Log In

Reviews

Glee — Big Brother

Pin it


Série: Glee
Episódio: Big Brother
Temporada: 3ª
Número do Episódio: 3×15
Data de Exibição nos EUA: 10/04/12

Viemos de um episódio com uma carga emocional enorme, e depois de 7 semanas de puro sofrimento e muita ansiedade, esperávamos um episódio cheio de novidades e com grandes performances. Bom, não foi isso o que aconteceu.

Big Brother não chegou nem perto de ser o retorno que eu esperava que iria ser. No último episódio, Quinn sofreu um grave acidente e é óbvio que eu acreditava que o episódio ia ser todo baseado nela, mas não, como ma maioria dos episódios de Glee, ultimamente, a maioria do roteiro foi de Blaine e de seu irmão “maravilhoso e fantástico”.

Primeiro: Quinn. Depois do acidente que encerrou o último episódio, Quinn foi parar em uma cardeira de rodas, o que poderia ter sido muito pior. Ela podia ter morrido, e Glee sem Quinn, não é Glee.

Os médicos disseram à ela que ela poderia melhorar, e que logo ia sair da cadeira. Mas Artie, que tem experiência no assunto, não botou muita fé. Como a maioria do pessoal do Glee Club está no seu último ano da escola, eles combinaram de matar aula pela última vez. Artie, que estava tentanto ajudar a Quinn a se adaptar melhor a sua nova realidade, leva a loira para uma pista onde deficientes físicos se divertem,e praticam esportes. Quinn se divertiu muito, e por enquanto se “contenta” em estar viva, mas dá pra perceber que por dentro o que ela mais quer é sair da cadeira. Artie tenta falar a verdade pra ela, que ela não pode botar muita fé que vai andar novamente, e que precisa começar a aceitar a realidade.

Agora, o assunto “principal” do episódio: O irmão de Blaine, Cooper. Cooper é uma estrela de comerciais, com um ego muito cheio e que sempre, desde pequeno, criticava e colocava o seu irmãozinho pra baixo.

Amo o Darren, e acho o Blaine um personagem maravilhoso, mas tenho que confessar, que agora, faltando 7 episódios para o fim da temporada, queria episódios mais focados em Finchel e nos outros personagens. Eu não sei porque, mas sempre acho que o Blaine é um personagem no qual os produtores colocam muita história. É tanto história que chega a enjoar.

Cooper começa a dar aulas de atuação para o Glee Club, e ensina muitas coisas – no mínimo – estranhas. Depois de muita discussão e um momento nervoso de Blaine, Cooper confessa que critica tanto o irmão porque sabe do enorme talento que ele tem, e que quer sempre ver Blaine fazendo o seu melhor.

Com a Sue, as coisas foram um pouco tensas. Ela arrumou uma encrenca feia com a treinadora Roz Washington, que agora vai ser Co-capitã das Cheerios, alegando que Sue, grávida, não está dando conta de comandar as líderes. O modo que a Sue achou de acabar com essa “palhaçada” foi fazendo um trato com o Diretor Figgins, de que ela conseguiria fazer o New Directions campeão do Campeonato Nacional. Além disso, Sue, com o apoio do Will e da Emma, foi ao médico, e descobriu que a menina que está esperando pode nascer com algum tipo de deficiência. Mas pra qualquer tipo de coisa que venha a acontecer, o melhor conselho foi o da Becky: Paciência.

Finchel ? Nenhuma novidade, eles estão em crise de novo. Finn entrou em uma de achar que a Rachel só pensa nela mesma. Avá! Não me diga! E você só percebeu isso agora Finn ? Mas tudo bem, eu perdoo e nem me estresso, porque sei que logo eles voltam… Puck convidou Finn para abrir um negócio na Califórnia, e agora ele está pensando seriamente em ir pra lá, atender a um público de mulheres ricas. Mas se ele realmente ama a Rachel, por que pensaria em uma coisa dessas? Finchel, Finchel, Finchel. Como vocês me irritam e me agradam ao mesmo tempo!

Não gostei do episódio, e se eu pudesse, apontaria o meu dedo e gritaria, só pra vocês perceberem as minhas emoções. #CooperFeelings

Sobre os número musicais:

O mash-up Hungry Like the Wolf/Rio foi um ótimo número dos irmãos Anderson, que também arrasaram com Somebody That I Used to Know. Foi emocionante, mas não foi uma das melhores performances do Darren. Fighter foi péssimo. Desculpem, odiei.


Eu acho I’m Still Standing uma música ótima, mas a voz da Diana não é uma voz “uhu galera, ‘tô’ feliz, vamos animar”, é uma voz super fofinha, então não curti muito. Gostei bastante de Up Up Up. Gostei mesmo.

Musicalmente falando, Big Brother também foi um episódio que deixou a desejar. Agora é esperar, e rezar para que o episódio da próxima semana seja melhor!

Séries citadas:

19 anos, mora em São Paulo, ama futebol e estuda Jornalismo. Está no TeleSéries desde 2011 e assiste mais séries do que os seus dedos da mão podem contar. Ama todas, mas Everwood, Friends e The O.C. sempre vão reinar em seu coração.

5 Comments

  1. Thiago FLS

    Eu não consigo ouvir “I’m Still Standing” sem me lembrar do The Soup tirando sarro de Viva Laughlin:

    http://www.youtube.com/watch?v=38x9GdwxlXw 

    O único número que eu curti nesse episódio foi o último. Estragaram o mash-up do Duran Duran com o uso excessivo de autotune, e “Fighter” ganha o troféu nada-a-ver da semana.

  2. Paulo Serpa Antunes

    Júlia, este pra mim foi o pior episódio da temporada. E um dos piores da série. Esperava muito mais de uma volta do hiato.
    E achei especialmente ruim porque ele não dá perspectiva pro resto da temporada. Rachel e Finn se separando de novo? Sue virando mãe e ficando sensível (ou pior, perdendo um bebê e voltando a ser vilã?), Quinn de novo ficando bitch pra ficar doce de novo? Glee parece que vai voltar de novo a andar em círculos. Uma pena.

  3. Rafael Ruiz

    Concordo com o Paulo. Pra mim este episódio foi o pior da temporada e quiça um dos piores da série!
    Júlia também detestei Figther!
    E a história da Quinn? Ela sofre um acidente e o episódio volta com ela sem nenhum arranhão?
    PS: Este texto foi escrito a base de gritos e apontando meu dedo! #CooperFeelings

  4. Bruna

    Assim, o episódio em si não foi ruim, mas deixaram uma enorme lacuna em branco. Esse episódio poderia ter sido o próximo. Pra mim, a melhor música foi I’m still standing (digo, pelas cenas e tal, não a música em si). Blaine cantando Katy Perry fica bom, mas não dá pra ele cantar Christina né? As músicas dela ficariam boas com a Rachel e a Santana, e só. E Finchel entrando em crise de novo? O Ryan não consegue deixá-los bem durante uma temporada inteira mesmo.

  5. Lu

     Muito frustrada com esse episódio de Glee. Depois de sete semanas e um
    final de episódio daqueles… era isso que o Ryan Murphy tinha pra
    apresentar? Frases de efeito do tipo ‘ Enviar mensagens enquanto dirigia
    foi o maior erro da minha vida”? Ah, faz favor, né?

    Eu acho engraçado é que a temporada e esse ciclo estão para terminar e a história não parece estar caminhando para um fim, encerrando histórias, corrigindo falhas na trama, terminando de desenvolver certos personagens, como a Tina…Mas não, fica perdendo tempo com histórias bobas. Matt Bomer é lindo de morrer, mas o personagem dele é totalmente dispensável.

    Na boa, vou terminar de ver esse ciclo de Glee e vou encerrar a minha carreira de Gleek. Já deu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account