Log In

Reviews

Grey’s Anatomy – Have You Seen Me Lately

Pin it

Série: Grey’s Anatomy
Episódio: Have You Seen Me Lately
Temporada:
Número do Episódio: 8×15
Data de Exibição nos EUA: 16/02/2012

Mais um episódio, e mais uma review elogiosa. Eu não estava com muita expectativa para esse crossover, por que acho que eles sempre dão uma quebrada na história. E o episódio alternativo – que eu amei de paixão – já tinha tido esse efeito. Então estava um pouquinho temerosa, achando que o tempo de tecer críticas à Shonda teria chegado. Ledo engano.

Have You Seen Me Lately foi mais um bom episódio. A participação de Amelia Shepherd não fez mal algum ao seriado. Pelo contrário, foi bem legal vê-la trabalhando ao lado do desconfiado e superprotetor irmão mais velho. E foi muito bom que Erica tenha sobrevido, pela barra que Amelia tem enfrentado com relação à dependência química. Assim como Derek, acho que ela ficaria fragilizada com um fracasso, ao ponto de não conseguir se reerguer. E, mais uma vez, gostei da participação de Lexie na Neurocirurgia. Acho que ela encontrou seu lugar, encoraja muito Derek, e já não sinto mais falta de Mer dividindo a sala de operação com Derek.

Falando em Meredith, adorei sua aproximação com Callie. Como a ortopedista mesmo frisou, elas nunca foram amigas, e não tinham muitas afinidades. Mas agora, as duas são “mães de família”, e ambas são cirurgiãs duronas. Acho que Meredith pode se favorecer muito da “parceria” com Torres. Por que, como a gente pode ver nesse interessante – e nojento – caso do moedor, Mer aprendeu a agir sobre pressão, e também a ousar. Deu certo. E como Callie é bem rígida, acho que saberá dar limites para Grey, e também incentivá-la e orientá-la nos estudos. É uma boa forma de Mer superar de ver o fantasma da mãe, e afastar toda e qualquer dúvida quanto à sua competência. Ah, e adorei o diálogo entre o Chief e Callie, decidindo sobre a escolha de Meredith. Muito engraçada a cena.

A trama envolvendo Sloan, Avery e Bailey foi minha favorita. Adorei de verdade. Bailey agiu como a leoa defensora de pacientes que estamos acostumados a ver, e com a moderação – ou seria apatia – que virou sua marca registrada, recentemente. Primeiro, Sloan e Avery deixaram ela ocupar espaço. Demais, até. Mas na sequência Sloan me fez virar mais fã ainda. Encorajou Avery a agir de acordo com seus instintos e convicção, e deu suporte para a decisão do aprendiz. Resultado: Bailey expulsa da sala de operação. Mas mais do que isso, adorei as palavras dele para Bailey. Ela está acomodada, e isso incomoda a todos os fãs de Grey’s Anatomy. Quem sabe agora que alguém falou isso na cara, Miranda mude sua postura. Oremos.

O caso da interna do Karev também prendeu minha atenção. Alex, o cascadura que não sabe o nome dos internos e os explora como forma de estudar. Alex, o cara sensível que sabe que errou, e reconhece que muitas vezes deixa de prestar atenção nos outros por se preocupar demais com ele mesmo. Foi interessante ver como ele tratou a situação com descaso, e foi ficando mais e mais apreensivo e chateado ao perceber que todos sabiam da situação de Morgan. No final das contas, ele demonstrou que se preocupa, sim. Tanto com a mãe quanto com o pequenino bebê. E Arizona demonstrou que gosta de verdade do Alex, e que foi muito parecida com ele. Afinal das contas, tanta fofura e fragilidade – das crianças – exige cirurgiões badass. Mas que saibam os nomes de seus internos.

Talvez o caso mais difícil do episódio – embora não médico – seja de Cristina e Owen. A sessão de terapia demonstrou o quão difícil será ajeitar todas as coisas. Por que embora o aborto seja a maior questão pendente entre eles, existem muitas diferenças. Diferenças que cada vez mais me fazem pensar o que diabos eles fazem juntos. É muito óbvio para qualquer um que Cristina nunca fez a linha mãe zelosa, e que ela sempre quis ser a deusa da Cardiocirurgia. E que, na vida dela, é isso o mais importante. Owen a conheceu assim, e quis casar com ela assim. Como ele, agora, cobra isso tudo dela? Cristina deveria ter corrido para as colinas naquele estrangulamento. Mas a coisa fica ainda pior quando Owen implica com Meredith. “As irmãs esquisitas”? Poxa, Owen. Aí não tem como. E dizer que Yang deve ter um filho por que ela sempre faz tudo que Meredith faz? Como argumentar com alguém assim? Por isso, adorei quando ela disse “be my freaking person, Owen”. Por que ele não quer Meredith por perto, mas não sabe lidar com Yang. Ele exige dela, mas não oferece nada em troca. Claro que reconheço a parcela de culpa da Yang, e que o gênio dela não é fácil. Mas Owen sabia disso tudo também, e optou por casar com ela. Então, não consigo ver outra pessoa equivocada na história que não ele.

Semana que vem vai ao ar If Only You Were Lonely . E, de acordo com a promo do episódio, o drama do casal ainda está longe do fim. Enfim, quem viver, verá. Até semana que vem.

P.S.1: o crossover continuou em Private Pratice, no episódio You Break My Heart. E, embora eu tenha abandonado a série no início da 5ª temporada, dei uma conferida, para descobrir o desfecho do caso Erica. Cooper e Charlote vieram para Seattle com Erica e Mason – só pra situar quem não é telespectador assíduo de PP, ele é o filho que Cooper descobriu nessa 5ª temporada. Depois de momentos de tensão e drama (bem legais, a propósito. Coop e Char são ótimos, vê-los me deixou com saudades), tudo acabou bem. Os irmãos Shepherds deram o show habitual e, ousando, salvaram a vida de Erica, sem deixá-la com sequelas. E a participação de Lexie como residente foi bem legal. Então, vale a pena dar uma conferidinha em You Break My Heart, nem que seja pulando pedaços, como eu fiz.

P.S.2: April tem participado menos em razão da gravidez de Sarah Drew. Nem dá pra perceber a barriga, né?

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

4 Comments

  1. Anderson Narciso

    Olha vou ser sincero contigo. Curti mais a parte do Crossover de Private do que de Greys. As historias de lá estavam mais interessantes. Pq eu nao to suportando esse mi mi mi de Cristina e Owen. Ele ta muito insuportavel nesta temporada. Fora isso, Meredith deu um show no episódio. Mas Derek e Amelia mandaram muito!

  2. Bianca

    Concordo que o episódio de Private Practice foi melhor e a razão disso é a mesma porque eu não abandonei Private Practice: Charlotte e Cooper. Com o todo o drama envolvendo Erica, quem me fez chorar foi Charlotte, mais um show de Kadee Strickland.

  3. Bruno

    Gosto muito do personagem de Charlotte, mas gostava mais quando ela atacava Cooper (davam ótimas idéias esse dois), enquanto se conheciam.

    Cristina ja tinha usado as fichas de estudo de Callier. Agora Mer. Shonda está reciclando estórias mesmo, não? Teddy teve apenas uma participação rápida.

  4. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 9/4 a 15/4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account