Log In

Reviews

Glee — Britney 2.0

Pin it
Série:Glee
Episodio: Britney 2.0
Nº do episódio: 4x02
Exibição nos EUA: 20/09/2012
77.285714285714
3.8
7

It’s Brittany, bitch!” Mas sem muita emoção. Não que o episódio tenha sido ruim, conseguiu manter o mesmo ritmo (se não um ritmo melhor), que o 4×01 teve, mas não foi nada que tirasse o fôlego. Se você assistiu o 2×02 de Glee (Britney/Brittany), sabe que o episódio foi maravilhoso, que os videoclipes da Britney foram muito bem feitos, e que na verdade, a história em si, quase não existiu. Mas em Britney 2.0, os produtores conseguiram, na maioria das vezes, colocar as histórias em harmonia com os covers não clichês e muito bons.

Glee desta vez, mostrou o lado depressivo e agressivo da Britney (que vimos em 2007). Todo começou porque Sue expulsou Brittany das Cheerios porque muitas das garotas dali se inspiravam nela e acabaram deixando os estudos de lado. Sem Cheerios e sem Santana (que apareceu no Skype por alguns segundos e quase matou a minha saudade de Lima Heights), ela entrou em uma profunda depressão, que envolveu muitos Cheetos e café de mais de um litro. O professor do ano, Will, resolveu então criar uma semana Britney 2.0 para ajudar a Brittany S. Pierce. Mas não é tão fácil assim, e a falta de um rabo de cavalo fez a Brittany enlouquecer e bater no JBI com um guarda-chuva. Além disso, quando seus parceiros de Glee Club sugerem que ela se apresente na frente da escola, em um daqueles eventos que nós já conhecemos de outros episódios, ela vem com a ideia de usar playback. Os companheiros não gostam muito, mas pensaram que talvez isso fizesse Brittany voltar ao normal, então acabaram “concordando”. O resultado foi um vexame total, e lembra demais a cena do 2×14 (Blame it On the Alcohol), onde todos do Glee Club estão de ressaca, e durante a apresentação, Brittany passa mal e vomita em Rachel. Aliás, isso é uma das minhas coisas preferidas em Glee, eles imortalizam essas cenas que marcam. Não sei se vocês perceberam, mas no primeiro episódio dessa temporada, Rachel vê Brody cantando no chuveiro, assim como o Will vê o Finn no 1×01, e o Finn vê o Sam no 2×01.

Voltando a Brittany, tudo deu certo no final, porque na verdade tudo era parte do plano dela de voltar com estilo. Sam entendeu, porque ele é loiro também, e foi dar seu apoio pra guria. Brittany convenceu a Sue que podia ser um bom exemplo quando tirou um C- em inglês, e agora que ela tem o rabo de cavalo de volta, o mundo está no lugar de novo.

Antes de irmos para NY, em Ohio, Jake estava dando uma de Womanizer, e Marley está totalmente apaixonada por ele. E eu estou apaixonada pela Marley. A cada segundo ela me conquista um pouco mais. Mas enfim, Will percebe que o Jake está dando uma de durão, então chama o Noah (Puck, quanta saudade de você e do seu moicano!), para dar uma lição de moral no meio-irmão. Puck o convence de que uma jaqueta de couro, um violão e muitas garotas não vou tornar ele um homem e que o Glee Club, pode fazer o mesmo bem pro Jake, que fez para o Puck. Noah sai de cena com estilo dizendo que precisa voltar para LA porque tem um encontro com a terceira colocada do The Bachelor.

Jake se comove, e resolve juntar-se ao Glee Club. Justo quando a Marley já estava toda animadinha, ela descobre que Jake está namorando a Kitty. Clichê, né ? Já posso ver um novo triângulo amoroso estilo Finn, Rachel e Quinn se formando. O problema é que diferente da Quinn, eu não consigo sentir nenhuma ponta de carinho pela Kitty.

Em NY, Kurt e Rachel estão morando em um galpão enorme, e tudo estaria perfeito se July não estivesse pegando tanto no pé da Berry. A última que a professora inventou, é que Rachel não pode aprender a dançar tango porque não é sexy o suficiente. Brody (e metade da população mundial) não concordou com a opinião da professora. Rachel bolou uma apresentação inspirada na Britney, ao lado de Brody, para mostrar pra professora o quão sexy ela pode ser. Não ajudou muito em relação à July, mas Brody não aguentou, e acabou dizendo que não importa onde eles estejam, ele está sempre pensando em beijar a Rachel. A guria não cedeu, porque ainda está apaixonada pelo Finn, mas é claro que Brody mexe com o coração dela. No final do episódio, enfim, July (que só é dura com seus alunos porque quer prepara-los para a indústria), deixa Rachel participar das aulas de tango.

O episódio foi surpreendente, sim. Para mim, Glee veio de uma terceira temporada não tão boa assim, mas está elevando o nível aos poucos nessa quarta temporada. É bom ver como cada um dos personagens que já conhecíamos amadureceu de diversos modos, e é bom também conhecer alguns outros personagens, que sem querer, já vão se tornando parte dessa história que os Gleeks gostam tanto.

Sobre os números musicais:

Hold It Against Me foi, ao estilo Glee, muito bom. Adoro quando as Cheerios aparecem pra fazer as coreografias.

O mash-up Boys/Boyfriend não foi tão bom assim, ao contrário do Crazy/(You Drive Me) Crazy, que foi, aos meus olhos, simplesmente fantástico.

Womanizer foi divertido, assim como 3. Mas espera um pouco, o Teen Jesus cantando sobre um ménage à trois ? Oi ? Perdi alguma coisa ?

Oops!… I Did It Again foi…Sexy! Parabéns Rachel, e parabéns Lea pelas belas pernas que você tem.

Everytime foi lindo. Eu adorava quando a Britney cantava essas baladas bonitinhas, e na voz da Marley ficou mais bonito ainda.

Séries citadas:

19 anos, mora em São Paulo, ama futebol e estuda Jornalismo. Está no TeleSéries desde 2011 e assiste mais séries do que os seus dedos da mão podem contar. Ama todas, mas Everwood, Friends e The O.C. sempre vão reinar em seu coração.

8 Comments

  1. MicaRM

    Eu não gostava da Cassandra, mas sou obrigada a admitir que tudo o que ela falou da Rachel até agora foi a mais perfeita verdade. Não acho a Rachel sexy (e nem a Lea Michele, diga-se de passagem) e essa música que ela dançou isso bem evidente (qualquer uma das figurantes dançando tinha muito mais sex appeal que ela)….aliás, se compararmos esta apresentação dela com a que a Cassandra fez no primeiro episódio, a coitada da Rachel ficou comendo poeira no quesito sensualidade.
    Mas eu adoro a Rachel, a despeito de sua falta de sensualidade corporal. Há outras coisas nela que compensam e outros estilos que ela pode (e deve) interpretar em um palco.
    Gosto dela com o Brody. Finn who? Uma pena que o garoto vá voltar, porque para mim ele já é passado.

    Engraçado como estou acostumada com a Unique…nem parece que ele nunca esteve no Glee Club.

    Não gostei do plot da Brittany. Achei chato. Depressão é coisa séria, eu sei, mas achei chato de assistir e ainda mais a forma como as pessoas lidaram com a situação. Odiei a apresentação onde eles falham (assim como odiei a que ele estavam bêbados). Não nasci para ver vergonha alheia.

    Jake é um doce, gosto demais dele com a Marley e achei ridículo ele com a Kitty. Surgiu do nada e foi um dos maiores tiros no pé no episódio.
    E sim, assim como você, eu simpatizava com a Quinn desde o início, mas esta Kitty não tem um grama de simpatia.

    Odiei a apresentação de Blame e do Artie. Chaaaata. Mas 99% das vezes o que o Blaine faz em tela é chato, então estamos em casa.

  2. Juninho

    Esse
    episodio tem rendido polemica pra série, inclusive boatos de que o empresário
    da cantora tenha ficado furioso com o tributo já que tratou-se de uma
    fase ruim da cantora, eu particularmente gostei do episodio, demorei um
    pouco pra me conectar com a historia, mas o resultado final foi bom e sim considerei uma homenagem a cantora,porém comparado
    com a ultimo tributo esse teve numeros mais fracos, já que o anterior foi uma
    super produção, porém gostei mais do roteiro e das canções desse episodio, e claro Rachel e
    sua excelente performance de “Oops!… I Did It
    Again” foi a melhor parte do episodio,não tem jeito seja em Ohio ou em New York, Glee sempre será Rachel. Ainda sobre as canções curti o mashup cantado por Marley e Jake,e
    gostei muito de 3 que foi estranho ao extremo com o garoto Cristão cantando,
    mas ficou bom,também não gostei de Boys/Boyfriend acredito por ter sido interpretada por dois personagens sem graças Artie e Blaine.

    E sobre a pergunta que você me fez no ultimo review Julia, realmente
    achei a terceira temporada muito boa, claro que Glee não é, e nunca será 100% mas
    qual série é? Não é verdade?

    Mas por enquanto está bom!

  3. JuliaBerringer

    Não acho que ter mostrado a fase trash da Brit tenha sido ruim, até porque o episódio reforçou que tudo é sobre dar a volta por cima.
    Acho que Glee tem se mostrado muito melhor nessa quarta temporada, mesmo. Mas sempre tem como melhorar hehe

  4. JuliaBerringer

    Eu não consigo deixar de gostar de Finchel, mas acho justo a Rachel se envolver com o Brody. Ela já teve casinhos, mas nunca teve alguma coisa intensa, a não ser com o Finn. Acho que é bom pra ela amadurecer um pouco mais.
    Acho que esse plot da Brittany foi só pra não deixar um episódio Britney sem ela. Foi tudo meio forçado, assim como essa história da July pegar no pé para o bem dos alunos, bem clichê!
    Eu até gosto do Blaine, mas tem vezes que tenho vontade de dormir quando ele aparece em cena, de vdd.

  5. Weslei

    Eu achei o episódio bem morno como o primeiro, sem elogios e sem críticas, o que foi ver a Santana no Skype, espero que ela apareça de verdade logo. Só quero defender a parte sobre ” uma terceira temporada não tão boa”, a terceira foi a melhor temporada pra mim até agora, a que eu mais gostei, até mais que a primeira temporada quando Glee caiu nas graças da crítica. Gosto de lembrar, porque tiveram músicas que são demais do meu gosto, fora que a Naya carregou a temporada nas costas, e o épico mash-up ” Rumor has it / Someone like you” no 3×6, ainda é pra mim o melhor número musical de toda série, e provavelmente continuará sendo.

  6. Mariela Assmann

    Finn who mesmo! Sou team Brody total. E a Lea não tem sex appel mesmo, muito menos a Rachel. Concordo com você, tabém, quando diz que ela super compensa em outros quesitos.

  7. Bruna

    Eu gostei do episódio, ri demais com a cena do guarda-chuva. Amei ver o Puck de volta na série, espero que ele não demore muito pra aparecer de novo. Sinto uma falta enorme do Finn, ele tem que aparecer asap.
    Quanto aos números musicais, não tenho preferência. Acho que Womanizer foi o melhor, mas poderiam ter escolhido outras músicas. Tava super ansiosa pra ouvir a Rachel cantando I’m not a girl (minha música favorita da Britney), e me desapontei. Crazy/You drive me crazy foi no mínimo estranho. Pela primeira vez na série, eu não sabia qual das duas músicas cantar. Só teve uma música do Aerosmith no seriado até agora e eles fazem isso? Como fã da banda, fiquei triste. Deveriam ter deixado as duas músicas separadas, em episódios distintos.

  8. Pingback: Destaques na TV – Quarta, 21/11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account