Log In

Reviews

Leverage – The Long Way Down Job

Pin it

Série: Leverage
Episódio: The Long Way Down Job
Temporada:
Número do Episódio: 4×01
Exibição nos EUA: 26/6/2011

Eu comecei a assistir Leverage esse ano. Sendo um pouco mais exata, há apenas alguns meses. Sou da opinião que quando você assiste uma série em ritmo de maratona sua percepção será diferente daqueles que acompanham a série conforme ela vai sendo exibida. Demorei um pouco a gostar (menos da Parker, gostei dela imediatamente) porém quando me apeguei assisti a terceira temporada tão rápido que tive tempo de sofrer a espera por novos episódios. E finalmente a 4ª temporada chegou.

Nate: Okay, pessoas, vamos lá roubar uma montanha.

Parker: De novo.

Nate: O que?

Parker: De novo. Nós já roubamos uma montanha há dois anos.

Nate: Sério?

Eliot: Bem, tecnicamente, foi um resort nas montanhas, não uma montanha mas, sim.

Hardison: Você estava muito bêbado também.

Usando uma expressão em inglês digo que Hardison estava ‘on fire’ nesse episódio. Aldis Hodge roubou todas as cenas que participou. Estava engraçadíssimo. E cresceu muito como ator nesse período.

No trabalho da semana a equipe precisou partir para as montanhas porque a evidência que precisavam para um caso – que o Nate aceitou sem ao menos consultá-los como Sophie fez questão de pontuar – estavam em algum luga no meio do acampamento no “topo” de uma montanha. Provavelmente na posse do marido desaparecido da cliente.

Hardison era o mais desesperado com toda a situação e não estava nenhum um pouco confortável com o clima congelante. Parker, a princípio, parecia a mesma criança deslumbrada de sempre pronta para qualquer coisa e parecendo não perceber o perigo que corria. Elliot, com todo seu mau humor, tentando fazer tudo da melhor maneira possível e chamando atenção de Nate que parecia não perceber o perigo que colocou a sua equipe.

Uma das coisas que chamou atenção foi ver Sophie ter que improvisar sem nenhuma grande troca de roupa. Mostrando que ela é boa mesmo no que faz e não precisa criar personagens mirabolantes para aplicar um golpe.

Outro destaque foi a reação de Parker ao encontrar o corpo de Alan Scott (Eric Stolz). Ela ficou visivelmente abalada ao pensar na possibilidade de morrer sozinha. É nítido que a reação dela tem muito mais a ver com ela que com Scott. E mostra como ela mudou muito desde o início da série.

Sophie e Nate conversam sobre terem passado a noite juntos e acertam que nunca mais isso acontecerá (ta bom) e que está tudo bem entre eles. Sophie diz que ele pode passar a chamá-la pelo nome verdadeiro mas Nate se recusa porque isso faria com que os outros descobrissem o que aconteceu (e poderia apostar que todo mundo sabe o que aconteceu). E assim nós continuamos sem saber o nome dela. Maldade!

Parker: Você sabe que nada mais será normal, certo?

Hardison: Sabe, minha avó costuma dizer que normal é aquilo que funciona para você. Todos nós lidamos muito bem com a situação.

Parker: Eu deveria conhecer sua avó.

Hardison: Yeah, deveria. Ela é tão le…não. Espera. O quê?

Acredito que não precisamos ter dúvidas que Parker finalmente resolver experimentar pretzel, não é mesmo? A felicidade no rosto de Hardison e a dificuldade dele em disfarçar que está ainda mais apegado a ela foram óbvias desde o início do episódio. E a forma como os dois se abraçam quando ela aparece, melhor dizendo, como ela o abraça deixou mais na cara ainda. O melhor momento foi o diálogo final entre eles. Eu adoro que ela sempre o pega de surpresa no meio das conversas e que ele só entende o que ela ta querendo dizer quando é tarde demais.

A trama da temporada também foi lançada. Quem será que colocou escutas no apartamento? E com que intenção? Eles fizeram tantos inimigos ao longo desses quatro anos que fica complicado arriscar.

Séries citadas:

Pós-graduada em História Contemporânea, pretende fazer mestrado usando séries como fonte. Seriados fazem parte da sua vida desde sempre. Magnum, Casal 20, Macgyver, Super Vicky são alguns deles. Assiste aproximadamente 40 séries (incluindo algumas já canceladas). Está aprendendo a abandonar séries mas sempre acaba colocando outras no lugar.

6 Comments

  1. Regis

    Olá Tati! Estou começando a acompanhar Leverage agora, e gostei bastante. Estou fazendo uma maratona dos primeiros episódios. A NET disponibilizou as três primeiras temporadas inteiras no canal NOW, para quem é assinante HD.

  2. Rafael Ruiz

    Só este ano Tati? Eu assisto desde o começo e conforme é exibida nos EUA. Adoro a série. Acho extremamente divertida.
    A Sophie e a Parker são as minhas preferidas, sempre me rende boas risadas.
    Ahhh e realmente, uma maldade não contar o nome verdadeiro dela. Toda vez que acho que alguém vai comentar, não sai nada!

  3. Rafael Ruiz

    Ahhh e acho que não é só com esta série que acontece isso… Comecei a ver House este ano no estilo maratona e acho que você passa a observar mais detalhes… Porque você faz mais ligações e acho que observa melhor essas melhoras no elenco…

  4. Tati Leite

    Pois é Rafael, eu assisto um média de 40 séries (não pergunte-me como) e sempre tem algumas que passam principalmente porque tem 2 anos que não tenho TV por assinatura em casa e demorei para ter um computador que permitisse que eu pudesse acompanhar mais séries. Uma amiga insistiu que eu deveria assistir porque era ‘a minha cara’. E finalmente consegui um tempinho.
    Quanto a assistir séries fazendo maratona eu tenho esssa hábito como várias séries e quando mencionei isso no texto não foi apenas em relação a Leverage. Obrigada pelos comentários. 

  5. Rafael Ruiz

    Eu imaginei que não era só em relação a essa série. Acontece a mesma coisa comigo.
    Não assisto a 40 séries! (NOSSA) Acredito que hoje eu assista (deixa eu contar….) aproximadamente 30 séries. (Não sabia que eu assistia tanta coisa! =/).
    Então acabo deixando passar alguma coisa também, como foi o caso com House. 
    Parabéns pelos reviews!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account