vai tornar tudo ainda mais delicioso quando eu o destruir no concurso de gumbo.”

Lavon Hayes:
“Oh, sinto muito, eu estava procurando pela coisa errada. Você quer a panela mágica de gumbo. Ah, aqui está! Eu sabia que tinha uma, bati nela uma vez pra espantar um gambá. Ahn, ele não vem com gumbo dentro, sabe. O evento é amanhã, espero que saiba que demora algumas horas pro gumbo ficar pronto.”

Existem duas versões para gumbo, uma com frutos do mar e outra com aves. A usada na série é a versão creole com frutos do mar e tomates, que George Tucker compra para Zoe Hart numa farm market contrariando o ultimato da noiva, Lemon Breeland, que lhe pedira para não falar mais com a médica.

Não se preocupe, na receita de hoje não pedirei para operar os camarões e retirar suas veias!

A receita – Gumbo de frutos do mar

Ingredientes:
1 xícara [chá] de manteiga
2 xícaras [chá] de farinha de trigo
2 litros de água quente
1 litro de molho de tomate
1 pimenta dedo-de-moça picada
2 talos de salsão picados
3 cebolas picadas
1 dente de alho picado
1 kg de camarões médios limpos
1 kg de mexilhões
1 dúzia de ostras
1/2 kg de lulas limpas em anéis
1 kg de quiabo limpo e seco
1 colher [chá] de pimenta-caiena
1/2 xícara [chá] de salsinha picada
1/2 xícara [chá] de cebolinha picada
Sal a gosto

Hart of Dixie - Gumbo and Glory

Modo de preparo:
Derreta a manteiga, acrescente a farinha e faça um roux escuro [“frite” a farinha na manteiga, mexendo sempre com uma espátula ou colher de pau, até que a farinha fique com uma cor moreno escuro]. Acrescente aos poucos a água até dissolver completamente o roux, deixando-o bem liso, sem pelotas..

Você pode fazer o roux numa panela ou frigideira média e acrescentar uma parte da água até que ele fique liso e depois passar para uma panela grande que comporte no mínimo cinco litros; isso facilita.

Abaixe o fogo e adicione o molho de tomate, a pimenta dedo-de-moça, o salsão, a cebola e o alho. Triture 200g de camarão e acrescente ao caldo. Deixe cozinhar em fogo baixo por 3 horas.

Depois, junte o restante dos camarões, a lula, o mexilhão, as ostras e o quiabo e tempere com sal e pimenta-caiena. Cozinhe por mais 10 minutos e acrescente a salsinha e a cebolinha. Sirva em cumbucas com arroz branco à parte.

Hart of Dixie - Gumbo and Glory

Notas pessoais: O grau de dificuldade médio desta receita deve-se em grande parte ao preparo do roux, que muitos consideram a prova de fogo do chef. Como uma imagem vale mil palavras e um vídeo explica bem melhor o processo, indico a master class em roux do chef Jean Phillipe Lafond disponível no Youtube [em português] que demonstra desde o momento em que se deve adicionar a farinha até como acrescentar o caldo.

Se não fosse pelo roux, o resto é baba. Trabalhoso, mas fácil. [Nota muito pessoal: na receita pede ostras, mas nunca encontrei pra comprar na região. Achei melhor deixar como estava, caso tenha na sua cidade.] Ah, uma dica extra: eu costumo aferventar caudas, cabeças e a casca do camarão na água que vai dissolver o roux, aproveitando seu sabor ao máximo. É só coar antes de usar. Garanto que não vai sobrar nada pro café da manhã do Burt Reynolds.

Wade Kinsella:
“Ei, meu tio Mo tem uma receita muito boa de gumbo, se quiser a minha ajuda…”

Este post homenageia os médicos, cujo dia comemoramos na terça-feira passada [18/out]. Que todos sejam uma combinação da capacidade técnica da Dra. Hart com a experiência humana do Dr. Brickland: um gumbo perfeito.

Séries citadas:

15 Comments

  1. Bianca Mafra

    tai uma receita que nunca vou fazer, adoro frutos do mar,mas nao me aventuro na cozinha prepara-los,para mim isso tem que ser na mao de quem realmente saiba fazer

  2. Anônimo

    eu adoro comer, mas admito que limpar camarão e mariscos é chaaato…

  3. Paulo Serpa Antunes

    Assino embaixo. Eu até cozinho camarões de vez em quando – já limpos.
    Mas sou péssimo em saber o tempo de cozimento. Geralmente refogo demais e eles somem no prato :)

  4. Paulo Serpa Antunes

    Ah, e fiquei interessado em Hart of Dixie. Pelo que li sobre a série estava esperando uma coisa assim meio Everwood, Providence… Mas esta tua descrição da série me passou uma vibe meio Men of Trees, o que é bem mais light!

  5. Anônimo

    Confesso que nunca tinha ouvido falar no gumbo antes de assistir esse episódio de Hart Of Dixie, e fiquei morrendo de vontade de experimentar depois da sua matéria, mas como meus dotes culinários não são dos melhores – pelo menos ainda não são -, acho que vou ter que esperar um pouquinho pra matar essa vontade, kk.

  6. Mariela Assmann

    Paulo, experimenta! Acho que você vai curtir a série. É bem light, gostosinha de ver =)

  7. Anônimo

    paulo, eu não saberia dizer com qual se parece porque não assisti a essas séries [só de vez em quando via um episódio ou outro de everwood], mas vou te contar uma coisa: o prefeito de bluebell tem um jacaré de estimação.

  8. Anônimo

    ariel, a primeira vez que fiquei com vontade de comer gumbo foi por causa do livro ‘quando as bruxas viajam’, do britânico terry pratchett. as bruxas chegam a uma terra em que outra bruxa usa o gumbo como um espelho mágico pra ver o que está acontecendo no reino. o autor depois escreveu um livro de receitas com os pratos citados na série de livros de fantasia que ele criou [discworld] e incluiu a de gumbo. não é essa que usei aqui, mas a ideia do livro em si é uma delícia!

  9. Anônimo

    Fiquei até com vontade de ver essa Hart of Dixie… E de experimentar gumbo!!!

  10. Anônimo

    hehehehe, bom saber que não sou só eu que tem lombriga atiçada!

  11. Pingback: Domingueiras « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account