Log In

Reviews

Game of Thrones – A Man Without Honor

Pin it

Série: Game of Thrones
Episódio: A Man Without Honor
Número do Episódio: 2×07
Exibição: 12/05/2012

Menos ação, mais conversa. Foi de conversas – e um pouco de sangue espirrando – que A Man Without Honor foi feito. Sobrou diálogo pesado e tenso no episódio, e quase todos os papos foram interessantes, embora alguns tenham sido um tanto quanto repetitivos,oque acarretou em um episódio mais “lento”. Além disso vimos a confirmação do que eu falava na semana passada. Robb e Snow não tem um quinto da esperteza de Arya.

Tá, a culpa nem foi do Robb, dessa vez. Ele não poderia imaginar que enquanto negociava a rendição, Jaime tentaria fugir – nem coberto da própria *palavra censurada* ele deixa a empáfia de lado, né? -. Mas levar a enfermeira com ele foi uma espadada no pé – pra manter as coisas na época certa – e abriu brecha pra seus vassalos, que querem sangue, se rebelarem e questionem suas atitudes. A sorte dele é que Catelyn é praticamente uma Pagu – aquela que é mais macho que muito homem –  e colocou todos em seus devidos lugares, com a assessoria sempre bem vinda de Brienne. A cena dela com Jaime, o homem sem honra em questão, que tá pra morrer mas continua com a língua afiada, foi ótima. Como assim questionar a honra de Stark? Apesar de concordar com boa parte do discurso de Jaime acerca da dificuldade em se manter a honra em Westeros, eu faço um pedido: estraçalha ele, Catelyn (embora eu tenha certeza que isso não ocorrerá, já que a morte dele pode significar a morte de Sansa e – até onde Cat sabe – de Arya).

E não pensem que Robb é o mais tapado da família. Esse privilégio é de Snow, que passou o episódio inteiro discutindo sua masculinidade (porque quando Game of Thrones não mostra, ela precisa referir, detalhadamente) com a selvagem Igritte, que manipulou o sonso de bom coração direitinho. Agora ele está lá, sem seus irmãos da muralha e sem Fantasma, perdido no meio da imensidão branca e gelada e cercado de selvagens. Como ele sairá dessa?

Antes de falar dos espertos da família Stark, pausa pra comentar o drama de Sansa – que não é esperta demais nem de menos. A garota menstruou, e o pavor de gerar monstrinhos filhos do Joffrey tomou conta dela. E com razão – cá entre nós, Tyrion sabe escolher mulher, né? Adoro sua “prostituta”. E isso ainda gerou um dos melhores diálogos do episódio, entre Sansa e Cersei, que finalmente percebeu o monstro que o filho é. Os conselhos dela para a “nora” foram ótimos, especialmente aquele pedaço referente ao amor enfraquecer a pessoa. Mostrou uma Cersei mais humana, quase amedrontada diante da vida, que sofreu nas mãos de um Robert fanfarrão e sem amor, e que se culpa por amar ao irmão (que, pelo jeito, foi um ótimo “marido”). E por falar nisso, adorei os momentos dela com Tyrion. Foi a primeira vez que percebi afeto entre eles.

Bran Stark é esperto que só. Adorei ele priorizando a estratégia à fome. Tomara que eles consigam correr muito a frente de Theon e seu séquito enlouquecido. Sim, porque não acreditei nem por um minuto que os corpos carbonizados são de Bran e de Rickon. Se forem eles, cadê Osha e Hodor? Agora, se forem elesmesmo, há um problema a vista. O choro chegará atrasado.

Mas Arya ainda é a mais esperta dos Stark, embora a cada dia que passe Tywin esteja mais perto de desvendar a verdade. Ele já sabe que a garotinha não é plebéia, e Arya não tem feito muito esforço para esconder sua cultura. E apesar da cena da faca, e da vontade de ver o Lannister pai morto, acho que Arya se sente a vontade com ele. Gosto muito dos papos deles. Só torço pra que eles não acabem entregando a pequena – fã das mulheres guerreiras.

E por falar em guerreira, Daenerys está enlouquecida após o roubo dos dragões. E com razão, já que quase todo seu pequeno khalasar foi morto na ação. Ela está desconfiando de todos, até de Jorah (já entendemos que ele ama a khaleesi, produção). Mas pelo menos ela tem se mantido afastada de Xaro. Eu temia que se “afastando” de Mormont ela acabasse caindo na lábia do mercador. Que, no final das contas, é pior do que eu pensava. Dos imortais sobraram poucos (por falar em sobrar, sobram cenas de assassinato coletivo em GoT).  Só o alpinista social e o charlatão, mesmo. Um mais louco que o outro. E preciso confessar que não vejo a hora de descobrir a identidade da mascarada, e rever os dragõezinhos, é claro.

Por fim, é preciso falar de Theon. Que perdeu completamente a razão. Nessa vibe de querer deixar o lado “tolo” de fora da equação, o Greyjoy tem se mostrado cada vez mais irritadiço e cruel. É claro que esses aspectos da personalidade dele estavam lá já na primeira temporada. Mas os Starks controlavam eles. Agora, com incentivo, isso tudo aflorou e tem crescido exponencialmente. Não sei qual é o limite do idiota nervosinho, mas creio que teremos uma ideia no próximo episódio, que se chamará The Prince of Winterfell. Então só nos resta esperar o próximo domingo chegar!

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

4 Comments

  1. biancavani

    E já que Mariela tocou no quesito “esperteza”, Igritte ganhou disparado de todos. É certo que Snow não tinha a menor chance (pelo seu histórico, pela sua pureza, etc.) contra aquela jogadora, mas, de qualquer modo, com as poucas cartas que tinha, fez uma partida estupenda. 

    Os Starks boys estão sob o império dos sentidos. Estão dominados pelo “gênio da espécie”, como diria Shopenhauer. É compreensível.E a frieza de Jaime?! Ele não tem nem um pingo de superego. Ele assassinando aquele tolinho deslumbrado foi chocante – talvez a cena mais chocante de toda a série. Mas uma coisa não se pode deixar de reconhecer em Jaime: mesmo jogando criancinhas da torre, matando pessoas tão crédulas e inocentes, ele desafia e enfrenta a morte sem piscar.Ah, mas então Cersei sempre soube que seu filho mais velho tinha um “probleminha”. É, o incesto não é bem uma  imoralidade/pecado, mas os frutos que pode resultar… Mas fiquei desconfiada do momento desabafo dela com o irmão. Fico achando que ela está, com isso, visando aos seus objetivos de sempre.Para mim o epi apresentou muita ação: psicológica, de prenúncio de novos elementos no jogo. Como em uma partida de xadrez, em que os jogadores estão aparentemente paradões, mas seu cérebro está a mil. Muita coisa – e da pesada! – acontecendo com muitos personagens… Mas então agora Sansa precisa ir ao mercado comprar absorventes… 

  2. Cakki

    Mto boa a tua review, Mariela!

    Tbm achei esse episódio mais arrastado, acho que o fato de ele ter vindo depois de um episódio cheio de reviravoltas (Theon invadindo Winterfell, roubo dos dragões, etc) deixou ele mais lento ainda.

    E, de fato, as meninas Starks (inclusive a Sansa) e os meninos mais novos Starks são mto mais ligados e espertos nos fatos que os rodeiam do que Robb e Jon… Os guris, especialmente o Robb, tá invertendo as prioridades (digamos que sair com a namoradinha é o menos importante perto da guerra, Theon em Winterfell e recuperar as irmãs de Porto Real).

    No mais, no contagem pelo reta final de GoT!

  3. Navate

    Ainda acho que a Arya iria pro céu quando conhecesse a Brienne… ainda mais quando souber que ela está com a mãe!

    De longe, Arya é meu personagem favorito! E sem dúvida, a mais esperta dos Stark!
     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account