Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – This Magic Moment

Pin it

Série: Grey’s Anatomy
Episódios: This Magic Moment
Temporada:
Número do Episódio: 8×11
Data de Exibição nos EUA: 12/01/2012

Nos últimos episódios de Grey’s Anatomy, vimos muitas tramas e muitos traumas. Muita dor, e muitas lágrimas. Muitas mortes, e muitas dúvidas. Mas os instantes finais de Suddenly deram a tônica do que viria na sequencia. Cenas mais leves, divertidas e felizes.

This Magic Moment, para mim foi, realmente, sobre momentos mágicos. Aqueles momentos deliciosos, nos quais você se pega, sem mais nem menos, com um sorriso bobo nos lábios.

Me apaixonei pelo episódio nos primeiros segundos de exibição. Culpa de Mer, Der e Zola. E seu vídeo fofo da tentativa de andar. Tomados por uma felicidade transbordante. E depois, os papais corujas analisando se a pequena Zola teria crescido, em apenas algumas horas. Tentando gravar os primeiros passos da bonitinha. E, ao final do episódio, quem não riu, não teve vontade de sair dando pulinhos pela casa, dançando e cantando? Assisti todos os episódios de Grey’s, todos mais de uma vez. E, agora, não lembro de nenhum momento tão profundamente feliz que tenha me dado essa sensação. Derek e Meredith passaram por muita coisa, juntos ou separados. Eles merecem essa felicidade, e torço pra que ela seja se não eterna, pelo menos duradoura. Viva a família Grey-Shepherd.

Adorei também a analogia entre o teatro e a sala de operação, entre médicos e atores. Foi uma bela cena. Que antecedeu a demonstração de um caso bem legal, daqueles típicos de Grey’s.

Muito interessante a trama das gêmeas. Mas, apesar de toda a tensão do procedimento cirúrgico, eu não temi. Não sei o porquê disso, mas estive confiante desde o princípio. Nem mesmo quando o pequeno rim não funcionou, e foi necessário fazer um transplante. Talvez a razão seja a presença dos melhores médicos. Talvez a razão seja, simplesmente, a presença de Karev. Karev, aquele que faz tudo – e mais um pouco – pelas criancinhas. Arizona e Karev são uma dupla praticamente imbatível. E talvez meu coração, ciente do fato, tenha resolvido se poupar dos sobressaltos. Ótima decisão.

Além de mostrar que a equipe de Seattle é muito boa no que faz, e que cirurgias praticamente impossíveis são com eles mesmos, o caso serviu pra mostrar que por baixo daquela pele de cordeiro, existe um lobo muito mau. Sim, estou falando do Chief. Muito feio Weber. E não venha com aquela conversinha mole que ensinou alguma coisa para o Karev. Aquilo não se tratou de aprendizado, se tratou de vaidade e jogo sujo. Achei feio, inaceitável, e esperava que alguma pessoa se opusesse ao ato de Weber. Queria ter visto alguém dando uma lição em Richard, mas não foi dessa vez.

O caso médico serviu também para mostrar que a fofa Arizona, aquela dos patins, pode ser um monstro. Sua preocupação com a saúde das gêmeas fez dela uma chata. Do pior tipo: o que acaba com a confiança alheia. Achei legal todo mundo se encolhendo enquanto ela ditava as ordens. Até que Callie, conhecendo bem a mulher que tem, conseguiu colocar um freio na loirinha. Mas o mais engraçado, mesmo, foi ver Robbins provando do seu próprio veneno e ouvindo recomendações sobre Sofia. Muito divertido.

Outros momentos leves e divertidos foram protagonizados por Ben e Bailey. Desde a quinta temporada, muitas foram as reclamações pela negligencia de Shonda para com a Dra. Bailey. Bom, aparentemente, Miranda está de volta aos holofotes. Ainda que não seja como a Nazi que conhecíamos e amávamos. Agora, ela fica toda boba perto de Ben, pisa nas compressas e se enrola dando lição de moral. Mas ela está de volta, e torço pra que esse retorno não se restrinja à trama romântica. Quero ver Miranda Nazi dando show nas salas de operação do Seattle Grace.

Também foi divertido – embora de uma forma um pouco triste – Lexie achando que Mark estava falando com ela. Que dó da little Grey. Ela ficou tão feliz com a “declaração” de Sloan para, na sequencia, passar a maior vergonha ao perceber que ele estava no telefone. E por falar em Mark, acho que precisarei me retratar. Achei que Sexie tinha morrido. Mas acho que declarei o óbito cedo demais. Por que não vejo outro motivo pra cena da sala de operação – sim, todos amamos sua nova namorada – do que tentar fazer ciúmes em Lexie, o que foi percebido por Avery. Mais dó ainda de Lexie. Então, não apostarei mais nada. Aguardarei as cenas dos próximos episódios.

E, se até aí tudo foi flores, risos e comemoração (ou praticamente isso), encontramos Yang e Teddy no outro extremo. Confesso que, ate pelo menos a metade do episódio, tive raiva do que Altman estava fazendo. Achei cruel com Cristina, e adorei quando Kepner gritou com a atendente e pediu para que ela parasse. Mas ela não parou. E na – perfeita – cena final entre Yang e Teddy, eu entendi. Aquilo não era uma punição. Aquilo era uma tentativa de compreensão. Era uma tentativa de não culpar. De assimilar o fato, e superá-lo. Teddy refez a cirurgia de Henry exaustivamente, através das palavras de Cristina. E percebeu que o marido apenas morreu. Não por descaso, não por um erro. Ele se foi, por que assim De..Shonda quis. Altman assimilou a triste realidade. E creio que esse processo de duas semanas de inquisição será o responsável por Teddy manter a sanidade, embora eu ainda ache – e espero por isso – que ela terá alguns enfrentamentos no futuro, especialmente com Owen.

Enfim, mais um episódio irretocável no paraíso que é a 8ª temporada de Grey’s. E já estou pronta para a próxima quinta. Quem vem comigo?

P.S.: ninguém falou sobre como ficou a relação de Teddy com Owen, Miranda e Richard. Ninguém mais falou no estudo clínico. Vai ficar por isso mesmo? Ou veremos alguém dizendo, pelo menos, que ele foi encerrado?

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

8 Comments

  1. Karen Ann

    OPA! Fui a 1a! Adorei a review e concordo em “quase” tudo! Explico o quase: Slexie não morreu pra mim, e eu sabia que o q Altman estava fazendo não era punição. A cena das duas foi espetacular! Só não superou a cena final da familia Grey-Sheperd – awww Zola é uma fofa! Tow apaixonada kkkk

    E qdo a gente pensa que Greys não tem nada mais para mostrar, eles trazem momentos mágicos! Longa vida a Greys, well done Shonda!

    Parabéns, Mari! E sim, tow louca pela quinta :)   

  2. Tatiana

    Então…..passei gde parte do episodio com raiva da Teddy; Poxa parecia aquelas torturas de serial Killer de Criminal Minds……mas no fim entendi, espero que agora ela possa aceitar e seguir em frente; Cristina se mostrou bem adulta, se fosse a cristina imatura de temporadas passadas não teria ficado o tempo todo numa sala “recitando poesia” e na sala ao lado ocorrendo uma cirurgia rara;

    Karev – meu deus como é burro……cresce e vira médico Please….queria sair da cadeita e que eu estava sentanda e falara para ele não cair na historia do “chefe”…..mas enfim quero ver o que rola dai para frente, espero que Karev de o troco…..

    Momento cuti cuti……Zola andando e os pais “distraidos”; Aquilo foi tão natural que adorei, tenho certeza que muitos pais já perderam momentos importantes pois não conseguiam ligar/achar a camera. Espero que essa felicidade dure….chega de drama para esse lado.

    Mini Grey….fiquei com dó dela…..espero que ela se ache…..pois essa temporada ela ainda não disse pra que veio – e eu adoro ela :)

    Otimo texto Mariela…..

  3. Bruna

    Eu fiquei com muita dó da Lexie, ela toda feliz achando que o Mark tava se declarando pra ela… até eu fiquei decepcionada.

    Adorei a cena final MerDer, foi bonitinho ver a Zola andando e o Derek se atrapalhando pra ligar a câmera.

    Acho que sou a única, mas não vi nada demais na Teddy fazendo a Cristina repetir várias vezes como ela operou o Henry. Foi um baque muito grande pra ela.

    Como mega fã do Alex, to cansando de ver ele só se ferrando… Ele tem tanto potencial, mas sempre se dá mal. Isso não é justo.

  4. Anderson Narciso

    Gostei muito do episodio! Teddy mandou bem… estava lidando com o luto da maneira dela, e parece que a “aceitaçao” veio ao final do episodio. Lexie sem graça como sempre, e com tramas irrelevantes pra mim. Zola, Mer e Der estão bem bacanas. E o caso das gemeas foi mto bom. Otimo episodio de uma otima temporada!

  5. Bruno

    Também achei desleal a atitude do chefe. E Karev, o ban-ban-ban, cair DUAS VEZES? Putz… não colou essa :(

  6. Mariela Assmann

    Por mais marrento que o Alex seja, o coração mole dele o torna alvo fácil pra essas jogadinhas. Afinal de contas, ele se deixou passar pra trás pela Lucy, a namoradinha dele da 7ª temporada, na questão da África. Sei lá, acho que é da natureza dele tentar ver o bom coração de umas pessoas, e ele tá cada vez mais mole, na minha opinião. =)

  7. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 27/2 a 4/3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account