Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – I Was Made for Lovin’ You

Pin it
Série: Grey's Anatomy
Episódio: I Was Made for Lovin' You
Número do Episódio: 9x07
Exibição nos EUA: 29/11/2012
100
5
2

Na semana passada, foi exibido nos EUA I Was Made for Lovin’ You, o 7° episódio dessa nona temporada de Grey’s Anatomy. Curti o episódio, embora não tanto quanto o seu antecessor. Foi bacana. Leve, divertido, emocionante. E trouxe uma satisfatória evolução das tramas principais da temporada.

Preciso falar, primeiro, de Derek e Mer. Estou fascinada com a forma que eles tem interagido. Eles estão maduros, confiantes, até animados. E boa parte dessa evolução do casal tem relação com a evolução pessoal de Meredith, que como Derek mesmo observou, não é mais aquela pessoa sombria e obscura. Com a sua confiança e o seu otimismo, Mer até mesmo deu um novo ânimo para o marido, que irá se envolver de forma mais ativa na busca pela solução de um problema para sua mãe.

E, convenhamos, como Mer não estaria animada? Zola, em breve, será a melhor irmã mais velha do mundo. Fiquei muiiiiiiiito feliz com a novidade, achei super fofa a cena da revelação e concordo com Derek: coisas boas também acontecem para eles. E, depois de tudo que aconteceu, não acho que a gravidez esteja em risco. Shonda não seria tão absurdamente má – porque má sabemos que ela é.

Outro plot legal é o que envolve Callie e sua busca pela solução do problema médico de Derek. Ela está se esforçando bastante, e com a colaboração de Shepherd as coisas tendem a evoluir. Não sei se a mão dele voltará a funcionar com precisão, mas estou achando deliciosa essa jornada empreendida pelos atendentes. E a ajuda de Derek é um alívio para Callie, que aparentemente passou pela fase mais triste e negra da sua vida, e agora está mais felizinha.

E isso tem relação, também, com a nova postura de Arizona. E loira voltou ao Seattle Grace, e voltou muito bem. Foi engraçado ver Heather atrás da pediatra o tempo todo, com cadeiras. Mas mais divertido ainda foi ver que Arizona levantou. Aparentemente, ela percebeu que quedas acontecerão, mas que ela sempre estará apta a se levantar. E para isso, ela precisa apenas estar disposta a aceitar uma ajudinha. Bem vinda de volta, Robbins. Estávamos com saudade da sua versão fofa e de bem com a vida.

Falando em de bem com a vida, Cristina está tentando fazer as pazes com a dela. O drama do paciente que ficou casado por 30 anos e só depois disso encontrou o amor da sua vida, quando já estava à beira da morte, abriu os olhos de Yang. E ela compreende que quer Owen de volta. Ainda que isso signifique, inevitavelmente, fazer algumas concessões. E Owen ainda ama Cristina, todos sabemos disso. Só que a reconciliação não acontecerá. Owen assinou um acordo de confidencialidade que o impede de revelar qualquer coisa sobre o processo dos sobreviventes e família contra o hospital. Ele sendo o responsável pela contratação da empresa aérea e o marido de uma das litigantes, criou-se um impedimento legal pra o prosseguimento do processo. E Hunt não pode contar para Cristina sobre isso, então a única saída para não prejudicar os colegas é se divorciar da mulher. Essa história ainda renderá muito, ainda. Mas por hora, o afastamento é inevitável, e até mesmo o climão entre os dois.

Climão que também deve existir entre April e Jackson. Eu achei que o envolvimento entre os dois serviria pra eu gostar mais da garota, mas não. Passei a detestá-la ainda mais. Porque falta tudo, ali, especialmente noção. O Avery foi extremamente fofo e legal com ela, várias vezes. E em todas a retribuição foi ouvir besteiras enormes. Tomara que eles se afastem definitivamente, por que o moço não merece tamanho desprezo e falta de tato. Fala sério, April.

O alívio cômico do episódio ficou por conta, especialmente, de Bailey e seus planos de casamento. Espero que a cerimônia seja mostrada, por que vai ser muiiiiito divertida de se ver. Gostei da interação entre Yang e Miranda, no episódio. Foi legal ver a atendente constatando que sua ex-pupila evoluiu e agora liga para os internos. Evolução por todo os lados do Seattle Grace. Coisa deliciosa de se ver.

Agora só nos restam mais dois episódios inéditos de Grey’s Anatomy antes do recesso de final de ano. Aposto que vem coisa boa por aí. Mas deve vir alguma tensão também, para deixar um gancho pra segunda metade de temporada. Só nos resta aguardar.

PS1: adorei ver o Chief, sutilmente, dando o caminho da mina para Hunt.

PS2: Jo não teve muito destaque no episódio. Mas foi inevitável observar os olhares de Alex para a garota, no bar. Logo vem envolvimento por aí, podem escrever.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account