Log In

Reviews

Game of Thrones – A Golden Crown

Pin it

Série: Game of Thrones
Episódio: A Golden Crown
Temporada:
Número do Episódio: 1×06
Data de Exibição nos EUA: 22/05/2011

Que episódio foi esse? Mais uma vez, os diálogos foram perfeitos. É impressionante que mesmo quando o ritmo do episódio é mais lento (leia-se sem tantas batalhas) Game of Thrones prende completamente a atenção do espectador.

Em A Golden Crown tivemos um bom desenrolar das histórias iniciadas nos últimos episódios.

Na capital dos Sete Reinos, tem tensão para todos os lados. Os Starks e os Lannister estão frente a uma iminente guerra, após a captura de Tyrion por Lady Stark e a briga entre Jaime e Lord Stark. A rainha Cersei exige que o marido posicione-se a favor dos Lannisters, porém nada feito. Baratheon prefere reconduzir o amigo ao cargo de Mão do Rei, mas exige que Tyrion seja libertado e que Eddard ‘acerte os ponteiros’ com Jaime.

Contudo, a guerra entre os Lannister e os Starks fica ainda mais próxima, já que Eddard, ocupando o trono do rei (que hora para sair caçar e beber, eim, Robert?), determinou a morte de um dos cavaleiros ligados à Tywin, o patriarca dos Lannisters. Não contente, Eddard convocou Tywin à corte, para pagar pelos crimes de seus homens (que andaram saqueando e estuprando pelos Sete Reinos). Também não ajuda no ‘processo de paz’ que Lord Stark tenha descoberto (era meio evidente, ele é a cara do tio) que o carismático príncipe Joffrey (sim, isso foi a maior ironia dessa review) e seus cabelos dourados são filhos de Jaime Lannister. Ou seja: muita água ainda vai passar por debaixo desta ponte.

É evidente também o crescente desconforto de Renly Baratheon com a postura mais agressiva (e mulherenga) do irmão. Creio que ainda veremos muitos conflitos entre os irmãos, ainda mais depois que o Cavaleiro das Flores incitou Renly a tomar uma posição mais firme no sentido de ocupar o trono (no episódio passado).

Os conflitos também estão presentes em Winterfall. Theon Greyjoy está cada vez mais insatisfeito com seu status junto aos Starks (relembrando: Theon foi colocado aos cuidados da família Stark após a morte de seu pai e irmãos, na rebelião que esses comandaram contra o Rei Robert). Theon tenta incitar Robb, que está exercendo o cargo de Senhor de Winterfell, a dar seguimento na guerra contra os Lannister em Rochedo Casterly, local no qual Jaime procurou refugio após a briga com Lord Stark. Sugestão rechaçada por Robb.

Rápida pausa para um momento feliz (mas rápida meeeesmo): Bran cavalgando, após muito tempo acamado (lembrando que isso só foi possível graças ao duende Tyrion, que projetou a sela especial). Mas logo Bran encontra alguns selvagens, e escapa por pouco da morte (mais uma vez, essa criança está ligada no perigo). Nem mesmo o ato de Theon, que salvou Bran, foi capaz de acalmar os ânimos entre ele e Robb. Portanto, temos mais um conflito em vista, já que logo Theon deve tomar uma postura menos ‘passiva’ no relacionamento com os Starks.

Como se não bastasse todos os conflitos e as intrigas na capital e em Winterfell, a situação no Ninho da Águia também não é das melhores. Tyrion, o duende, está preso em uma cela nada convencional, prestes a cair no nada. Alardeando sua fortuna, consegue ficar perante Lady Arryn (está aberta a disputa para criança mais insuportável – Joffrey X Robin), e mostra mais uma vez todo seu senso de humor e sua sagacidade. Após um duelo entre o escolhido de Lady Arryn e a alma caridosa que aceitou lutar por Tyrion, o duende ganha liberdade, e se livra do cativeiro e de sua raptora – Lady Stark. Agora resta saber se o ocorrido fará Tyrion participar mais ativamente das tramóias dos irmãos ou não (confesso que acredito no bom coração do duende).

Mas, como tragédia pouca é bobagem, precisamos falar da situação amistosa em Vaes Dothrak. Daenerys, cada vez mais Khaleesi, come (ECA) o coração de um cavalo, inteiro e cru. Após ‘o lanche’, é saudada pelos Dothraks como uma verdadeira rainha, já que carrega no ventre um Khal ‘garanhão’, o que deixa o já perturbado Viserys ainda mais atormentado.

O ‘Dragão Platinado’ tenta sair de Vaes Dothrak com os ovos de dragão que Daenerys ganhou como presente de casamento, mas é impedido por Mormont. Contrariado, Viserys enche a cara e volta pra festa, e exige que lhe seja dado o que lhe foi prometido em troca da irmã: uma coroa de ouro. Cumpridor de sua palavra, Drogo dá uma coroa de ouro para o jovem Targeryan, ainda que não fosse a coroa que ele desejava. É o adeus do “Dragão Platinado”, que no final das contas não descendia dos dragões, como sabiamente anota nossa querida Khaleesi (sim, eu sinto um misto de pena e carinho por ela). E ainda ficou uma deixa para desenvolverem a história dos dragões, já que, aparentemente, Daenerys é imune ao fogo.

Por tudo isso (e mais um pouco), foi mais um maravilhoso episódio da belíssima Game of Thrones. Mal posso esperar para o que está por vir.

P.S. 1: Acho Arya uma fofa, ainda mais quando se preocupa com a família e faz piada com a cara da irmã, Sansa, que está mais pra sonsa: quem, em sã consciência, trocaria um bom rapaz (corajoso, gentil e forte) por aquele príncipe metido e medroso?

P.S. 2: não quero nem pensar no que vai acontecer quando o inverso chegar. Se a situação já está caótica, imagina só quando a escuridão e a neve tomarem conta de tudo. MEDO.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

4 Comments

  1. Mariela Assmann

    Dos episódios anteriores fizemos o balanço da temporada. Confere lá.

  2. Anônimo

    E os atores são fantásticos, não? Eu sabia que conhecia a rainha, fui ver na Wikipedia, ela foi a mulher do Leônidas (300) e a Sara Connors (de Cronicas de…); ela representa tão bem a mocinha quanto a morcegona má. O irmão dela tambem: foi um cara superafável e cool na série Amsterdam, e agora é o lado mais negro da força. Sem falar nos demais atores, perfeitos todos, faz a gente amar alguns e odiar de morte outros, tão excelentes suas interpretações.
    A abertura da série, meu Deus, me fez lembrar Carnivàle (Mariela, assista esta, também da HBO, dá para encontrar para download). A crueza de cenas violentas e algumas de sexo também me fizeram lembrar Rome (outra nota 10 de HBO).
    Enfim, mais uma série de qualidade para nós, e, por ser da HBO (canal por assinatura, que evidentemente tem em mira audiência, mas de uma determinada parcela da população, e não TODA a população), tudo indica que vai ter outras temporadas – sorte nossa. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account