Log In

Notícias

FX exibe versão americana de Life on Mars

Pin it

Elenco de Life on Mars

Tem seriado novo chegando no FX. Em abril, o canal com programação voltada ao público masculino da Fox estreia a versão norte-americana de Life on Mars. O primeiro episódio vai ao ar no dia 16, quinta-feira, às 23h, e terá transmissão simultânea nos canais FX e Fox.

Unindo ação policial, reconstituição histórica e ficção científica, a série conta a história de um detetive que, após um acidente de carro, acorda 35 anos no passado, na Nova York de 1973.

Remake da cultuada série inglesa de mesmo nome, Life on Mars estreou nos Estados Unidos em outubro do ano passado cercada de expectativas. Em especial por conta do elenco cheio de estrelas, formado pelo carismático Jason O’Mara (In Justice, The Agency), Michael Imperioli (em seu primeiro papel depois de Família Soprano), Gretchen Mol (de filmes como Poucas e Boas e Os Indomáveis) e por marcar a estreia do veterano ator Harvey Keitel em um seriado de televisão.

A versão americana, no entanto, acabou não repetindo o sucesso da original britânica, e terá apenas uma temporada. Ainda assim o programa terá 17 episódios, um a mais do que a série original.

O episódio final, que promete solucionar a trama do detetive Sam Tyler e encerra a trajetória da série, irá ao ar nos Estados Unidos no dia 1º de abril.

No Shopping UOL, você encontra a trilha sonora da versão original de Life on Mars.

Com informações da assessoria de imprensa da Fox.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

6 Comments

  1. JefersonSc

    Será que é uma boa invesir em uma série fracassada? De qualquer modo estamos precisando mesmo de novas séries por aqui, mesmo que ja tenha seu final decretado.

  2. Davi Garcia

    Jeferson, eu acho que vale muito à pena. A série foi cancelada, mas terá final, o que não deixa de ser um sinal de respeito com os fãs. Ela não é melhor que a versão inglesa, mas seguramente diverte e busca caminhos próprios sem tentar copiar demais a matriz. A ambientação da série em Nova York aliás, é um dos grandes trunfos dela.

    Boa notícia que o Fx irá exibí-la por aqui, porque geralmente é um dos poucos canais que escapa do festival de desrespeitos com os assinantes, ainda que seja ligado ao grupo Fox.

  3. Fernando dos Santos

    Espero que eles não se limitem a copiar o final do original britânico.Caso eles façam um final diferente, vou assistir do contrário penso que não vale a pena acompanhar.

    Quanto ao FX, eu considero que ele desrespeita muito o telespectador.Tentar acompanhar as séries que vão ao ar no canal nas noites de quarta e quinta é um teste para os nervos de qualquer um.Nestes dias por causa das transmissões esportivas, a emissora muda o horário de exibição ou simplesmente não exibe as séries e o pior é que faz isto sem avisar previamente.

  4. Túlio

    Oi Fernando, qual dia em que houve problemas com jogos no lugar de série?

    Lembrando que atualmente quarta-feira não tem série no FX, mas sim filme. O único dia da semana que passa série é exatamente na quinta. As outras são todas no domingo (The Office, My Name is Earl, It’s always sunny).

  5. Ike

    Não sei se a versão USA conseguiu pegar o espírito do original UK, com trilha sonora, gírias e cultura pop 70s, mas o elenco é muito bom.
    Quanto ao FX ser um canal que respeita os assinantes: cortaram a segunda temporada de ‘The Unit’ sem explicações; mudaram ‘Rescue Me’ e ‘Burn Notice’ para a Fox, onde caíram na lama da dublagem; sentaram em cima da IV temporada de ‘ReGenesis’, série que o canal exibe para o resto do continente (‘Miércoles’, 17h). Respeito tá difícil.

  6. Rafa Bauer

    Eu gostei da transposição pra NY, mas acho que a série não deu certo porque faltou química, ou algo mais que não sei explicar… hehehe
    Talvez não fosse dar certo em temporadas longas como é nos EUA, anyway…

    Mas com certeza o final americano vai ser diferente… Imagina se uma rede aberta exibiria um final tão anti-hollywoodiano como o da versão britânica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account