Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – Second Opinion

Pin it
Série: Grey’s Anatomy
Episódio: Second Opinion
Número do Episódio: 9x06
Exibição nos EUA: 15/11/2012
95
4.7
5

Outro bom episódio pra conta de Grey’s Anatomy. Se na semana anterior vimos uma trama mais centrada em Cristina e Meredith, em Second Opinion os outros personagens voltaram com força total, inclusive os novos residentes.

Yang está de volta ao Seattle Grace. YAY. Mas nem tudo são flores. Para começar, ela precisa se submeter ao novo chefe de Cardiologia, o atarefado Jeff Russell. Mas quem pensa que os problemas de Cristina estão na relação com seu superior imediato está muito enganado. Isso porque o maior problema de Yang é com o (ex)marido, Owen, que está tratando-a de forma muito profissional e distante. Eu compreendo Owen, Yang é bem instável, e assim como decidiu ir embora, decidiu voltar. Mas creio que todo esse distanciamento tende a diminuir, especialmente depois de ter certeza que a ótima opinião de Russell acerca de Yang era baseada nas opiniões que Owen tem dela.

Gostei de ver, também, que Cristina continua sendo aquela chata que amamos odiar, em se tratando de seu relacionamento com internos. Mas, ainda assim, voltou modificada de sua experiência no Mayo, já que valorizou técnicas mais “básicas” para fazer o procedimento médico de urgência, e acabou conquistando a admiração de Shane e Heather. Sem contar que ter Yang de volta e tirando sarro com a cara de todo mundo, especialmente com a de April, é muiiiiiiito bacana. Eu estava com saudade.

Outra que “voltou” ao Seattle Grace foi Arizona. Gostei bastante do desenvolvimento da história da loira nesse episódio. E curti muito que foi Bailey que ajudou nesse impulso inicial. Se Miranda está sem função nas salas de operação, pelo menos foi melhor utilizada, nesse episódio. E ver Arizona praticamente feliz, empolgada, é bem legal. Mesmo. Acho que agora as coisas passarão a fluir melhor, embora eu não espere que ela volte a ser a pediatra feliz e radiante da noite pro dia.

Além de ter ficado feliz por Arizona, eu fiquei feliz por Torres. Inegavelmente, ela é uma das que mais sofre com a queda do avião, mesmo sem ter estado presente. Perdeu Mark, tem que lidar com Arizona, e se considera a responsável por Derek nunca mais poder operar. É muita coisa para ela lidar, e ver seu sofrimento me faz ter vontade de pegá-la no colo e niná-la. Muito dozinho. Mas achei legal que Derek disse que o erro foi dele, e que ele sempre achou que ela seria a pessoa mais indicada a realizar a cirurgia, e com isso acabou despertando em Callie o ânimo de seguir tentando uma solução para que Derek volte a operar.

Fiquei otimista com a possibilidade de Shepherd voltar às salas de operação. Ele está sem função na série, e penso que ou realocam ele – o que até agora não aconteceu – o desenvolvem essa história de sua recuperação, mesmo. E aparentemente veremos essa segunda opção se desenrolando nos próximos episódios. A jornada promete ser longa, mas nem por isso menos agradável de se ver.

E se todos estão buscando um encaminhamento para suas vidas, o mesmo pode ser dito de Alex. Ele não quer mais ser a “pessoa vazia e ruim” apontada por Arizona. E nem aquele pegador de internas fútil e leviano – e Leah está surtando por isso. Ele quer um lar. E por isso a vontade de comprar a casa de Meredith. Gostei muito da cena entre Karev e Mer, quando ela fala das “falhas” da casa e cita a árvore de natal montada por Izzie, ela e George, e a festa de Shake Your Groove Thing. Ambos acontecimentos da primeira temporada. Me faz feliz ver que a linha de “relembrar” antigos acontecimentos e personagens tão marcantes na oitava temporada continua presente. E tenho certeza que vários fãs da série concordam comigo.

E ligada à história de Karev está Jo. Todo mundo está percebendo a aproximação da chorona à Karev. Eu aposto nela para ser a “pessoa” de Alex, já que eles tem um relacionamento bem parecido com o que Alex teve com Izzie, Lexie e até mesmo com a obstetra loirosa que esqueci o nome: baseado em implicâncias mútuas, mas em aceitação. E gostei da postura da moça nesse episódio, mais forte, combativa. Aparentemente, a proximidade com Alex faz bem à ela.

Outra história que está se encaminhando é a referente ao processo judicial que os sobreviventes e parentes dos mortos na queda do avião moverão contra a companhia aérea e quem mais que precisar ser demandado. Prevejo alguns conflitos vindo por aí, batalhas judiciais são exaustivas e dolorosas, ainda mais em casos como esses, e divergências de opinião surgirão – como observamos nesse episódio, entre Callie e Derek. E o fato dos advogados pensarem em investigar a conduta do Seattle Grace e, consequentemente, de Owen, deve tornar as coisas ainda mais tensas.

Finalizando, o episódio ainda trouxe à tona os sentimentos de Avery. Primeiro, em relação ao relacionamento de Mama Avery com o Chief. E descobrimos que ele está curtindo ver a mãe feliz, por mais que isso signifique receber e-mails quentes do Chief. E em segundo lugar, em relação à April, que continua a chata de sempre. Comparar Jackson com um acidente ou uma sobremesa que causa repulsa, seriously Kepner? Tomara que agora que a ruiva sabe dos sentimentos do colega ela mude de postura, porque cansou ver a garota reclamando e louvando a Jesus enquanto se veste, depois de mais uma “última vez” com Jackson. Nós não merecemos isso, e nem ele.

Nessa semana não tem episódio inédito, já que será comemorado o feriado de Ação de Graças, nos Estados Unidos. Então, o próximo episódio que será exibido vai ser I Was Made for Lovin’ You, no dia 29/11/2012. Até lá.

P.S: Andy, o advogado do pessoal do Seattle Grace, foi interpretado por Andrew Leeds, que dá vida ao vilão tecnológico Pelant, de Bones. Não sei se é porque foi a primeira aparição dele, o porque Pelant é muito recente, mas não consegui desvincular a imagem do ator ao personagem do mal. Tem que ver isso aí.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

1 Comment

  1. Tatiana Da Silva Siqueira

    Mari finalmente os bons tempos estão de volto a Seatle……fiquei muito feliz por ver a Torres finalmente sorrir……tadinha ela está sofrendo tanto e toda a carga negativa do mundo está em cima dela, gostei que a Bailey ajudou do modo dela a Arizona; Vamos ver se finalmente ela(Arizona) volta a GA.

    Gosto demais do Alex e me dá dó dele qdo vejo ele perdido na serie. Quem sabe agora ele “crescendo” ele seja feliz (Shonda deixa ele ser feliz) e com uma pessoa legal.

    A historia da casa foi linda e emocionante,no final ver a Yang e o Alex juntos lá foi fofo; Enfim agora só dia 29 :(

    PS – Não sei como postar as estrelas…..ficou em negativo…..rsrsrsrsr e não foi essa minha intenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account