Log In

Reviews

Game of Thrones – You Win or You Die

Pin it

Série: Game of Thrones
Episódio: You win or you die
Temporada:
Número do Episódio: 1×07
Data de Exibição nos EUA: 29/05/2011

Corro o risco de me tornar repetitiva, mas é necessário, mais uma vez, elogiar o episódio de Game of Thrones. Esse foi um episódio de diálogos densos e importantes, e de surpresas.

Logo no início de You Win or You Die, fomos apresentados para Tywin Lannister, que recebe do filho Jaime a notícia de que deverá se apresentar à Corte, para responder pelos crimes de Sir Clegane, convocado por Ned Stark.

Enquanto descarna um veado (que ‘coincidentemente’ é o símbolo dos Baratheon, Casa do amado genro de Tywin), o Lannister-pai dá uma lição de moral no filho, chamando-o de tolo, e, embora em outras palavras, de covarde (se ele agisse sempre assim, eu poderia até simpatizar com Tywin). No final do papo, Jaime é enviado pelo pai para resgatar o ‘pior dos Lannister’ (na minha opinião o melhor deles), Tyrion. Mal eles sabem que o duende já está livre. Fica evidente que Jaime não sabe lidar bem com a pressão do pai, que cobra que o filho ocupe, imediatamente, lugar de destaque em Westeros, e não como capacho de Reis. Vamos ver qual será a postura de Jaime a partir de agora.

E de um diálogo importante, passamos direto para outro, ainda mais tenso. Lord Stark confronta Cersei, informando-a que saber de seu caso com o irmão. Ned avisa a rainha que contará a verdade para Baratheon assim que ele voltar da viagem de caça, e aconselha que Cersei parta com os filhos para longe, pois assim que souber da verdade, Robert ficara furioso. Mas o conselho mais sábio foi dado pela Rainha. Disse que Ned deveria ter sentado no trono de ferro quando teve oportunidade, e não entregá-lo para Robert. E alertou que, quando se joga o jogo do trono, ou se ganha ou se morre. Mas Lord Stark ou não foi astuto o suficiente para compreender a mensagem ou, homem honrado que é, decidiu continuar com a idéia original, mesmo temendo o que isso pudesse lhe custar (prefiro acreditar nessa segunda hipótese).

A cena seguinte também apresentou um diálogo bastante revelador (apesar do ambiente e das distrações que ofereceu aos marmanjos de plantão). Ficou bem claro que Baelish não superou, nem de longe, o amor que sente por Lady Stark. E através da história contada por ele, ficamos sabendo um pouco mais do passado de Catelyn e Ned, do porquê do casamento. Mas apesar de todo ressentimento do ‘cafetão’, juro que não imaginei o que viria a seguir.

Lá pelas bandas de Winterfell, cada vez fica mais na cara o descontentamento do Senhor das Ilhas de Ferro, Theon Greyjoy, com o tratamento comum que recebe. E é certo que essa insatisfação terá reflexos em breve. Aguardemos.

Pausa dramática: Estou aguardando ansiosa o inverno chegar. Ainda mais depois da conversa da sósia da Belatriz Lestrange sobre as coisas que dormem de dia e caçam à noite. MEDO.

Mais ao norte, na Muralha, o cavalo de Benjen Stark retorna sem seu cavaleiro. Snow acredita que o tio possa estar perdido nas terras além dos limites de Westeros. Mas promete que o encontrará, já que será patrulheiro. Só que, supreendentemente, Snow é designado para o cargo de intendente pessoal de Comandante Mormont. É claro que ele não gosta nada da história, mas acaba se convencendo de que se acatar as ordens que recebe pode tornar-se comandante, no futuro. No final do episódio, ao prestar o juramento, perante aos Deuses Antigos, além da Muralha, Snow é surpreendido pelo fofíssimo lobo Fantasma, que traz uma mão congelada na boca. Tensão à vista.

E olha, sei que isso é beeem chato, mas EU AVISEI que não era hora pra caçar e beber. Westeros desmoronando e o rei fanfarrão sai para demonstrar sua virilidade? Isso não podia acabar bem. Voltou literalmente rasgado por um javali (que será, ECA, servido no banquete do velório). No leito de morte Baratheon passa o poder para as mãos de Ned, que governará até que a fofura do Jeoffrey tenha idade para governar. E ainda pede que o amigo ajude o seu (COF, COF) filho a se tornar um rei e uma pessoa melhor que ele. É claro que Stark não tem coragem de despejar a verdade sobre os filhos de cabelos dourados sobre o amigo, que morre sem saber das ‘aventuras em família’ da esposa Cersei.

Ainda agonizando, Baratheon decide rever a ordem de matar Daenerys. Mas é tarde, pois o corvo mensageiro já partiu. Só que, como era previsto, o plano de matar Dany dá errado, e serve apenas para despertar a fúria de Khal Drogo (que é um fofo com a esposa, mas no resto do tempo…). Agora nos resta aguardar o dia em que os Dothraki subirão nos ‘cavalos de madeira’ e atravessarão o mar, para espelhar pânico e destruição pelos Sete Reinos (sério, tive medo da cena de Drogo espalhando sua fúria pela tenda!).

Decidido a fazer Justiça, Ned decide convocar Stannis Baratheon para assumir o trono, já que, como irmão mais velho de Robert, seria seu sucessor legítimo. Apesar de Renly tentar dissuadir Ned, o Senhor de Winterfell persiste em sua ideia inicial.

Para conquistar o controle dos Sete Reinos, até a chegada de Stannis, Ned pede ajuda à Baelish, que promete conseguir o auxílio da Patrulha da Cidade. Após a morte de Baratheon, Jeoffrey assume o trono, amparado pela mãe. Ned entrega, então, a carta de últimas vontades de Robert, e informa que é o Protetor do Reino, e que Jeoffrey não tem direito ao trono.

É então que começa o entrevero. O novo Rei ordena que Ned seja morto pela sua guarda, mas Lord Stark tem a Patrulha da Cidade ao seu lado. É quando Ned afirma que não quer sangue derramado que a matança começa, deixando todo mundo sem entender nada. E, no final das contas, percebemos que a mágoa de Baelish é maior, e mais perigosa, do que imaginávamos.

E agora, o que nos reservam os últimos episódios da 1ª temporada de Game of Thrones? Quem subirá ao trono? Khal Drogo conduzirá seus homens e cavalos por sobre as águas? Infelizmente, teremos que aguardar o próximo episódio para conhecer essas respostas, e, certamente, muitas outras perguntas.

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

7 Comments

  1. Anônimo

    Só não digo que este episódio não deixou pedra sobre pedra porque ainda tem muita coisa para acontecer, mas foi maximamente avassalador. Sabia que Baelish ia aprontar uma presepada das boas (ele mesmo avisou), mas eu não estava esperando para tão já.
    Nossa, agora os visigodos-dothhraki já decidiram e não vão demorar muito para fazer a travessia. Não bastassem os inimigos  de casa (acho até que são os mais perigosos), Lord Stark vai ter de enfrentar os dothhraki e aqueles sobrenaturais aterrorizadores. Pobrezinho…

  2. Anônimo

    Que bom, Paulo, coloque mesmo em dia para comentar conosco. Saudade do tempo que eu encontrava você nas resenhas do Teleséries, dos seus comentários inteligentes e bem-humorados (se bem que, na maioria, bem ácidos…)

  3. Missmodern6

    Ótima review, Mariela!

    O clima azedou de vez em Westeros e a tendência não deve ser melhorar. Maldito Mindinho!

  4. Anônimo

    Eu li o livro, agora estou no 2º volume, e posso adiantar que, definitivamente, o inverno está chegando…

  5. Mariela Assmann

    Nossa Kelly, agora o MEDO cresceu! To ansiosa pelos dois últimos episódios! =]

  6. Anônimo

    Mariela, já vi o 8o. epi. Nossos herois estão em uma fase que dá dó. Mas com o inverno chegando (não dá mais para a gente se enganar, conforme Kelly está dizendo) a coisa vai piorar mais ainda!
    Bem, aguardo sua review da 8o.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account