Log In

Reviews

Nashville – Dear Brother

Pin it
Série: Nashville
Episódio: Dear Brother
Número do Episódio: 1x14
Exibição nos EUA: 27/02/2013
100
5
1

Mais um episódio excelente de Nashville que só vem confirmar o que eu já havia dito na review do episódio passado. Os roteiristas acertaram a mão.

Em Dear Brother era aniversário de Deacon e Juliette estava empenhada em fazer com que o amigo deixasse no passado o velho hábito de passar o aniversário em casa assistindo ‘Meu melhor companheiro’. Aqui ficou clara a diferença entre Rayna e Juliette. Enquanto a primeira sabe de cor e salteado do que ele gosta ou não e quais são seus hábitos a segunda, talvez por desconhecimento, se permite ousar e Deacon (às vezes) acaba gostando. Briga boa das moças pelo coração do guitarrista.

Confesso que to sentindo um pouco de remorso. Sobre o Jason eu escrevi na review passada “Quero ver como Gunnar e Scarlett vão se livrar dele”, mas juro que nunca imaginei que fosse desse jeito. Senti a mesma raiva e vibrei quando o Gunnar fez o que fez, mas não achei que fossem dar esse desfecho para o personagem. Quando a polícia foi lá no Bluebird jurei que era pra prender o Gunnar por ter acobertado o irmão. E se neste episódio a questão do contrato dos dois com a gravadora de Rayna ficou parado pelo menos Scunnar aconteceu. Da maneira mais improvável e no momento mais inoportuno do mundo, mas aconteceu. Acho que o sumiço do Gunnar fez a Scarlett perceber que ama ele.

Enquanto isso o Avery tá cada vez mais com a cara na poeira porque percebe a cada dia que passa que perdeu a Scarlett e que fez as escolhas erradas na carreira. E essas escolhas não são tão simples como a compra de um violão que ele chega lá e devolve…

E como eu sou meio bitch e meu remorso dura pouco eu já aproveito pra dizer que fiquei até feliz que a mãe da Juliette (nunca lembro o nome dela) tomou um porre na festa. Só assim pra mala da Juliette deixar a Rayna cantar aquela música linda que ela compôs pro Deacon. Sério mesmo, tem como não shippar o casal? Serei Raycon forever.  Mas volto nesse assunto logo mais.

Sem brincadeiras agora. Gosto da forma como estão tratando a questão do alcoolismo. Mostram que é uma doença que não é tão fácil assim de ser curada, que precisa de muita persistência e de apoio da família. É praticamente inevitável que algumas recaídas aconteçam no caminho.

O Teddy tá um nojo com a Peggy, mas pelo menos tomou as rédeas da própria vida e da prefeitura. Amei a postura dele para com o Lamar e o convite que fez para o Coleman. Achei legal também que mostraram a maneira como a mídia explora e suga as celebridades. Por mais famosa que fosse até hoje Rayna não havia sido exposta dessa forma, mas agora com o ‘escândalo’ ela foi. Uma pena para as crianças que acabam sofrendo mais que o necessário. Essa história mostrou também que por mais problemas e divergências que existam uma família é sempre uma família. Tandy e Lamar defenderam e ajudaram Rayna no momento em que esta precisou. Aliás, o melhor do episódio foi o que Lamar disse para a filha: “Rayna, você não fez nada de errado. Não se atreva a andar por aí com nada menos do que orgulho de ser quem você é. […] Você só tem que se explicar para quem você ama. Todo o resto… Bem, eles podem ir para o inferno”.

Acho que foi essa conversa que encorajou Rayna a levantar a cabeça, a ir na festa do Deacon e a ter a conversa linda que teve com ele. Tem gente que ousa dizer que amor não dói. Eu sinto a dor do Deacon e da Rayna dentro de mim cada vez que ela canta pra ele ou cada vez que eles tem uma conversa como essa. E ainda assim sei que é amor. Acho linda a preocupação que ela tem em não magoar ele novamente, ainda que eu não considere que a errada na situação anterior foi ela, ela sabe que magoou demais ele.

Já to ansiosa pelo próximo episódio – e sim, para nossa tristeza vem mais um longo hiato por aí – pra ver como vai se desenvolver esse romance, pra ver como o Gunnar vai lidar com uma eventual sensação de culpa e pra que Juliette e Rayna voltem a sair em turnê. Só espero que o Liam permaneça no lugar de onde nunca deveria ter saído: longe de Rayna James.

PS: Connie Britton tá simplesmente arrasando!

Séries citadas:

Relações Públicas e Mestre em Comunicação Midiática pela UFSM. Não esconde sua paixão por reality shows, sendo fã especialmente de The Voice, Survivor e The Amazing Race. Suas séries preferidas são Friday Night Lights e The O.C, mas também nutre um profundo amor por Friends e Sex and the city. Atualmente assiste Orphan Black, Orange is The New Black, Broadchurch, Faking It, Girls e Nashville... Suas paixões mais recentes são The Affair, How to Get Away With Murder e Scandal (cujas 4 temporadas completas assistiu em apenas 20 dias).

Website: http://www.assmanncomunicaçãoestrategica.wordpress.com

1 Comment

  1. Caline Teixeira

    Eu gostei muito desse episódio. E por mais que eu não goste do irmão do Gunnar, a forma que ele morreu foi tão drástica. Eu não sei como ele vai lidar, se ele vai mudar ou não. Agora ele tá nessa relação com a Scarlett e eu torço muito por eles.
    No final deu certo a festa surpresa pro Deacon, eu pensei que ele fosse ficar mais bravo, mas como teve aquela canção da Rayna foi mais fácil relevar hahaha
    Eu gosto da Rayna e do Deacon juntos. O Ted me surpreendeu por querer colocar o Lamar como vice, mas pára por aí, aquele namoro dele é muito chato.
    Uma pena que agora tem hiatus…vou ficar na expectativa do próximo! (:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account