Log In

Spoilers

Lá Fora: a volta de Warehouse 13 e Eureka, a estreia de Identity e a finale de Criminal Intent

Pin it

Warehouse 13 - Time Will Tell

Lembra de Warehouse 13? E Eureka? Pois é, as duas séries de sci fi, que tem em comum o bom humor, retornaram na semana passada com novos episódios nos Estados Unidos e ganharam resenhas aqui na coluna Lá Fora.

A coluna vem ainda com uma resenha de Identity, nova série da atriz Keeley Hawes, ex-Ashes to Ashes.

Fechando a Lá Fora, temos ainda a review da finale de Law & Order: Criminal Intent. Terá sido o final da temporada ou da série, de Jeff Goldblum e Saffron Burrows? Leia a resenha e deixe seu comentário.

Warehouse 13: Time Will Tell (2×01)
Data de exibição: 6/7/2010
MVP: Saul Rubinek e Jaime Murray

Santa vergonha, Batman! Que retorno de série mais xinfrim! Fiquei envergonhada por Warehouse 13. Tudo bem, a série nunca foi lá essas coisas, sempre teve problemas de elenco ruim, efeitos especiais péssimos e histórias acochambradas, mas apesar disso tinha seu charme e, com altos e baixos terminou a primeira temporada com saldo positivo e com um cliffhanger daqueles.

Tudo enganação. O cliffhanger foi resolvido em segundos (não que eu achasse de verdade que Artie morreria), o resultado do uso da Phoenix foi pífio e o pior de tudo, a traição de Leena foi falsa. Quero dizer, foi resultado de uma pérola inserida em seu organismo e que a fez agir daquele jeito. Que desperdício…

E tivemos H.G. Wells de volta do mundo do bronze e que é na verdade uma mulher. Tudo bem, Jaime Murray esteve magnífica (e eu tinha adquirido total ojeriza a ela depois de Dexter), mas precisavam mexer com uma figura como H.G. Wells? Ou melhor, para que torná-lo uma mulher? Só para poder fazerem aquela ceninha com Pete? Se bem que algo me diz que ela volta… Wells já foi agente da Warehouse, não?

Por ora a minha única alegria é que Allison Scagliotti finalmente entrou para o elenco fixo da série e Claudia virou agente. Ao lado de Artie, Claudia continua sendo a melhor coisa de Warehouse 13. (Mica)

Eureka - Founder's Day

Eureka:: Founder’s Day (4×01)
Data de Exibição: 9/7/2010
MVP: James Callis e Erica Cerra

Eu comecei a assistir Eureka a aproximadamente dois meses. Gostei tanto que larguei outras séries de mão para, na data de estréia da quarta temporada, poder assistir com ‘todo mundo’. Nos primeiros minutos vemos Tess (um holograma dela, para ser mais exata) terminando com Jack; a cidade se preparando para comemoração da fundação de Eureka; Allison finalmente aparecendo com os dois filhos (parecia que tinham esquecido que ela tinha outro filho no período que ela estava grávida); somos apresentados a uma nova personagem; e ainda Zane pede Jo em casamento.

Carter, Allison, Jo, Fargo e Henry são enviados para 1947 quando a cidade de Eureka ainda não havia sido fundada. Apesar de serem enviados ao mesmo tempo com o desenrolar da história é que o público vai descobrindo quem está preso no passado com Carter. A melhor aparição é a de Fargo numa homenagem/referência a Terminator (assumo que só me liguei quando uma amiga mencionou já que não lembro muito bem dos filmes). Na tentativa de voltar a realidade eles contam com a ajuda do Dr. Charles Grant (Callis) um dos fundadores da cidade. Eu fico cada vez mais impressionada com a versatilidade de James Callis.

Dr. Grant acaba indo para o presente junto causando mudanças (mais uma vez vemos uma nova realidade): a nova moradora de quem o Henry mal lembrava o nome agora é sua esposa. Jo corre para aceitar o pedido de casamento de Zane mas ele não só não lembra do pedido como nem ter qualquer coisa com ela. Allie corre para casa e descobre que o filho não é mais autista. E se assusta com a possibilidade da filha o que para seu alívio não aconteceu. Carter encontra Tess o esperando como se eles nunca tivessem se separado. Eu gostei desse ‘reboot’. O episódio foi muito bem escrito e dirigido. Estou curiosa para saber as mudanças na vida do Fargo. (Tati Leite)

Identity - Second Life

Identity: Second Life (1×01)
Data de exibição: 5/7/2010
MVP: Keeley Hawes e Aidan Gillen

Identity é a nova série inglesa estrelada por Keeley Hawes e Aidan Gillen. Infelizmente o primeiro episódio é muito aquém do esperado. O tema é até interessante: uma nova unidade de elite da polícia é criada para lidar especialmente com crimes de roubo de identidade. O problema é a falta de carisma dos personagens. Martha Lawson é obstinada, lutou para criar a unidade e seu maior trunfo é um policial que costumava trabalhar infiltrado e que, portanto, conhece bem o ramo de uso de identidade alheia. Apesar disso, ela não é exatamente interessante e por mais que eu ame a atriz, sua personagem me parece um pouco artificial e não mostrou ainda a que veio.

John Bloom, o detetive que costumava trabalhar disfarçado guarda vínculos secretos com seu último trabalho, é clichê demais, assim como a desconfiança de todos da unidade em relação a ele.

Porém, apesar das críticas, eu gostei do episódio. O início foi meio chato, o crime foi um tanto agressivo e novelesco demais, mas depois de um tempo o negócio esquentou e consegui me conectar um pouco com a situação e a forma como a trama se conduziu a partir de dado momento me deixou com vontade de ver mais da série.

Identity peca em sua falta de charme inglês, mas atrai o suficiente para te levar a assistir ao próximo episódio. (Mica)

Law & Order: Criminal Intent - Three-in-One

Law & Order: Criminal Intent: Three-in-One (9×16)
Data de exibição: 6/7/2010
MVP: Jeff Goldblum, Saffron Burrows e Mary Elizabeth Mastrantonio

Para quem acompanha a série desde o início acredito que esse episódio não encerrou apenas mais uma temporada, na verdade, encerrou uma nova fase. A série nunca será a mesma sem Eames e Goren mas isso não quer dizer que ela ficou ruim. Goldblum, Burrows e Mastrantonio trouxeram uma nova cara e com o talento dos roteiristas ganhamos uma série renovada.

O episódio foi bem pesado (o anterior foi mais ainda) e mostrava um assassino que aparentemente teve a ajuda de uma criança de quatro anos. Eu cheguei a ficar sem ar pensando que seria demais até para Law & Order. Na verdade o assassino sofria de múltipla personalidade como suspeitava o Detetive Nichols. Para conseguir provar sua teoria e conseguir salvar a segunda vítima Nichols recorre a ajuda do pai. E por um momento quase põe tudo a perder já que o Dr. Nichols ficou mais preocupado em ajudar o rapaz do que propriamente encontrar a vítima, causando um pequeno conflito entre os dois.

Não foi exatamente um final de temporada com ganchos e que nos fizesse pensar por meses no que virá. No entanto, L&O: CI mostrou que mesmo perdendo seus protagonistas conseguiu manter um padrão de bons episódios e, contrariando o que eu pensava, que tem fôlego para uma décima temporada. (Tati Leite)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

14 Comments

  1. Mica

    Ai, Tati, estou morrendo de medo do reboot the Eureka. Não por não ter gostado, eu gostei, mas porque doeu tanto ver o Zane preso sem ter vivenciado tudo o que vicenciou com a Jo. É tão injusto para ela. Onde vai dar esta história?
    E Tess? Eu amo a personagem, adoro a atriz, prefiro mil vezes ela com o Carter do que a Allison, mas quero os dois juntos por realmente se amarem e não por uma obrigação de uma viagem no tempo.
    Mas achei legal curarem o filho da Allison, dá uma chance para o garoto aparecer mais, principalmente porque a outra filha da história foi estudar fora. Só gostaria muito que com essas mudanças Stark ainda estivesse vivo e preferencialmente casado com a Allison ^_^.

    Adorei o episódio, foi muito bem feito e tudo fluiu perfeitamente.
    Agora…fala sério que vc não se deu conta da cena clássica de Exterminador do Futuro? Eu sou péssima de memória, mas essa cena ficou gravada na minha mente e na minha vida.

    James Callis deu um show. Mas ele sempre dá, né? Não importa o papel ele é sempre fantástico.

  2. Vinicius

    Desde que acabou stargate atlantis estou sem nenhum scifi pra assistir, vcs recomendam eureka, ou é uma série mais ou menos?

  3. Mica

    Recomendamos. Eureka é muito legal. Descompromissada, divertida, mas ao mesmo tempo profunda e com personagens muito cativantes. Vale a pena.

  4. Fernando dos Santos

    Warehouse 13-Apesar ser uma série meio trash, eu gosto da espontaneidade com que Warehouse 13 transita entre temas sobrenaturais e outros mais sci fi.
    Alguém sabe se vai mesmo ocorrer um crossover entre Eureka e Warehouse 13?

    Vocês vão fazer review de Haven, a nova série do SyFy?

  5. Mica

    Eu gosto de Warehouse 13 apesar dos pesares, mas acho que começou muito mal esta temporada. Eles já fizeram episódios bem melhores.
    Crossover eu não sei, mas que atores de Eureka aparecerão novamente em Warehouse 13 isso acontecerá com certeza.

    Haven só não foi uma decepção para mim pq eu não esperava muito da série. Achei fraquíssima. Perde de longe de The Gates (que o povo já odiou). Os personagens acabaram de se conhecer, mas agem como se fossem amigos há anos. As situações são clichés e os efeitos…socorro! E fica óbvio que o chefe mandou a agente para Haven por conta de algo do seu passado (ou da mãe ou seja lá quem for na foto).
    Não achei muito bem desenvolvido o tema e faltou alguma coisa, aquele algo mais. Mas eu verei a série. Fala sério, assisti até Point Pleasant do início ao fim, só desisto de Haven se for ruim demais ou o tempo sumir.

  6. Tati Leite

    Mica:
    Eureka: Eu acho que nunca vi um filme do Exterminador inteiro. Lembro mais do clipe do Gun’s do que qualquer coisa. E já desisti de ver.
    Se eu tivesse que apostar em quem irá perceber que tem algo errado primeiro, eu apostaria no Zane. Eu achei o reboot uma forma inteligente de tirar a série da mesmice porque mesmo quando (e se) tudo voltar ao normal mudanças haverão porque novos vínculos serão criados. E se o Stark voltar não acho que vai ser casado com a Allie. Até pq, não sabemos exatamente a mudança na vida dela e nem na do Fargo. Sabemos que ela tem a filha, mas será que é do Stark?!

    Ao contrário de você eu gostei bastante de Haven. O elenco funcionou pra mim. Não estou esperando nada assim muito profundo mas gostei do que vi.
    A Claudia também é a minha personagem predileta em Warehouse13.

    Fernando: O crossover vai sim acontecer. O ator que interpreta o Fargo e a atriz que faz a Claudia que são muito amigos estão empolgados com a idéia e já falaram várias vezes sobre o assunto.

  7. Leonardo Toma

    Concordo sobre L&O:CI. Os roteiros dessa nova temporada amenizaram a falta de Eames e Goren.

  8. Fernando dos Santos

    Agradeço a Tati pela informação sobre o crossover Eureka/Warehouse 13 e a Mica pelo comentário-review sobre Haven.
    Estou curioso pra conhecer Haven devido ao fato das chamadas sugerirem um certo clima de Twin Peaks.

  9. Mica

    Fernando eu tenho a sensação de que Happy Town tinha mais um clima de Twin Peaks do que Haven. (mas não com a mesma qualidade) Haven tem todo um clima de mistério sim, mas nem por um momento me lembrou da outra série (tanto que eu mencionei Point Pleasant ao comentá-la e não Twin Peaks).

  10. José Vitor

    Humm, esqueci de falar: estou vendo “Huge”, que “passa” às segundas. Engraçadinho.

  11. antonium

    warehouse tem um certo charme porque ela é muito inspirada em antigas series de tv (“tunel do tempo”por exemplo)onde o que importa mais do que mostrar o “efeito especial da semana”são personagens entrosados onde se dá inportancia ao relacionamento entre eles mais do que qualquer referencia demasiadamente nerd-ficcção cientifica principalmente para atrair o publico juvenil mas realmente o começo dessa temporada foi fraco,resolução meio apressada (trocar um vilão por outro)mas a câmera de Escher foi uma citação legal.eu acho que o casal de agentes está bem,ela meio timida e ele mulherengo apenas para criar situações constrangedoras e piadinhas de relacionamento,o artie é o tipico “cientista maluco e excêntrico” e a claudia é uma graça!
    eu acho que H.G Wells está querendo fazer uma maquina do tempo e isso daria um arco interessante…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account