Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – These Arms of Mine

Pin it

Grey's Anatomy - These Arms of Mine
Série: Grey’s Anatomy
Episódio: These Arms of Mine
Temporada:
Número do Episódio: 7×06
Data de Exibição nos EUA: 28/10/2010
Data de Exibição no Brasil: 8/11/2010
Emissora no Brasil: Sony

Na maior parte das vezes, se não em todas elas, é mais fácil dizermos nossos segredos, nossos medos, nossas inseguranças, para estranhos completos. Quase sempre é porque eles simplesmente não participam de nossa vida no depois, no dia seguinte, não vai nos olhar com cara de “eu sei o que você fez no verão passado”, não vai deixar escapar para outro amigo comum.

Por outro lado, sempre existe a possibilidade de não querermos contar o que sentimos para absolutamente ninguém, nem mesmo para um estranho.

Enquanto eu adoro ver Cristina encontrando pouco a pouco uma forma de sair do abismo – alguns acham chato, eu sei – eu fico imaginando o que não fica aparente no dia a dia, o que não foi contado, como alguns conseguem aparentar estar tão bem. Fico imaginando como alguns conseguiram seguir em frente sem olhar para trás.

These Arms Of Mine coloca estranhos conversando com alguns dos personagens principais de nossas histórias e estes revelam o que passou despercebido: um Alex mais focado, sem tempo a perder; um Derek que às vezes se acha sobrehumano, um Titã; Bailey que precisava que sua paciente ficasse bem para encerrar aquela história; Callie que se sente ainda mais dependente de quem ama.

Grey's Anatomy - These Arms of Mine
O episódio coloca câmeras nos corredores do Seattle Grace e transforma Grey’s Anatomy em um quase reality show e, por mais que uma cirurgia de transplante de braços seja fascinante, tira o foco das cirurgias (ao escrever nisso eu fiquei pensando quando isso foi realmente foco da série…) e consegue tornar tudo ainda mais intimista. Curioso não é?

E, no meio de tudo isso, Alex e Cristina de novo são as estrelas da história: o primeiro com seu jeitão durão de se tornar um excelente cirurgião pediátrico, a segunda por colocar as cartas na mesa. Ser herói tem seu preço e alguns por aqui ainda não começaram a pagar.

* * *

Texto gentilmente cedido pelo weblog Só Seriados de TV.

Séries citadas:

6 Comments

  1. José Eduardo Brum

    Eu fiquei incomodado com a forma do episodio, mas as revelações foram boas. Muita coisa apareceu ali. A historia do atirador parece q vai permanecer bem.
    Engraçado como a vida é peculiar: pra uns foi um trampolim (Alex), pra outros, uma fossa (‘ser heroi tem seu preço’ é fortissimo).
    Eu sou um dos que estão achando a historia da Cristina chata. Mas por um motivo: ela tem de ser util no hospital. Acho válido os sentimentos dela, é válido o sofrimento. Mas se ela nao aguenta, nao consegue, se afasta. Sai. Entra de ferias. É isso q me tira do sério e faz a historia perder prumo. Izzie sai do hospital qd Denny morre, fica no banheiro. E nao zanzando no hospital sem ajudar. Isso é irreal pra mim. É tão estranho uma viciada por cirurgia como a Cristina perder o desejo… O choque deve ter sido mto grande.

  2. Netopaes

    Embora fosse óbvio que iria acontecer, odiei que a paciente da Bailey morreu, deu vontade de pegar ela no colo quando ela dizia para as câmeras que infelizmente alguns pacientes não conseguem acordar depois da cirurgia…

  3. smiletic

    Oi José Eduardo: pensando pelo lado prático da coisa é justamente onde eu vejo mais o efeito de tudo na Cristina. Ela sempre foi o oposto de inútil, ela sempre resolveu tudo sozinha – um episodio a frente a Bailey fala que pelo menos da cristina ela nunca precisou cuidar, não é?

    No episódio de ontem ela joga isso em cima da Meredith e eu nunca tinha pensado nisso: nem ali ela pôde fraquejar, porque era a melhor amiga dela pedindo, insistindo. Fico chateada por achar Cristina a médica perfeita, mas se a volta dela for bem feita, putz, que história que vai ser.

  4. smiletic

    Eu fiquei besta pela simplicidade da coisa:ela não acordou. Não teve complicação, simplesmente acontece. Dá um medo né? E eu sempre tenho vontade de cuidar da Bailey.

  5. José Eduardo Brum

    Ah, fiquei tão feliz com a sua resposta. Obrigado de coração.
    A historia da Cristina é pertinente. O bom é que as consequencias e as verdades vao surgindo aos poucos, nao abruptamente ou são trabalhadas num momento e depois esquecidas.
    Entendi o seu ponto de vista e aceito. Tambem acho q a volta vai ser de arrepiar. Eu só me questiono o que leva uma pessoa perder o tesao por aquilo que mais lhe tirava dos sérios. E me incomoda vê-la tão inutil. E realmente ela foi tudo menos inutil.
    E a Meredith: mais problemas pra serem analisados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account