Log In

Reviews

Glee — Glee, Actually

Pin it
Série: Glee
Episódio: Glee, Actually
Número do Episódio: 4x10
Exibição nos EUA: 13/12/2012
76.166666666667
3.8
6

Com o episódio dessa semana, um especial de Natal, a série entra em hiatus e retornar somente no ano que vem. Independente de a quantas anda a temporada, Glee tem a fama de sempre fazer bons episódios de final de ano. Infelizmente, durante uma temporada até então muito boa, o show nos entregou um episódio completamente desleixado. Senti que os 40 minutos da série demoraram a passar e a história não foi bonita ou alegre na maioria do tempo.

O episódio até tentou fazer um especial bonito e inspirador, mas não deu certo. Na primeira parte de Glee, Actually foi bonito ver Artie mais uma vez superando sua luta constante contra quem ele realmente é. Depois de escorregar e acabar caindo da cadeira de rodas ele se machuca, e Finn está pronto para ajuda-lo. Ele acaba adormecendo na enfermaria e tem um sonho no estilo “O fantasma do Natal passado”. Rory (você ainda existe?) é o “fantasma” de Artie e mostra como seria a vida no McKinley em uma realidade paralela onde ele não usa cadeira de rodas. O fato é, que a primeira estória do episódio diz basicamente que Artie é o laço que mantem o Glee Club unido. E essa é a mais pura verdade. Inúmeras vezes vimos os ND desistindo, mas Artie sempre esteve lá com uma boa ideia. No meio do delírio de Artie, doeu ver Finn sendo um idiota A+ e empurrando Kurt nos armários e agindo como um grande preconceituoso. Nada demais, mas confesso que gostei de ver Artie um pouco mais em destaque.

A segunda história do episódio se passa em Nova York, Rachel está arrumando as malas e vai passar o feriado com os pais, já que eles não realmente comemoram o Natal. Kurt recebe a visito do pai, e essa foi a única parte do episódio que fez eu me emocionar. O vínculo que os dois tem é lindo demais, e não há como negar uma coisa dessas. Impossível não lembrar do Kurt ao lado do pai no hospital. Entretanto, toda a diversão de ter o pai por perto se torna quase nula quando Burt conta à Kurt que tem câncer de próstata. O que é bastante aceitável que já que não víamos Burt desde o começo da quarta temporada. Blaine também vai para Nova York, e promete cuidar do pai do Kurt. Outra coisa bonita. Isso Ryan Murphy ainda não estragou. Apesar do episódio da traição a relação dos dois ainda é verdadeira.

Klaine patinando teria sido mais bonito se não fosse pelo o meu grande desprezo por músicas natalinas. Ainda sobre os dois, Blaine revela a vontade de se candidatar a NYADA no ano que vem, e Kurt não vê nenhum problema nisso. Mas é claro que Ryan Murphy não vai deixar as coisas fáceis, ele já até contratou um novo garoto que vai mexer com o coração do Kurt.

NOTÍCIAS | Oliver Kieran-Jones entra para o elenco de ‘Glee’

De volta para Lima, Jake ainda está sofrendo com aquela história de ser metade negro, metade branco e metade judeu. E essa história vai um pouco além da linha entre ridícula e aceitável nos padrões Glee. Não gosto desnecessária. O fato é que essa história fez os irmãos Puck e Jake se unirem um pouco mais. E como parte dessa união, as mães dos dois finalmente ficaram cara a cara e resolveram ser amigas. Simples assim.

Em seguida a parte mais absurda de todo o episódio: Sam e Brittany. Aliás, o casal é a coisa mais absurda que já vi em alguma série. Eles acreditam que o mundo vai acabar no dia 21 e resolvem se casar. Da Brittany poderíamos esperar uma coisa assim, mas eu não lembro de quando Sam se tornou tão inocente quanto ela. Eu sempre vi nele um garoto esperto e não uma pessoa que acha que golfinhos são tubarões gays. O pior de tudo foi ver Beiste “casando” os dois. Fiz uma nota para o site sobre essa cena quando saiu a primeira foto. Naquele momento os dois casando me parecia ridículo, e agora parece ainda mais. Depois do dia 21, os dois ficam desesperados ao ver que o mundo não acabou e eles estão casados. Beiste tenta explicar que ela não os casou de verdade, mas não adianta, então ela diz que o fim do mundo foi remarcado e que os dois podem viver tranquilos.

A única história que valeu realmente a pena assistir foi a última. Todos nós sabemos o quão rabugenta Sue pode ser, mas nós também sabemos o quão bom o coração dela é no final de tudo. Ela participa do amigo secreto que está acontecendo entre os funcionários da escola e acaba “tirando” a mãe de Marley. Ela não sabe o que dar de presente até ouvir Marley e sua mãe conversando sobre juntar dinheiro para pagar um tratamento para a garota. Sue age como Sue e dá para as duas uma “pequena” ajuda. Não consigo não ficar nervosa com o fato de que todos acham que a culpa é só de Marley e que ninguém se tocou o quão culpada é Kitty em toda essa história. Ainda assim, depois de tudo, Kitty ainda está cantando uma música para agradecer Sue, do lado de todo o Glee Club. Agradecer a ajuda que Sue está dando no tratamento para distúrbios alimentares que a Marley tem por causa dela.

Um episódio horrível que somente divulgou o CD especial de fim de ano que Glee vai ter. Se você gosta de músicas de natal pode até ter ficado feliz. Mas eu não gostei. Em minha opinião foi o pior episódio da temporada até então, e fechou um ciclo quase ótimo que a série estava tendo.

Agora a série só retorna no dia 24 de janeiro, então, Gleeks, desejo a todos vocês um bom final de ano e um ótimo Natal! Que Papai Noel nos traga melhores episódios de Glee no ano que vem!

Setlist do episódio:

Feliz Navidad (Artie)
White Christmas (Blaine e Kurt)
Hanukkah Oh Hanukkah (Jake e Puck)
Jingle Bell Rock (Sam)
The First Noel (Marley)
Have Yourself a Merry Little Christmas (Marley, Puck, Jake, Brittany, Sam, Blaine, Kurt)

Séries citadas:

19 anos, mora em São Paulo, ama futebol e estuda Jornalismo. Está no TeleSéries desde 2011 e assiste mais séries do que os seus dedos da mão podem contar. Ama todas, mas Everwood, Friends e The O.C. sempre vão reinar em seu coração.

5 Comments

  1. Ubirajara Júnior Do Carmo

    Até que eu gostei do episódio: Feliz Navidad e Jingle Bell Rock não saem da minha cabeça. o Sam sempre foi meio sem noção, então não acho tão fora de propósito ele e Brittany juntos e a história do casamento. A Sue eu prefiro nem comentar, esse negócio de ser má e boa não me agrada. Queria ver mais Mike Chang, Santana e Finn.

  2. marquinho

    eu to adorando essa temporada de glee, pra mim teve pouquissimos deslizes. ta emocionante, crescendo, mostrando um amadurecimento de alguns personagens, mostrando dificuldades na vida, enfim to adorando essa temporada. e eu adoro o filme love actually, mas imaginava algo nas historias mais parecidas com o filme porem a cena de marley cantando pra mae foi linda, eu nunca fui muito fã da marley e da voz dela, mas a emocao que ela cantou foi incrivel. adoro puck se relacionando com o meio irmao, ficou legal o trabalho q foi feito no ep com relacao aos 2. sue me emocionou e kurt e blaine e principalmente o pai de kurt foram a alma do episodio, toda vez q o pai de kurt aparece nao tem como nao se emocionar. perfeitaça as cenas em ny. porem as musicas de natal nao foram a smelhores q poderiam ter sido escolhidas ne ? mesmo assim curti o ep e me emociontei como tem sido nessa temporada.

    senti falta de quinn, santana, mike e gostei que o rory reapareceu. agora pq o cara participa do glee project, vence e de repente é cortado da temporada seguinte. muito ruim isso. queria ele voltasse a serie. vc sabe algo a respeito?

    ps: ha o filme love actually tem musicas tao lindas, poderiam ter colocado alguma no ep rsss

  3. Thiago

    Amei os outros episódios natalinos de Glee, no entanto, o desse ano foi pura decepção!!! Muito drama para enredos tão mal trabalhados, foi como se cada bom episódio dessa temporada dessem a quem escreveu esse o direito de escrever algo sem muito capricho ou dedicação…
    Mas enfim, que no próximo ano venham os melhores episódios assim como músicas mais inspiradoras…

  4. Gabi Assmann

    Nossa… Única parte que me convenceu foi o Burt. Aliás, sempre que ele aparece é show. De resto foi ridículo. Sim. Ridículo.
    Sam e Brittany passou dos limites do aceitável. Desde quando o Sam era assim? NUNCA. Forçaram a barra total pra juntar ele com a Brit que sempre foi assim inocente e pura.
    Nem vi o episódio passado até o fim e esse eu só vi pelo teu comentário no facebook. Fiquei curiosa. Mas tenho cada vez mais certeza que Glee já era.

  5. Mariela Assmann

    o Sam sempre fui meio burrinho. Mas nem tanto assim. Deram uma forçada na barra, mas Glee é assim mesmo. E estou curtindo MUITO essa temporada, que está sendo conduzida mais do que satisfatoriamente. Essa história de Brit e Sam deve acabar logo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account