Log In

Spoilers

Lá Fora: oito season finales e uma estreia

Pin it

FlashForward - Future Shock

E, tirando uns gatos pingados, a temporada 2009-2010 da TV americana chegou ao fim. Para celebrar o final de um boa temporada (convenhamos tivemos vários bons seriados novos nestes meses) trazemos resenhas de oito shows que se despediram na semana que passou. Seis deles voltam (The Good Wife, NCIS, Criminal Minds, Two and a Half Men, The Big Bang Theory e Rules of Engagement) e outros dois, infelizmente, saem de cena (a veteraníssima Law & Order e a controversa FlashForward).

Mas, assim como as estações do ano não são mais claras, na TV americana agora durante todo o ano tem estreia: e a coluna vem com uma resenha de 100 Questions, nova comédia da NBC. Confira na coluna e deixe seu comentário.

FlashForward: Future Shock (1×22)
Data de Exibição: 27/5/2010
MVP: Dominic Monaghan, John Cho e Christine Woods

FlashForward terminou como começou: com um apagão. Mas um ciclo completo foi fechado e embora nada tenha sido explicado, a forma como finalizaram a história (precocemente cancelada, se querem saber o que penso) foi plenamente satisfatória.

Em minha opinião, o maior defeito da série foi a escolha de seus protagonistas. Não apenas os atores, mas a própria história envolvendo Mark, Olivia e Lloyd era cansativa. E até agora não consigo compreender o porquê de Mark ser tão importante a ponto de um grupo inteiro tentar tirá-lo do caminho ou manipulá-lo.

Mas o interessante em FlashForward é que as histórias secundárias eram muito mais empolgantes do que a corrida pelo mosaico. Eu torci por Bryce e Nicole desde o início, mas me emocionei ao vê-lo finalmente encontrar Keiko e cheguei a chorar ao perceber que Nicole talvez tenha encontrado a redenção naquele que ela mais temia. E não é curioso que Bryce e Nicole tenham sido a salvação um do outro durante todo este tempo, enquanto se preparavam para os seus verdadeiros destinos?

Também me emocionei com Demetri (muito mais agradável longe da noiva chata e do medo da morte), Simon (que mesmo sem querer acabou responsável por outro apagão) e principalmente Janis (que terminou nas mãos da mesma organização que tentava destruir) E só depois é que fui me dar conta que Lita era interpretada pela Annabeth Gish. Que vergonha! Por isso eu a conhecia….

Mas o mais legal foi ficar sem saber nada e ao mesmo tempo completa e satisfeita, o que é curioso, entretanto não há sentimento melhor. Uma pena que a série tenha acabado, mas fico feliz que tenha encerrado com um flashforward, exatamente como deveria ser. (Mica)

Law & Order - Rubber Room

Law & Order: Rubber Room (20×23)
Data de Exibição: 24/5/2010
MVP: Sam Waterston e S. Epatha Merkerson

Como se despedir de um seriado que você acompanhou por mais de metade de sua vida? Eu ainda não sei. Eu ainda não me despedi.

Rubber Room não é exatamente um episódio de encerramento para um seriado com tanta história, mas ele não faz feio. Talvez a investigação do episódio não tenha sido a mais desafiadora nem surpreendente, mas, mais uma vez, os roteiristas acertaram no tom ao abordar um tema bastante espinhento nestes tempos: como professores que não ganham bem são obrigados a encarar crianças cada vez mais mal educadas, com cada vez menos liberdade para agir ou responder à altura.

Em meio as dificuldades (conseguir as informações necessárias para evitar uma tragédia maior, lidar com pais e educadores revoltados, o medo de processos que não se acabam), é a vez do promotor Jack MacCoy se colocar, lembrando os velhos tempos que não voltarão mais. Não deixa de ser uma homenagem.

Mas o que valeu foi a maneira escolhida para encerrar tanta história, outra homenagem, dessa vez à S. Epatha Merkerson, depois de tanto tempo dedicado a série: Lupo organiza uma arrecadação de fundos para ajudar à tenente, que primeiro ofendida, depois aceita a ajuda. Para fechar a arrecadação, lei e ordem se encontram num bar para comemorar.

O telefone da tenente toca, não conseguimos entender o que está sendo dito, mas sabemos que é o resultado do exame que ela fez. Quando ela se vira novamente ela está chorando. Foram os cinco segundos mais longos da minha vida televisiva!

Ela olha seus amigos, sorrindo, bebendo, conversando. E ela repete: “obrigada, obrigada, obrigada”.

Eu acredito que sirva como agradecimento para os fãs também. (Simone Miletic)

The Good Wife - Running

The Good Wife: Running (1×23)
Data de exibição: 25/5/2010
MVP: Julianna Margulies e Archie Panjabi

The Good Wife provou que os dramas de tribunal, principalmente os que se guiam por casos da semana, não precisam ser cansativos e não estão obsoletos, basta ajustar o tempo certo entre a vida dos personagens regulares, com as participações especiais, e quase tudo se resolve sozinho, ainda mais se o roteiro tiver um tipo de fluidez, aonde as situações agem sozinha, sem necessidade de intervenção forçada de alguma outra situação. E foi nisso que The Good Wife acertou: saber contar sua história no tempo certo.

Esse episódio final, apesar do caso da semana não ser tão bom quanto os anteriores, fechou perfeitamente a primeira temporada, fazendo um ótimo contraponto com o episódio piloto, com Alicia mais uma vez tendo que decidir sobre como sua vida vai se desenrolar se ela aceitar alguma daquelas situações: Peter ou Will?

De qualquer forma, apesar do óbvio, foi ótimo ver o lento desenvolvimento da bissexualidade de Kalinda, e o futuro do relacionamento entre Diane e Kurt.

E claro, ainda vimos pouco do envolvimento de Cary com Glenn Childs, e com certeza isso será uma das melhores storylines da próxima temporada. (Lucas Bonini)

NCIS:: Rule Fifty-One (7×24)
Data de Exibição: 25/5/2010
MVP: Mark Harmon

Regra do Gibbs 51: Algumas vezes você está errado.

Pensando na regra 51 eu começo esse texto afirmando que posso estar errada, mas essa foi um dos piores finales de NCIS. Toda a história no México e a possibilidade do pai do Gibbs ser assassinado e retomarem um Gibbs sombrio em busca de vingança é tudo que espero que não aconteça na próxima temporada.

Foi muito óbvio que tanto Paloma quanto Alejandro Rivera tinham uma ligação com o Pedro Hernandez. E que estavam juntos na tentativa de se vingar de Gibbs. Até porque, mais uma vez alguém que, de certa forma, ajudou Abby em algo na verdade estava a usando contra os seus amigos. Dinozzo ir ao México com o único objetivo de matar Alejandro também foi desnecessário ao extremo. Ao menos Franklin aparece.

A minha esperança é que tenha sido apenas um final de temporada ruim, e que os roteiristas consigam se encontrar e resolver essa parte da história da melhor forma possível. E que a Rena Sofer vá embora. (Tati Leite)

Criminal Minds - Our Darkest Hour

Criminal Minds: Our Darkest Hour (5×23)
Data de Exibição: 26/5/2010
MVP: Shemar Moore e Linda Purl

Acho que é a primeira vez que Criminal Minds termina sua temporada com um cliffangher que não coloca em perigo alguém da equipe. É verdade que na segunda temporada a ameaça vinha de dentro, com Strauss tentando dissolver a equipe. Porém ainda assim tínhamos uma razão genuína para ansiar pelo próximo ano, o que não é o caso com Our Darkest Hour já que Morgan é deixado vivo e bem, e o gancho é o sequestro da filha do detetive Spicer.

Por mais que eles tenham sido eficientes em estabelecer a perversão de Billy Flynn, eu acho bem difícil ficar ansiosa para saber o destino de uma menina que conhecemos por cinco minutos apenas. Por outro lado, depois de tudo o que aconteceu com Hotch, talvez seja melhor mesmo que os agentes tenham um desconto dessa vez.

O episódio começou muito bem, mostrando o efeito que o assassino teve em sua última vítima, mas eu achei que eles poderiam ter trabalhado melhor em cima dele e tentado tornar os muitos assassinatos que ele comete em algo maior que informação. Eu não achei tão chocante quanto quando descobriram o número de vítimas de Mason Turner, o assassino da última finale. E eu definitivamente queria ter visto o Eric Close interagir mais com o resto do elenco, porque talvez assim eu gostasse o suficiente dele para que sua morte tivesse algum impacto.

Em comparação, achei essa a finale mais fraca que Criminal Minds já teve, porém a temporada foi uma das melhores e a série deve continuar a ser meu policial preferido por algum tempo ainda. (Thais Afonso)

Two and a Half Men: This is Not Gonna End Well (7×22)
Data de Exibição: 24/5/2010
MVP: Charlie Sheen e August T. Jones

As melhores coisas em Two and a Half Men são as verossimilhanças de comportamento entre Charlie Harper e Charlie Sheen. O Charlie da vida real, que teria ameaçado a esposa com uma faca, foi preso, internado para a reabilitação e depois jogou duro contra a CBS para renovar seu contrato (e conseguiu mais dois anos), de forma alguma limita os acontecimentos do Charlie da ficção. E terminar a temporada com ele algemado, e logo depois vestindo uma roupa de trabalhos comunitários, foi duplamente engraçado.

Sem pegar tão pesado no humor, como quando usou uma prostituta para “dublar” Chelsea (dois episódios atrás), ou quando seu farmacêutico traficante garantiu para ele e Bertha uma tarde pra lá de agradável (o episódio mais recente), Charlie foi apenas uma vítima do infortúnio. Tudo bem que ele incentivou Jake a ultrapassar um sinal vermelho, mas ao bater no carro de um policial para evitar Chelsea… Vamos dar um desconto: nada trágico ou de um humor negro, apenas puramente engraçado.

Two and a Half Men não é das series mais brilhantes e adora uma piada de peido, mas há mais de sete anos vem sendo um divertido passatempo. Certo que Chelsea encoleirou Charlie e Alan está cada vez mais insuportável, só que em compensação a química entre Charlie e Jake só faz melhorar com o passar do tempo e, por pelo menos mais dois anos, teremos diversos episódios de “mais do mesmo”. E como vejo TaaHM apenas como passatempo, agradeço por isso. (Thiago Sampaio)

The Big Bang Theory - The Lunar Excitation

The Big Bang Theory: The Lunar Excitation (3×23)
Exibição: 24/5/2010
MVP: Jim Parsons, Kunal Nayyar e Mayim Bialik

Ao convidar Penny para um experimento lunar no terraço do prédio, Leonard topa com o novo rolo de sua ex: alto, boa pinta e burro como uma porta. Deprimido com a situação, Howard sugere para seu colega um site de relacionamentos para esquecer a vizinha. A coisa então muda de foco e Howard e Raj (como assim comparar bizonhamente The Good Wife com Grey’s Anatomy?!) sugerem tentar encontrar um par perfeito para Sheldon Cooper, uma grata surpresa, das comédias, nos últimos anos.

O personagem de Jim Parsons, excêntrico, genial e assexuado, periga enfrentar grandes mudanças na próxima temporada graças à uma bem vinda interação com o sexo-oposto. Amy Farrah Fowler, interpretada por Mayim Bialik, a eterna Blossom*, foi escolhida pelo site de relacionamentos como o par perfeito de Sheldon Cooper. E se uma teoria dizia que o melhor par para Sheldon era ele mesmo, essa teoria talvez não esteja completamente errada, visto que Amy é exatamente como Sheldon. Só que de saias.

Aí está algo que pode ser interessante: uma namorada para Sheldon. Tudo válido para The Big Bang Theory, a comédia mais assistida da temporada. Agora é só torcer que no próximo ano, Sheldon não vire o Leonard desse: um personagem em declínio graças à um romance que não deu certo – e que acredito que não vai dar.

* Logo após o episódio, fui assistir Blossom dublado, do SBT, no Youtube. Bons tempos, bons tempos… (Thiago Sampaio)

Rules of Engagement: They Do? (4×13)
Data de exibição: 24/5/2010
MVP: todos

O quarto ano de Rules of Engagement termina com um episódio que gira em torno do esperado casamento de Adam e Jennifer (noivos desde o piloto da série, de fevereiro de 2007). O casamento, que era pra ser uma surpresa, acaba gerando uma série de confusões – com Jeff contando o segredo para Audrey e Adam inventando uma mentira para que Russell e Timmy não apareçam. No fim, Adam e Jennifer não conseguem se casar, ficando a cerimônia de gancho para o quinto ano do seriado. Esta não é a melhor storyline da série, mas para um show que eu acompanho apenas sazoalmente, ainda assim o episódio foi bastante agradável.

Para quem não sabe ainda, Rules of Engagement foi a grande vencedora da briga entra sitcoms da CBS pela renovação – e a emissora, diferente das outras temporadas, não foi muito generosa desta vez, cancelando o trio Accidentaly on Purpose, Gary Unmarried e The New Adventures of Old Christine. E Rules ganhou o prêmio completo: não terá apemas meia temporada, ela retorna já na fall season, ao lado de How I Met Your Mother (esta sim, que já expirou o prazo de validade). Sinto pelas canceladas, mas Rules of Engagement fez por merecer a renovação, ela é engraçada e o elenco a cada ano está mais e mais afinado.

Fica a expectativa agora que a Sony se dê por conta que tem uma série veterana com um bom número de episódios inéditos e ache um espacinho na grade para exibí-la agora no inverno. De preferência ao lado de My Boys. (Paulo Serpa Antunes)

100 Questions - What Brought You Here?

100 Questions: What Brought You Here? (1×01)
Data de exibição: 27/5/2010
MVP: Sophie Winkleman

Eu nem ia testar 100 Questions, cansada que estou a espera de uma nova comédia de amigos que sejam realmente divertida – não, ainda não assisti a How I Meet Your Mother, shame of me! – mas o Paulo pediu e sábado me acomodei para descobrir o que vinha.

E fui surpreendida de forma muito-muito-muito feliz: a série é divertidíssima! Sim, ainda existem ajustes de percurso, o timing das claques ainda não é o ideal. Mas já me tornei super amiga de Charlotte Payne (Yankee bitch não sai da minha cabeça)

A história gira em torno da busca de Charlotte por sua alma gêmea, mesmo que ela não acredite nisso depois de ver os três casamentos de seu pai e os dois de sua mãe, usando de uma agência de encontros em que ela precisa responder pessoalmente a 100 questões sobre si de forma muito sincera. Ao responder as questões ela conta as histórias que vive com seus quatro melhores amigos, e que fizeram com que ela chegasse até ali.

Talvez o único erro de todo episódio tenha sido já insinuar, de cara, um envolvimento entre Charlotte e Wayne (prefiro a descoberta ao longo do caminho como Monica e Chandler em Friends). (Simone Miletic)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

19 Comments

  1. Pingback: Tweets that mention Lá Fora: oito season finales e uma estreia » TeleSéries -- Topsy.com

  2. Fernando dos Santos

    Law & Order:Eu torço muito para que L&O ganhe uma nova chance em um canal a cabo(algo que parece mais distante a cada dia) mas ao mesmo tempo penso que essa mudança vai obrigatoriamente resultar em cortes na produção para adequar o show aos orçamentos modestos da tevê a cabo.
    Se Rubber Room for o final definitivo da série vou sentir muita falta dela e também de ver a bela Alana Delagarza na televisão toda semana.

  3. anderson

    Blossom realmente eram bons tempos. Saudades.
    Pra mim TBBT perdeu a chance de se cristalizar como um marco. Tudo estava indo bem porém eles resolveram seguir o já velho e trilhado caminho de casalzinho que se separa e blá blá blá. Ok, Sheldon é engraçado, mas ele não é o único personagem. Raj e Howard deveriam aparecer mais e ter mais relevância. Enfim, esperar pra ver se a quarta temporada eles rumam a caminho de ser algo tipo Friends ou algo do tipo TandHM

  4. Maria Regina

    NCIS Nao gostei do final da temporada.
    Achei um dos mais fracos. A historia no Mexico foi chata e a relacao entre os hermanos obvia.
    E concordo com a Tati quero a Rena Sofer beeeem longe. Ela nao tem quimica nenhuma com o Gibbs e tudo pareceu forcado.

    Criminal minds nao foi tao emocionante quanto o resto da temporada que foi excelente. Hoje em dia e um dos meus programas favoritos.

    The Good Wife teve um bom final, relembrando o inicio, apesar do caso nao ter sido tao bom.
    Fiquei querendo mais e mais aguardando a proxima temporada.
    Ainda nao vi os outros finais. Estou com muuuitos seriados atrasados.

  5. Mônica A.

    The Good Wife foi bem legal. O caso da semana não foi dos melhores, mas o resto compensou. Adoro a Diane e o Kurt juntos. Tomara que ele volte pra próxima temporada. E achei a bisexualidade da Kalinda forçada. É como se ela não soubesse realmente o que quer. Ou o que é. Apesar de torcer pelo Will acho que a Alicia vai ficar (por enquanto) com o Peter. Aquela cena final foi só pra deixar o povo na expectativa.

    E falando em expectativa, alguém viu a finale de CSI:NY? Estou com o coração na mão até agora. Vou ter que ler spoiler antes de setembro pra conseguir aguentar.

  6. Thomaz Jr.

    Paulo,

    Voltei a ver Rules por causa da sua resenha da premeiere da série. E digo que em mtas semanas ri mais c ela do que c a veteranas HIMYM e Big Bang. A falta de pretensão da série ajuda e é quase uma volta as anos 90.

    Ri mto c a final de Big Bang. Adoro qdo Sheldon soa adulto.

  7. eu

    Ainda nao vi e nem sabia da existencia de 100 Questions e se nela a historia for essa ai mesma, ela num é nada menos do que um How I Met Your Mother contada por uma mulher. Aposto metades das minhas fichas que ha um casal estavel entre esses amigos e a outra metade eu aposto q ha alguem contra um relacionamento estavel. Mas se essa serie for engraçada igual HIMYM, perco minhas fichas feliz.

  8. Maria Regina

    Monica A
    Tambem acho que a Alicia vai ficar com o Peter por enacao que enquanto, o que e uma pena.
    Acho que a humilhacao que ele a fez passar e muito dificil de ser relevada.
    Gostaria muito dela com o Will, mas talvez ai a historia seria sem emocoes.

  9. Bruno

    Nada a ver com o post, mas será q alguém poderia avisar ao pessoal do canal Studio Universal que a transmissão deles é um lixo??? A grade não corresponde a realidade e repete DEMAIS!!! Gostaria de acompanhar Nurse Jack, mas simplesmente não dá!

  10. Caroline®

    Achei a SF de The Good Wife meio insossa. Mas nada que chega a comprometer o resultado da série, que tem uma média altíssima de episódios excelentes. Imagino que Alicia, no ponto em que está, vai escolher o Peter. Também, se ela ficasse com o Will, ia acabar o impasse todo, aquela paixão recolhida deles. E estou curiosa pra ver o Cary como soldado do Childs no meio da campanha. E vou sentir saudades do Eli, tomara que ele continue!

  11. Raruiz

    Que saudades sinto de Blossom… E sempre quando pego alguns episódios pelo Youtube dou muitas risadas…

    Eu adoro TBBT… Este último episódio renderam boas risadas, pelo menos para mim.

    E acho que o casal Leonard e Penny não deu certo…

    E fico muito feliz pela renovação e por Rules of Engagement voltar na Fall Season…

  12. Eduardo

    Último episódio de Law & Order: perfeito.

    SF de Criminal Minds: decepção.

  13. Cláudio

    Para falar a verdade o único final de temporada que eu gostei foi de Fringe. Fiquei bastante decepcionado com todas as demais séries que eu assisto (e eu assisto a muitas, muitas séries mesmo).
    E Simone, me desculpe mas 100 Questions é qualquer coisa menos divertida. É mais uma daquelas comédias que quando você termina de assistir ao invés de se alegrar, acaba em depressão. Claro que é muito cedo para uma avaliação muito crítica e pode até ser que melhore com o passar do tempo (coisa que eu duvido), mas acho que ela não dura mais 3 ou 4 episódios. E olha que o mote da série é até interessante.

  14. antonium

    Two and a Half Men=episodio sem graça,nem parecia um final de temporada.para mim a sensação é de falta de rumo para os personagem/situações,ainda continuam explorando os velhos esteriótipos e agora nos últimos episódios, piadas de escatologia o que é bem sintomático da perda de qualidade.
    #”Vamos dar um desconto: nada trágico ou de um humor negro, apenas puramente engraçado.”
    “puramente engraçado” aonde?pum,bater o carro,ser algemado e vestir um uniforme laranja pode ser engraçado para americanos que sabem o contexto ou gostam disso mas para nós fica a sensação de que as próximas temporadas vão ser só para enrolar
    em situações semelhantes..gostava mais quando a serie tinha uma veia mais sarcástica/irônica,um humor mais corrosivo.
    “passatempo”?eu espero mais de uma serie cômica do que um simples “perdertempo”…:)
    não tenho mais esperanças, a serie já se esgotou.
    talvez eu veja as próximas temporadas só para ser contraditório……:)

  15. antonium

    The Big Bang Theory=
    #”(comparar bizonhamente The Good Wife com Grey’s Anatomy?)eu também não entendi..será que é porque elas são protagonizadas por mulheres complicadas??(especulação minha).
    não assisti a primeira mas vi a segunda um pouco..quem souber a resposta pode dizer..
    a serie está numa boa fase e é claro que o romance penny/leonard tipo “friends”vai se arrastar entre idas e vindas até o final (é quase obrigatório ter um interesse amoroso em conflito em toda serie/filme/novela etc.acaba virando um dogma..)mas o que rouba a cena é sheldon mesmo.
    gostei do episodio onde eles conseguiram equilibrar a historia do casal com a vinda de uma possível namorada para sheldon e isso abre várias possibilidades e também torço para conseguirem desenvolver os outros nerds.

    a historia do elevador em outro episodio=achei interessante eles colocarem a origem do encontro dos dois bem ao estilo dos super-heróis(uma história simples de um salvar a vida do outro e ser grato por isso)e o elevador ganha, num certo sentido,um status de coadjuvante, como a nave enterprise de star trek…:)
    o que diferencia essa serie de uma “two and a half men”é a simplicidade e a inteligência das piadas,como a piada da maquina do tempo, o que prova que com um minimo de inteligência e presença de espirito você consegue fazer uma serie muito gostosa de se ver e de rir com suas situações, com personagens/atores também interessantes.
    é interessante ressaltar a coerência, várias piadas remetem ao universo nerd como o “videogame de fases” para ser admitido como colega para dividir o apartamento,do sheldon.
    uma ótima serie!recomendo.

  16. Lana Brasil

    Excelente trabalho do ótimo ator Sam Waterston!! Tenho lido
    muitos comentários a respeito de uma nova série com Sam Waterston que trará a
    cada episódio o que parece ser uma mistura de drama e comédia. O contexto de
    The
    Newsroom
    é muito diferente e conta com um ótimo elenco. Não vou
    perder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account