Log In

Spoilers

Lá Fora: especial de Doctor Who, Tricia Helfer em Two and a Half Men, finale em South Park e mais Seinfeld

Pin it

Curb Your Enthusiasm - The Table Read

Sexta-feira é dia de Lá Fora, que vem com programação bem diferenciada e algum sotaque britânico – isto porque seguimos cobrindo o drama Spooks e o Doctor Who está de volta com mais um episódio especial.

Da América, vale destacar Curb Your Enthusiasm, que volta a matar a saudades dos fãs de Seinfeld mostrando os bastidores do fictício episódio-reunião do elenco da série. E também para South Park que chegou ao fim de sua 13º temporada. E ainda Two and Half Men, que recebeu a visita da estonteante Tricia “Number Six” Helfer.

Mas o tema da semana, claro, deve ser mesmo House, com a despedida de um importante personagem da série. Para mais detalhes confira a coluna, que tem ainda resenhas de One Tree Hill, V e Desperate Housewives.

Curb Your Enthusiasm (Segura a Onda): The Table Read (7×09)
Exibição: 15/11/2009
MVP: Michael Richards, Larry David e Jason Alexender

No episódio 7×03 de Curb Your Enthusiasm, Larry David, co-criador de Seinfeld, aceita o pedido da NBC: vai fazer um especial de reunião da série. Mas só pela intenção de escalar sua ex-mulher, como ex de George, etentar reconquistá-la.

Adorei saber da premissa… E alguns episódios depois, caímos de cabeça na reunião.

O quarteto da dita “melhor série de todos os tempos” já se encontra no estúdio (é a casa do Seinfeld!) e nessa semana fez a leitura do roteiro escrito por Larry David e Jerry Seinfeld. As discussões sobre o nada continuam, mas o legal mesmo é que há desenvolvimento nos personagens. Seinfeld e Elaine tiveram uma filha (por inseminação artificial), George enriqueceu criando o iToilet (e perdeu tudo no esquema Maddof) e Kramer… continua o mesmo. Houve ainda espaço para participações de Kenny Bania, da mãe de George e do impagável Newman. Hochie Mama!

Vale lembrar que The Table Read não se limitou à reunião e seguiu com as bizarrices do universo de Larry David. Alguns atores, por exemplo, desconfiam da escalação de sua ex, Jason lambeu e enfiou em vários orifícios a caneta emprestada por David, há um conflito criado por causa de gorjetas, visitas inapropriadas… Mas nada vence Larry falando da “xoxota” de uma garota de nove anos ou as desventuras de Michael Richards ofendendo negros. Ehr… O legal mesmo é que Seinfeld voltou! (Thiago Sampaio)

Two and Half Men - Gorp. Fnark. Schmegle

Two and Half Men: Gorp. Fnark. Schmegle (7×08)
Exibição: 16/11/2009
MVP: Charlie Sheen e Jon Cryer

Fazia tanto tempo que eu não assistia a um episódio tão bom de TAHM como este, já tinha até desacostumado. Em alguns momentos confesso que pensei em Coupling UK e seu humor inteligente – ouvirmos a mente de Charlie e Alan me lembrou os episódios com a tela dividida.

A escolha de Tricia Helfer para o papel de Gail foi perfeita: a loira realmente era capaz de abalar toda a família, incluindo Berta – adorei o “ah se eu não gostasse de homens!”.

Os pensamentos de Charlie me lembraram o velho Charlie totalmente descomprometido com tudo, enquanto Alan me cansou um pouco – mas menos do que nos últimos episódios. Duvido que algum dia eu esqueça a cena do restaurante e o devaneio de Charlie sobre Brian, The Truth About Brian, James Caan e Rollerball…

Para fechar eu só poderia dizer: Gorp. Fnark. Schemegle. (Simone Miletic)

South Park: Pee (13×14)
Exibição: 18/11/2009
MVP: n/a

Chegou ao fim o 13ª ano de South Park. De praxe, todas as temporadas da série vêm sendo divididas em duas: metade vai ao ar em março e abril; o restante nos meses de outubro e novembro. Nessa divisão, geralmente temos uma quebra bem homogênea na qualidade dos episódios, mas não foi o que aconteceu dessa vez. Enquanto a primeira parte, exibida meses atrás, foi até digna de Emmy, essa segunda leva deixou a desejar.

Alguns episódios tiveram seus momentos. Butters como cafetão, o sentido da palavra fag (viado), japoneses caçando golfinhos e baleias… Mas o melhor da série, as parábolas de eventos atuais desenvolvidas em situações nada ortodoxas (com brilhantismo, a série levou o Emmy ao falar da crise econômica), acabou sendo deixado de lado, e no final da temporada o que aconteceu foi um resumo da palidez dos últimos oito episódios.

Em Pee, que prometia uma boa história sobre o crescimento das minorias nos EUA (para o pavor de Carter, mexicanos, orientais e negros estão tomando um Parque Aquático), o foco acabou sendo uma paródia de 2012 e as previsões maias para esse ano. O acúmulo de urina até que resultou em boas seqüências, as reações de nojo do Kyle pareciam refletir as nossas e cientistas mijando em macacos e no próprio Randy para encontrar uma cura (nem me perguntem do que…) acabaram sendo boas gags, mas South Park deveria ser mais do que uma coleção de cenas escatológicas. O desenho é bom demais para apenas isso… Que voltem as parábolas! (Thiago Sampaio)

Desperate Housewives - The Coffee Cup

Desperate Housewives: The Coffee Cup (6×08)
Exibição: 15/11/2009
MVP: Drea de Matteo

Sem mais, o oitavo episódio intitulado The Coffee Cup foi o melhor de uma bem sucedida sexta temporada de Desperate Housewives.

O motivo é o bom roteiro que usa Angie para conectar as histórias das famílias Mayer, Delfino e Van de Kamp de uma maneira brilhante e coerente. Enquanto Gaby continua com suas tramóias para se tornar uma boa e amigável mãe para Juanita, do outro lado é a família de Angie, vivida pela atriz Drea de Matteo, quem dá o tom da série e proporciona um cliffhanger instigante.

Em relação à questão de Susan e Katherine, a minha reflexão entra em conflito. Boa parte do humor de Desperate hoje acontece por causa da situação surreal e infantil vivida pelas duas. Mas, ao mesmo tempo, o que garante graça à série também evidencia o elemento sem sentido no qual Katherine se transformou. O que é uma pena tanto para Dana Delaney, que vive a personagem, quanto para Desperate, que podia construir uma história de loucura bem mais dramática e relevante e aproveitar mais dessa excelente atriz. (Rafael Maia)

One Tree Hill: You Are a Runner and I am my Fathers Son (7×10)
Exibição: 16/11/2009
MVP: n/a

Muita coisa fora de ordem nessa sétima temporada; definitivamente Mark Schwahn não soube organizar as idéias (nem ser criativo) e acabou se perdendo. O plot de Millicent, por exemplo, é interessante, ficamos tristes quando não levaram adiante com Rachel, mas a atriz está descaradamente imitando Jana Kramer (Alex Dupré) e sua interpretação não passa verdade.

Em contrapartida o personagem de Clay só emociona. Em nenhum momento ele se fez de coitado por conta da morte da esposa, mas mostrou que em meio a essa tragédia o trabalho é o que o mantém vivo, e mais, que ele ama Nathan como a um irmão.

Na contramão a isso também, temos Brooke mais insegura do que tudo e mais chorosa. É um personagem idealizado por homens de uma maneira incrível e nessa temporada as coisas se potencializaram e tudo isso faz cair por terra toda a beleza da série. Por isso eu faço coro: se não tiveram a decência de encerrar na sexta temporada que tenham agora, por favor!

P.S.: O que fizeram com o cabelo de Bethany Joy Galeotti? (Lara Lima)

House - Teamwork

House: Teamwork (6×07)
Data de Exibição: 16/11/2009
MVP: Jennifer Morrison, Lisa Edelstein e Michael Weston

Eu estava tão feliz com House. Sei que muita gente não estava gostando, ou entendendo, ou ambas as coisas, mas eu não estava nem aí. Estava entendendo e adorando! Já sabia de antemão que Jennifer Morrison estaria saindo da série (só não sei o porque, e aparentemente, nem ela sabe), e obviamente já sabia que Thirteen e Taub retornariam eventualmente, mas mesmo assim só consegui sentir raiva e frustração vendo esse episódio. Wilson pode ter conseguido justificar a necessidade doentia de House de ter seus pupilos malas de volta, mas se House continua em negação é porque os produtores continuam em negação perante ao fato de que se depois de três anos ainda há tanta resistência com relação ao dois, talvez o problema sejam eles mesmos.

Além disso, para onde foi todo o progresso que House tinha feito? Ou talvez eu é que tenha sido ingênua acreditando que David Shore não iria jogar toda o processo de mudar o personagem e mostrar seu amadurecimento pela janela pela milésima vez. Basicamente, só gostei de duas coisas nesse episódio: do caso até a virada dos germes, quando ficou tudo uma palhaçada e das aparições de Lucas. Ele continua um fofo e Michael Weston tem uma química incrível com a Lisa Edelstein. Basicamente, o único personagem novo a me agradar desde a Amber. Espero que não vá a lugar nenhum tão cedo. (Thais Afonso)

V - A Bright New Day

V: A Bright New Day (1×03)
Data de Exibição: 17/11/2009
MVP: Elizabeth Mitchell

V teve essa semana mais um episódio muito bom. Ao contrário da grande aposta da ABC que foi FlashForward, V tem tido ótimos episódios com o ritmo e o enredo melhorando a cada nova cena. É impressionante como Elizabeth Mitchell, que interpreta a protagonista da série, Erica Evans, é carismática e boa atriz, conseguindo cativar o espectador desde o inicio de cada cena.

Neste terceiro episódio, A Bright New Day, o foco principal girou em torno da formação de uma real resistencia contra os invasores. E os primeiros personagens que começam a configurar este grupo são, além de Erica, o Padre Jack, Georgie e Ryan, que é um V, mas pretende lutar ao lado dos humanos.

Outro ponto que merece destaque no episódio é a cena na qual Anna treina sentimentos e sensações humana, fascinante. E também, mais para o final, a revelação de que Lisa é filha de Anna conseguiu deixar um clima de cliffhanger perfeito para o próximo episódio, que deverá ser o último exibido neste ano.

Particularmente, acho que a única coisa que me incomoda muito são as cenas que se passam nos corredores da nave. Acho aquilo um chroma key de quinta categoria. Em síntese, V está fazendo aquilo que toda nova série deveria faze: lançar uma premissa forte e ir largando o roteiro aos poucos, fazendo com que cada vez mais espectadores se interessem e, consequentemente, se viciem na trama dos alienígenas invasores. (Ivan Guevara)

Doctor Who - The Waters of Mars

Doctor Who: The Waters of Mars (segundo especial de 2009)
Data de Exibição: 15/11/2009
MVP: David Tennant e Lindsay Duncan

Eu não tenho palavras para descrever esse especial de Doctor Who. Sinceramente eu achei fantástico e muito bem executado. O visual de Marte estava perfeito e envolvente e nenhum ator deixou a desejar em seus papéis. E o clima de terror provocado pelas criaturas da água era realmente opressivo e angustiante, pois em momento algum tínhamos certeza de qual seria a atitude do Doutor. Desde o início ele titubeou em ficar na Bowie Base One (a primeira colônia da Terra em Marte), pois sabia que a base seria destruída e todos morreriam e ele não poderia fazer nada, pois aquele era um dos momentos fixos no espaço e no tempo e que não poderia ser alterado, caso contrário a própria existência dos universos estaria em risco.

Mesmo assim, o Doutor não seria o Doutor se a curiosidade não fosse mais forte e ele não ficasse até o fim no planeta vermelho. O diferencial está na sua atitude. Depois de sofrer durante anos culpando-se pelo extermínio da própria raça, o Doutor aceitou o legado de último dos Time Lords e decidiu que as leis são dele e devem obedecê-lo.

E foi aí que o Doutor errou. Ver o discurso de Adelaide foi chocante e a dureza e arrogância com a qual o Doutor o ouviu foi ainda mais difícil de assistir. Mas nada se compara a dor que ele sentiu ao perceber que Adelaide corrigiu o erro que ele cometeu e se matou para que o mundo continuasse em seu curso normal. E o desespero que o Doutor sentiu ao ver o Ood parado em meio à neve… Naquele momento não foi em regeneração que o Doutor pensou, mas sim no seu fim definitivo.

I’ve gone too far. Is this it? My death? Is it time?

E a pergunta que fazemos é o que nos espera nos dois últimos especiais do ano? Qual o caminho que trilhará o Doutor? Como corrigir dentro de si mesmo a arrogância e onipotência que se permitiu sentir? (Mica)

Spooks (Dupla Identidade): Episódio 3 (8×03)
Data de Exibição: 13/11/2009
MVP: Hermione Norris e Miranda Raison

O episódio à primeira vista não parecia trazer nada de muito novo. Não é a primeira vez que a série coloca seus agentes em uma crise com reféns. Na 1ª temporada foi Zoe e até a própria Ros também enfrentou esse tipo de ameaça na 5ª temporada. E, mais uma vez, Ros está bem no centro da ação. Um grupo que reúne os oito homens mais ricos do mundo está em Londres e o MI5 está de prontidão. Ruth está de volta ao Grid. De certa forma foi como se ela nunca tivesse saído.

A reunião do seleto grupo é interrompida pela invasão de homens armados, que executam os seguranças e levam os reféns, incluindo Ros, para um bunker subterrâneo e o enchem de explosivos, ameaçando detoná-los caso alguém tente invadir. Lucas e Jo são enviados ao local enquanto Harry, Ruth e Tariq avaliam as alternativas.

Os terroristas então escolhem um dos reféns para ser julgado, com transmissão ao vivo pela internet. Tariq tenta derrubar o servidor e impedir a votação, mas é inútil. Sem poder fazer nada, Harry e os demais assistem à execução do refém, que é considerado culpado pelos internautas. A CIA pressiona o governo e o MI5 e ameaça usar a força. Harry tenta ganhar tempo e Ros tenta persuadir a namorada do líder dos terroristas a cooperar.

O desfecho da crise é trágico para os agentes. Os terroristas se desentendem quando descobrem a traição de um deles e começam a atirar uns nos outros. Jo aproveita a distração para tentar arrancar o detonador das mãos do líder, mas só consegue imobilizá-lo. Ros então se vê forçada a atirar para evitar que ele acione a bomba, mas sabe que se o fizer Jo também morrerá. Não há muito tempo para pensar em alternativas. Jo sabe que não há outra saída e apenas sinaliza com a cabeça para que a colega cumpra seu dever. E o MI5 sofre mais uma baixa: Joanna Porter. (Patricia Emy)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

31 Comments

  1. Marcelo

    Doctor Who foi espetacular, pena que o ótimo ator está saindo e que a série não teve episódios neste ano, faz muita falta

    Fico esperando que o especial de natal seja tão bom quanto este

  2. Pedro Crespo

    Nossa, discordo em tudo que foi dito sobre One Tree Hill. A série está ótima, e continua muito regular, sem nenhum episódio realmente ruim essa temporada.
    E parece que as chances de ser renoava são grandes, e se continuar assim, só tenho a comemorar. =)

  3. Daniele

    Nossa,

    Para mim é uma felicidade abrir o site e ver resenhas de séries britânicas que adoro!!! Mto obrigada Mica e Patrícia.

    Spooks eu ainda não assistí mas Doctor Who ví sem legenda ainda tenho q ver com mais calma mas adorei! Mas achei aqueles monstros horríveis kkkkkkkkkkkkkk Este é um dos melhores seriados que conheço e este episódio foi bem forte ein? O doctor errou feio e falou coisas mto duras para a Adelaide e a atitude dela foi um tapa na cara dele para ver se “acorda” rs enfim! Maravilhoso!!! Uma tristeza o David sair do seriado como sempre ele arrasou!!!!

  4. Chelsea

    Nossa, dessas só vejo House. Fiquei muito p da vida, eu nunca fui fa da Cameron, mas quando eu conheci os outros pupilos eu passei a amar as participacoes dela. Eu só espero que nao volte a ser aquela porcaria da quinta temporada!

    Nao vai sair mais Semana Lá Fora de Friday Night Lights nao?

  5. Nelson

    Saiu a Cameron, fica a Treze. House já era. Saiu da lista de downloads.

  6. Roseana

    HOUSE
    O episódio de despedida poderia ser muito melhor, mas infelizmente foi uma negação!! Muito triste!!
    Esperava que a thirteen voltasse, mas confesso que não esperava que a dra. cameron saísse dessa forma!!
    Roteiro fraco, que decepção!!

  7. Claudemir Antonio Zamproni

    Reunião de “Seinfeld”?!?! Eca, nunca gostei, e achava que esta baboseira já estava morta e enterrada. Putz, puro engano!!! Mas, creio que Deus vai fazer toda essa praga ser passageira. De tudo isso aí em cima, só acompanho o “V”, e gosto muito. Ainda não vi este terceiro episódio, mas não passa deste final de semana. “House”, então, causando polêmica?!?!?! O tema da semana?!?!?!Ah, tem quem goste…

  8. Ana

    House
    Meu Deus oq tá acontecendo com House? Sério, o começo dessa temporada foi excelente e agora…
    Sério que os caras acham que trazer 13 e Taub de volta vai me deixar feliz? Eu preciso realmente dizer que eu SURTEI qndo vi o nome dos dois aparecendo como ‘Also Starring’? Deu até aquela dor no coração. Ah sim, vou morrer se aparecer na abertura o nome da Olivia Wilde (morra, Olivia, morra!)
    E ver a saída da Jen foi péssimo. Eu chorei com ela (OK, ela deve estar feliz porque agora não tem mais que contracenar com o ex. Mas ela e o Jesse Spencer eram tãão fofos!).
    Outra coisa: os produtores de House conseguiram me fazer odiar a Cuddy (olha, eu adoro o PI, mas não dá, não gosto dos dois juntos).
    Quanto ao House… acho que é a terceira vez que tão com essa história de: vamos humanizar o personagem.
    Meu Deus, por que eles insistem nisso? Não tá na cara que eles nem conseguem começar com essa porque logo ele volta a ser o House de sempre?

  9. Thiago Sampaio

    Curb Cara, tô achando ótima essa idéia da reunião. Dá pra ver que os atores estão se divertindo pra valer enquanto filmam… E o bom disso tudo (além de poder rever Seinfeld) é que… meu, Curb se revelou uma série muito engraçada. Eu gostei mesmo e acho que vou seguir vendo. No mais… a NBC bem que podia renovar Seinfeld e passar no lugar de 30 Rock, né não? Bem… o jeito é aproveita o episódio de 40min da semana que vem.

    Two and Half Men Pois é, Simone. 2aaHM vinha com uma sequencia de episódios bem questionáveis, mas esse até que foi legal. Não foi o melhor da história da série, mas os pensamentos dos personagens (principalmente os de Charlie, praticamente um sociopata) figuram entre os grandes momentos da série. E algo particular aqui: o sonho de Charlie ao lado da Number Six e aquele decote da Chealse… Gorp. Fnark. Schemegle!

    South Park Boa série, mas depois de tanto tempo, tantos prêmios, não pode se dar mais o luxo de ficar só com humor escatológico. SP precisa voltar com a crítica ácida que a fez uma das melhores séries de todos os tempos.

    House House, House… Pois é, Thais. Eu também tava vendo uma luz no fim do túnel, mas ela se revelou um trem vindo na nossa direção. Odiei o que fizeram com a Cameron. Odiei o que fizeram com a Morrison (coitada, nem sabe se foi demitida da série). Odiei o que fizeram com a série… Nem pra conseguir algo descente, pra voltar ela às origens… Não gosto da volta da Thirteen (embora ela esteja bem mais agradável que antes), não gosto da volta do Taub (muito canastrona a cena dele pegando os sintomas na lixeira), se era pra alguém sair que fosse o mala do Foreman… e preciso discordar de uma coisa: o Lucas e a Cuddy tem zero de química e esses dois juntos é mais forçado que Wilson e Amber. E ainda tem essa de todo mundo analisar as ações/intenções dos outros como se fossem os melhores terapeutas do mundo. Droga, House…

    V Tô começando a notar um padrão na série: todo episódio começa bem arrastado, com (questionáveis) momentos sci-fi… mas depois um bom ritmo é acelerado e o final revela um monte de acontecimentos, com o mínimo de enrolação possível. Tô adorando a série e já deixei Flashfoward pra trás. Chega daquilo. O problema da série é a audiência, que não é ruim, mas tá caindo vertiginosamente… Enfim, Ivan, concordando contigo: Mitchel está perfeita no papel (Lost perdeu quem não devia), os cenários da nave são toscos demais (talvez por serem exageradamente enormes) e a Anna é uma falsa do caramba: adoro a personagem. Quanto a atriz Morena… mm… o sorriso dela é das coisas mais lindas do mundo, mas ela tem um biquinho estranho no lábio superior, não? Mas quem liga? She’s hot! E é mãe da supergirl? MILF alert! MILF alert! huahauhauahuah

  10. Bianca Cavani

    => Dr. Who: fantastic! Como eu disse no site Universo Who (DANIELE, lá já está disponível em rmbv com legenda), valeu cada minuto da espera de um ano. Dr. Who mostrou uma faceta da sua complexa personalidade em que ele se vê meio um deus que pode tudo. E isso, como diversos sinais nos fizeram antever, não vai acabar bem…
    De fato, sniff, esses episódios de fim de ano são para nós nos despedirmos do David Tennant – ele que sentiu vontade de ser ator assistindo, na infância, a Dr. Who -, mas que nos console o fato de que ele está bombando no papel de Hamlet, ganhando prêmios, etc.
    => vou baixar a nova série do Seinfeld. Essa eu não perco de jeito nenhum.
    => Thiago, baixei o documentário especial do ER pela sua comunidade. De fato, é maravilhoso. Obrigada de coração por isso!

  11. Mica

    Bianca, como vou me consolar com o David interpretando Hamlet, se eu não posso assistir!? Ah, daria tudo para ir para os palcos ingleses nesse momento…

    V: Está fantástica. Nossa, a série só cresce. Sinto até uma dor no coração de pensar que semana que vem é o último antes do (gigantesco) recesso. E todos os plots são interessantes e aos poucos os personagens estão criando suas identidades e os núcleos começando a se fundir, o que nos permite enxergar a história de forma mais ampla. Muito bom!
    Sim, notei o biquinho da Anna, e ele é realçado pela forma que a câmera a filma. Acho que a intenção é justamente mostrar a sua aparência alienígena a despeito do exterior humano.

    Spooks: Ainda não vi o episódio, mas nunca resisto e sempre leio as resenhas :D. Juro que pensava que era a Ros que sairia primeiro e não a Jo. Só porque na semana passada eu comentei que ela era a veterana ali, snif, snif.

  12. Patricia E.

    @Daniele

    É sempre bom ver as séries britânicas ganhando espaço (e fãs).

    @Mica

    Depois que enviei o texto é que notei a falha.
    Errata: o sobrenome da Jo é Portman e não Porter. :P

    Quanto aos desfalques na Seção D, já está na hora do MI5 começar a recrutar novamente. Apesar da entrada de Tariq, a aposentadoria de Malcolm não me convenceu muito, ainda acho que ele volta. Agora fico imaginando se vão contratar alguém pra substituir a Jo — era de praxe na série que um novo personagem entrasse em cena para que outro saísse logo em seguida. A própria Jo entrou pouco antes da morte da Fionna. A não ser que eles considerem a volta de Ruth como a deixa pra que Jo saísse. Mas Ruth não é agente de campo como Ros e Lucas, ainda que no primeiro episódio ela tenha mostrado que, apesar de estar na vida civil, ela se mantinha em alerta constante, com uma bolsa de mão pronta com tudo de que ela precisasse caso tivesse que sair às pressas (achei legal esse detalhe). Uma vez MI5, sempre MI5.

  13. Bianca Cavani

    => Mica: rsrsrs.
    Só falei no sentido de que pelo menos Tennant está fazendo sucesso com um trabalho que está lhe dando prestígio, etc., então a gente fica feliz por ele. Mas quer saber? Na real mesmo? Estou arrancando os cabelos! Ele é perfeito: eu rastejaria para ele continuar como Dr. Who.

  14. Mica

    Bianca, tendo em vista que o meu Doutor é o Eccleston, eu até já estava esperando a saída do Tennant. Gosto dele, é claro, mas achava que estava na hora de mudar. Mas a cada dia que fica mais próximo o fim, mais meu coração aperta e o frio na barriga aumenta. Eu sei que é hora de mudança, mas é tão difícil imaginar a série com um novo Doutor. Tão difícil quanto foi para eu me acostumar com o Tennant depois que o Eccleston saiu. Só espero que eu goste do Matt Smith. Oh, Senhor, eu conto com isso, senão eu tenho um treco, hehe.

    Paty, sabe que eu sempre tenho a sensação de que está faltando alguém no grupo? Desde que o trio original se foi (e finalizando com a morte do Zaf), eu sempre tenho a impressão que o grupo está incompleto. Sei lá, que falta agente de campo ou que falta agente no Grid, ou algo assim. Não sei explicar, mas nunca me parece que estão atuando com seu efetivo completo.

  15. Bianca Cavani

    Mica, eu também estranhei bastante quando o Tennant substituiu o Cris. Fiquei de coração partido, ainda mais porque a idéia de sair não foi do Cris. Mas depois passei a gostar demais do Tennant no papel, das expressões que ele trouxe (tipo allons-y, molto bene), do jeito meio atrapalhado, mas que quando fica sério passa toda a solidão de ser o último Time Lord, a imensa sabedoria, a compaixão, do jeito que esse ator ama a série, etc.
    Quanto ao novo Dr. Who, é claro que os produtores devem ter escolhido com extremo rigor ($$$)e o ator deve ter carisma (embora eu ainda não tenha visto isso nele). Vamos acreditar que tudo vai dar certo. Entretanto, quanto ao escritor que vai ficar como o número um da nova temporada, o Steven Moffat, a meu ver ele é extraordinário. Foi ele quem inventou as formas de vida mais diferentes (e sinistras)das outras temporadas. Então, acho que temos bons motivos para esperar bons ventos de mudança.
    Fofoca: você ficou sabendo que Katee Sackhoff (Starbuck forever!) havia sido cogitada para o papel da nova companion do Doutor?

  16. Patricia E.

    @Mica

    Será que o Harry vai pedir mais alguém do MI6? :D Adam e Fionna vieram de lá. Quanto ao efetivo reduzido, Ruth até faz uma piadinha neste episódio a respeito (só na ficção mesmo, já que não me parece crível que o MI5 funcione com tão pouca gente — até o nº de figurantes no Grid diminuiu… :P ). Essa saída em massa de personagens me faz pensar se esta não seria a última temporada. Só espero que não resolvam transformar o final de Spooks em um gancho pra aquela porcaria chamada Code 9 (vulgo Spooks 90210).

    House

    Estou assistindo por assistir. Não torço pelo House e pela Cuddy, mas achei totalmente nada a ver o caso dela com o tal detetive particular (pra que trazer esse cara de volta?). Se foi só pra criar essas cenas de “angst” romântico, deixe-me ir pro canto vomitar que eu já volto (ou não).

    Pena ver a Cameron ir, mas desde que a equipe nova entrou ela tinha virado coadjuvante de luxo, com exceção dos episódios mais recentes. Só sei que não estou gostando nada desta temporada.

    V

    O último episódio antes do recesso… é bom eles conseguirem criar um gancho forte o bastante pra segurar o interesse do público até o ano que vem.

  17. Fernando dos Santos

    Agradeço pelos reviews de V,Doctor Who e South Park, três séries que foram abandonadas pelos canais daqui faz muito tempo.South Park ainda vai ao ar no VH1 mas somente as temporadas antigas já reprisadas centenas de vezes enquanto as duas séries britânicas foram esquecidas de vez pelas emissoras.

    V-Legal ver que a Elizabeth Mitchell finalmente está ganhando reconhecimento depois de tantos anos em papéis coadjuvantes na tevê e no cinema.Um motivo a mais pra torcer pelo sucesso de V.
    Se a série sobreviver aos eventuais efeitos negativos do longo hiato eu acho que ela tem renovação garantida.

    Spooks-a série segue surpreendendo.Pelo jeito o Harry é o unico que nunca vai morrer.

    Doctor Who-Pelo jeito essa temporada composta apenas por poucos episódios especiais funcionou bem, talvez melhor que o esperado.Isto só me faz lamentar ainda mais sua ausência em nossa tevê.

  18. Fernando dos Santos

    Correção:”agradeço pelos reviews de SPOOKS,Doctor Who e South Park três séries que foram abandonadas pelos canais daqui faz muito tempo.”

    V com certeza vai passar aqui no Brasil.

  19. cami

    V foi comprada pelo SBT.

    Gente, melhor cena de V foi a Anna ensaiando performances emocionais, MEDO!

  20. Patricia E.

    @Fernando

    O dia em que Harry Pearce morrer será o dia em que a série acaba (pelo menos pra mim). A alta rotatividade do elenco não me incomoda, fica até mais realista por mostrar que é um trabalho perigoso e que os agentes muitas vezes acabam sendo mortos, mas a idéia de não tê-lo mais no comando da Seção D… não vejo ninguém ali o substituindo, nem mesmo Ros, que apesar de ser uma ótima agente, é muito jovem para o cargo, apesar de ela ter se revelado uma ótima estrategista e ter um bom jogo de cintura (e estômago) pra lidar com o aspecto político do trabalho.

    No mais, só espero que essa subtrama envolvendo a CIA seja ao menos interessante, porque até agora a série me parece remeter aos seus primórdios, com histórias fechadas.

  21. Tiago

    Quando soube q haveria uma reunião de Seinfeld em “Curb”, peguei todas as temporadas para ver se a série de Larry é boa mesmo… ainda tô na 3a temporada e to adorando! É lógico q estou acompanhando a temporada atual tb. Adorei os episódios com o elenco de Seinfeld.

  22. anderson

    Eu vejo os comentarios sobre House e falo: “EU AVISEI” ahuahuahuhuahua

  23. Fernando dos Santos

    Patricia,
    eu analisei melhor a situação e cheguei a conclusão que até faz sentido que o Harry tenha sobrevivido haja visto que ele não é agente de campo.A luta que ele trava é mais com a politicagem e a selva da burocracia governamental.
    Agora quanto ao resto da equipe faz sentido mesmo que eles ocasionalmente acabem morrendo em serviço, pois como você mencionou o trabalho é de alto risco e estas mortes deixam a trama mais realista.
    Agora, ultimamente parece que os roteiristas andam castigando a equipe um tanto além da conta.Pelo que tenho lido nos reviews, faz tempo que nenhum membro sai do time após pedir demissão ou ser demitido.Nestes ultimos tempos tenho a impressão que o pessoal só sai do MI5 direto pro cemitério.

  24. Fernando dos Santos

    Lembrando que na próxima segunda-feira dia 23 de novembro tem a entrega do Emmy Internacional e Spooks é uma das finalistas.

  25. Patricia E.

    @Fernando

    Verdade. Deste jeito não vai sobrar muita gente caso a série seja renovada. Há rumores de que Hermione Norris está saindo também – resta saber que Ros irá morrer (de verdade desta vez) ou não.

    Fico na torcida por Spooks no Emmy.

  26. Lara Lima

    House
    Pois eh Thais a gente já conversou sobre as mudanças de House e depois desse episódio ficou mais claro pra mim. Eu até estou gostando da temporada, mas os dois ultimos episodios foram muito estranhos, House estava completamente diferente em temwork e os roteiristas ainda não acharam o tom para humanizar o personagem.
    E eu fiquei abalada com a saída da Cameron. Ela é um dos poucos personagens femininos que gosto e vai fazer MUITA falta.

    OTH
    Thiago, depois que a coluna saiu que eu percebi que o correto seria dizer ‘bom senso’, se Mark não teve o bom senso pra encerrar na sexta temporada, que tenha agora.

  27. Luiza

    Eu era empolgada com FlashForward,gostei da idéias e gosto muito do Joseph Fiennes…mas já tem uns 03 episódio que descrençei da série e com V se deu o contrário,sinceramente não gostei muito do primeiro ep. achei muito corrido,mas a cada novo ep. vou gostando mais.
    Spooks é uma série que eu gostava muito qdo, pzassava no people and arts,mas faz tempo que não passa(pelo menos eu não sei o horário) e não sei onde baixar.
    Qual foi o 1º ep. de Dr. Who de 2009?

  28. Mica

    Luiza, o primeiro episódio de Doctor Who de 2009 foi o especial de Páscoa: Planet of the Dead.

    Quanto a Spooks, você encontra para baixar no eztv, no mininova, no the box… E sinceramente vale a pena.

  29. Daniela Oliveira

    Nossa, discordo em (quase)tudo que foi dito sobre One Tree Hill. A série está ótima, e continua muito regular, mas o que fizeram com o cabelo da Bethany? De fato tá MUITO feio e não combina nem um pouquinho com a Haley.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account