Log In

Reviews

Haven – Business as Usual

Pin it


Série: Haven
Episódio: Business as Usual
Temporada:
Número do Episódio: 2×11
Data de Exibição nos EUA: 23/09/2011

Frase da semana: se todos os episódios de Haven fossem como Business as Usual, os roteiristas não receberiam muitas reclamações.

Nesse penúltimo episódio da temporada vimos muita evolução nas duas tramas centrais da série, que envolvem Duke e Audrey. Vimos o desenvolvimento da relação entre Parker e Wuornos. Vimos mais participação do enigmático Dwight. E vimos, por fim, o início do rompimento entre os Teagues. Pra que mais?

Arrumando as coisas de Evi, Duke descobriu que ela comprou a caixa misteriosa de volta. E resolveu procurar ajuda com os Teagues. Vince preferiu não auxiliar Crocker – e mandou Dwight atrás da caixa -, enquanto que Dave resolveu dar pistas sobre a antiguidade. Essas pistas levaram Duke a descobrir que a caixa faz parte de um par. E, com o auxilio do novo amigo Dwight, ele começou a procurar tal caixa. E foram muitas revelações. Muitas mesmo. Duke descobriu que seu pai não era tão indiferente a ele. Descobriu que o barco que ganhou jogando cartas na verdade foi deixado pelo velho Crocker. E, com base nisso, achou a outra caixa misteriosa. Caixa essa cheia de coisas mais misteriosas ainda, como um punhal que deu algum tipo de poder de “super força” pra Duke, quando ele cortou Dwight.

Mas a maior revelação veio de um “bilhete” deixado pelo Sr. Crocker. Agora, sabemos a missão de Duke: matar Audrey, ou quem quer que ela seja. E creio que, a partir desse momento, o grande questionamento é: há algo que possa fazer com que Duke execute essa missão?

Revelações também por parte de Nathan, que resolveu assumir seus sentimentos. Ele, finalmente, falou para Audrey, com todas as letras, que ela é mais do que parceira dele. Já estava mais do que na hora.

Audrey finalmente encontrou Lucy, graças aos esforços de Nathan. A loira ficou tão agradecida e sensibilizada com o gesto do parceiro que resolveu retribuir com a confissão de que ele também é mais do que um parceiro, e com um beijo. Foi rápido, mas cheio de significado. Lucy revelou para Audrey que ambas compartilhavam memórias, e que alguém estava atrás de Audrey, buscando apagá-la. E apagá-la significaria não matá-la, mas “resetar” sua memória. Descobrimos também que a Audrey, nos tempos de Lucy, achou a forma de ‘salvar” a cidade de Haven. E, por fim, ficamos sabendo que o pai de Duke estava atrás da agente, e não para simplesmente “apagá-la”.

O caso da semana também foi bastante interessante, e ressaltou a iminente guerra entre os habitantes ‘sadios’ e os problemáticos. Finalmente, ficou claro que a os habitantes não encaram os problemas de forma tão desinteressada ou pacífica assim. Afinal de contas, Haven é uma cidade muito esquisita, cheia de acontecimentos sem explicação, e seus habitantes pareciam nem ligar para isso. Na minha opinião, os roteiristas viram a mancada que deram, e resolveram incluir vários personagens dizendo “estamos cansados das esquisitices, resolvemos agir”, como forma de minorar o “erro”. E o caso do criminoso que pretendia exterminar os problemáticos também serviu para fazer com que Nathan escolhesse seu lado na “guerra”. E ele escolheu o lado dos seus.

E então? Não foi revelação e andamento demais pra um só episódio? Vocês sobreviveram ao choque? E, como se não bastasse, os roteiristas ainda lançaram uma pergunta muito intrigante: o que é tão importante a ponto de colocar os irmãos Teagues um contra o outro? Qual o grande mistério que eles escondem?

Confesso que, depois de Business as Usual, fiquei ansiosa pela season finale. E pelo anúncio sobre o futuro da série também. Será que o próximo episódio vai ser o último? Agora, só nos resta aguardar!

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

3 Comments

  1. Jorge P. - DF

    Penúltimo episódio? Mas já? Eu nem comecei a ver a nova temporada ainda, não vi nem o último episódio da anterior.
    Mariela, não vou ler este review para não perder a graça, mas li outros e achei-os excelentes, parabéns.

  2. Mariela Assmann

    Obrigada Jorge!! Assista. Esse episódio fará valer a pena! =)

  3. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 12 a 18/12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account