Log In

Reviews

Girls – It’s About Time

Pin it
Série: Girls
Episódio: It's About Time
Número do Episódio: 2x01
Exibição no EUA: 13/01/2013
77.6
3.8
5

A série mais gordinha da atualidade está de volta, e agora com dois Globo de Ouro na bagagem – melhor série de comédia e melhor atriz de comédia (Lena Dunham). A produção já havia sido indicada aos Emmys das mesmas categorias, mas não levou nada pra casa na ocasião. Ainda assim, a comédia está longe de ser uma unanimidade. A premiação despertou a ira de muitos, principalmente dos que defendem que nem de uma comédia se trata. Boa parte do mérito do hype vem da criadora e protagonista, que fez um belo trabalho na frente e por trás das câmeras, além de ajudar fortemente na divulgação, mesmo quando a série no ar. Agora vamos falar do episódio de estréia da segunda temporada.

O principal acerto da trama foi não ter parado no tempo. A série andou, mesmo quando não estávamos assistindo. A pressa era tanta que eles nem se preocuparam em explicar exatamente o que aconteceu com os personagens nesse tempo. Coube ao telespectador identificar nas entrelinhas os fatos que levaram à atual situação de cada personagem. E qual a melhor maneira de estrear uma temporada de Girls senão com uma festa? Apesar de muitos convidados, apenas os personagens conversavam entre si (deve ser muito triste ser figurante dessa série). As cenas do karaokê foram a melhor coisa da TV desde o começo do ano. A festa serviu pra reunir os personagens e dar andamento aos conflitos de cada um.

A Shoshanna foi dispensada pelo Ray após perder a virgindade e estava lutando pra fingir que não se importava. Cheguei a sentir pena da moça, mas quando ele disse que ela mandava SMS com emoticon, não teve como não dar razão pra ele. Comecei a imaginar o facebook dela. Mas ainda assim, quando está perto, ela é uma boa companhia. Todo mundo tem uma tia assim. A cena acabou em beijo, claro.

Marnie percebeu que parece uma idosa até quando comparada à mãe. Não que a mãe seja algum exemplo de maturidade, longe disso. Pelo pouco tempo que a personagem teve em tela, podemos perceber que provavelmente a mais ranzinza das girls é assim justamente pra não se tornar o que viu em casa enquanto crescia. Mas ao fim do episódio, chegou à conclusão que não adianta fingir ser o que não é, conselho esse que saiu da sua própria boca e voltou como se batesse em um espelho. Acabou dormindo com o ex, com quem já tinha terminado, voltado e terminado (alguém manda um pouco de auto-estima pra esse cara, porque ele é o que mais precisa ali).

A Hannah foi a que teve mais mudanças. Cuidando do namorado que tinha sido atropelado no último episódio da primeira temporada (ele precisa daquele cuidado todo? Ao que parece, ele apenas quebrou uma perna. Tem gente por aí subindo o Cristo Redentor de cadeira de rodas) e já cansada da relação, precisava tomar coragem pra terminar o namoro. Os papéis inverteram. Se antes ela era a insegura que mendigava o amor dele, agora é ele que implora para que ela não o deixe. A personalidade da personagem reflete a personagem da própria Lena, que com a confirmação do seu sucesso, não tem motivos pra se sentir tão insegura. A última cena confirma isso, quando ela entra no apartamento do novo namorado e tira a roupa muito segura de si.

A Jessa passou na frente na fila do táxi, descobriu que não sabe nem onde mora e achou isso a coisa mais incrível do mundo. Ou seja, não mudou nada.

Girls está de volta. E quem ignorar essa temporada corre o risco de ficar de fora nas rodinhas dos mais descolados. Ou pelo menos das timelines. Agora é torcer pra que ela amadureça, mas não muito, já que o melhor dela é essa falta de irresponsabilidade e seriedade.

Séries citadas:

Analista de Sistemas, mas só porque assistir séries não dá dinheiro. Fã de Six Feet Under, Breaking Bad, comédias da NBC, Happy Endings e qualquer coisa que Aaron Sorkin escrever. Não tem vergonha de falar que gosta de Grey's Anatomy e Revenge.

4 Comments

  1. Paulo Serpa Antunes

    Alô Tiago, bom te ter de volta no TeleSéries.

    Eu achei o episódio bom, acima de média da temporada passada. Obviamente, jamais daria nota 4,5. Girls tem que melhorar muito pra ganhar esta consideração comigo. Mas o que a Maria Fernanda observa abaixo é verdade: o episódio foi engraçado, engraçado como Girls nunca havia sido antes.

    Outro ponto positivo é que Girls, pelo visto, vai se tornar a série em que todos querem estar: abrir a temporada com participações da Rita Wilson, do Donald Glover e seguir contando com o Chris O’Dowd e o Andrew Rannells (que agora é protagonista de série da NBC) é sinal que a série tá com bala na agulha!

  2. Pingback: Destaques na TV – Domingo, 20/1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account