Log In

Spoilers

Lá Fora: a finale de Sons of Anarchy, a volta de Dollhouse e um especial de Private Practice.

Pin it

Private Practice - Blowups

Dezembro começou quente!!! E a coluna Lá Fora retorna nesta segunda-feira trazendo um pedacinho dos acontecimentos que emocionaram os telespectadores norte-americanos: Sons of Anarchy arrebentou em mais uma season finale; Private Practice veio com um evento, colocando na tela os pais de Addison; e Dollhouse voltou do hiato, trazendo a musa geek Summer Glau.

A coluna exibe ainda review atrasada de Wilson, digo, House! E texto sobre The Office, Bones, Friday Night Lights, Fringe e Ugly Betty.

E ainda há tempo para uma parada no Reino Unido, com mais uma resenha de Spooks (Dupla Identidade) e a definição dos três finalistas do The X Factor. Confira a seguir!

Private Practice: The Parent Trap (3×09) e Blowups (3×10)
Exibição: 3/12/2009
MVP: Kate Wash

Se havia alguma dúvida do porquê de Addison ser como é isso ficou para trás. Kate Wash toma as rédeas da serie da qual é protagonista e o teto de vidro de seu personagem quebra numa performance m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a.

Mas tudo de bom no episódio se resumiu a isso também. Achei as tramas muito fáceis e rápidas, jogadas de qualquer forma em cima de nós quando poderia ter sido tratado com mais calma. Passa a impressão de que querem transformá-la na nova Meredith Grey a essa altura do campeonato. Bizzy (JoBeth Williams, que não foi uma boa escolha para o papel) entrou e saiu de cena pra provar que The Capitan não era o vilão da estória, pelo menos não o único, porque enquanto o marido curtia a vida de galanteador ela também mantinha uma relação fora do casamento.

Heather morre quando provoca um acidente em casa e da mesma forma que esse casamento começou – termina. Amo a série e há de se reconhecer a melhora nessa terceira temporada, mas acho que esse episódio duplo só fez mostrar o maior defeito de Private Practice: o imediatismo. Mesmo assim, lamento que a Sony tenha resolvido ignorar essa temporada. (Lara Lima)

Sons of Anarchy - Na Trioblidi

Sons of Anarchy: Na Trioblidi (2×13)
Exibição: 1/12/2009
MVP: Charlie Hunnam

Foi uma temporada impecável. Durante os treze capítulos, Sons of Anarchy demonstrou equilíbrio e inteligência, desenvolvendo as suas tramas sem o mínimo interesse de apressar os fatos. E Na Trioblidi comprova o que estou dizendo. Durante todo este ano, o Clube sofreu as consequências do assassinato de Donna, a insegurança em saber para onde ele estava indo com o tráfico de armas e, principalmente, a falta de confiança na liderança de Clay Morrow. A disputa interna entre ele e Jax Teller, fizeram com que muitos sofressem. Caíram por diversas vezes nas armadilhas de Zobelle e a trupe ariana. Com medo de explodir uma guerra em Charming, Gemma escondeu por algum tempo que havia sido atacada e estuprada por três caras dessa gangue.

E a partir do momento em que ela contou a verdade, Charming se tornou uma cidade recheada de vingança e desespero. Kurt Sutter, que roteirizou e dirigiu este último episódio, cria uma tensão enorme ao colocar os dois Clubes, Mayans e Sons, em tempos de guerra que poderia destruir completamente a cidade. Além disso, ele soube fechar os arcos narrativos e também criar outros que prometem fazer da próxima temporada ainda melhor que esta. Sem contar que a vingança preparada por Clay e Jax contra Zobelle e a sua turma não foi completa. O último, um informante do FBI, saiu impune de uma porção de crimes que ele precisou cometer para não estragar o seu disfarce. Jax conseguiu aquilo que queria, mas acabou perdendo o seu bem mais precioso para um irlandês disposto a vingar a morte do seu filho.

Falando desse jeito, parece que Sons of Anarchy é uma série que fala sobre vingança e pessoas vingativas e à procura por sangue. Mas ela vai além: esta é uma série sobre confiança, amizade e, principalmente, sobre a importância que as pessoas devem dar à família, sempre dispostas a protegê-la de qualquer maneira. Assim como foi no final da primeira temporada, Sons of Anarchy apresentou um épico episódio, desses que serão difíceis de esquecer. (Vinícius Silva)

Friday Night Lights: The Son (4×05)
Data de Exibição: 2/12/2009
MVP: Zach Gilford

Tenho escutado por aí que está faltando Deus, religião, ética, valores (ou seja lá o nome que você queira dar) nas pessoas, e até concordo em parte com isso, e ainda digo mais um pouco, falta para as pessoas referências. Mas Matt Saracen tem duas: seu pai e Coach taylor.

Numa atuação belissima do jovem Zach Gilford, ele nos explica que o motivo de tentar ser tão bom com todas as pessoas é porque ele guardava todo seu ódio para seu pai. A cena final com ele enterrando o pai é com certeza uma das mais tocantes e significativas que já vi. E depois em um momento que ele precisava de alguém, lá estava Coach Taylor mais uma vez, sem sermões, apenas do lado dele.

Coach Taylor que tem ensinado aos garotos do East Dillons o que é ter valor próprio. Vince, que tem uma vida complicada tanto quanto os demais personagens da série (e qualquer pessoa da vida real), aprendeu isso ao perceber que pouco tempo atrás ele estava prestes a ser preso e hoje é motivo de orgulho para as crianças.

E este é o interessante da série, não há vilões e mocinhos, há sim pessoas com boas referências e outras que ainda não sabem o que é isso (cof cof J.D. McCoy cof cof). E é interessante que na temporada todos se preocupavam com Tim e ele não entendia e nem queria que as pessoas se preocupassem. Agora ele percebeu que falta algo em sua vida, e não, não é mulher e nem bebidas, falta um proposito. Que série! Que Série! (Paulo Fiaes)

House - Wilson

House: Wilson (6×09)
Data de Exibição: 30/11/2009
MVP: Robert Sean Leonard e Hugh Laurie

House está num momento crítico e não dá pra negar. A fórmula esgotou? É o excesso de romance? O trio de pupilos deveria aparecer mais? Deveria aparecer menos? Thirteen não devia nem existir? Assistindo temporadas antigas no Universal, me deparei com uma série diferente… e melhor do que é hoje: House quase sociopata (mínimo de ironia e sem fazer questão de irritar os outros), pupilos com relevância (bons personagens numa boa fase) e casos médicos interessantes (era mais fácil quando tudo era novidade).

Mas seja lá o motivo da baixa criativa, há pelo menos dois personagens que nunca, falham nos episódios: House e Wilson (exclui Cuddy da equação porque enchi dela e não entendo esse rolo com Lucas). Sendo assim, depois de uns 120 episódios focados em House, que mal faria um centrado em Wilson? Foi o que tivemos esta semana, quando o oncologista mais legal do mundo (tão legal que é quase um banana) tem seus momentos de House enquanto tenta diagnosticar e curar seu “amigo” Tucker (Joshua Malina, The West Wing), custe o que custar. Até mesmo transplantando o próprio fígado…

O resultado foi positivo e curioso, com House sendo coadjuvante e sua rotina de diagnósticos não mostrada pra nós. Resta agora saber quanto tempo dura a idéia de Wilson em contra-atacar Cuddy (pra que isso?) e se o seriado consegue manter uma sequência de pelo menos dois episódios acima da média. (Thiago Sampaio)

Fringe: Snakehead (2×09)
Exibição: 3/12/2009
MVP: John Noble e Jasika Nicole

Foi mais um episódio de ‘monstro da semana’, ao menos aparentemente. Eu tenho problemas com histórias envolvendo parasitas e parasitas que parecem goualds (SG-1) só pioraram a minha situação. Fico com nojo o tempo todo. Em todo caso, eu gostei do episódio. Foi ótimo assistir ainda maior interação entre Walter e Astrid assim como vê-los fora do laboratório mesmo que por pouco tempo. Também bom Peter cada vez mais participando da ação diminuindo a sensação que Joshua Jackson esteja ali só para embelezar o ambiente. Não que isso seja ruim.

Podem existir várias opiniões sobre Fringe mas custo acreditar que no meio delas alguém discorde que o trabalho de John Noble é maravilhoso. Se a série tivesse uma grande audiência e/ou sucesso de crítica com certeza ele teria sido indicado ao Emmy. A facilidade com que ‘passeia’ entre o drama e o humor é impressionante. A cena em que ele está perdido em Chinatown e desabafa por não conseguir lembrar o telefone correto de Peter demonstra o quão bom ator ele é. Sem contar no final quando ele informa que implantou um chip localizador em seu pescoço. (Tati Leite)

Dollhouse - The Public Eye

Dollhouse: The Public Eye (2×05) e The Left Hand (2×06)
Data de Exibição: 4/12/2009
MVP: Enver Gjokaj, Summer Glau e Alexis Denisof

Eis dois episódios que me deixaram boquiaberta. Acredito que se eles fizerem a coisa direitinho, conseguem terminar a história de modo satisfatório.

A Rossum foi colocada contra a parede. Daniel Perrin conseguiu levar Madeline como sua testemunha contra a Dollhouse e, é claro, Adelle não deixaria isso barato. E foram com tudo para cima de Cindy, a esposa do Senador, pensando ser ela uma Doll infiltrada pela Rossum. E qual não foi a surpresa ao descobrirmos que o Ativo era na verdade o próprio Senador!?

Foi muito bem feito o momento que Perrin e Echo recobraram a consciência como Dolls e como se uniram. Para que precisamos de um Ballard, se temos um Perrin mil vezes melhor em cena? Infelizmente (para eles) a Dollhouse DC capturou os dois. Mas para nós isso foi ótimo, pois pudemos ver Victor personificando Topher (e era tão perfeito que quase não consegui acreditar. Parecia o próprio) e melhor ainda, tivemos Summer Glau de volta em tela. Tudo bem que ela é incrivelmente pé frio, mas é muito bom vê-la atuando.

E quem diria que seria justamente a insana Dra. Bennett (eu jurava que a Summer teria um papel normal dessa vez…graças a Deus que não) que nos mostraria um relance do passado de Caroline? Sim, a toda poderosa Caroline parece ter o dom de fazer com que todos vivam para ela, mas terá sido o fato de ter abandonado a melhor amiga para morrer que acabou levando-a para a Dollhouse? Ou estamos sendo despistados?

Não sei. A única coisa que (acho que) sei é que o Senador permitiu ser novamente usado pela Rossum (ou Bennett mexeu com sua mente de novo), desmentiu a coitada da Madeline (que acabou nas mãos de Bennett) e que Echo está por aí, solta no mundo. Cada dia mais eu vejo os acontecimentos de Epitaph One se aproximando. (Mica)

Bones: The Gamer in the Grease (5×09)
Data de Exibição: 3/12/2009
MVP: Emily Deschanel e David Boreanaz

Foi um episódio de ‘monstro da semana’ e que ainda serviu para divulgar o Avatar, novo filme de James Cameron. Além de ter a abertura mais nojenta desde o episódio da banheira. A trama girou em torno do assassinato de um carteiro que havia batido o recorde em um jogo de vídeo game. Na verdade, fliperama seria o correto.

Enquanto a investigação prosseguia, Fisher, Sweets e Hodgins revezam na fila para conseguirem o melhor lugar para assistirem Avatar. Joel Moore, que interpretar Fisher, faz parte do elenco do filme. Para mim, apesar de eu adorar os três personagens a história apresentada foi bem chata.

E o crime da semana? Na metade eu já estava pensando que poderia ser o pai do menino autista. E ao mesmo tempo eu não queria que fosse. Sempre fico arrasada com esse tipo de história onde no final das contas a vítima ‘merecia’ morrer. E quando envolve criança eu fico mais arrasada ainda.

Booth e Bones continuam seu namorico porque só os dois não perceberam que estão namorando. Cada final de episódio vemos o quanto eles estão mais próximos, emocionalmente falando. (Tati Leite)

Spooks - Episódio  5

Spooks: Episódio 5 (8×05)
Data de Exibição: 27/11/2009
MVP: Hermione Norris

Depois de um episódio morno, a trama finalmente começa a avançar. Harry desconfia do suposto “suicídio” de Walker e começa a investigar por conta própria, não colocando muita fé na versão oficial, já que ela contradiz vários fatos que precederam sua morte. Não tarda muito para descobrirem que Sarah estava no prédio no momento da morte de Walker. Apesar desta revelação, Lucas preferiu não confrontá-la, fingindo nada saber para tentar obter informações sobre os reais objetivos dela e para quem ela trabalha.

Enquanto isso outros agentes da CIA morrem em circunstâncias misteriosas, sendo que um deles estava sob proteção de Sarah – muito conveniente. Tudo aponta para um misterioso grupo que estaria agindo nos bastidores dos serviços de inteligência e que estava sendo investigado por Walker.

Esta trama conspiratória lembra bastante a metade final da sexta temporada, em que Ros é abordada pelo grupo Yalta, formado por agentes de diversos países, que agem segundo seus próprios interesses. A trama reciclada nem me incomodou tanto, pois o destaque ficou para Ros, que desde a morte de Jo tem assumido uma postura quase suicida em campo e, em especial neste episódio conseguiu me deixar na beirada da cadeira. Até o último instante não dava para saber se ela escaparia ou não e essa é uma das coisas de que mais gosto nesta série, a idéia de que qualquer um, a qualquer momento, pode morrer. A cena da armadilha no apartamento – muito bem executada – foi só um dos pontos altos, culminando com o embate final entre ela e seu mentor, que acabou morrendo sem revelar muita coisa, mas cujos motivos eram até, digamos, mundanos e, por que não, totalmente humanos. (Patricia Emy)

The Office - Scott's Tots

The Office: Scott’s Tots (6×11)
Exibição: 3/12/2009
MVP: Steve Carell e Rainn Wilson

Michael Scott, ser de baixa auto-estima e que se desdobra pra conseguir aceitação própria, dos colegas e da sociedade, inventou dez anos atrás de prometer a um grupo de crianças que quando terminassem o colégio, ele pagaria a faculdade de todas elas. Uau…

Chegou então o dia de Michael pagar a dívida que não pode ser paga, não sem antes, ao lado de “Não-Pam”, assistir apresentações artísticas dos alunos que um dia esperam ser o próximo Barack Obama… Scott’s Tots leva fácil o Dundie de “Maior Vergonha-Alheia”: ele, que possui 21 minutos, me fez levar uma hora só para assistir o segundo bloco, pois não queria chegar ao momento em que Michael diz aos alunos e professores que não tem dinheiro pra pagar as bolsas de estudos. Foi fisicamente doloroso assistir essas cenas, que foram diametralmente hilárias. Ponto pra a melhor série da temporada!

Enquanto isso, no escritório, Dwight segue querendo destruir a carreira de Jim e agora receberá ajuda do até então sumido Ryan. É bom o marido de Pam (que recentemente dobrou suas vendas… de dois pra quatro? yep!) ficar de olho, pois não sei o que é pior: encarar a falência da Dunder Mifflin ou a ira de Ryan (em sede de vingança) e Dwight (capaz de assumir a identidade de qualquer um do escritório). (Thiago Sampaio)

Ugly Betty - The Bahamas Triangle

Ugly Betty: The Bahamas Triangle (4×08)
Exibição: 4/12/2009
MVP: America Ferrera

Depois do episódio da semana passada, Ugly Betty parecia sem caminho. Tudo porque, estranhamente, as principais tramas haviam fechado seu ciclo. No entanto, de um um modo inteligente e desprendido da realidade, como só essa série conseguiria fazer sem que soasse surreal demais, os roteiristas tiraram do armário biquínis e calções, deram sobrevida a uma das histórias já encerradas e levaram a Mode para a paradisíaca Bahamas.

Em The Bahamas Triangle, referência ao triângulo amoroso formado por Amanda, Matt e Betty, o que mais me impressiona é a rapidez das piadas e da própria edição da série. Aqui, Marc ganha maior destaque na trama, Hilda se envolve numa história mais profunda e, por assim dizer, ‘caliente’ e Wihelmina, enfim, garante belas surpresas aos espectadores.

Não temo em afirmar, no entanto, que, por mais uma vez, foi America Ferrera quem carregou o episódio nas costas. Digo por uma perspectiva positiva, porque é assim mesmo que deveria ser. Aliás, minha paixão por essa atriz e pela bela personagem feia que ela construiu acontece justamente porque, mesmo nos piores e mais mal conectados episódios, Ferrera sempre ofereceu. (Rafael Maia)

The X Factor: semi-final results (6×28)
Exibição: 6/12/2009
MVP> n/a

A temporada passada de X Factor foi bem diferente da atual. Foi mais divertida, seu decorrer foi mais justo e não teve palhaçadas imbecis como a presença dos gêmeos John & Edward. Mas em um aspecto a temporada atual tem dado um banho na passada: as surpresas. Sejam boas ou ruins, a final do X Factor 2009 vai ser excepcionalmente surpreendente. Não há como saber quem vai vencer, não tem preferido, não se pode apostar.

Só a semifinal foi fantástica. Por pouco não senti mais prazer em ver Danyl finalmente saindo do jogo do que por ver os outros três indo para final (ainda acho que Miss Frank poderia estar ocupando um dos três spots).

Mas vamos lá: Stacey Solomon, Olly Murs e Joe McElderry. No inicio do programa, não diria que nenhum deles poderiam chegar onde chegaram, mas basta acompanhar o show que não há quem possa dizer que é injusto eles estarem na final. A seguir, breves comentários sobre os finalistas.

Joe: foi realmente uma surpresa. O guri cresceu absurdamente no decorrer do programa e não ficaria surpreso se ele acabasse ganhando o título. Nunca foi pro botton two.

Olly: sempre soube o quão bom Olly é. Suas dancinhas por vezes me irritavam, mas é inegável o poder de entreter que ele tem, sem contar com a ótima voz. Foi pro botton two com os gêmeos.

Stacey: é a minha querida. Encantou a todos desde sua primeira audição e foi ganhando destaque, sobetudo, com a saída de todas as outras meninas da competição. Mas foi com “Who Wants To Live Forever” que ela conquistou definitivamente a minha torcida. Nunca foi pro botton two.

A grande final do X Factor vai rolar no próximo final de semana. Nem preciso dizer o quão ansioso esse programa pode nos deixar. (Ivan Guevera)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

36 Comments

  1. Thais Afonso

    Bom, primeiro vou falar de The X Factor.

    Concordo que em vista do que tivemos no Top 6, ou 7, sei lá, o programa se afunilou de maneira justa. Mesmo tarde, Jedward e Lloyd sairam. Os melhores foram para a final. E apesar de toda a raiva que senti lá pelo meio da temporada, confesso que há lá suas vantagens de termos tido uma temporada tão imprevísivel. Lembro de que quando os grupos foram separados, eu achei que seria impossível alguém bater o Simon esse ano. Ele tinha uma categoria fantástica, ele pegou um grupo onde sobravam bons cantores. Mas Jamie não rendeu. Danyl teve ótimos momento (Purple Rain), mas na maioria do tempo eu o achava over, e não conseguia sentir emoção nenhuma quando ele cantava e olha que ele cantou várias músicas que sempre me tocaram. No fim, a arrogância de Simon novamente voltou contra ele, porque ele cismou que Danyl era tão bom que podia ficar cantando música de diva, e depois de And I am Telling You acho que nenhuma realmente ficou bem, definitivamente I Have Nothing ficou bem ruizinha (e dizem que a própria Whitney o odeia, ouch). Olly, que eu sempre amei, estacionou. Pra mim toda apresentação dele é uma repetição, e acho que ele não tem chances de vencer não. Aliás, achei que ele fosse ser o eliminado, a reação aos vídeos das apresentações dele no site oficial foram as piores possíveis.

    Então, quem diria que Dannii e Cheryl seriam as mais cotadas pra levar o ano, hein? Sempre torci pras meninas de Dannii, pra Lucie mais especificamente, mas eu realmente achava que Simon estava com a vitória no bolso. Atualmente acho que o favorito é o Joe. Até esse último show eu nunca consegui ver o motivo de tanto elogio pro garoto, mas ele mandou muito bem com as duas últimas músicas. E ele tem a voz mais marcante no single You are Not alone, então parece que realmente pode ser um ótimo artista pra estúdio. Já Stacey não tem uma voz tão especial, mas cresceu muito e tem seus momentos. Somewhere foi maravilhosa, assim como Who Wants to Live Forever. Quando a Dannii acerta, acerta grande! E acho que é disso que vai depender o resultado, das músicas escolhidas. Olly pode até virar o jogo, tudo o que é preciso é Simon acertar na música.

  2. Thais Afonso

    Sobre Dollhouse,

    Coincidentemente, estava lendo uma entrevista com o Joss hoje de manhã, e apesar desses dois episódios terem sido SENSACIONAIS, estou começando a entender o porque da série ter sido cancelada. E é porque episódios como o 2×05 e o 2×06 não são a regra, e porque Joss não queria que eles fossem a regra, porque esse não é bem o show que ele queria fazer. Ele queria mesmo ela explorar bastante o assunto das fantasias sexuais, dos relacionamentos, do que se passa na cabeça de cada cliente que procura a Dollhouse. E isso não me incomodaria, mas a verdade é que de todas as reviews que eu li em sites americanos, isso parece incomodar e muito as pessoas. Até as pessoas que continuam vendo a série e gostando, até críticos de Tv. Não foram poucos os comentários que vi de pessoas reclamando que não conseguiam gostar da série por causa da óbvia relação de tema com estupro e tráfico sexual. É engraçado que justamente debaixo da entrevista do Joss comenta uma pessoa que diz que abandonou o show porque se sentia suja o assistindo. E talvez tenha sido isso que tenha matado a audiência da série: espectadores querendo uma solução moral para aquela situação para terem que se sentir mal assistindo o show, e o Joss meio puto porque a FOX não estava deixando ele fazer o show que ele queria, e que envolvia muito mais essas questões de sexo.

    Voltando aos episódios em si, amei os dois. Achei que o Perrin é um dos personagens mais brilhantes que a série já introduziu, porque lida com um lado totalmente novo da tecnologia. Upgrade de personalidade, quantos pais não pagariam pra submeter seus adolescentes rebeldes? E quantas pessoas não submeteriam a si mesmas para se tornarem sua versão idealizada? Para se tornarem material para Presidente da República, ou o médico perfeito, ou whatever?

    E Glau, sempre tão talentosa, arrasou, e eu só conseguia pensar “Você cancelou a série!”. Tadinha, ela é muito boa nesse negócio de interpretar personagens esquisitas, mas é muito pé frio. Os dois Topher foi sensacional, sacada genial do roteiro, e meu deus, o ‘Victor” é muito bom ator (não consigo soletar o nome de verdade dele). A única crítica que tenho ao episódio foi o Ray Wise não ter tido algo mais interessante pra fazer, o tal do Lipman super não estava a altura da Adelle.

  3. Jessica

    Disse tudo sobre Bones. Acho que já passou da hora de oficializar a relação de Brennan e Booth, ou então parar com as cenas de “namorico”.

    O problema é que toda vez que os protagonistas de uma série ficam juntos, os roteiristas perdem a mão, e eu não consigo entender o porque disso. Mas enfim…

  4. Marco

    Rafael Maia, a sua paixão por America Ferrera parece ter contaminado o seu texto.

    Uma dúvida, não tinha uma atriz menos baranga, e mais talentosa, para você se apaixonar não?

  5. Vinicius Silva

    @Mauro Irapuan

    Sim, já foi confirmado pelo canal FX, que renovou a série e o contrato de Kurt Sutter por mais dois anos. Ele também confirmou a notícia por meio de um podcast divulgado na semana passada.

    Abraços!

  6. Silvia_05

    Bela temporada de Sons. Final inesperado. Beirando o nível de The Shields. Até eu quero pegar aquela bitch do FBI.

    De tudo o que vi esse ano, tiro o chapéu prá Sons of Anarchy e Breaking Bad. Dexter está ótimo e espero que não decepcione no final. O resto foi “apenas” diversão.

    “Wilson” é um episódio que alivia a crise de House e a tua teoria sobre a “Thirteen não devia nem existir” é ótima.

  7. Juninho

    Dollhouse

    Episodio incrivel,eram tantas reviravoltas que me deixou até tonto,kkkkk,mas foi demais,não canço de dizer Whedon é um gênio,e o adimiro porque mesmo sabendo que sua série estava perto de ser cancelada não se deixou levar por isso,e não fez da série algo mais acessivel ao público,pelo contrario Dollhouse continua extremamente inteligênte e complicada.
    As atuações estavão fantasticas,os destaques na minha opinião ficaram para o ator que fez o Senador Perrin,o ator Enver Gjokaj que me assustou de tão perfeito que estava como Topher-Victor,e para a minha querida Summer Glau que deu um show interpretando a Freak Bennett,e tadinha pé fria não né,kkkkk,mas não importa se ela é pé fria ou não Glau deu um show em cena,eu também pensei que ela seria alguém normal como o Whedon já havia dito,mas graças a Deus mesmo isso não aconteceu,Glau fez mais uma vez o papel de uma desiquilibrada e dessa vez nada boazinha,ótimo episodio,só posso lamentar que a série esteja próxima do fim.

  8. Saulo

    FOi a Semana Wilson na tevê americana:

    Robert Sean Leonard com o merecido destaque em House. E o Rainn Wilson mostrando que, mesmo sem ter ganhado prêmios, ele é de fato é o Melhor Ator Coadjuvante das comédias da atualidade.

  9. João da Silva

    Faltou falar do episódio “Dreamland”, de Doctor Who. Foi um episódio divertido, e foi interessante ver o David Tennant dublando o Doutor.

  10. Ivan Guevara

    Mas que absurdo falar que America Ferrera não é talentosa. Anyway, Rafa, teu texto mais uma vez tá ótimo. To louco pra ver esse episódio, mas não arrisco ver sem a legenda.

  11. Roseana

    HOUSE

    House está num momento crítico e não dá pra negar.
    __________________________________________________

    Com certeza!! E o roteiro precisa de melhoras urgente!! Tudo bem que foi uma jogada dos produtores ao realizarem um episódio focado no Wilson, mas…deixou a desejar…e como deixou!!!!

    O único aspecto positivo sem dúvida alguma foi o final do episódio, e que de alguma maneira surpreendeu!!

    Tenho esperanças de que a série possa melhorar!!

    Ugly Betty …ainda não assisti!!

  12. Claudemir A. Zamproni

    ‘SONS OF ANARCHY”, “FRINGE” e, óbvio, “THE OFFICE” são imbatíveis, principalmente o primeiro e o terceiro. São bons demais, muito criativos e, sempre, soluções muito originais. Fora o “DEXTER” de ontem, acima de tudo e todos. Hello, Dexter Morgan!!!!!!!!!! Faltando um episódio, a adrenalina já extrapolou, não tem mais por onde se manifestar. Perfeito, impecável, até o afetuoso beijinho da Rita… Bitch!!!

  13. Joelma

    concordo sobre tudo em House já não mais o mesmo..
    droga vou ter que baixar Privite Pratice, maldita Sony!!!!!! vê a gente tenta, mas as proprias emissoras se sabotam…

  14. Lara Lima

    House
    Eu amo quando o foco é em Wilson e House, a química é maravilhosa e as cenas são muito boas. O episódio foi legal, mas me deu uma raiva quando o Tucker pediu pro Wilson doar o próprio fígado! Que grande amigo ele, insinuar que o médico deu muita quimo. Uma coisa dessas a gente não pede não; e me deu mais raiva que o Wilson doou. Quanto a Cuddy, ainda não entendi sua relação com Lucas, mas vá lá, vamos ver até onde vai.

    Bones
    Quero ver se vão errar a mão quando Booth e Brenan finalmente ficarem juntos, isso considerando que até o final desta temporada eles vão né, porque depois disso já não vejo como.

    FNL
    Poxa, ainda não vi. Volto pra comentar!

  15. Ana

    House
    Eu amo quando o foco é em Wilson e House, a química é maravilhosa e as cenas são muito boas.[x2]
    E é fato: Robert Sean Leonard é perfeito.
    Sobre a Cuddy, olha, eu era fã da personagem. Agora depois de tanto drama entre House e Cuddy (convenhamos, foi um porre ver House com cara de bobo e a Cuddy com a maior cara de sofrimento do mundo), surge o Lucas. O que eu preciso dizer que não acrescentou em nada na série.

  16. Mica

    @Fernando
    Pelo que eu saiba, serão 8 episódios. (mas não tenho 100% de certeza)

    Spooks: Dessa vez eu consegui assistir o episódio a tempo de comentá-lo aqui ^_^. Gostei muitíssimo dos acontecimentos e não aguento mais a Sarah. O povo falava muito de tentarem fazer dela uma nova Christine (que eu já odiava), mas essa Sarah consegue ser ainda pior. não sei como consegue engambelar o Lucas. Thanks God ele acordou para a vida. Embora ele devesse ter mais bom senso e não telefonar para falar o óbvio com a traidora dormindo a metros de distância.
    Não sei se eu gostei de todo o drama ter sido em função da vingança do ex-mentor da Ros. Tenho a sensação de que foram coincidências demais e explicações de menos. Mas o episódio em si foi bom e estou curiosa para saber como as coisas se desenvolverão daqui para a frente.

    Glee:
    Eu sei que não foi comentado aqui…e eu só assisti ontem, mas precisava ventilar.
    Will descobriu a farsa. Já não era sem tempo. Mas confesso que fiquei com uma dor no coração pela Terri… Porque tudo começou com uma gravidez psicológica que ela só desenvolveu por ter um medo terrível de perder o marido. e foi esse medo que a fez continuar com a gravidez mesmo depois de descobrir que não era real. E foi bem real ela dizendo que ele não a amava, mas sim a garota que ela foi e que ele ainda guardava na mente.
    Will é chato demais, não entendo como pode ter mulheres brigando por ele. Aff!
    De resto, o primeiro número musical da Rachel foi uma vergonha. Que dublagem mais capenga!
    E passei o final inteiro pensando que o Will é muito burro, bastava ele pagar o maldito colchão!
    Aliás, fala sério, o cara sai de casa e vai dormir na escola? Não há regras contra isso, não? O infeliz não poderia ter ido para um hotel ou para a casa de algum amigo? (se bem que eu acho que o Will não tem amigo algum…)

    Dollhouse:
    A coisa mais interessante nesses episódios (entre todas as coisas fantásticas) é que o dispositivo que o Topher criou é muito provavelmente o dispositivo que causará a destruição da humanidade, conformo mencionado em Epitaph One.
    E a Summer Glau é fantástica. Fico aqui me perguntando se a Bennett era realmente amiga da Caroline ou se Caroline usou da garota para conseguir acesso à Rossum e depois a deixou para morrer.
    @Thais Não sei se eu gostaria se a série fosse toda voltada para os casos sexuais. Não porque eu tenha algum puritanismo ou me sinta mal. Nada disso. Apenas acho cansativo olhar sempre a mesma coisa (ainda mais que provavelmente o foco seria todo na chata da Echo e foi só com o surgimento dessas outras tramas que os personagens secundários foram ganhando espaço…pq ninguém merece a Echo/Caroline todo santo episódio).

  17. Patricia E.

    @Mica e Fernando

    Infelizmente só serão 8 episódios mesmo. E estou achando essa temporada meio devagar e com tramas recicladas demais. Me parece que eles resolveram fazer o meio termo entre o arco de histórias — formato que tinha dado bons resultados a partir do 6º ano — e os episódios com tramas fechadas, que era o formato antigo e que já dava sinais de forte desgaste. Só qu essa trama principal ainda não empolgou. Pegaram uma atriz fraca pra um papel importante — só pra comparar, a personagem Connie era uma traidora mil vezes mais interessante e até lamentei quando ela morreu (e não dei a mínima pra ela ter matado o Ben, hehehe). De resto, Hermione Norris tem roubado a cena nestes últimos episódios.

  18. Raruiz

    The Office
    Thiago belo texto. Acho que nunca senti tamanha vergonha alheia do Michael como nesse episódio. Que pra mim foi excelente.
    Ri alto quando o Dwight imitou o Toby no telefone cocando a cabeça… Morri de rir!!

  19. Mica

    @Paty
    Cá entre nós, também acho a Connie mil vezes melhor como traidora. Eu gostava dela e senti muito por ser a traidora da equipe, e mesmo assim não consegui desgostar da personagem. Simplesmente as coisas fazim sentido com ela. E também não me importei por ela ter matado o Ben. Acho que a única pessoa que se importou mesmo foi a Jo, hohoho.
    Mas essa atriz que faz a Sarah é muito sem graça. Não dá para simpatizar com a personagem. Eu tinha gostado relativamente dela em sua primeira aparição, mas de lá para cá foi só caída. A personagem não funciona (e não caiu no gosto popular também, pois só vejo gente reclamando dela).
    Já a Hermione Norris tem sido um show à parte. E fez muito bem à sua personagem a morte do Adam. Pq eu odiava os dois juntos, seja como amantes, seja como companheiros de trabalho. Eu simplesmente não conseguia gostar da Ros enquanto ele estava por lá, mas desde que Adam se foi, a personagem dela cresceu muitíssimo e ficou alguém realmente gostável e especial no Grid.
    O Tariq também está se tornando menos descartável, menos rostinho novinho no meio da equipe. Ainda não é um personagem de peso, importante ou que faria falta, mas acho que se ficar na série por tempo suficiente (ou seja, se a série não for cancelada nem derem cabo dele) ele terá tempo para desenvolver uma personalidade mais profunda e se tornar parte da equipe aos olhos do público (coisa que nunca consegui com o Ben).
    E só para tirar uma dúvida: Não foi estranho enviarem Lucas para fazer a entrega na CIA? Os caras lá não conhecem os principais agentes do MI5 não?

  20. Fabio Peixoto

    Dollhouse:
    .Excelente episódio “duplo”, boa história e reviravoltas interessantes.
    .Se a série continuar nesse ritmo (muy dificil) teremos um final redentor.
    .Enver Gjokaj, PQP, que ator fantástico! Já é a segunda “imitação” perfeita de outro personagem! Onde esse cara estava antes?

    PS: Mica, sempre precisa!
    .
    .
    FNL:
    .Alguém quer roteiro (história)? Tem bastante aqui!
    .Alguém quer atuação? Tem muito aqui também!
    .Melhor drama da atualidade! (e essa “atualidade” faz tempo…). #prontofalei.

    PS: Excelente análise, Paulo Fiaes!

  21. Priscila Karen

    Sons of Anarchy: Essa série está no meu Top 3 deste ano, mas sei lá (não joguem pedras) achei que faltou algo no Season Finale. Não sei dizer o quê. Que raiva que eu fiquei da agente da ATF!!! Eu gostei bastante desta imagem das duas gangues na rua separadas pelas viaturas! E eu queria que a Polly Zobelle tivesse sofrido um pouco mais, eu detestava ela…

    Agora alguém me explica pois eu e meu namorado não conseguimos entender: Por que o ariano, quando teve a visita supervisionada com o filho, foi em um estúdio de tatuagem!??? Que que teve a ver aquilo? Aquilo estragou um pouco pra mim, pq pareceu que ele foi lá só para ficar mais fácil de matarem ele. Se eu estiver errada, por favor me corrijam. Eu achei a 1ª Season Finale PERFEITA, melhor do que essa.

  22. Reinaldo

    Percebi que algumas séries terão em um hiato em sua continuidade na exibição, nos Estados Unidos. Consegui aferir, pelas internet, o retorno de tres delas :

    Flashforward : Março de 2010
    ” V ” : Março de 2010
    Heroes : Janeiro de 2010

  23. Roseana

    @Mica

    Nossa concordo com vc totalmente sobre GLEE, tinha até comentado com minhas amigas que foi o pior número da RACHEL, bote pior nisso!!! E ainda misturou com aquela voz d FINN só pra ser mais irritante ainda!!!

    E o interessante é que esse episódio bateu recorde de audiência nos EUA com mais de 8 milhões de telespectadores, deve ter sido pelo número no colchão que também adorei!!!

    Quanto ao professor Will também não o suporto!! Prefiro a Sue kkkkkkkkk!!!!

  24. Fernando dos Santos

    Agradeço a Patrícia e a Mica pelas informações sobre Spooks.
    E já que são apenas oito episódios, isto quer dizer que a temporada está entrando na reta final.

  25. Daniele

    Meninas obrigada pelas informações sobre Spooks

    Estou baixando e quero assistir tudo de uma vez e estou ajudando as meninas nas legendas também….e espero conseguir assistir logo, tenho certeza que o Richard Armitage está arrasando como sempre:)

  26. Patricia E.

    @Fernando

    Exatamente, pena que a temporada passe tão depressa e até agora nada sobre a série continuar ou não. :|

    @Mica

    “Não foi estranho enviarem Lucas para fazer a entrega na CIA? Os caras lá não conhecem os principais agentes do MI5 não?”

    [comentário fútil] As fãs de Richard Armitage que suspiraram ao vê-lo usando aquela roupa de de couro discordam… [/comentário fútil] :D

    @Daniele

    O RA está muito bem nesta temporada, mas arrumaram esse romance totalmente nada a ver pra ele. Espero que essa Christine 2.0 suma logo do mapa Fico no aguardo das legendas — eu consigo assistir sem, mas tem horas que alguma coisa ou outra acaba escapando. Depois vou rever tudo legendado. :)

  27. Daniele

    Patricia,

    Já colocamos as legendas até o 3º episódio no legendas.tv…agora estamos traduzindo o 4º e o 5º.
    Estou super curiosa mas acho q serão só 8 episódios logo acaba.

  28. Fernando dos Santos

    Patrícia,
    eu estou achando que o veredito sobre o destino de Spooks só será anunciado pela emissora após o término da temporada.Ainda vamos sofrer mais um pouco.

  29. SILVINHA

    Porque a Fox fica repetindo Bones indefinidamente e não trás logo essa temporada recente ?
    E quando a Sony vai se mancar de passar a nova temporada de Private Practice ?

  30. Fernando dos Santos

    A Fox costuma estreiar a temporada nova de Bones sempre por volta de março.A vantagem é que a temporada inédita passa direto sem as interrupções provocadas pelos hiatos.

  31. Lucas Vieira

    Q episodio sensacional, assim como o resto da temporada de the office, q nao podia ser melhor até agora.EM 6 ANOS DE THE OFFICE, ESSA Foi A MAIOR VERGONHA ALHEIA da serie, q é especialista no assunto, como o Tiago disse, eu demorei tbm um tempao para ver o q michael ia fazer, dando pause toda hora, esperando a maior vergonha alheia de The Office e de todas as series. E jIM tem q tomar cuidado com Dwight q quer derruba-lo de qualquer jeito e agora com a ajuda de Ryan.
    MELHORES CENAS DO EPISODIO:
    Pam dobrou sua venda de 2 para 4

    Dwight genio, imitando KEVIN, TOBY e STANLEY, foi d , o cara merece um Emmy ou um Golden Globe, e no final ele pegando a caneta e descobrindo q o plano falhou e Jim ia almocar com David.

    O discurso do menino dizendo q queria se o proximo Obama e a musica é claro “Hey Mr. Scott, whatcha gonna do? Whatcha gonna do, make our dreams come true”, q nao sai da minha cabeça muito boa.

    E diversas outras cenas, por isso eu nao perco the office e acho ela a melhor serie de todas, é genial

  32. Roseana

    UGLY BETTY

    Acabei de assistir o episódio!!! Ameiiiiiii!!
    E vc tem toda razão a America Ferrera está carregando os epipodios nas costas, mas tenho que dar o braço a torcer por esse último exibido!!

    Adoro a Amanda, ela é muito engraçada vestida de biquini pro Matt ver, disputando com a Betty (minha parte preferida) pelo coração do mesmo homem!

    A Wilhemina feliz da vida com o amante dela ( e que amanteeeee)

    E o Mark decidindo mudar a vida dele!!!

    Tudo foi muito bem explorado, todos os personagens e a grande surpresa foi sem dúvida o que a Hilda fez ao trair o namorado dela!! Vai largar um relacionamento sério, porém infeliz?

    Pois é, na verdade, na minha opinião foi o melhor episódio exibido até agora nessa temporada!!!!

  33. David

    Assistindo o episodio de Friday Night Light eu vi uma das melhores atuaçoes de um ator de televisao na minha vida. O nome dele eh Zach Gilford(Matt). Com certeza, um dos episodios que eu mais me emocionei em toda a minha vida. É uma série que me deixa sem palavras pra comentar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account