Log In

Reviews

Glee – Hearts e On My Way

Pin it

Série: Glee
Episódios: Hearts e On My Way
Temporada: 3ª
Número dos Episódios: 3×13 e 3×14
Datas de Exibição nos EUA: 14/02/2012 e 21/02/2012

Review atrasada porque eu viajei. Me desculpem! Mas aqui vai. Um episódio um tanto animado. Ah, o dia dos namorados! Um feriado tão lindo e inútil! É lógico que Glee tinha que participar.

Pra começar, a gente finalmente conheceu os pais da Rachel. Confesso: Achava e tinha esperanças que eles iam ser muito mais legais do que realmente são. E eu os imaginava de uma forma completamente diferente da forma qual eles foram apresentados.  Os dois estavam numa de psicologia  reversa na ideia de fazer Finn e Rachel desistir do casamento. Não porque eles não gostam do namorado da filha, mas sim porque — como a maioria dos Gleeks — eles acham que ia ser um erro enorme Rachel se casar tão jovem. A verdade é que um jantar com os pais do Finn e um plano que parecia ter tudo para dar certo, se converteu em fatos que fizeram amadurecer mais ainda a ideia de Finchel se casar.

Outra novidade do episódio foi a aparição do outro ganhador do The Glee Project, Samuel, que aparece como Joe Hart, um rapaz que estudou a vida inteira em casa e depois de ver que seu melhor amigo era a sua mãe, resolveu se matricular no Mckinley. Joe é chamado “jovem Jesus” por sua aparência, roupas, e por ser cristã assumido. Ele se junta ao clube Esquadrão de Deus, e eles decidem fazer serenatas para os casais da escola. O esquadrão está sendo “comandado” por Mercedes.

E por falar nela, ela contou que beijou Sam para o Shane que ficou todo chateado e até chorou! Mercedes decidiu então, que o melhor, era ela ficar sem nenhum dos dois. E depois de uma performance linda e emocionante, fez o Sam chorar também! Tadinhos, Mercedes!

Enquanto Mercedes sofria, o Kurt passou o episódio inteiro recebendo doces, chocolates e cartões de um admirador secreto, crente que esse era Blaine. No final, a gente descobre que o admirador era o Karofsky! Ele nem tinha se assumido ainda, mas tava todo apaixonado pelo Kurt. Que deu um fora gentil no cara. Todo mundo sabe que o Kurt só quer saber do Blaine né ?

Outro triângulo amoroso que estava rolando no episódio era Artie, Sugar e Rory. Sugar ia dar uma super festa pra comemorar o dia dos namorados, e os dois guris queriam levar ela para a festa dela (isso faz sentido ?). No final, Rory ganha a garota depois de fazer um número emocionante e contar que vai voltar pra casa.

Falando em romance, Santana e Brittany estão finalmente juntas! Depois de sofrerem um tantinho de preconceito no episódio, elas conseguiram passar o dia dos namorados juntinhas!

E ah! Blaine voltou! Ele apareceu na festa da Sugar com muito estilo e já cantando.

Sobre os números musicais:

L-O-V-E  foi por conta do Mike e da Tina. Fofo. Nada de muito emocionante. Os pais da Rachel fizeram uma “performance” de You’re the Top. Odiei! Desculpem!

Cherish/Cherish foi cantada pelo esquadrão, e foi até que legalzinha. Love Shack levantou a festa da Sugar, e foi média.

Let Me Love You foi uma performance super boyband, e eu adorei! Adoro esses momentos em Glee. Stereo Hearts virou o toque do meu celular. Sério. Nada muito grande, mas o Sam fazendo rap foi muito bom!

Home me emocionou. Não sei se é porque essa música tem um significado pra mim, ou simplesmente porque finalmente o Rory conseguiu me agradar. Adoro o Darren, mas o Rory foi um personagem meio sem graça.

Não podia ficar faltando um tributo a Whitney Houston, certo ? E não teria pessoa melhor para homenagear ela se não Mercedes. Ela arrasou cantando I Will Always Love You, que de certa forma se encaixou direitinho na situação da personagem.

Agora, vamos falar de On My Way. Faz pouco mais de 2 horas que vi o episódio, e ainda não consegui digerir tudo o que aconteceu. De uma hora para outra Glee me jogou uma carga enorme de emoção. E eu, sempre muito sensível, chorei, chorei e chorei! A verdade é que apesar de pouca história, Glee conseguiu preencher 43 minutos de um jeito que eu achei que não fosse possível. Quando o episódio parou eu cheguei a pensar que tinha mais coisa. Pouca história, mas mesmo assim, muita emoção.

Pra começar, Karofsky. No episódio passado, quando ele se “declarou” para o Kurt, alguns garotos da sua escola viram a cena. E então em uma atitude horrenda, resolveram xingá-lo em redes sociais e praticar o bullying, que está sempre presente em Glee. O problema é que Karofsky tentou se matar, o que gerou uma grande polêmica no Glee Club.

Com isso, Will reuniu seus garotos do New Direction, aí ele conta que teve uma experiência de quase suicídio e encoraja todos a viverem como se não existisse o amanhã. Depois de ouvir tudo isso, Rachel resolve levar a sério e diz para o Finn que quer se casar logo depois das Regionais.

Sobre as regionais, o New Directions venceu os Warbles (com solo das Troubletones!), que não me agradam nenhum pouco sem o Blaine. As performances me emocionaram sim. Mas não foram nada espetaculares ou muito grandiosas. Depois do que aconteceu com o Karofsky, a impressão é que Sebastian realmente mudou. A série mostrou um flashback onde Sebastian diz coisas horríveis para Karofsky, e o garoto se mostrou realmente arrependido.

Depois, o Kurt vai para o hospital visitar o Karofsky. Diz coisas lindas pra ele, e os dois aceitam ser amigos.

A partir daqui, só coisas bombásticas. Primeiro, Sue vai ser mamãe! Quem é o pai ? Isso ela não quis revelar. Mas os hormônios afetaram tanto a futura mãe que ela até aceitou Quinn de volta para as Cheerios.

E ah, a Quinn. Confesso que fico até meio chorosa de escrever sobre o que mais aconteceu no episódio. Quinn resolveu apoiar o casamento da Rachel. Enquanto os pais de Finchel ficavam atônitos e desesperados sobre o que aconteceria e como eles iriam impedir o casamento, Quinn foi pra casa buscar o seu vestido de dama de honra. Rachel ficou mandando mensagens dizendo para ela se apressar, e quando Quinn foi ler as mensagens, BUM! O episódio acabou com um carro vindo pra cima do carro da loira.

O que vai acontecer ? Quinn vai morrer? Vai ficar em coma ? Paraplégica ? Finchel vai se casar mesmo ? Isso a gente só vai poder descobrir no dia 10 de abril. Porque Glee adora deixar os Gleeks curiosos! Lógico!

Sobre os número musicais:

Stand bleeeergh! Não gostei! Sebastian pode ter ficado bonzinho, mas os Warbles sem o Blaine continuam sendo horríveis! Glad You Came, estragaram uma música que eu gosto! Tá…Me digam, estou sendo muito malvada, ou foi tão péssimo quanto eu acho que foi ?

Cough Syrup foi a trilha sonora de toda a história do Karofsky. Ficou bonita na voz do Darren.

Vi muitas críticas à respeito de Fly/I Believe I Can Fly, mas sinceramente, eu gostei. Lógico que não foi uma coisa muito cheia de glamour, mas foi bonito. Foi legal ver o solo das Troubletones em What Doesn’t Kill You (Stronger), fazia muito tempo que não escutávamos a voz da Heather não é ? Here’s To Us foi previsível, sempre tem um solo da Rachel, né ?

Séries citadas:

19 anos, mora em São Paulo, ama futebol e estuda Jornalismo. Está no TeleSéries desde 2011 e assiste mais séries do que os seus dedos da mão podem contar. Ama todas, mas Everwood, Friends e The O.C. sempre vão reinar em seu coração.

6 Comments

  1. MicaRM

    Bom, eu odeio o Blaine com todas as minhas forças e só o tolerei neste episódio (e suas caras e bocas para lá de manjadas) porque era a cena mais forte de Glee…Karofsky, meu coração está contigo.
    Os Warblers não são ruins, eles só são chatos cantando. Muito coralzinho masculino. Mas o Sebastian é sempre maravilhoso, até quando desafina. Eu o adoro. E vou gostar ainda mais se ele realmente tiver um coração.
    Não me conformo com o corte na música das Golden Goblets. Poxa, só eu gosto deste tipo de música? Que sacanagem!
    Óbvio que o New Directions ia vencer, foram os melhores. Mas mesmo assim foi uma apresentação pobre, artificial. A primeira música…eu odiei a parte da Santana, de resto foi legal. As Troubletones eu gostei (mas pq elas não entraram todas no New Directions?) e a última música ficou linda. Mas o excesso de arranjo nas vozes deixou tudo artificial demais. Das outras vezes pelo menos dava a sensação de que eles estavam cantando, mas nesta Regional pareceu playback do início ao fim. Fail.

    Espero que Rachel e Finn não casem, porque esses dois não pararam um segundo para pensar em como irão se sustentar ou onde irão morar. Estão pensando que os pais vão dar tudo de mão beijada? 
    Ok, provavelmente irão, mas se eu fosse eles mandava os dois alugar casa, ir trabalhar, se virar para pagar faculdade, comida, roupa…quem casa, tem que poder viver como casado. Quero ver quanto tempo duraria essa ideia de casamento aos 17 anos.
    Até ontem Finn nem conseguia um emprego para sustentar a filha que achava que teria!

    Estou preocupada com a Quinn….tudo, menos matarem-na. Ok, nem aleijarem a garota ou qualquer outra coisa assim. Gosto demais dela para vê-la sofrendo ainda mais.

    E por falar na Quinn, concordo com o que ela disse sobre o suicídio. Eu adoro o Dave e muito me penalizei com a sua situação. Tive amigas que se suicidaram e é uma sombra na sua vida que não tem conserto. Mas o que ela disse foi muito real e verdadeiro também.
    É claro que Dave precisa de atenção, carinho e ajuda (por isso a cena com o Kurt foi lindíssima), mas principalmente, as pessoas precisam entender que o suicídio não é e nunca será a resposta. É preciso buscar forças dentro de si e se você não está encontrando, então tem que buscar ajuda em alguém. A solução existe, o amanhã está aí, você só precisa enxergar.

    Hiato de novo? Até quando?

  2. Bruna

    Mica, o próximo episódio é no dia 10/04.

    Eu dei até um pulo na cadeira com a cena final. Já imaginava que alguma coisa iria acontecer com a Quinn pq uma pessoa do meu facebook postou uma mensagem e tal, mas ainda assim foi surpreendente.

    Quanto a Finchel se casar… sei lá, acho que vai acontecer sim. Não porque sou fã deles, mas acho que daria um bom material pro Ryan na quarta temporada.

  3. Rafael Ruiz

    Eu gostei da apresentação dos Warbles, apesar de achar que era melhor com o Blaine.
    Ao contrário da Júlia, eu não gostei de Fly/I Believe I Can Fly.
    Gostei bastante de Hearts e On My Way tiveram bons momentos!
    Então não fui só eu que imaginei os pais da Rachel diferentes!
    Hiato longo!! O.o
    E a Mercedes mandou muito bem em I Will Always Love You!

  4. Gabriela Assmann

    Dois episódios ótimos que confirmam a crescente desta terceira temporada. Heart foi fofo demais com Brittana finalmente curtindo juntas e até eu que não gosto de Finchel adorei o número musical que ele mandou pra ela. Stereo Hearts ficou lindo demais! E I Will Always Love You me fez chorar muito. Chorei litros!
    Gostei da discussão da homofobia motivada por valores cristãos. Faltava isso. Alias, a saída do armário de Santana e Karofsky está proporcionando bons momentos pra essas tramas, já que o caso do Kurt não dava muito material. Amei Heart! Assisti três vezes! 

    Quanto a On My Way, a Quinn não pode morrer! Mas acho que é o que vai acontecer. Se ela não morrer, acho que vai ficar paralítica ou com alguma outra sequela :(
    Gosto muito da personagem e isso me entristece muito, ainda mais com esse hiato maldito. E ainda mais ela morrer dessa forma, depois de conquistar tantas coisas e melhorar muito a postura. Ela tava toda fofa indo buscar o vestido pro casamento :(
    O caso do Karofsky foi muito triste. Infelizmente o suicídio é o caminho para muitos homossexuais que sofrem bullying. O caso foi forte, mas é o que acontece muitas vezes.Com tanto drama a trama das regionais acabou ficando meio de lado. Não gostei de quase nenhum número. Achei todos fracos, mas o New Directions merecia mesmo ganhar, já que a técnica deles foi muito melhor. Tirando isso o episódio foi muito bom. Chorei muito, me deixou tensa, mas foi perfeito. 
    PS: mal sabia Santana que seria profética ao dizer: “Quinny não virá”. :(

  5. Rodrigo

    essas regionais nao empolgou tanto assim faltou um solo pro Blaine nao era a “maior arma” que o novas direçoes tinha o grande cantor que se juntou a eles tinha que ter seu solo… nao gostei Rory teve uma perforce muito boa no dia dos namorados pra Sugar gostei to gostando de ver a santana com mais destaque na serie antes era meio apagada mais sempre gostei dela fora que acho ela gata kkkkk em destaque as perfomaces com Rick martin e 
    Sebastian (quando cantou Michel Jackson) enfim to gostando da terceira temporada 

  6. Jhonnys Nascimento

    Amém! Encontrei alguém que tb não gosta do Blaine! Eu juro que não aguento mais ele uivando nos 500 solos que ele faz por episódio! A cena do Kurt com o Dave foi muito bela. Na verdade, As cenas de drama do Chris são sempre emocionantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account