Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – Idle Hands

Pin it
Série: Grey's Anatomy
Episódio: Idle Hands
Número do Episódio: 9x18
Exibição nos EUA: 21/03/2013
95
4.7
5

E o McBaby é…

Bom, antes dessa revelação, muita coisa rolou no episódio! Confesso que gostei menos de Idle Hands do que dos episódios anteriores. Não foi um mal episódio, longe disso. Os anteriores que foram bons demais.  E, ainda assim, o episódio deu uma boa continuidade para as tramas de final de temporada.

April ganhou destaque no episódio. Novamente, não tive vontade de socar a cara dela. Tá certo, ela voltou pro mimimi de esperar. História velha, batida, que já cansou. A novidade foram as piadinhas sobre o parque de diversões. Impossível não rir das expressões de Mer e de sua resposta. Sim, todos sabemos que ela adora frequentar o parque de diversões. Aliás, ela e Derek já se divertiram em vários dos brinquedos.

No final das contas, April se convenceu de que nem toda diversão é aconselhável PARA AQUELE MOMENTO. E foi a história da super máquina de raio-x que fez com que a médica se desse conta de que muitas vezes a espera será beeeem recompensada depois. E eu, que apostava que logo ela e Avery estariam visitando o parque novamente, acabei quebrando a cara.

E por falar em diversão, Callie e Arizona também foram para o parque. SIIIIM, finalmente a loirinha cedeu às investidas de Callie, e elas voltaram a fazer sexo. Aliás, preciso dizer que achei muito boa a condução do plot da Arizona. Shonda soube dosar bem momentos de mimimi, revolta e superação. E agora parece que Robbins cedeu no que faltava. Ao deixar Callie ajudá-la, ela venceu a última barreira que precisava ser vencida. Acredito que agora o relacionamento Calzona voltará ao normal, e todos agradecemos por isso. Eu estava com saudade de tanta fofura.

E Alex? Gente, acho que quem mais se divertiu – em um episódio repleto de crianças brincalhonas – foi ele. Tirar sarro com a cara do obstetra fez o dia de Alex e de seu paciente mais feliz. Mas confesso que fiquei com A MAIOR PENA DO MUNDO quando o chato disse para Karev, praticamente, que quem ri por último ri melhor. Aliás, esse foi o primeiro episódio que não gostei da trama de Jo e Alex. Esperava mais, depois daquela cena “me possua” da mesa do bar. Como nem tudo são flores, meu shipper não se desenvolveu tão bem nesse episódio, mas continuo achando que loguinho eles serão um casal. TOMARA. Vai ser o cúmulo da fofura ver os dois bem juntinhos.

Diversão para Yang? Check! Ri muito quando Cristina finalmente conciliou sua parte médica com sua parte “pessoa do Conselho”. Uniu o útil ao agradável e ainda fez Bailey feliz, MUITO FELIZ (a propósito, Bailey esteve hilária. E ganhou mais destaque, lembrou um pouco a velha Miranda. Curti demais). E foi realmente engraçado observar Yang toda preocupada em derrubar o idiota do ex-colega (que como bem pontuou Mer, deve ser bem inteligente). Menção honrosa para os momentos quentes entre Hunt e Yang, eis que o médico estava todo feliz com o novo brinquedinho patrocinado pela atual namorada, ex-mulher.

Se por um lado todos estavam se divertindo, Mer estava apenas sendo a “old Meredith”. Seriously, Mer? Voltou a ser dark and twisty? Awwww, amo todas as versões dela, e foi legal vê-la toda pessimista novamente. Me lembrei das primeiras temporadas, repletas das partes sombrias e obscuras da minha personagem favorita. Claro que Meredith surtaria, CLARO. E foi super bacana observar ela lutando bravamente para não se entregar ao pessimismo. Derek deu show, e no meio da loucura da mulher, conseguiu abrir espaço para a racionalidade (gargalhei com aquele “durma, por favor”). Também, quem consegue lidar fácil com um pai insano e desesperado, controla qualquer situação fácil. Foi realmente lindinho ver Derek se preocupando em tranquilizar Meredith. Significa que agora ele realmente compreende e dá apoio à ela.

E isso tudo nos leva ao momento mais fofíssimo do episódio. Der e Mer terão um menino. Sim, senhoras e senhores. Zola vai ter um irmãozinho, McBaby vem aí! E que coisa fofa aquele ultrassom tridimensional! Ele tem 10 dedos nas mãos, está tudo bem com seu crânio e mamãe Meredith ficará mais calma, de agora em diante. E, consequentemente, a chance de papai Derek enlouquecer é bem menor. LINDOS, mal posso esperar pelo nascimento do menino.

No final das contas, esse foi um episódio mais leve e divertido. A emoção ficou por conta, especialmente, do caso da professora com câncer. A situação envolvendo contar para os alunos que ela não voltaria mais a dar aulas era especialmente complicada, e me tocou bastante. De resto, só risadas!

Na semana que vem, mais episódio inédito. E promete ser beeeem mais tenso que Idle Hands. Preparem os lencinhos de papel. Talvez precisemos deles. Até lá.

P.S.1: quão fofo foi Yang tentando se apresentar para o bebê? Awww, todo amor do mundo pela dinda Cristina Yang.

P.S.2: escolha errada da Mer em compartilhar os possíveis problemas do bebê com Yang e Karev. Gente, que medo dos problemas que eles imaginam pra criança. O mais legal é Cristina dizendo que conserta, não importa o que seja.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

1 Comment

  1. Pingback: Destaques na TV – Segunda, 6/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account