Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – Readiness is All

Pin it
Série:Grey's Anatomy
Episódio: Readiness is All
Número do Episódio: 9x23
Exibição nos EUA: 9/05/2013
93.727272727273
4.6
11

Vocês já devem estar cansados de me ver elogiando a 9ª temporada de Grey’s Anatomy. Mas é impossível agir de outra forma. Então, antes de comentar o episódio, peço desculpas pelo repeteco.

Dito isso, AMEI Readiness is All. Completa e intensamente. Não teve um plot sequer que me desgostou. Não, nem o da Arizona. E explicarei abaixo o porquê.

Shonda tem fugido da previsibilidade, e isso me agrada imensamente. Por exemplo, há semanas dávamos como certa a adoção de Ethan por Owen. Mas Yang, contra tudo e contra todos, e como se brigando pela sobrevivência do seu casamento, consegue fazer Paul acordar. Surpresa completa, eu já nem imaginava mais essa possibilidade. Isso tudo depois de termos certeza de que a adoção é um caminho irreversível para Owen, como ficou bem claro no honesto e ótimo papo dele com Meredith.

Interessante também notar que Yang reagiu bem quando Mer contou para ela sobre a decisão do Owen. Cristina parece mais madura, o que me faz pensar que talvez Crowen não acabe com uma possível adoção. Ela não seria, provavelmente, a mãe da criança – sob pena de incoerência – mas acho que não se importaria em ser a tia legal do filho do seu “marido”. Sobre o plot Paul-Ethan, minha última consideração: conhecendo Shonda, é capaz que a complicação enfrentada por Derek e Heather durante a cirurgia retorne e mate o homem. Sim, é a cara da Rainha do Drama um desfecho desses. Não me surpreenderia, embora torça pra que isso não aconteça.

Outro plot absolutamente delicioso é o da gravidez de Meredith. É completamente aceitável que Mer resolva trabalhar até o último momento da gravidez. Faz parte da personalidade dela se expor a riscos – com ela bem lembrou, citando o episódio bomba da saudosa segunda temporada. E mesmo que ela esteja toda corajosa e destemida, noto que pequenas ações dela indicam que Mer está tentando se adaptar ao que se espera dela e sofrer menos riscos. E o fato dela ter caído da escada e observando que se estivesse na sala de operação nada teria acontecido foi quase como um lembrete da Shonda – no Grey-Sloan, você nunca está a salvo.

O importante é que o bebê está bem. E que a bolsa estourou. McBaby está a caminho. Sendo filho da “dark and twisty” Meredith Grey, o menino não poderia ter escolhido hora melhor pra nascer: no meio da maior tempestade dos últimos tempos. Então, para ajudar, aqui vai nosso desejo: tenha uma boa hora, Mer. Seguraremos sua mão – e uma vela, se for necessário.

Quanto ao desenrolar da história da Jo, achei bastante crível e convincente. Eu cheguei a acreditar que Alex que havia deixado Chest – me julguem, não sei o nome verdadeiro dele – naquele estado, porque é o que Karev faria, CERTAMENTE. Mas logo ficou evidente que Jo era a culpada pelo estado lastimável do valentão. Aqueles que estavam descontentes com a agressão devem ter mudado de ideia, pois afinal a iniciativa não partiu de Chest, mas sim da Jo. E a explicação pra atitude dela não poderia ser melhor: não permitiria que voltasse a lhe acontecer o que acontecia na época que vivia na vulnerabilidade das ruas (agressões e estupro ficaram subentendidos).

Alex (obrigada, Mer) não desiste de Jo, porque afinal das contas eles são iguais. Ele compreende a atitude dela. E aqui tiro meu chapéu pra Shonda: foi a primeira vez que uma ÁRVORE quebrou o clima. Bem na hora que Alex contaria para Jo seus sentimentos, uma enorme árvore invade a janela. E nem podemos reclamar, porque Karev e a moça saíram ilesos. Creio que eles vão virar um casal, em breve. E isso me alegra muito.

A história do flashmob pra April também me agradou. É a cara do Matthew fazer aquilo. E é a cara da April gostar daquilo. Ficou bem bacaninha e quebrou o clima de tensão do episódio. Confesso que cheguei a ficar irritada com o Owen por manter April fora das salas de cirurgia, mas a “culpa” foi do paramédico (e não pude deixar de pensar que apesar de fofa a ação foi meio “fora do tempo”, já que os exames estão tão próximos e Kepner precisa foco total). E por falar em tensão, é evidente que ainda existente MUITA entre Jackson e a ruiva. O que me leva a minha teoria: tive um déjà vu com essa cena do pedido de casamento. Foi muito feliz pro padrão Shonda, e me lembrei imediatamente do “eu te amo” da Lexie. Então, se alguém for perder a vida – ou quase – nessa season finale, aposto no paramédico. Assim o casal Avery e April continuaria sendo uma possibilidade. Mas é apenas uma teoria.

Também gostei muito da postura de Weber no episódio. Ele é o que melhor conhece Bailey, e sabe que sem um pouquinho de pressão a médica não retornaria facilmente às salas de operação. Então foi benéfico que ele falasse duro com ela e a “forçasse” a voltar a operar. Ross agradece. (A propósito, nem preciso dizer que esse destaquezinho dado à Miranda me delicia, né? Já passava da hora).

Por falar em Ross, tenho uma certa peninha dele, afastado de Derek e da Neuro. Mas Heather é MUITO melhor e mais engraçada que ele. A química dela com Shepherd é ótima, e o senso de humor esquisito dela deixa as coisas muito agradáveis de se ver. Vida longa e próspera a essa dupla.

E agora, chego no ponto mais polêmico do episódio: o envolvimento de Arizona e Lauren. Primeiro, indago: quem não caiu de amores pela especialista em cirurgia craniofacial? Eu me apaixonei (e queria ver ela no Grey-Sloan pra sempre, embora esse amor dela de viajar pelo mundo modificando vidas meio que inviabilize isso). Dá pra perceber que houve um certo esforço dos roteiristas para isso, já que Callie e Jackson também foram afetados pelo magnetismo de Lauren. E aqui chego no ponto que queria chegar: o efeito desse magnetismo em Arizona.

Acompanhamos toda a recuperação de Robbins, que não foi fácil. Especialmente a recuperação do seu relacionamento com Callie. Em várias cenas ficou claro que há uma restrição de Robbins no sentido de envolver Callie e a prótese. Ficou meio evidente que sem a perna Arizona se sentia menos sexy e desejável. Mais do que isso: ficou evidente que Torres, além de ser a esposa, passou a ser a médica, sempre que agia para minorar as dores da loira. Então, ainda que inconscientemente, acho que Arizona acaba associando Callie à perda da perna e à vulnerabilidade que isso trouxe.

Lauren é, assim, uma fuga da realidade. Pela primeira vez depois do acidente, Arizona voltou a se sentir “normal” e desejável. Voltou a se sentir completa. E os vários elos de Lauren com o passado de Arizona só fizeram crescer esse sentimento de completude: foi como se o avião nunca tivesse caído.

Se acho correto o que Arizona fez? Não, longe disso. Mas consigo ver a lógica que muitos não veem. A traição não foi gratuita. Não se trata de amar menos a Callie, se trata da forma como Arizona vê a ela própria.

Não sei qual o futuro dessa história. Gosto muito de Calzona e não queria que elas se separassem. O fato de Callie ter tido um envolvimento com Mark e engravidado (apesar das circunstâncias terem sido bem diferentes) pode auxiliar para que isso não signifique um final definitivo pro casal. Mas não consigo enxergar o que vem por aí, então só me resta esperar, enquanto filosofo.

Nessa quinta-feira, vai ao ar Perfect Storm. Estou torcendo DEMAIS pra que o episódio encerre com chave de ouro (cravejada por diamantes) essa temporada que conquistou meu coração e reacendeu minha paixão por Grey’s Anatomy. Até lá!

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

5 Comments

  1. Ana Botelho

    Ótima review, Mariela! To HIPER ansiosa pra season finale. Acho que esses “sustos” que a gente leva com as coisas que a Shonda escreve é o que faz de GA uma série tão boa!

    Que os fãs radicais de Calzona não me leiam, mas gostei da entrada da Lauren na série e acho que ela podia ficar por um tempinho lá hahaha

  2. Bruno

    Dei um tremendo PULO DA CADEIRA quando Mer CAIU DA ESCADA. Pensei na hora que Sonthanás tinha matado a pobre!!! Mas como ainda tem um ep, quem sabe?

    Pedido de casamento com Flashmob foi tão tão “amizade colorida” (o filme) que ficou muito, mas muito sem graça. Inclusive pelo SIM sem sombra de dúvida, APESAR dela ainda sentir algo pelo palh^H^H^H^HJackson.

    Confesso que não antevi a de Jo. Nem a árvore. “Agora você acha que eu sou horrível”, ela resumiu bastante bem. Interessante (pra mim) pois conheci recentemente uma pessoa lindíssima, mas também horrível. Acabei ficando com pena do Alex, inclusive porque não gosto dele (nem Sonthanás, pois desde o inicio da série só arruma cruzeta pro pobre). Se essa for sua redenção, cruz credo. Agora que foi muito bonito Mer e Cristina defendendo o amigo até da própria Jo, isso foi.

    Só resta falar de Arizona. Imperdoável o que ela fez. Parece que esqueceu aquele episódio horrível, da cantoria, quando Callie estava morre-mas-não-morre devido a ter tirado o cinto para bolinar a própria Arizona, e sofreram o acidente, ainda grávida de Sofia. Completamente diferente do que aconteceu com Mark. Quando Callie descobrir, acho que nem trilema salva esse casamento…

  3. Chelsea

    Quanto ao paramédico, eu penso que ela vá morrer no finale, especialmente pelo jeito como o Avery o viu saindo (e ia falar algo e deixou pra lá).

  4. Tuâni

    “tirado o cinto para bolinar a própria Arizona”
    Quer isso?A Callie tirou o sinto pra pegar o celular pra falar como Mark.

  5. Bruno

    Certeza? Achei tão ruim o episódio da cantoria que sublimei as memórias relacionadas a ele ;-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account