Log In

Spoilers

Lá Fora: a mid-season finale de Greek e mais NCIS, Mad Men, Gossip Girl e Big Bang Theory

Pin it

Heroes - 4x08

A coluna Lá Fora retorna trazendo um recorte de algumas atrações da semana, desta vez com seriados exibidos na segunda e na terça-feira n TV americana. Abrimos com Heroes, que viajou no tempo e foi buscar lá na primeira temporada Charlie, a namoradinha de Hiro. Voltando ainda mais no tempo, temos a morte do presidente Kennedy em Mad Men.

E também tem despedida, com Greek encerrando a primeira metade de sua temporada. Completa a coluna reviews de Gossip Girl, Melrose Place, NCIS, Two and a Half Men e The Big Bang Theory. Leia e comente!

Heroes: Once Upon a Time in Texas (4×08)
Exibição: 2/10/2009
MVP: Masi Oka

Tempos de desespero exigem medidas desesperadas.

A frase com que o oitavo episódio de Heroes se inicia alcança aqui dois sentidos.

Em um primeiro momento, temos a medida desesperada de Samuel, que com toda sua falta de caráter e inteligência (que a gente adora) usa das viagens no tempo de Hiro para conseguir aquilo de que precisa. Sem delongas, Once Upon a Time in Texas foi feito para o Hiro. O episódio, cujo título remonta ao fatídico caso de Seven Minutes to Midnight, (início da série) mostra o japonês viajando três anos ao passado para salvar seu grande amor, a garçonete Charlie. Tudo, diga-se, vigiado de perto por Samuel.

Obviamente, também matamos a saudade do Papai Bennet, em trabalho no auge da existência da Companhia e das mentiras contadas à família, bem como do Sylar faminto por novos poderes, em especial o da Cheerleader. No entanto, mais do que efeitos especiais dignos de cinema, mais do que a presença estelar de Robert Knepper, e bem mais do que somente a construção de uma história coerente e interessante, o grande feito desta temporada foi fazer uma série moribunda renascer quase que das cinzas.

Ah sim! Temos também a medida desesperada dos produtores de Heroes para nos levar de volta à primeira temporada, esclarecendo que a série tinha potencial para ser tudo o que prometia, só que esse potencial foi assassinado nas segunda e terceira temporadas. (Rafael Maia)

Gossip Girl: The Grandfather: Part II (3×8)
Exibição: 2/11/2009
MVP: n/a

Gossip Girl até que me agradou um pouco, mas parece que a história da elite de Manhattan está ficando escassa, ou os roteiristas não estão tão empolgados. Toda a parte da eleição de Tripp, a moralidade duvidosa de Nathan, a perda de poder de William e a verdadeira face de Maureen, foi um pouco arrastado, e o que me agradou foi o fato de terem dado um pouco de importância a Vanessa, ainda que ache que eles podem tirar mais da personagem.

Já as briguinhas infantis de Blair e Serena que não leva a lugar algum está dando um pouco de raiva. Elas ficam com brigas de ego, e nada além disso. O que gostei aqui foi que Serena finalmente acordou e deu um pé na bunda do birrento Patrick e do seu emprego com KC. Já Blair parece aceitar ser amiga de Brandels mesmo ela sendo uma prostituta só para ter uma companheira de compras.

Chuck está bem mais maduro e seguro de si, e sua única meta é superar seu pai, e parece conseguir, já que seu hotel agora está bem movimentado.

Dan e Olivia estão um casal legal, mas a storyline que inventaram para comemorar o aniversário de um mês deles foi muito pobrezinha. Todo um suspense do que Olivia falou e no final era uma história boba que mudou o apelido dele de Garoto Solitário para Garoto do Banheiro.

Fora isso foi o desperdício de participação para Jenny, Rufus e Lily, que figuraram para jogar com Dan e Olivia. (Dan Artimos)

Leia a review na íntegra no weblog Episódios Comentados.

Greek

Greek: Friend or Foe (3×10)
Exibição: 2/11/2009
MVP: Michael Foster

Greek encerra a metade da sua terceira temporada, e é interessante notarmos o amadurecimento da série através daquilo que os fãs mais esperavam: a volta de Cappie e Casey. E foi assim, quase sem barulho algum, apesar de Ashleigh ter berrado no alto-falante, que o casal mostra o quanto a série em si evoluiu e que por mais eles sejam os grandes destaques do show, o show não pára pra vê-los juntos.

Tanto que o que houve de fato neste episódio foi Evan colocando (mais uma vez) os pés pelas mãos, e antes que atirem a primeira pedra nele, foi mais do que compreensível o que ele fez, apesar de errado. Eu pretendo antes da série encerrar fazer um “ode a Cappie”. O que mais me chama atenção no personagem é a forma natural como ele cativa a todos, e não podemos culpar Evan de querer isso. A única coisa que ele ainda não percebeu é que não é sentindo inveja e deixando seus amigos para trás que ele vai conseguir isto.

Enquanto isso as ZBZ fazem um numero para Glee nenhum colocar defeito, mas acabam também colocando os pés pelas mãos. E se Cappie é um líder nato, Casey é a grande mulher por trás do homem, e não estranharei se neste caso ela ficar na frente do homem. Ela teve mais uma chance perdida de se envolver em algo que gosta (política) para ficar do lado de suas irmãs, mas… nem tudo são flores, e elas (as ZBZs) são as prováveis culpadas pelo incêndio na casa gama-sig.

O amadurecimento que comentei no primeiro parágrafo se deve justamente a isto. Greek nos conta uma historia coesa, mas sem apelar para o água com açúcar, chororô, ou seja lá o nome que vocês queiram dar. A série nunca precisou de grandes cliffhangers para nos deixar esperando pelo seu retorno, e mesmo assim contamos os dias para voltar a assistí-la. E se analisarmos friamente, parece ser a única série sobre jovem que retrate de uma forma mais parecida os jovens de hoje em dia. Sem os idealismo de One Tree Hill, a superficialidade de Gossip Girl, e o drama de Friday Night Lights, apenas jovens. (Paulo Fiaes)

Melrose Place: Gower (1×08)
Exibição: 03/11/2009
MVP: n/a

Depois de 1988 com o mistério “quem matou Odete Roitman” Gilberto Braga não conseguiu o mesmo impacto e o mesmo sucesso com essa fórmula em outras novelas. É normal: imagino que repetir a façanha e prender o público até o ultimo capitulo pra descobrir o assassino não seja fácil.

Como não assisti a primeira versão de Melrose Place, fico imaginando se na época o mistério em torno de Sidney foi um pouquinho mais elaborado, mais emocionante, porque nessa nova versão, tudo, menos a curiosidade pela identidade do assassino(a) me prende a série.

Todas as possibilidades foram postas à mesa, mas em Gower chegamos um pouco mais perto da verdade já que a arma do crime foi encontrada. Sobre o episódio em si não tem muita coisa a se falar não. O condomínio possui uma trama linear e previsível com relação à vida de seus condôminos. Aliás, fiquei emocionada com a lealdade desses uns para com os outros.

Auggie eventualmente ia socar o chefe – a cena foi ridícula, mas tudo bem a gente releva – e pegar a Violet que de tanto secar ele já tava me dando agonia; e Jonah e a noiva continuam nas briguinhas de sempre. (Lara Lima)

Mad Men - 3x12

Mad Men: The Grown-Ups (3×12)
Exibição: 1/10/2009
MVP: John Hamm

Se na semana passada lidamos com a tragédia pessoal dos Draper, onde Don em um raro momento de vulnerabilidade mostrou a Betty quem ele realmente é, nessa semana nós lidamos com uma tragédia nacional: a morte do presidente Kennedy. E por mais que pra mim esse acontecimento não seja tão interessante quanto o do episódio anterior, ainda assim tivemos um bom episódio.

No meio de algo dessas proporções, é impressionante como tudo muda, e rápido. Carla de repente se vê sentada ao lado de sua patroa, Pete desiste de ser um puxa-saco para manter seu emprego, e mais importante de tudo, Betty decide que não ama mais Don, logo no momento que a máscara tinha finalmente caído, e quem sabe, as coisas poderiam começar a funcionar.

Por um lado eu entendo. Don não é nenhum santo, ele mentiu, traiu e não há nada que garanta que ele vá mudar seu comportamento. Por outro lado, além de partir meu coração vê-lo sendo rejeitado mais uma vez, não consigo entender como Betty pode ver os dois lado a lado e escolher Henry Francis. Se pelo menos ele fosse fazê-la feliz… Mas não acho que vá, porque o problema de Betty é não saber o que quer, e por mais que esteja apaixonada pelo ar paternal de Henry, acredito que isso mal dure até o fim da lua-de-mel e logo logo ela vai estar odiando tudo novamente. Além disso, Henry praticamente pedindo ela em casamento depois de uns quatro encontros, sabendo como é uma instável? Burrice, no mínimo. (Julia Mathias)

NCIS - 7x06

NCIS: Outlaws and In-Laws (7×06)
Exibição: 3/11/2009
MVP: Mark Harmon e Muse Watson

Claro, vocês devem trabalhar nisso (no caso). Enquanto eu descubro como ele (Gibbs) tirou o barco do porão.

Não sai da minha cabeça como foi que o Gibbs tirou o barco do porão. E parece que isso nunca será mostrado.

Franks está de volta. E episódios com ele sempre rendem boas cenas. Dois corpos de soldados são encontrados no barco de Gibbs – barco que foi um presente para sua afilhada, a neta de Franks. Na verdade, o ex-chefe de Gibbs colocou os corpos dentro do barco para forçar uma investigação feita por Jethro por dois motivos: ele não queria se explicar sobre os assassinatos para alguém que não confiasse e queria saber exatamente o porquê desses homens estarem atrás dele, pois temia por sua família.

E quando tudo levava a crer que Franks era mesmo o responsável, na verdade foi sua nora quem atirou nos soldados ao vê-los se aproximando do sogro e da filha (na verdade, ex-soldados, que trabalhavam para uma companhia de mercenários dando a deixa para participação de Robert Patrick como Coronel Bell e também para um pequeno discurso de Gibbs sobre o quanto desaprova esse tipo de ‘instituição). Franks apenas atirou nos corpos para destruir evidências: o problema é que enganar Abby e Duck é deveras complicado.

Teria muito mais o que escrever sobre esse episódio, como o fato da Ziva estar pensando em se tornar uma cidadã norte-americana e todas as explicações de Dinozzo sobre o que é ser um norte-americano. (Tati Leite)

The Big Bang Theory - 3x06

The Big Bang Theory: The Cornhusker Vortex (1×06)
Data de Exibição: 2/11/2009
MVP: Jim Parsons e Kunal Nayyar

Indo ao parque com seu trio de colegas para participar de uma batalha de pipas, Leonard ouve de Penny que ela convidou vários amigos para assistir futebol na casa dela, levando-o a conclusão de que sua namorada teria vergonha dele.

Comentando sobre sua insegurança, Penny diz que só não o convidou por ele não saber nada de futebol. Então, gênio como Leonard é, resolve aprender todas as regras do jogo para ir na próximo partida na casa dela. Bom que Sheldon sabe tudo sobre futebol, graças a seus pais texanos e apaixonados pelo esporte. Ruim que apesar de aprender as regras de trás pra frente, Leonard paga um mico atrás do outro, comemora jogadas de uma partida da década passada e tem um linguajar “científico” demais para pessoas com QI normal…

Enquanto isso Raj perde a paciência com Howard, que vive abandonando ele por uma mulher gostosa. Mas o casal de amigos acaba se reconciliando, e o indiano aceita que a condição de seu amigo judeu não é lá muito controlável.

Foi um episódio inconstante e em minha opinião a temporada não vem fazendo tanto juz ao hype da série, que beira a liderança da audiência entre adultos nos EUA. Mas preciso dizer: a torradeira cylon de Sheldon foi a coisa mais cool que já vi esse ano e eu quero uma pra mim! (Thiago Sampaio)

Two And A Half Men: Give Me Your Thumb (7×06)
Data de Exibição: 02/11/2009
MVP: Holland Taylor

Algum homem pode não concordar comigo quanto a avaliação deste episódio em especial de TAHM: eu o achei fraquíssimo, mas pode ser que eu simplesmente não entendido qual a graça de tanto drama porque Chelsea resolve fazer uma redução de seios.

Sim, é claro que teve graça o fato de ser Alan a detonar essa idéia – sim, os anos passaram, mas ele continua sendo o mesmo tapado que não conhece seu irmão – teve mais graça ainda seus dedos sendo esmagados por Charlie usando de seu notebook. Teve até graça Charlie indo com Chelsea ao médico e comparando “manualmente” a diferença entre os seios atuais e os futuros.

Os melhores momentos, de qualquer forma, acabaram sendo os relacionados a Alan e sua mãe. Era evidente que Evelyn estava tramando, mas eu já disse que Alan é um tapado, só que quando ela é má, ela é melhor ainda.

Talvez meu problema não seja com a piada, mas com Chelsea, que eu ainda considero não ter sido a melhor escolha para par de Charlie – apesar de sua disputa com Melissa há dois episódios atrás ter sido hilária. Quem sabe eu esteja apenas velha e chata – espero sinceramente que não. (Simone Miletic)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

21 Comments

  1. Danilo

    Greek é muito bom. Achei sua review ótima. E sobre Evan, se ele tivesse feito o que fez em outra época, odiaria ele, mas dessa vez não odiei, porque como você disse foi compreensível.

    A única coisa ruim sobre Greek, é que só volta em janeiro.

  2. Julia Mathias

    Greek realmente segue sendo maravilhosa. Eu particularmente sempre gostei muito do Evan e por muito tempo defendi que ele seria o homem para Casey (e talvez ainda seja, who knows?), mas ainda assim acho interessante ver o retorno de Cappie com Casey. mas ainda assim concordo com Evan em parte. Por mais que Cappe tenha amadurecido, e muito, será que ele está preparado pra dar a Casey o que ela precisa? Porque pra mim seria um tanto monótono ver eles terminarem pelo mesmo motivo. Afinal a Casey também é ligeiramente perdida na vida, e acho que seria muito mais interessante vê-los se descobrindo juntos.

    A única coisa que me dá um pouco de raiva, foi o fato de Evan e Cappie terem finalmente voltado a ser amigos, só pra serem separados de novo. Achei um desperdício.

  3. Fernando dos Santos

    Heroes-eu ainda vi nenhum episódio desta nova temporada mas tenho lido muitos elogios.Então só posso acreditar que o Bryan Fuller foi responsável por este pequeno e relativo renascimento criativo de Heroes.No volume 4 ele já havia ajudado a melhorar um pouco o nível da série e agora no 5 ele deu continuidade ao esforço para recuperar a série.O problema é que (como todos sabem) ele deixou o barco novamente deixando mais uma vez o atrapalhado Tim Kring conduzindo a série.Vamos ver que rumos a história vai tomar quando exibirem os episódio posterior a segunda saída de Fuller.

    Melrose Place-Pra mim o grande mistério continua sendo como os personagens da primeira versão agora tem filhos na casa dos vinte e poucos anos de idade.Se alguém tiver uma explicação, eu agradeço.
    Quanto a começar uma série com um assassinato misterioso, realmente pode não dar certo pois série é um coisa que pode se estender por anos. Ate mesmo a inesquecível Twin Peaks caiu nesta armadilha e se complicou,então se até uma obra-prima como aquela teve esse tipo de problema o que dizer deste tosco Melrose Place.Fazer do motor da trama a busca por um assassino misterioso pode dar certo em minissérie,filme ou livro, ou até mesmo em novelas pois elas tem previsão de duração de no máximo dez meses.Numa série só mesmo se for um arco de alguns episódios ou no máximo uma temporada.

    NCIS-Se não me falha a memória teve um episódio de uma ou duas temporadas atrás onde o ex-chefe e mentor do Gibbs estava em busca de vingança pela morte de seu filho no Iraque.O episódio Outlaws and In-Laws é um desdobramento daquele caso?

  4. Lara Lima

    Fernando dos Santos

    Pois é Fernando. Eu citei o Gilberto Braga porque tem novela que dura 12 meses e ele conseguiu 86% dos televisores ligados no ultimo capítulo, o que não se repetiu depois em Água Viva, Celebridade e Paraíso Tropical, como eu disse é uma tarefa difícil.
    A nova versão de Melrose Place tem dois problemas principais: Sidney morreu e para quem não acompanhou a primeira versão não teve tempo de criar nenhum vínculo com ela, pra mim é indiferente a morte dela; e o segundo problema é que a trama está muito mal construída em volta do assassinato que fica difícil de acreditar na dificuldade da polícia em encontrar o assassino. Eu assisto mas não levo muito a sério, assim como Gossip Girl… =]

  5. jorge

    pessoal… concordo q a 2ª temporada de heroes foi fraca e tal… mais a 3ª foi sensacional! melhor até q a 1ª.
    E, claro, essa 4ª temporada está incrivel!!!! sensacional!!! uhu!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Jefferson

    Pra mim a unica coisa ruim nessa temporada de Greek foi a falta de destaque à Rebecca, ela é uma das minhas personagens favoritas, mas ficou tão apagada nessa temporada, principalmente nos últimos episódios.
    Quero janeiro logo *-*

    E quanto a Gossip Girl… eu estou gostando da temporada, mas já não é a mesma coisa de antes. Está faltando mais tramas envolvendo a Gossip Girl e mais Jenny. E ainda, se possível, tirem o Nate da série, ele só serve pra fazer gastarem mais dinheiro (e ele é um dos mais bem pagos do elenco, não?)

  7. Mica

    TBBT
    Eu amei esse episódio. Raj e Howard pareciam um casal com todas as briguinhas e ceninhas. Me rolava de rir. Mas o que eu queria mesmo era a torradeira do Sheldon.

  8. Silvia_05

    Apartir do 9o. ou 10o. episódio é que Mad Men começa a fazer sentido. Tô achando essa estratégia chata e essa temporada não me agradou.
    Tá na hora de mudar, senão Breaking Bad vai levar muitos Emmys em 2010. O que, na minha humilde opinião, será bem merecido.

  9. Juninho

    Heroes está excelente,achei esse episodio um pouco fraco em vista dos outros,mas não fraco o suficiente pra baixar o nivel da série que está voltando a sua melhor forma,Charlie sempre foi uma das personagens mais sensacional da série e a audiência respondeu a altura da personagem,sem falar que Masi Oka(Hiro) deu um show nesse episodio,o episodio que por sinal foi todo dele.

    Ah e Fernando dos Santos esse episodio e o penúltimo(que por sinal foi o melhor da temporada),não teve nenhuma participação do Bryan Fuller que deixou a série no episodio 6,ou seja a série continua no bom caminho mesmo sem o excelente Bryan Fuller,mas não se pode negar ele ressucitou Heroes.

  10. Thiago Sampaio

    Heroes Larguei a série no começo do 2º ano e até hoje vejo gente dizendo que a série tá melhor do que nunca, tão boa quanto o primeiro ano… Não tenho parâmetro nenhum pois não vejo o seriado há trocentos episódios, mas de uma coisa eu sei: não me arrependo nenhum pouco de ter largado

    The Big Bang Theory Gosto é uma coisa muito pessoal, mas nessa temporada, me divirto muito mais com The Middle, Curb Your Enthusiasm, Modern Family e The Office do que com Big Bang. TBBT não é ruim, mas é pop, tem muita audiência e tão confundindo isso com brilhantismo… Acho que não é pra tanto.

    2aaHM Simone, meio que tentei compreender como você tentou analisar o episódio… pelos olhos de um homem… Olha, sendo honesto, eu acho que seria um crime Chelsea fazer a redução e se eu fosse o Charlie, mataria o Alan só por dar a idéia. Mas convenhamos que o episódio foi muito, mas muito fraco. Sem falar apelativo. Acho que as piadas com isso poderiam ser mais sutis, mas quando Charlie pegou as próteses e colocou no rosto, meio que mataram o humor. Eu perdi a temporada passada (muito obrigado por não reprisar, Warner) então nem sei de onde Chelsea veio, mas que ela é mesmo sem carisma ou qualquer tipo de lógica, é sim. As vezes vejo Denise Richards nela, mas menos patty e adolescente, sei lá… Negócio que não entendo mesmo porque prolongaram essa história com ela. E a série precisa logo definir um fim, porque as piadas já estão ficando batidas, apelativas… e semg raça.

  11. Danilo

    Jefferson, eu também adoro a Rebecca, as tiradas dela (Como a do pote de outo desse episódio) são ótimas.
    Acho que ela e o Evan vão ter alguma coisa…

  12. Fernando dos Santos

    Lara,
    quero fazer apenas uma correção no seu comentário.Agua Viva é anterior a Vale Tudo(a novela da Odete Roitman).Lembro também de A Próxima Vítima(1995,de autoria de Silvio de Abreu) onde o autor conseguiu prender o publico do primeiro ao ultimo capitulo pra descobrir o assassino.

    Juninho,
    eu tenho a impressão(se não me falha a memória) de haver lido em outro blog que o Fuller permaneceu como consultor em Heroes até por volta do episódio 8 ou 9.Agora, se a série está andando bem sem a presença dele então melhor ainda.

  13. Pedro Paulo

    Fernando,

    muito boa sua observação sobre “A Próxima Vítima”, pois aquela novela foi o serial-killer brasileiro, nunca mais teve igual.

    Melrose eu assito pq é bacaninha, mas eu tô “cagando e andando” pela morte da Sidney. Eu acho que Gossip (que eu amava, hoje apenas gosto) poderia ser cancelada primeiro. Está quase impossível de assistir.

  14. Aline

    Finalmente alguém que não condena o Evan! Eu sei que a atitude dele foi péssima, mas duvido que alguém teria tido coragem pra fazer diferente. A Presdiência da Omega Chi é a única coisa que resta a ele, se isso for tirado do coitado, o que ele vai fazer? Viver de favor do Cappie?? Pra mim, Evan é o personagem mais próximo da realidade, com seus altos e baixos. Case pode ficar com o Cappie e formar um casal boring como sempre, Evan merece alguém melhor!

  15. Lara Lima

    Ops..é verdade Fernando…Agua Viva foi antes de Vale Tudo.

    Sobre A próxima Vítima eu também gostei bastante, mas acho que Vale Tudo foi um marco né? Enfim… =]

  16. Juninho

    Fernando
    Nos creditos da série o Fuller não aparece desde o sexto episodio,e nas descrições dos episodios inclusive no IMDB não há descrição dele,e até onde eu sei ele participou como consultor da série apenas nos seis primeiros episodios dessa temporada,porém não sei ao certo se tem mais alguns episodios que Fuller ajudou,esse dois últimos não tiveram sua ajuda.

  17. Lucas Vieira

    TBBT, caiu de qualidade em ralação a temporada passada e vive momentos encostantes de ossilações, episodios bons e ruins, esse foi episodio muito fraco, espere q a serie se recupere, quem ainda salva serie é Sheldon Raj e Howard, espero q a serie se recupere
    Força TBBT

  18. Claudemir Antonio Zamproni

    “THE BIG BANG THEORY” está nos brindando com uma temporada B-R-I-L-H-A-N-T-E, engraçadíssima, com destaque para todos os incríveis personagens. Está arrasando, e isso não deve estar agradando muita gente (fãs de “30 Rock” principalmente…). A seu lado, só consigo encontrar o fabuloso “THE OFFICE” e o hilariante e bem-vindo “MODERN FAMILY”. Considero os três como as coisa mais engraçadas do ano da telinha.

  19. Mariana

    “E se analisarmos friamente, parece ser a única série sobre jovem que retrate de uma forma mais parecida os jovens de hoje em dia. Sem os idealismo de One Tree Hill, a superficialidade de Gossip Girl, e o drama de Friday Night Lights, apenas jovens”
    Concordo plenamente Paulo, escrevo sobre a série num portal e sinto-me assim ao falar sobre.
    A despretensão que Greek teve ao se apresentar foi algo pouco visto hoje em dia, ainda mais tratando-se de series “teens”. Me sinto extremamente conectada com o que acontece, é sem duvida a série que sempre despertará o verdadeiro sentido de ser jovem, a verdade como ela é, sem glamour, intensidade e maturidade antes do tempo.
    Seres que erram, acertam as vezes, sentem e mesmo assim são pessoas semelhantes a nós em certos aspectos

  20. Fernando dos Santos

    Juninho,
    então como eu disse antes fico satisfeito se a série está conseguindo ir bem mesmo sem ajuda do Fuller.Sempre achei que Heroes era uma série com potencial pra ir mais longe, o problema era a incompetência confessa de seu showrunner Tim Kring em fazer este tipo de show.Felizmente ele parece ter conseguido finalmente montar um boa equipe criativa depois de tantos anos de tropeços.

    Pedro Paulo,
    eu também gostei de A Próxima Vítima e considero aquela uma das poucas novelas realmente interessantes já feitas.No entanto não era exatamente uma história de serial killer,estava mais para uma trama de queima de arquivo.
    A príncípio parecia ser um assassino serial mas no final se descobria que era um sujeito que cometeu um assassinato décadas atrás e fugiu pra longe pensando não ter deixado testemunhas.Porém alguém começou a chantagear o sujeito e ele então voltou pra São Paulo pra eliminar as testemunhas.

  21. marcelo

    TAAHM

    a série é brilhante do ponto de vista masculino e nos fez rir durante pelo menos 4 temporadas dos nossos estereótipos. Mas nós envelhecemos, charlie envelheceu , as piadas envelheceram e jake cresceu e se tornou um adolescente chato sem graçca. hoje a série só serve para nos lembrar o quanto a vida é patética e sem graçca à medida que se envelhece.

    deem um tiro de misericordia num dos sitcoms mais divertidos, que atualmente so consegue passar a mensagem de que o tempo é implacavel com a graça da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account