Log In

Reviews

Haven – Who, What, Where, Wendigo?

Pin it

Série: Haven
Episódio: Who, What, Where, Wendigo?
Temporada:
Número do Episódio: 2 x 10
Datas de Exibição nos EUA: 16/09/2011

E mais uma vez aqui estou eu, com o coração dividido, tentando escrever a ‘review’ de Haven. Tenho gostado dos episódios exibidos nas últimas semanas. De alguns, até gostei bastante. Mas não dá para ignorar o fato de que Haven não atende ao propósito de desvendar os enigmas criados pelos próprios roteiristas – baseados minimamente na obra de Stephen King. E uma hora toda essa enrolação, ou melhor, toda essa ausência de um ‘plot’ definido, cansa. E eu cansei.

O que amei: o retorno dos irmãos Teagues. Vocês sabem que sou fã dos velhinhos simpáticos. E acho que tudo fica mais bem explicado quando eles estão presentes, inclusive velhas histórias indígenas de espíritos comedores de gente. Mesmo quando o papel deles é quase que figurativo, acho importante a presença deles.

Who, What, Where, Wendigo? foi um bom episódio? Sim. Mas teve apenas uma frase relacionada ao “caso Duke”. Quanto à história de Lucy, apenas mais do mesmo: aquela velha indagação de Audrey “quem sou, de onde venho e para onde vou”.

Nessa semana Audrey e Nathan resolver seguir, sozinhos, atrás de um “serial killer”. Como Audrey afirmou, depois do caso na delegacia, eles podem confiar apenas em algumas poucas pessoas. A expedição deles incluiu apenas o pai do garoto perseguido pelo assassino, Dwight (que estava expondo sua vida em razão do sofrimento causado pela morte da filha) e os Teagues. Duke foi chamado, mas, traindo seus amigos, apareceu na floresta com o reverendo do mal e seus capangas.

Achei interessantes as cenas na floresta. Talvez por que cenas desse tipo sempre surtem em mim um efeito de “suspense”. Fiquei com a impressão constante que o tal Wendigo surgiria a qualquer momento para devorar algum dos “expedicionários”.

Quando a noite caiu, as coisas ficaram ainda mais tensas. Duke, em uma conversa mais dura com Audrey, garantiu que nunca passaria de verdade para o lado de Driscoll, e afirmou que estava apenas tentando descobrir que mistério o envolvia, e o porquê dele ser tão importante para os planos do reverendo. Até levei fé no papo dele, mas no final do episódio tive a certeza de que a lealdade dele não está bem definida.

A expedição noturna apenas reafirmou o que já sabíamos: Driscoll quer exterminar os problemáticos. E Audrey temeu que ele tivesse começado por Nathan. Mas Wuornos estava a salvo, e havia encontrado duas garotas Wendigo. Elas estavam se alimentando apenas de animais, então não eram as causadoras das mortes e dos ataques. O problema era a irmã do meio, que estava descontrolada, e contava com a ajuda do namorado – o garoto ‘perseguido” pelo ‘serial killer’ – para atrair as vítimas para a floresta.

Dwight, preso em uma armadilha para ursos, sugeriu que a Wendigo caçula o matasse para saciar sua fome. Mas a menina depositou toda sua fé no “viking” loiro e apenas adormeceu. Dwight conseguiu se livrar da armadilha e salvar as garota. Momento piegas que não pode faltar em Haven.

E, após revelar para Duke que sua missão é proteger a cidade – missão na qual seu pai havia falhado -, Driscoll foi capturado pelo garoto apaixonado. A problemática Wendigo não conseguiu matar o reverendo e o libertou. Então ele partiu para cima da menina. Para proteger a garota, Audrey atira no reverendo. Não na perna, como manda o protocolo. Nem no ombro, como desejava Nathan. No meio do peito. Para matar.

Foi o fim do líder do grupo de perseguidores dos problemáticos (a não ser que Haven incorpore elementos de The Walking Dead). Mas eu acho que, pela mágoa e raiva de Duke contra Audrey, ele é um ótimo candidato a assumir o posto.

No final das contas, Audrey e Nathan acabaram mais sozinhos do que começaram. O que é péssimo, já que o pior ainda está por vir.

Para finalizar, resta comentar que a audiência ultrapassou dois milhões de espectadores, a melhor da temporada – e uma das melhores de todo o período de exibição do seriado. Portanto, ainda há esperança de renovação para Haven. Agora, quanto a esperança de vermos nossas respostas respondidas …. que ela descanse em paz.

P.S.1: e eu ainda consegui ficar pensando em mais uma pergunta: como Lizzie morreu. E como isso afeta Dwight?

P.S.2: as garotas Wendigo encontraram um novo lar. Um abatedouro de bois. Eca.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

1 Comment

  1. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 5 a 11/12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account