Log In

Opinião

Introduzindo It’s Always Sunny in Philadelphia

Pin it

Its Always Sunny in Philadelphia

It’s Always Sunny in Philadelphia é meu novo vício. Acho que tirando a minha colega Fer Funchal, tenho certeza que quase ninguém assiste. É extremamente difícil encontrar fãs da série. E nem tem a quem culpar. Suas duas primeiras temporadas foram exibidas ano passado no FX, com pouca divulgação.

Entretanto, a história de como o seriado nasceu não é nada convencional.

Cansado de não conseguir trabalho em Hollywood, o ator Rob McElhenney (que na época trabalhava em um restaurante) escreveu o roteiro de um short film (e depois transformou num seriado, claro) na intenção de gravar apenas para diversão e mostrou para os amigos Charlie Day e Glenn Howerton, também atores. Eles adoraram idéia do programa, mas o roteiro passou alterações. Em entrevista ao TV Guide, Howerton comentou:

O roteiro que o Rob nos mostrou era uma porcaria. Eu e o Charlie reescrevemos e o tornamos engraçado. Era apenas um pedaço de papel com palavras.

Feitas as devidas correções, o próximo passo eram as gravações. O orçamento do episódio era apenas de alguns dólares, o preço das fitas digitais que eles compraram na CBS. Segundo Rob McElhenney:

Quando não estávamos em cena, estávamos segurando a câmera. Tivemos muitos amigos envolvidos no projeto.

O trio além de serem os criadores, são produtores executivos, roteiristas e ainda atuam no seriado. Charlie Day explica:

Por esse motivo que nosso seriado é diferente. Nós fazemos parte de todo o processo. Nós escrevemos, atuamos e cuidados de todos os detalhes do show. Não é como nas outras comédias. Temos controle de absolutamente tudo.

Já Glenn Howerton concordou com o amigo e foi além:

Por isso que uma das maravilhas que o canal FX oferece é a total liberdade para fazermos exatamente o que queremos. Eles confiam na visão dos criadores de seus programas.

Concluída as gravações e edições, era hora de vender o material. Eles apresentaram o episódio para seu agente (que é o mesmo dos três), que não viu dificuldades em vendê-lo. Marcou algumas reuniões, até que o canal FX comprou os direitos de exibição. O sonho de três garotos, de colocarem seu próprio seriado no ar, tinha se concretizado.

O show, no entanto, não possui um tema especifico. Acreditem, é absolutamente sobre nada. Vemos o dia-a-dia de um grupo de amigos que comandam um bar na Filadélfia e, como ponta-pé inicial, um tema diferente é abordado. Cheias de situações doentes e engraçadas. E geniais.

Como por exemplo no episódio que o Charlie (Charlie Day) revela que tem câncer e os amigos tentam fazer que uma garota transe com o rapaz antes que ele morra. Era mentira dele, claro, mas a forma que eles brincam com o assunto é sensacional. Tem também o episódio onde aparece uma imagem borrada na parede do bar bem semelhante à de Nossa Senhora da Aparecida e a gangue começa a tirar proveito da situação. E, para finalizar, o mais engraçado: o episódio onde eles acham que o Mac (Rob McElhenney) é um serial killer. Todo o desenvolvimento do tema, com direito ao Charlie imitando um advogado de Lei & Ordem para defender o amigo, é admirável.

À primeira vista ela pode se mostrar apenas uma comédia nonsense, esquecível. O primeiro ano é introdutório para conhecermos as reais personalidades perturbadas destes jovens. A partir do segundo ela destila todo seu charme na intenção de te conquistar de vez. Mas é na terceira temporada que ela deixa de ser um show, aparentemente, de segunda mão e se transforma da melhor comédia da temporada.

Por ter a liberdade de um canal a cabo, o seriado extrapola com um humor politicamente incorreto que, convenhamos, não é nada ruim. É exatamente esse o sucesso do show, brincar de forma genial com assuntos controversos da nossa atualidade, como racismo, aborto, bebês abandonados na lixeira, abuso sexual de menores… A autenticidade que esses garotos transmitem nos seus roteiros é incrível. Não há nada igual a essa comédia na televisão hoje.

Seu primeiro ano teve sete episódios, o segundo dez e o terceiro ano, que terminou na ultima quinta-feira, quinze episódios. Nos EUA, o show faz um sucesso moderado. É aquele caso, a crítica especializada ama, mas ninguém assiste. Tem em média 1,40 milhões de telespectadores por episódio.

É brilhante, é moderna, é hilária e tem o Danny DeVitto (a partir da segunda temporada), que nasceu para interpretar seu papel na série. It’s Always Sunny in Philadelphia é uma obra-prima escondida ao meio de tanta série descartável atualmente.

Texto publicado originalmente no weblog Série Maníacos

Séries citadas:

18 Comments

  1. Lourdes

    realmente nunca assisti, mas adoro comédias com humor politicamente incorreto. Qual o dia e horário que passa??

  2. Rodrigo Eduardo

    Eu até fiquei com vontade de ver, mas eu não tenho FX, terei ano que vem, quando eu assinar o pacote ultra plus supimpa da NET.

  3. Danilo

    Original. Irreverente. E bem melhor que Seinfeld (PS: não estou brincando!). Finalmente alguém lembrou desta série.

  4. Thiago FLS

    Eu também queria ver essa série. Espero que ela volte à programação do FX depois que terminarem de exibir The Loop.

  5. andre

    esta série é excelente
    realmente quase ninguém conhece
    mas é muito engraçada, bem no estilo seinfeld
    até no orkut a comunidade é bem pequena

  6. pedro

    pode me incluir na lista de fãs dessa série, já baixei as duas primeiras temporadas na internet. o fx vai passar a terceira aqui no brasil?

  7. Eric Fernandes

    Lourdes, o FX tirou a série da sua grade. E nem sei se voltará a exibi-lá.

    Pedro, ainda não se sabe quando, e se, o FX estreará a 3ª temporada por aqui. Deve ser só lá para 2008, do jeito que o grupo FOX são rápidos…

    Gente, vejam essa série. Apelem para os métodos alternativos, mas assistam.

  8. Rafaelly

    Nunca ouvi falar~mesmo não…Mas nunca fui muito fã de Seinfield, então…De qualquer maneira, quando voltar a passar fala pra gente,Eric!

  9. Marcelo

    É muito perigoso começar um texto dizendo que quase ninguém no Brasil assiste a uma série. Temos que tomar muito cuidado para que não pareça que nós queremos mostrar que somos de vanguarda e decobrimos uma obra-prima antes de todo o mundo. Isso é freqüente em textos sobre cultura, mas é algo que pode ser evitado.

    Também queria comentar que você precisa tomar cuidado quando diz: “O show, no entanto, não possui um tema especifico”. Por que “no entanto”? Não existe oposição com a frase anterior. Outra: quando você diz “Acreditem, é absolutamente sobre nada”, parece que é uma uma coisa inacreditável! Mas “não ser sobre nada” é uma das coisas mais comuns no mundo das sitcoms.

    De qualquer jeito, gosto muito do seriado e achei interessantes os seus comentários. Continue!

  10. Fer Funchal

    Eric, meu amorrrrrrrrrr!!! Estou aqui de ferias na Argentina, aih resolvo dar uma olhadinha na internet um pouco maior do que a rotina “ver emails, avisar a mae que estou viva, conferir o quanto me resta de saldo na conta” e vejo essa maravilha de texto, e ainda por cima com o meu nome nele! Show! Vamos aumentar o numero de adeptos dessa nossa nova religiao, heheheh.

    (pior que tinham uns mendigos aqui perto do hotel outro dia e eu OBVIO lembrei do ultimo episodio que eu vi antes de viajar…)

    beijocas!

  11. Ricardo Almeida

    Oi Eric, tudo bem ? Eu sou fã de It’s Always Sunny in Philadelphia. Realmente não conheço pessoas que são fãs da série. Valeu por lembrar dela, que é o máximo ! Diferente, hironica, despretenciosa e acaba sendo engraçada mostrando os problemas da vida. Não sabia a história de como foi criada. Achei interessante.

    Abraços,

    Ricardo.

  12. Daniel

    Essa serie e muito boa mas Seinfeld ainda lidera com folga como a melhor serie genero comedia!

  13. Eric Fernandes

    Ferrr, que vidão, heim? auhahuauh

    Nossa nova religião vai crescer considerávelmente, pode esperar. Já estou fazendo campanha dela na Sociedade!!! :P

    E esse episódio dos mendigos é sensacional. O que foi aquela abertura? huahuahuhuauhauha

  14. Lucas Krempel

    Excelente. Muito boa essa série. Eu espero que um dia seja lançada em DVD aqui.

  15. Joao Vitor Almeida

    O que mais me irrita são as pessoas que nunca assistiram It’s always sunny in Philadelphia virem falar que Two and a half men, com Ashton Kutcher é a melhor série de comédia! Claro que são estilos diferentes de comédia, mas atualmente eu listo poucas boas séries de comédia, e 
    It’s always sunny in Philadelphia é uma delas. Aguardando a oitava temporada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account