Log In

Spoilers

Lá Fora Especial: 12 season finales

Pin it

Desperate Housewives - I Guess This Is Goodbye

Confira a seguir uma edição mais do que especial da coluna Lá Fora, só com resenhas de episódios de final de temporada (e alguns finais de série, infelizmente). Fringe, Bones, Gossip Girl, V, Castle, Desperate Housewives, Community, Legend of the Seeker, Cougar Town, House, Modern Family e Ashes to Ashes estão na coluna! Leia e deixe seu comentário

Desperate Housewives: I Guess This Is Goodbye (6×23)
Data de exibição: 16/5/2010
MVP: Felicity Huffman

Desperate Housewives teve um daqueles finais que podemos chamar de digno. Depois do fiasco que foi a finaleira da temporada passada, com direito a perseguições desnorteadas e finais pra lá de previsíveis, Marc Cherry parece ter resolvido puxar o freio na megalomania e escrever um final com os pés no chão. Diferente das temporadas anteriores, onde um único mistério era a espinha dorsal de todos os episódios, nesse ano Desperate Housewives investiu em várias sub-histórias com força, fazendo com que a narrativa não perdesse o ritmo em nenhum episódio.

Todas as donas-de-casa estiveram bastante atarefadas neste sexto ano. Lynette tendo de lidar com demônios como a nora golpista e, mais para o final, encarando de frente o menino assassino que rondava Wisteria Lane. Tá certo que ficou um pouco estranho como terminou o arco dela, com a personagem dando à luz ao novo integrante da família Scavo e, ao mesmo tempo, convencendo Eddie a se entregar à polícia. Pareceu que o menino virou de assassino a herói por ter se entregado. Não gostei.

Bree teve de lidar com o manipulador Sam, acabou passando a empresa para o nome do rapaz para que seu filho, Andrew, não fosse para prisão. Não bastasse, Orson a abandonou. No final, não ficou muito claro, para mim, se Andrew acabou indo para prisão ou não. Já Susan teve de por sua casa para alugar na tentativa de quitar as dívidas de seu esposo, Mark Delfino.

Há tempos torço para um maior envolvimento de Gabrielle Solis nas principais tramas da série. Adoro sua personagem tanto quanto gosto da atriz, Eva Langoria. Não preciso falar que gostei bastante quando a personagem acabou sendo um dos pivôs para que o mistério de Angie Bolen fosse resolvido. Sem muitas pirotecnias, ou com pelo menos pouca, Marc Cherry pôs fim à trama desta temporada de forma digna. A explosão do carro foi, provavelmente, o ponto alto deste arco envolvendo a família Bolen.

Desde o episódio que mostrou a vida de Eddie, no qual o primeiro bloco foi focado na Mary Alice, eu fiquei com uma ideia fixa na cabeça: de que em uma das próximas temporadas a história envolvendo Mary Alice deveria ser retomada. Qual foi a minha surpresa, então, quando descubro quem é o “novo” morador de Wisteria Lane, o responsável por alugar a casa de Susan: Paul Yong. É ele mesmo, o marido viuvo de Mary Alice. Junto com esse novo mistério, um enigma paralelo também nasceu nesta season finale: qual será o bebê trocado na maternidade, como informou a enfermeira antes de morrer? Chuto em Danielle e Julie, mas torço que não sejam elas, não gostaria de muitos holofotes para filha de Bree, personagem mais chatinha.

Com histórias bem contadas e um final bastante digno, Marc Cherry encerra a temporada com sensatez e bom senso. Fico na torcida para que a próxima seja tão boa quanto essa. (Ivan Guevara)

Gossip Girl:: Last Tango, then Paris (3×22)
Exibição: 17/5/2010
MVP: n/a

Não gostei dessa temporada de Gossip Girl e portanto acho apenas coerente que a season finale também não tenha me agradado. Foi um ano fraco, em que vi meus personagens favoritos, Blair, Chuck e Lily, sucumbindo a tramas ridículas ou pouco expressivas, e o resto não exatamente salvou. Não estou dizendo que não gostei de nada, e que não houveram coisas que me deixaram feliz ou me emocionaram, apenas que no conjunto da obra foi a temporada mais decepcionante até aqui.

A finale foi uma arrumação da casa. Encontros e desencontros românticos, e então terminamos com o status quo totalmente mudado, de novo. O problema é o que o status quo nunca realmente muda, Blair/Chuck sempre será a trama principal da série (e duvido que ele morra), as indecisões amorosas de Dan, Serena e Vanessa continuam chatas como sempre e Nate pode aproveitar a agenda de Chuck o quanto quiser, que jamais fará uma diferença para mim.

Pelo menos tivemos uma boa resolução para Jenny, que foi sua partida (aleluia). Toda a coisa de dormir com seu meio irmão adotivo que tentou te estuprar foi bastante perturbadora, e encerrou de maneira convincente o ano da queda da Little J, mesmo que grande parte das tramas tenham sido bobas. Destaque para a ameaça fraquíssima de Blair aqui, que só provou que a morena é outra que perdeu toda a sua eficácia.

Infelizmente, acho que é o fim da linha para mim com GG. Vou deixar para quem ainda consegue se divertir. Espero que o próximo ano se prove merecedor de vocês. xoxo (Thais Afonso)

House - Help Me

House: Help Me (6×22)
Data de Exibição: 17/5/2010
MVP: Hugh Laurie

O primeiro episódio desta irregular temporada foi diferente de tudo que tínhamos visto: em Broken vemos um House dividido pelo vício e pela vontade de melhorar, assustado com tudo que passou no final de temporada passada, e em um ambiente totalmente novo: um hospital psiquiátrico.

Para encerrar a temporada os roteiristas escolheram novamente colocar o médico em um novo ambiente: em meio à confusão de um acidente que levou todo um prédio ao chão. Confesso ter ficado meio perdida: se ER ainda existisse eu juraria que era mais um daqueles episódios eventos do seriado. E não podia imaginar algo mais improvável que House deixando o hospital para ir atrás de Cuddy para um acidente deste.

Apesar de minha resistência, confesso que o episódio funcionou: ver Hugh arrasando é sempre um prazer. Ver House se colocando em risco para ajudar uma garota presa sob os escombros foi algo inesperado, mas funcionou muito bem.

E, após toda a tensão que passamos, todo o terror e decepção de vermos a garota morrer, mesmo com todo o esforço do médico, damos de cara com House novamente no chão de seu banheiro segurando um pote de Vicodin. A cena já conhecida.

Então vemos Cuddy. Então, assim como House, achamos que é uma ilusão, uma nova alucinação. Ela responde que não. E eles se beijam. E eu penso na cena e não consigo pensar em nada saindo de bom disso. Ainda mais ao considerar que este é o gancho para a próxima temporada. Sim, os roteiristas assumiram um risco e tanto. (Simone Miletic)

Fringe: The Over There – Part 2 (2×23)
Data de exibição: 20/5/2010
MVP: John Noble

A melhor maneira que encontrei para falar deste episódio foi dividindo em três partes:

A guerra dos mundos: fascinante o mundo paralelo criado pela série, como Walter sempre disse, parecidos, mas diferentes. Eu espero que o Walternativo não seja um vilão caricato, espero saber mais sobre as motivações dele, e descobrir qual motivação faria ele tentar matar o próprio filho.

As duas Olivias: ao vê-la falar pra Peter que ela precisa dele, e lembrando das duas temporadas, é notório que uma das poucas coisas que a Olivia teve de bom, ou verdadeiro, em sua vida foi Peter. E chega a ser sádico aquele final – com uma bela atuação de Anna Torv – porque entendemos que o desespero dela se deve pelo fato de ter sido cobaia de experimentos quando criança, além do medo dos abusos que sofreu com o padrasto. E com a Olivia ruiva no universo real me parece abrir um leque de oportunidades para a série. Agora tudo depende de descobrirmos a motivação da outra realidade, destruir apenas pra se vingar parece algo raso, que se for descoberto pela OLivia ruiva, provavelmente esta mudaria de lado. Porém destruir este universo pra salvar o seu parece ser o tipo de sacrificio que não há certo ou errado. A cena envolvendo as duas Olivias, antes de brigarem, é emblemática pelo fato que as duas se mostram sensibilizadas por saber que uma tem o que a outra perdeu.

Walter: Mas essa série só vai pra sua terceira temporada porque tem um ator chamado John Noble. A composição dele para o personagem é fantástica. Desde a confusão devido a perda da parte do cérebro, ao desabafo com William Bell, e por fim o início da reconciliação com Peter, tudo isso ganha uma importância maior porque o ator faz um trabalho digno de emmy.

Ao contrário de muitos, achei essa temporada irregular, uma exploração demasiada do Walter, e uma trama que ainda não foi bem definida, que é a motivação de lá para destruir o lado de cá. Mas é inegável que a série quando abraça o sci fi nos dá historias de qualidade, e quando além disso a série consegue fazer a trama envolvendo seus personagens evoluirem, se torna um otimo passatempo de 40 minutos. E sentirei falta de 40 minutos como estes pelos próximos meses. (Paulo Fiaes)

Ashes to Ashes - Episódio 3x08

Ashes to Ashes:: Episódio 8 (3×08)
Data de Exibição: 21/5/2010
MVP: Phillip Glenister, Keeley Hawes e Daniel Mays

Durante as últimas semanas, meu maior medo era que Ashes fosse terminar sem uma explicação convincente. Eu não poderia estar mais errada. Não digo que não hajam furos entre a revelação final e tudo o que já aconteceu em Ashes e Life on Mars. Porém eu achei que o encerramento foi tão satisfatório quanto poderia e me fez derrubar algumas lágrimas.

A revelação de que o mundo de Gene Hunt é na verdade uma espécie de purgatório não agradou de cara. Acho que é uma resposta que não é suficiente por si só. Ela funciona, contudo, se usada para pensar todos os cinco anos de série(s), tudo o que foi vivido por Sam e Alex, e os demais. Nada foi insignificante. E para mim essa é a maneira mais digna de encerrar uma série, nos dizendo que tudo aquilo que amamos ou odiamos importou.

De certa forma, o purgatório parece tapeação. Contudo, olhando por outro lado, é difícil colocar em palavras o nó na garganta de saber que Gene, Alex, Ray, Chris e Shaz estão todos mortos, que não puderam e jamais poderão realizar tudo o que queriam em vida, e que Molly infelizmente seguirá como órfã, da mesma maneira que Alex teve que fazer, poeticamente tendo Evan como guardião também.

E a maneira como Jim eficazmente revelou sua natureza satânica, e lutou até o fim contra Gene pela alma de Alex foi a maneira perfeita de nos dar a resolução final entre Gene e Alex, a admissão de que os dois se amaram da maneira que podiam, mas ficar juntos não estava nos planos para eles. Alex precisa seguir Sam para o além vida definitivo, uma espécie de paraíso, e Gene precisa continuar só, guiando as almas de policiais problemáticos como ele para a redenção, lhes dando o que precisam para completar suas existências. (Thais Afonso)

Bones - The Beginning in the End

Bones: The Beginning in the End (5×22)
Data de Exibição: 20/5/2010
MVP: Emily Deschanel e David Boreanaz

Sério gente, setembro precisa chegar logo, não sei se agüento até lá pra saber o que aconteceu com Booth e Breenan; aliás, os roteiristas de Bones maltrataram os fãs com essa finale hein? Eu já estava preocupada com aquela conversa da antropóloga dizendo que talvez precisasse de um tempo pra retomar seu trabalho como pesquisadora semana passada, aí no ultimo episódio desta (maravilhosa) temporada ela está mais do que decidida de que o melhor para ela e seu parceiro neste momento é ficar afastado. Trocando em miúdos, ela acha que o tempo vai fazê-la esquecer Booth e que a parceria dos dois pode voltar a ser apenas profissional. O coração e a ração sempre em conflito, não é?

Em The Beginning in the End (nome inverso do ultimo episódio da temporada passada) o restante da equipe também se separa. Hodigns e Ângela viajaram; Lance e Dayse se separaram já que ele não foi com ela para a Indonésia e posso falar? Tomara que ela nem volte para a sexta temporada. Só Cam ficou meio indefinida, achei que enfim ela teria um romance com o Dr. Lidner, mas nada. E como se tudo não fosse deprimente o bastante Booth e Brennan se despedem em uma cena linda, mas de me deixar louca também. Todos aqueles olhares, ele pegando na mão dela e pedindo que ela tomasse cuidado, enquanto ela pedia que ele não fosse um herói e eu quase gritando aqui em casa pedindo que eles se beijassem ou que fizessem a coisa certa de uma vez e ficassem juntos.

Ai Senhor, setembro tá tão longe!! (Lara Lima)

Castle: A Deadly Game (2×24)
Data de Exibição: 17/5/2010
MVP: Nathan Fillion e Jon Huertas

Esposito:

Então… Último caso do Castle, huh?

Beckett:

Mm-hmm

.

Esposito:

Ryan and eu pensamos em fazer uma festinha de despedida.

Beckett:

Yeah. Bem, não é como se ele estivesse partindo para sempre.

Esposito:

Você está certa sobre isso? Por que você acha que ele tem seguido você por aí todo esse tempo? Pra pesquisar? O cara já fez pesquisa suficiente para escrever 50 livros. Olha… seja a razão qual for eu estou certo que não inclui assistir você com outro cara.

Eu estou longe de ser uma shipper de Beckett e Castle. Contudo a minha cena predileta do episódio foi justamente a que o Esposito chega para Kate e diz aquilo que está óbvio. Aliás, foi muito divertido ver que a delegacia inteira torce pelo casal. Até o chefe foi dar seu palpite. Só faltaram pompons tamanha era a felicidade a perceberem a possibilidade de Richard e Kate se entenderem de vez…

Outra coisa boa de destacar desse final de temporada é o roteiro conseguiu ter sucesso tanto no que diz respeito ao crime da semana quanto a vida pessoal do protagonista. Conseguiu manter mistério sobre o rumo das duas tramas apresentadas. O criminoso da semana só nos foi apresentado no finalzinho da história a ponto de nem ter figurado entre os suspeitos.

Pra quem é shipper com certeza o minuto final foi de rasgar o coração: quando finalmente Beckett se decide, Castle resolve viajar com a ex-mulher. O bom pra todo mundo é que a série volta para uma terceira temporada então o ‘sofrimento’ tem hora pra acabar. E espero que a Tamala Jones apareça em todos os episódios. Já virou minha legista predileta da TV. (Tati Leite)

Legend of the Seeker - Tears

Legend of the Seeker: Tears (2×22)
Data de Exibição: 22/5/2010
MVP: Bridget Regan

Legend of the Seeker chegou ao fim, embora os fãs continuem em campanha ferrenha pela ressurreição da série. E teria sido um final épico, não fosse a solução mequetrefe que arrumaram para a burrada que o Richard fez (apesar de que, admito, eu teria feito a mesmíssima coisa no lugar dele).
Mas tirando o cliché básico, foi um final à altura para uma série que valeu cada minuto em frente da TV. Bridget Regan como sempre deu um show na pele de Kahlan e foi especial vê-la em Con Dar não por Richard, mas por Nicci (que, diga-se de passagem, fez sua melhor participação na série).

O que não gostei foi da solução encontrada por Zedd para reverter o feitiço que apagara o passado de Cara. Acho muito injusto que com o feitiço toda a história de Cara e Dahlia tenha deixado de existir. Sem falar que apagar uma pessoa tão importante da vida de outra, mudaria muita coisa na personalidade de alguém e nos eventos e decisões de sua vida, não?

Porém o que importa mesmo é que Cara não matou Kahlan por medo de não conseguir trazê-la de volta e, finalmente mostraram que o amor de Richard por Kahlan é tão puro e profundo que anula a confissão. É isso mesmo povo, nada mais de um dormir de um lado do acampamento enquanto o outro dorme no outro lado.

A série terminou redondinha, mas a cena entre Darken Rahl e Nicci garante uma nova aventura caso a campanha incansável dos fãs dê algum resultado. E quem melhor do que Darken Rahl e Nicci vivinhos da silva para nos garantir vilões à altura? (Mica)

V: Red Sky (1×12)
Exibição: 18/5/2010
MVP: Morena Baccarin

V foi renovada para uma segunda temporada….graças a Deus. Porque sinceramente, se a série terminasse com esse cliffhanger eu teria um ataque.
O episódio em si foi morno, mas pior do que a mornidão foram os rombos (porque furo é muito pequeno para expressar tudo o que preciso) deixados ao longo do caminho. Aparentemente as naves Vs não tem sistema de câmeras internas (embora os casaquinhos gravem todos os humanos), porque é um abuso o quanto as pessoas andam para lá e para cá e conversam isso e aquilo e ninguém vê nada. E alguém quer realmente que eu acredite que a Anna deixaria seus preciosos ovos desprotegidos durante um ataque da Quinta Coluna? Sabendo que ela é primordialmente formada por Vs?

Mas eu relevarei todos os furos, porque eles foram a solução mequetrefe encontrada pelos roteiristas para nos dar um desfecho de qualidade. E que desfecho! A reação de Anna ao ver os ovos destruídos foi tão magnífica que eu fiquei pasma. Morena Baccarin esteve inigualável. E o comentário irônico de Marcus de que acreditava que ela estava experimentando emoções humanas foi a cereja do bolo.

Agora o caldo vai entornar. Ryan foi provavelmente seduzido (novamente) por Anna, Hobbes está nas mãos de Marcus, Jack fez um sermão belíssimo e teve uma reação exagerada de sua congregação, Chad finalmente enxergou a verdade sobre quem são os Vs, e Erica….bem, Erica sem querer detonou a bomba que pode ser capaz de destruir a humanidade. Mas principalmente, Joshua foi trazido de volta porque Marcus é um rebelde, ou seus planos para o meu médico preferido são bem mais sinistros? (Mica)

Cougar Town - Finding Out

Cougar Town: Finding Out (1×24)
Exibição: 19/5/2010
MVP: Courteney Cox

Cougar Town demorou para finalmente se firmar como série. No começo ela seguia seu nome literalmente, mas quando percebeu que podia abandonar esse esquema de fazer a protagonista namorar caras mais novos e apostou na relação entre os personagens principais, tudo melhorou.

Nesse finale, tivemos o casal Jules e Grayson se revelando para todos, e mostrando que podem ser um casal sem estragar a relação que tem com todos, afinal a amizade deles foi o que a temporada crescer.

Courteney Cox estava hilária na cena da moeda na lata, e extremamente convincente enquanto conversava com Bobby sobre sua relação com Grayson, e assim podemos ver que essa maldição de Friends nunca existiu, o que existe são séries ruins e boas, e Cougar Town, por essa primeira temporada, pode se encaixar na última definição. (Lucas Bonini)

Community: Pascal’s Triangle Revisited (1×25)
Data de Exibição: 20/5/2010
MVP: Joel McHale

Community começou extremamente comum, mais uma comédia com um elenco grande e cheia de referencias pops, porém aos poucos ela foi dando espaço para o elenco brilhar, e logo em seguida trouxe o que de melhor um roteiro pode proporcionar, se tornando uma das melhores comédias em exibição.

E esse episódio final teve tudo de melhor que a série ofereceu durante esses vinte e cinco episódios: referências pops (Abed e Troy discutindo a relação e a comparação com o conhecidíssimo termo “jump the shark”), diálogos sensacionais (Britta e Slater discutindo enquanto esperavam Jeff tomar uma decisão) e claro a volta da tensão e da química sensacional de Jeff e Annie, que desde o episódio do debate, se provou como uma das melhores opções para o lado romântico da série.

De qualquer forma, mesmo quando as situações e o roteiro não eram tão espetaculares, os personagens e atores faziam os trinta minutos valerem a pena. (Lucas Bonini)

Modern Family - Family Portrait

Modern Family: Family Portrait (1×24)
Data de Exibição: 19/5/2010
MVP: Ed O’Neill, Julie Bowen e Jesse Tyler Ferguson

A pergunta que fica ao final deste episódio de Modern Family é: como sobreviverei tanto tempo sem o seriado? Tudo bem, eu nem gostei muito do primeiro episódio. Mas do segundo em diante virou vício.

Eu olho para a Claire e me vejo. Eu olho para Phil e vejo meu marido. Eu olho as confusões que essa família passa e rio e choro com eles. É como se eles fossem da minha família, contando velhas histórias.

E este episódio foi perfeito para deixar as lembranças certas no período de “entressafra”: Mitchell e sua batalha mortal contra uma pomba; Jay contando a história de sua juventude em uma barbearia, que virou um história que conseguiu unir Kennedy, Luther King e Elvis; Phill sendo nocauteado por Gloria num jogo de basquete e Claire destruindo sua casa por causa de um degrau quebrado – sim, é o tipo de coisa que eu faria.

No final de tudo, a família toda de branca reunida para uma foto. E de repente todos nem tão brancos assim e a melhor foto de família que já foi tirada. E um Jay agradecido pelo bando de macacos que recebeu do destino. Perfeito assim. (Simone Miletic)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

26 Comments

  1. Rafael de Souza(São Vicente SP)

    Ghost Whisperer: Série vai voltar ao ar pela ABC
    ?A série Ghost Whisperer, estrelada pela atriz Jennifer Love Hewitt, foi cancelada pelo canal CBS. Contudo, segundo o site IMDB, parece que o seriado da atriz vai ganhar uma sobrevida.

    A série, que conta a história de uma mulher que pode se comunicar com os mortos, foi comprada pelo canal ABC, que pretende continuar produzindo a atração normalmente. O ex-namorado e colega de elenco da atriz, Jamie Kennedy, falou ao site sobre a mudança:

    – Nosso seriado ainda não morreu, mas parece que ganhamos mais algum tempo de vida.
    Link com a Informação:http://estrelando.r7.com/series/nota/ghost_whisperer__serie_vai_voltar_ao_ar_pela_abc-80768.html

  2. Thomaz Jr

    Community Começou de mansinho e eu mesmo não me empolguei. Mas, de repente, boom! Roubou a cena e superou tds as expectativas.

  3. Thiago Sampaio

    House
    Adorei o episódio, mas aos 45 do segundo tempo, veio a cena que quase arruinou tudo. Não parei pra pensar nisso de episódio/desastre de ER, mas meio que não colava em House, porque Cuddy indo em local de acidente? House fazendo o mesmo? Nem, não é uma situação para a diretora do hospital e para o responsável pelo departamente de diagnósticos… Só que gostei. Muito. A paciente soterrada teve uma boa conexão com House, mas… veio o final. Do nada Cuddy aparece na casa dele e arruina o tom dark da série. Sou muito mais o House com Vicodin do que com a Cuddy. Mas, enfim.

  4. Lara Lima

    House
    Eu me lembrei de um episódio da quarta temporada (ou quinta, não sei) de ER em que a Dr. Corday sai com os paramédicos e tenta salvar um cara que ficou embaixo dos encombros. Mas foi o ombro dele que ficou preso e não precisou amputar na hora, só quando chegou na OR. Bom, sobre House eu gostei bastante, prefiro House a Lucas, então dos males o menor.

    GG
    Pois é Thais, acho que também fico por aqui com GG. Não sei se quero ver Serena e Dan de novo; Georgina fingindo uma gravidez; Chuck com os velhos hábitos, enfim…

    Parenthood
    Não tá na lista, mas o episódio foi muito legal, eu estou cada vez mais apaixonada pela série.

  5. Matheus

    GG tbem foi decepcionante para mim! Mas continua sendo um passatempo, faz tempo que não é mais um vicio…
    Discordo sobre a parte da Jenny, pra mim, ela foi o melhor dessa temporada! Mas gosto é gosto.

    CT – parei em algum episódio ai e não continuei mais, nem sei se voltarei a assistir!!

    MF – assisti o piloto e o 2º episódio, não fui muito com a cara e o estilo, fazer o que!!!

    DH – Parei na quarta temporada!!

    House – Nunca assisti!! preguiça de baixar todas as temporadas…..

    Fringe – perdi os episódios quando formatei o PC, não lembro onde parei, tenho que retomar, assim como farei com The Mentalist.

  6. anderson

    Pois eh ta virando moda agora. Mas quem conheceu ER sabe que toda serie médica mixurica acaba imitando o clássico. A diferença é que ER sabia como fazer e Paul mcCrane era bom no que fazia. (máximo que consegui me autocensurar)

    Modern Family ganhou lugar no meu coração já. Simplesmente hilário.

    E mesmo não vendo Cougar Town, fico feliz que esta boa, pq meu amor a Friends faz com que torça por todos. Que venha a série de Matthew Perry agora, que considero o mais completo dos sexteto. (ainda não acredito no cancelamento de Studio 60, mas era NBC então sem comentários)

  7. Tati Siqueira

    Estou mega atrasada com Bones;Nem vou ler o texto….rsrsrs;
    Fringe – Assisti hoje a 1º parte, amanhã eu comento;

  8. Luciano Rodrigo

    Desperate -> realmente foi um grande ano pra série recuperar todo seu prestigio, mas como um bom fã me decepcionei com a finale esperava bem mais, um exemplo como o Ivan destacou foi o desfecho pra trama da Lynette como bem destacado Eddie passou de vilão maníaco para um herói.

    Gossip Girl -> a finale foi parada d nao gostei o episódio pra mim foi algo proximo a um filler nos animes ja que pra mim a trama da temp se encorrou no episódio anterior quando a trama do pai de Serena foi desmascado, até a cena do tiro em Chuck foi fora de contesto e muito mal montada diga-se de passagem.

    V -> 4 palavras resumem essa finale “Morena Baccarin é fodah” o cliffhanger dessa finale foi d , morreria ou mataria alguem se a série nao tivesse sido renovada, do contrario de muitos eu ja vinha adorando a série e a finale serviu para me conquistar ainda mais.

  9. Pingback: Tweets that mention Lá Fora Especial: 12 season finales » TeleSéries -- Topsy.com

  10. Silvia_05

    Vou finalizar Ashes to Ashes, em homenagem à Life on Mars e ao meu amado Sam Tyler e ao excepcional Gene Hunt.

    Mas que a idéia de purgatório já tá ficando chata, ah tá!. Por que será que a tv, de vez em quando, segue um “modismo”???

    São duplas de policiais diferentes, vampiros, ets mal-intencionados, médicos problemáticos e hipercompetentes, advogados corruptos, superheróis, blábláblá.

    De vez em quando aparece “algo” diferente e com coragem de sair do feijão-com-arroz e arriscar. Ainda assim não é garantia nenhuma de “audiência”. E quando é, tipo House, perde sua originalidade inicial ao agradar um grande grupo de pessoas.

    Uma pena mesmo. Os gringos tem um potencial bárbaro em criar séries novas, mas atualmente isso está sendo desperdiçado. Por isso, vez por outra, eu recorro às séries inglesas, carentes de grandes efeitos visuais, mas com ótimas histórias.

    Lamento por Ashes terminar junto com Lost, apresentando finais parecidos, o que compromete a originalidade de ambas.

    Então,lá vou eu again: Que saudades de Arquivo X!

  11. Mica

    Ainda não li os texto, mas … vi a imagem que abre a coluna e me toquei de onde conheço a Drea de Matteo. Vi Nova York, Eu te Amo no último domingo e tanto minha amiga quanto eu ao vê-la na tela comentamos “nossa, que mulher feia!” mas eu não conseguia lembrar de onde eu a conhecia. Só agora é que fui me dar conta (não, não é de Desperate Housewives, pq não assisto a série, hehe).
    Agora vou ler os textos e depois comento.

  12. Mônica A.

    Bones – Lara, me solidarizo com você. Mal posso esperar pra chegar setembro. E que despedida foi aquela? Eu fiquei falando mentalmente beija, beija, beija, mas o beijo não rolou. Setembro vai demorar a chegar…

    Castle – Tati, ao contrário de você, sou super shipper Castle/Beckett. Também adorei a conversa da Kate com o Esposito. E quase roí as unhas com o final. E eu amo a Lannie. Ela é uma das minhas legistas favoritas, junto com o Sid, de CSI:NY.

  13. Fernando dos Santos

    Ashes to Ashes-Ainda não vi o final da série mas lendo o review me veio a mente a enorme semelhança com o enredo do filme Uma Simples Formalidade, longametragem europeu de 1993 protagonizado por Gerard Depardieu e Roman Polanski.
    Aliás ainda não vi o final e acho que não poderei ver pois a HBO parece ter desistido de exibir a série no Brasil.Exibiram apenas o primeiro ano e depois abandonaram.

  14. Thais Afonso

    Fernando,

    Acho que vale baixar Ashes to Ashes. As temporadas são tão pequenas, e a segunda em particular foi fantástica.

    Silvia,

    Também fiquei meio decepcionada com os finais parecidos. Sendo que vi Ashes antes, e me agradou bem mais, talvez por se encaixar perfeitamente no contexto da série.

  15. Mica

    Eu não vi A2A mas desde Life on Mars eu já achava que aquilo era uma espécie de purgatório, então….sem grandes novidades neste sentido. (mas sinceramente não gosto da idéia de purgatório em canto algum).

  16. Bernardo SA

    V -> 4 palavras resumem essa finale “Morena Baccarin é fodah” o cliffhanger dessa finale foi d , morreria ou mataria alguem se a série nao tivesse sido renovada, do contrario de muitos eu ja vinha adorando a série e a finale serviu para me conquistar ainda mais. [2]

    Ainda bem que alguém comentou pq esse finale e o de Grey’s (sendo que esse segundo resolveu a questão no fim do eps) foram uns dos mais tensos dessa temporada. E o de V foi épico, agora a humanidade vai levar a mega paulada!

  17. Chelsea

    Bones:
    Lara, nao foi a única a falar: Beija ela logo e fica! Eu tava vendo com o meu irmao, e nós dois estávamos pra morrer com a cena. E, eu nao sei os outros fans de Bones, mas eu queria que eles ficassem juntos um pouquinho antes do final da série, só pra gente poder curtir o relacionamento deles (um real, nao o platonico).

  18. Paullo kidmann

    Thais Afonso concordo plenamente sua review!!
    vou até tentar ver a 4° temporada, mais não acridito q a CW vá renovar a série p uma quinta temporada pelo menos não se continuar desse geito….
    Simone Modern Family só vai deixar saudade…

    Xoxo

  19. Jessica

    O coração e a ração sempre em conflito, não é?

    Não seria razão?

  20. Wilian

    Tenho certeza de que Gossip Girl melhorará na 4ª temporada. Agora, os produtores têm tempo pra verem o que erraram nessa 3ª e acertarem!

    Continuarei vendo!

  21. Aline

    Lara,
    tô com você..como vou aguentar até setembro??????
    Tedio:(
    Ai,ai esse chove e não molha é linda mas as vezes irrita o que custuva da um beijinho…só 1!!
    Amo eles!!!!!!

  22. Diego H.

    Continuarei firme e forte com Gossip Girl, apesar dos altos e baixos da Season 3, eu ainda acredito na Season 4, que infelizmente pode ser a última da série :/
    GG continua sendo minha guilty pleasute total <3

  23. Naiara silva

    Gossip Girl – os ultimos espisódios da terceira tempora de gossip gierl foi ótima. Estou ansiosa para ver a 4 temporada chack e blair é meu casal preferido a jay também é minha persongem preferida a serena é uma chata. espero que continue sendo gravada as temporadas de gossip girls.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account