Log In

Reviews

Glee — Props e Nationals

Pin it

Série: Glee
Episódio: Props e Nationals
Temporada: 3ª
Número dos Episódios: 3×20 e 3×21
Data de Exibição nos EUA: 15/05/12

Essa semana tivemos 2 episódios, um em seguida do outro, e para a alegria geral dos Gleeks, os dois foram igualmente maravilhosos! Lembraram aqueles primeiros episódios, com humor e drama sempre na medida certa, nunca deixando a boa música de lado.

Props foi ótimo! Sem mais. 30 segundos de episódio e eu já estava rindo. Adorei que deram um papel de destaque pra Tina nesse episódio, ela merece. O triste é que ela precisou bater a cabeça e pensar que era a Rachel para conseguir ter um solo. Mas esse papel de destaque que deram para ela foi mais como um jeito de falarem que ela vai ter mais presença na próxima temporada, o que eu acho difícil de acreditar. Sinceramente.

Tina resolveu soltar a franga para um assunto sempre muito presente no Glee Club: Rachel. Que sempre ganha os solos, que sempre aparece mais… Mas a verdade é que a noiva do Finn só pensa em conseguir uma segunda chance para o NYADA. E vê nas Nacionais um ótimo pretexto para conseguir o que ela quer.

Bom, no sonho, Tina vira a Rachel, Rachel vira a Tina, Finn vira Kurt, Puck vira Blaine, Santana vira Artie, e tudo fica uma loucura! Mas tudo muda quando a Tina que na verdade era a Rachel, diz para a Rachel que na verdade é a Tina, que ela vai ter seu momento no ano que vem. E que se estivesse no lugar dela (Tina versão Rachel), iria atrás da reitora até conseguir uma segunda chance. Ufa! Confesso que esse foi o parágrafo mais difícil que já escrevi na vida. Quando a Tina acorda, vai logo atrás da Rachel verdadeira dar essa ideia. As duas viajam até uma cidade vizinha onde a reitora está fazendo algumas audições, e praticamente imploram para ela aparecer nas Nacionais de Chicago.

Sue quer vencer de qualquer jeito, e isso é fato. Mas quando vê que Unique (o garoto que o Kurt e a Mercedes ajudaram a sair do armário no 3×16, Saturday Night Glee-ver), está fazendo muito sucesso. Tenta convencer o “Porcelana” a se vestir de mulher, mas não rola. E o Puck resolve arriscar, mas o Will não gosta nada da ideia. O problema é que Puck se vestindo de mulher só piora ainda mais a sua situação com os garotos do futebol, que começam a humilhar o Noah. E é por pouco que não acontece uma tragédia, graças a Treinadora Beiste que aparece. Quando ela o chama para conversar, ele se acaba de chorar, e a atitude dele faz ela aparecer que ela tem que tomar uma iniciativa e deixar o marido de uma vez por todas (já que ela tinha mentido sobre ter deixado ele). E assim ela fez. Além disso, ainda conseguiu uma outra chance do Puck passar de ano!

Sobre os números musicais:

I Won’t Give Up foi lindo! Eu amo essa música, e a Lea (ou Rachel) cantou super bem. Outro solo que eu amei, foi o da Rachel/Tina, eu sempre gostei da voz dela, e acredito que ela devia mesmo ter mais solos. Ela cantou Because You Loved Me perfeitamente bem, contudo, eu não conseguia me controlar e acabei rindo na maior parte da perfomance, Sue/Will e Will/Sue estavam fantásticos!

Mean foi o melhor na minha opinião. Adoro e senti falta dos solos do Puck, só ele e um violão, e a Shannon arrasou junto com ele. Além do que, essa música deu super certo no contexto do episódio. Detalhe que eu quase tive um filho quando ele cantou “Washed up and ranting about the same old bitter things”. Desculpem, precisei compartilhar a emoção com vocês.

Flashdance… What A Feeling, foi super legal também. Adorei, pena que demorou 3 temporadas para elas cantarem um dueto juntas… A música também deu fechamento ao episódio, onde os garotos no ND estavam no ônibus indo para Chicago.

Nationals começa com Mercedes de cama. Todos ficam muito preocupados, até porque, pelas palavras de Sue, eles estão entrando em um Jogos Vorazes dos corais sem uma das vozes mais poderosas. Além disso, Will estava super ansioso e morrendo de medo de decepcionar o pessoal do ND. Mas não era só ele que estava a flor da pele, todos estavam, o que causou até uma briga geral entre os membros do coral, mas logo eles se acertaram e se uniram novamente para um bem maior: Ganhar as Nacionais.

Além de estar morrendo de medo da competição, Rachel também está preocupada em saber se a reitora do NYADA vai aparecer por lá. Já Finn, também tem motivos extras para ganhar a competição, porque apostou com o cara dos mullets 500 doláres que eles iriam ganhar.

O New Directions seria o primeiro a performar, e antes disso, naquela roda de concentração que todos os Gleeks já conhecem, Finn disse que na noite anterior, eles fizeram uma roda e viram que o maior motivo para eles quererem ganhar as Nacionais era o Will. Lógico que o cabelo de miojo (como diria a Sue), ficou todo emocionado. Mas aí, de repente, nossa Mercedes aparece toda gata e inteirona, pronta para participar da perfomance também!

Os juízes da competição esse ano foram: Lindsay Lohan (rolou muitas fofocas de que ela ia filmar totalmente drogada e acabada), Perez Hilton e um vereador.

Nas performances, Quinn conseguiu dançar direitinho, e confesso que foi lindo. No meio da performance solo da Rachel, a reitora apareceu e ficou toda animadinha com as performances dos ND. Até “apitinho” com a boca rolou.

Depois disso, Mercedes e Kurt foram dar boa sorte para Unique, mas Wayne (a outra parte da Unique), estava enlouquecendo de medo. Os dois dera uma força, e o cara finalmente tomou coragem. O que deu um gancho para ficarmos sabendo que provavelmente ele vai para o ND ano que vem.

Depois da performance do Vocal Adrenaline, os juizes votaram. Lindsay votou nos ND, Perez no Vocal Adrenaline, e o vereador apoiou os ND também. Sendo assim, até que enfim, New Directions foram os campeões das Nacionais! Antes mesmo de saber quem eram os campeões, Jesse St James foi falar com a reitora, e disse que Rachel é a pessoa mais talentosa que ele já conheceu, e que ela não iria se arrepender em ter a garota do NYADA. Sem expressar nenhuma decisão, ela foi embora.

Mas voltando, foi lindo ver finalmente, em câmera lenta, os ND sorrindo, e não chorando. Quando eles apareceram no McKinley High andando lindos e divos no corredor com o seu troféu, copos de raspadinha apareceram, mas dentro deles, ao contrário do que estamos acostumados, existiam papeizinhos coloridos.

Finn ganhou os seus 1000 doláres, e Will conseguiu finalmente, dormir com a sua noiva. Naquele sentido.

No final do episódio, Figgins pede um favor à Rachel, Finn e o pessoal do New Directions. Fazer um discurso e se apresentar na hora de entregar o prêmio ao professor do ano. Não precisa nem dizer quem é né ? Will levou o prêmio, e foi super merecido. E ainda ganhou um discurso super emocionante dos seus alunos. Digamos que eu chorei na primeira vez que eu vi, chorei na segunda vez, e estou chorando agora pela terceira vez! Ok, sou sensível demais, eu sei. Mas que foi lindo, foi.

Sobre os números musicais:

Edge Of Glory foi perfeito! Sem comentários, as Troubletones sempre arrasam, mas dessa vez elas se superaram. Lea arrebentou, e colocou Celine Dion no chinelo com a sua performance de It’s All Coming Back To Me Now. Se a reitora não der uma vaga no NYADA para a Rachel depois dessa, ela precisa ser internada.

Precisa dizer alguma coisa de Paradise By The Dashboard Light? Maravilhoso. Me lembrou aquele velho Glee, aquele por quem eu me apaixonei há 3 anos.

Starships foi muito bom também, e Pinball Wizard não fica atrás. O Vocal Adrenaline usa de muitos efeitos visuais, e tudo ficou realmente lindo.

Tongue Tied foi uma performance linda, eles chegando na escola, as coisas acontecendo para todos eles. Foi lindo. Eu sei que usei muito essa palavra, mas realmente foi lindo. We Are The Champions, para mim, foi resumido em lágrimas. Me envolvo demais com as séries que eu assisto, e em momentos assim acabo sentindo um orgulho enorme dos personagens.

Que o próximo episódio, sendo o último da temporada, seja tão maravilhoso quanto esses dois!

Séries citadas:

19 anos, mora em São Paulo, ama futebol e estuda Jornalismo. Está no TeleSéries desde 2011 e assiste mais séries do que os seus dedos da mão podem contar. Ama todas, mas Everwood, Friends e The O.C. sempre vão reinar em seu coração.

5 Comments

  1. Weslei

    Só pra dexar registrado, os números músicais desse temporada foram incríveis. Curti muito FIX YOU no 3.3, e SOMEOBODY THAT I USE TO KNOW no 3.15, me apaixonei por essa música, tanto a original do Gotye quanto a versão do Glee. Mas pra mim essa temporada foi da Santana, me apaixonei pela Naya nesses meses, e pra mim nenhum número superou o Mash-upRUMOUR HAS IT/SOMEONE LIKE YOU da Adele no 3.6, assiti o episódio em novembro e apesar do número ter sido relativamente simples, foi o que eu mais gostei até agora.

  2. Thiago FLS

    Episódios impecáveis como esses dois é que me fazem ser um espectador fiel de Glee, apesar de toda a sua irregularidade. Por mim, a série poderia ter acabado aí.

  3. Bianca Mafra

     “Maravilhoso. Me lembrou aquele velho Glee, aquele por quem eu me apaixonei à 3 anos atrás.” –  Incrível que usei basicamente a mesma frase no facebook para falar desses últimos tres episódios. nem parece a mesma série que começou a temporada. Ainda torcendo muito por uma série cômica, mas mais adulta, spin-off com Rachel, Kurt e StJames em Nova Yorque temporada que vem. dedos cruzados!

  4. Bruna

    We are the champions me deixou arrepiada. É incrível como eles arrasam em todas as músicas do Queen… somebody to love, fat bottomed girls, bohemian rhapsody, we are the champions…

    Esses dois episódios foram sensacionais, espero que a season finale também seja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account