Log In

Reviews Spoilers

Fringe – The Firefly

Pin it

Fringe - The Firefly
Série: Fringe
Episódio: The Firefly
Temporada:
Número do Episódio: 3×10
Data de Exibição nos EUA: 21/1/2011

E quem diria que Fringe é uma historia de amor? Não. E sim. Não é um romance água com açúcar, mas é sim um seriado sobre o amor de pai e filho, sobre os erros e acertos, sobre crescimento, perdão, amadurecimento… quem diria que no mundo bizarro de Fringe, este é um elemento muito importante.

Este belíssimo episódio foi sobre isso, um pai que teme a todo segundo perder o seu único motivo para continuar vivo. Foi também sobre um pai que recebeu uma segunda chance para se despedir do seu filho e, por último e não menos importante, para as decisões que temos que tomar diariamente e que ao contrario do que pensamos, não impactam apenas na nossa vida, e sim na de todos ao nosso redor.

Meu medo, além da série ser cancelada, é John Noble não ser merecidamente indicado a um grande prêmio por seu personagem complexo, carismático e louco. Aliás, neste episódio em especifico tivemos John Noble e Christopher LIoyd nos dando atuações soberbas.

Um resumo rápido do episódio:

Um paciente (Lloyd) em um asilo recebe a visita de seu filho morto há muito tempo. Imagem via satelite mostra que o observador está por trás do aparecimento deste “fantasma”. O paciente em questão é o antigo tecladista da banda que Walter era fã. Com o desenrolar da trama, descobrimos que quando o observador salvou Peter e seu pai no passado, o desequilibro que ocorreu no universo fez com que o filho do ex-musico morresse em um acidente de carro. Ao final descobrimos que toda a trama criada pelo observador foi um teste para saber se Walter estava disposto a deixar seu filho ir quando o momento dele chegar.

Confuso, eu sei, mas nem que eu quisesse poderia resumir essa trama, não da foma que nos foi mostrada. Todo medo de Walter ao descobrir o quanto o erro dele custou caro, Peter correndo risco de morrer e sendo salvo por Olivia, e toda coisas loucas envolvendo viagem no tempo, reação em cadeia (alguém mais lembrou do filme Efeito Borboleta?) e por ai vai. Apesar de ser um episódio sem grandes reviravoltas, mostra porque a série tem sido bastante elogiada, apesar de sua pequena audiência.

Fringe - The Firefly
Uma opinião sobre o futuro da série:

Antes de mais nada quero deixar claro que não sou fã de spoilers e por isso esta opinião é apenas uma opinião, baseada apenas em suposições.

Bom, dito isto, o medo que todos temos é que a série termine em sua melhor fase. Eu tenho a sensação que haverá uma renovação, já que o buzz que a série gera é bom. Mas, com essa renovação, acho que Peter morre…. Bom, agora que você provavelmente já me chamou de louco deixa eu explicar. Peter morre e descobrimos um terceiro universo. Antes de conhecermos a realidade alternativa, a série comentou sobre isto, sobre cada decisão a ser tomada existir vários futuros, o Observador frisou isto neste episódio, e eu simplesmente acho que Peter morre porque surgirá mais um universo.

Novamente, é confuso não há nada mais que eu possa dizer para dá mais força a esta opinião. Apenas que a série nesta temporada foi longe, ousou muito, e para uma possível renovação teria que ocorrer algo mais ousado ainda. Quem concorda comigo? ou quem tem uma opinião sobre o futuro da série? Só lembrando que não pode ser spoiler, a graça é tentar advinhar o futuro e não estragar a surpresa de todos.

Séries citadas:

11 Comments

  1. Pingback: Tweets that mention Fringe – The Firefly -- Topsy.com

  2. Anônimo

    Olá Paulo, ainda não assisti esse episodio.
    Fringe no momento é a única serie que me surpreende e emociona a cada episodio. Que me faz pensar nos seus mínimos detalhes e revelações, e que deixa aquela sensação gostosa de quero mais. Walter é esplendido no drama, na comedia e em toda sua loucura.
    Obs: Paulo você postou o Review do Episodio 09?

  3. Paulo Fiaes

    Oie Aline… acabamos não postando, ou ao menos não fiz o texto, infelizmente. no fim do ano passado, com a correria, acabei deixando o editor na mão, sorry… publicamos este para ficarmos em dia com a série lá fora e para que com isso não haja mais atrasos

  4. Bill Gates

    Alguém acha que os observadores são o povo do THE FIRST PEOPLE?

  5. Anônimo

    Spoiler para quem não viu o epi 11:

    E depois do epi 11o. essa idéia do Paulo sobre Peter morrer está parecendo muito possível. Peter matando (mesmo que tenham sido metamorfos), mentindo com desfaçatez: humm, geralmente esses são punidos pelos roteiristas…
    Por falar nisso, acho que não só Walternativo como o nosso bom Walter morrerão no fim, num grand finale que a gente chora uma semana…

  6. Anônimo

    Bill Gates, eu não tinha pensado não que os observadores fossem do First people. Bem legal se for isso. Observadores e First people são os mistérios que mais gosto em Fringe.

  7. Paulo Fiaes

    alguém é viciado em quadrinhos? eu não, rsrs. mas nas revistas que lembro ter lido há um tempo da marvel, havia algumas historias que tinha um observador, que era tipo um ser que observava tudo que acontecia no universo e registrar todos os grandes momentos, estes observadores também podiam contar historias do “e se” e com isso alterando a realidade…. eu tenho quase certeza que os personagens tem haver com isso, em maior ou menor grau.

    sobre o futuro da série, como disse, acho que vai ser renovada, e precisa de algo chocante, ou uma civilização avançada e com isso os 02 universos se unem, o que acham? ou a morte de Peter e a existência de mais universos. já vi o ep 11 e achei engraçado q meio que criou base para o que eu tinha dito aqui, e novamente, eu fujo de spoilers.

    agora são os temas que também mais gosto Bia, tanto First people como os observadores, seria legal Bill se fosse isso mesmo.

  8. Anônimo

    Sobre os quadrinhos, estou pensando em entrar neste universo. Tem coisa muito boa, por exemplo V (o de Vingança) é fantástico, tanto a estética mesmo quanto a história (uma das mais amadas pelos anarquistas do mundo todo). E também conheço umas pessoas muito interessantes que sabem tudo de quadrinhos.
    Uma das primeiras referências que tive de ficção científica foram as revistas de quadrinhos do meu tio – e isto contribuiu bastante para formar meu gosto.

    Também acho que uma das linhas de Fringe será a conciliação dos dois universos atualmente em conflito.Isto foi sinalizado pelo sacrifício do Boyles-2 e a promessa de Liv (entre outros sinais).

    Uau, Paulo, um terceiro universo?! Cool!

    Ultimamente, passei a não sofrer tanto pelos cancelamentos – quando a série tem um final decente. Exemplo: Rubicon, Caprica, BSG…. Só lamento que o popularesco esteja ganhando da Arte… Mas, pensando bem, não foi sempre assim?

  9. Paulo Fiaes

    é… tem muita coisa boa em quadrinhos, li e assisti watchmen e achei sensacional… tem um especial do aranha, intitulado “Azul” que poderia ser muito bem o roteiro do filme e seria melhor do que o primeiro que já foi feito, e que eu também gostei muito. Nos cinemas, tanto Nolan quanto Snyder tem feito trabalhos muito bons baseado nos quadrinhos.

    eu tenho uma opinião que Sci-Fi será o maior gênero dessa década. Na verdade, de certa forma já foi na década passada. Nos cinemas tivemos Harry Potter (e nos livros também), ainda tivemos Avatar, filmes baseados em quadrinhos e outros excelentes filmes sci-fi.

    nas séries tivemos Lost e BSG, na minha humilde opinião, as duas melhores séries da década. vai la que ainda não assisti sopranos e the west wing que é muito bem comentada por amigos meus.

    enfim, só por aí já dá pra notar que Sci-Fi traz mais liberdade para um autor e se bem feito às vezes consegue chamar a atenção da massa

    meu único problema é quando uma série com muito potencial é cancelada cedo demais por falta de publico, kings é um nome que me vem em mente, mas como você disse, isso não é novidade.

  10. Anônimo

    Kings: obrigada pela dica; estou baixando. Estava mesmo procurando uma boa série para preencher meus dias até a volta de Doctor Who, Torchowood e outras.

    Concordo: BSB e Lost são duas das melhores da década. Olhando em perspectiva, acho que o que aconteceu é que a série atraiu em massa o público de “espírito científico”, nerds, e congêneres, e quando o final apresentou os Losties naquele não-lugar, esse público se sentiu logrado, julgando que toda a série tinha a ver com religião, com espiritismo (o que absolutamente não é verdade). Coitados,

    Firefly tinha muito potencial. Gostei muito, também, de Farscape, Lexx, e mesmo Odissey 5 (bem legal, com uma ideia diferente sobre viagem no tempo, atores ótimos (meu preferido é o supercafajeste-cínico- inglês, e boas histórias; é outra que só teve uma temporada…. Ah, e Carnivàle: good, excelent stuff…

    A despeito de o objetivo dos produtores quase sempre ser a audiência (leia-se: lucro), às vezes é também a busca do prestígio e da arte pela arte. Por isso, apesar de tudo, nossa boa vidinha de apreciadores de séries de qualidade pôde e poderá ser levada sem maiores angústias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account