Log In

Gastronomia

Gastronomia – Bebendo um Fuzzy Navel, comendo uma Chicken Pot Pie com Rizzoli & Isles

Pin it

Este é um post-companion à review de Mariela Assmann para o episódio Sailor Man de Rizzoli & Isles publicada aqui.

Bartender:

“Loirinha bonitinha? Havia um bando delas aqui.”

Jane Rizzoli:

“E que tal uma com a bandeira americana pintada no rosto?”

Bartender:

“Eu estava muito ocupado fazendo Fuzzy Navels.”

Vince Korsak:

“Fuzzy Navels?”

Bartender:

“Um-hum. Licor de pêssego, suco de laranja, limonada. Bebida de mulher. Eu vendo litros disso com os garotos da Marinha na cidade.”

Jane Rizzoli para Maura Isles:

“Suco de laranja no colarinho dela.” 

O Fuzzy Navel [algo como “umbigo indistinto”] é um drinque que teve origem nos EUA nos anos 1980, junto com a leva de misturas que receberam nomes sugestivos como Sex On The Beach, Silk Stockings, Slippery Nipple, etc. A receita original é simples e consiste de partes iguais de licor de pêssego e suco de laranja. A variação descrita neste episódio é menos alcoólica porque a proporção de licor cai para 1/3 em vez de 1/2, mas também existe uma variação mais alcoólica chamada Hairy Navel [“umbigo peludo”] que adiciona uma medida de vodka ao coquetel.

Maura Isles:

“Sombrinhas nas bebidas. Começou na década de 1930. Qualquer coisa polinésia era considerada selvagemente exótica.”

Comecei a acompanhar a série há pouco tempo, mas já me apeguei à Maura. Gosto dos personagens nerd que soltam comentário trivial aleatório no meio da conversa, igual a Abby e o Duck em NCIS, o Greg em CSI, o Reid em Criminal Minds, etc.

A receita – Fuzzy Navel

Ingredientes:
60 mL de licor de pêssego
60 mL de suco de laranjai
60 mL de suco de limão

Modo de fazer:
Misture tudo e sirva num copo com gelo. A sombrinha é opcional.

Titia Batata adverte: Não existe isso de “bebida de mulher”, cada indivíduo tem o seu nível pessoal de tolerância ao álcool que se altera de acordo com inúmeras variantes [conteúdo estomacal, hidratação, uso de medicamentos, etc]. Na dúvida, a dica é não abusar e evitar enviar mensagem de texto em locais ermos.

Jane Rizzoli:

“Isso é a torta de galinha da mamãe? [chicken pot pie no original]”

Frankie Rizzoli:

“Ela queria que Maura experimentasse.”

Maura Isles:

“Que gentil! Obrigada. Hmmm! Isto está delicioso, Jane.”

Jane Rizzoli:

“Eu sei, ela é mesmo ótima cozinheira.”

Uma pot pie é uma torta servida na própria fôrma em que foi assada, assim sua massa é mais leve do que a torta que é desenformada e servida numa travessa. A pot pie nem precisa da massa de fundo, pode ser feita apenas com uma cobertura crocante sobre o recheio cremoso de ave e legumes – aliás, é como eu prefiro. A massa no fundo fica encharcada e acaba pesando no estômago.

A receita – Chicken Pot Pie

Ingredientes:
Massa

2 xícaras [chá] de farinha de trigo
1 colher [chá] de sal marinho
150 g de manteiga gelada em cubinhos
água gelada que baste [mais ou menos 100 mL]

*Se preferir, use sua receita de massa podre de empada ou compre massa folhada pronta, ou use biscoitos água e sal triturados com manteiga ou até batata fatiada em lâminas [se mora nos EUA, pode usar aquela massa enlatada de biscuit].

Recheio
75 g de manteiga
1 /2 xícara [chá] de farinha de trigo
400 mL de caldo de galinha
200 mL de leite
1 colher [chá] de sal
1 /2 colher [chá] de noz-moscada ralada
500 g de peito de frango sem pele e sem osso, em cubos, já cozido
1 xícara [chá] de cenoura em cubinhos
1 xícara [chá] de salsão em cubinhos
1 xícara [chá] de cebola picada
1 xícara [chá] de ervilha ou milho verde
1 gema de ovo

Modo de fazer:
Misture a farinha e o sal. Junte a manteiga com a ajuda de um fouet ou talheres pra não derreter a manteiga com o calor das mãos. Cuide também para não incorporar muito a manteiga na farinha, o ponto certo é quando estiver parecendo farofa. Junte a água gelada às colheradas até formar uma bola. Divida em duas porções, enrole em filme plástico e deixe na geladeira durante 4h, no mínimo. Na hora de usar, retire e abra com um rolo.

Preaqueça o forno a 220º C.

Derreta metade da manteiga em uma frigideira grande no fogo baixo. Adicione a farinha e misture bem por um minuto. Tire do fogo e junte o caldo de galinha, misturando até desfazer os empelotados. Acrescente o leite, aumente o fogo para potência média até levantar fervura. Depois de um minuto, desligue o fogo e misture o al, a noz-moscada e o frango. Reserve.
Em outra panela, derreta o resto da manteiga no fogo baixo, adicione os vegetais e cozinhe por cinco minutos até ficarem macios. Misture tudo ao creme de frango.

Coloque o recheio num refratário médio [23 x 33 cm, por exemplo, ou redonda alta de 22cm de diâmetro] e cubra com a massa. Com um garfo, pressione a massa na borda da forma para que o recheio não borbulhe e escorra pra fora. Corte o excesso de massa, que poderá ser reaproveitada. Faça um pequeno corte no centro da torta [servirá como exaustor do vapor[, pincele com a gema batida e leve a assar por meia hora.

Nota: Essa receita é uma boa pedida para aproveitar as sobras de frango assado.

Séries citadas:

8 Comments

  1. Flávia Ribeiro Varsano

    Nunca vi Rizzole e Isles, mas acho então que eu também gostaria da Maura, já que adoro os comentários da Abby e do Duck em NCIS, do Greg em CSI, do Reid em Criminal Minds…Não como galinha, então a torta não me apeteceu. Já esse Fuzzy Navel parece bom hein…

  2. Anônimo

    flávia, só galinha ou qualquer ave? porque dá pra fazer com peru também [sobra tanto no natal!].

  3. Mariela Assmann

    Naomi, já te disse que AMO teus posts?? Sou fã, de verdade. São os mais apetitosos do mundo. E agora, bóra encarar uns Fuzzy Navels? =D

  4. Pingback: Domingueiras « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account