Log In

Reviews

Friday Night Lights – Thanksgiving

Pin it


Série: Friday Night Lights
Episódio: Thanksgiving
Temporada:
Número do Episódio: 4×13 (season finale)
Data de Exibição nos EUA: 10/2/2010
Emissora nos EUA: DirecTV
Data de Exibição no Brasil: 24/9/2010
Emissora no Brasil: AXN

Eu perdi a conta de quantas vezes consegui me emocionar com os episódios de Friday Night Lights. Por esta série já fiz resenhas até pessoais demais (coisa que dificilmente faço no meu blog pessoal ou no TeleSéries, por ter medo de me expôr demais para meus leitores). Decerto, só de estar escrevendo minhas opiniões já estou me expondo, dando a oportunidade das pessoas me julgarem a partir das palavras que são escritas neste espaço.

Eu lembro que o episódio The Son foi o que mais me emocionou e que mais me trouxe vontade de falar sobre algo que realmente havia me deixado triste naquele momento. Pois em Thanksgiving, que é a season finale desta quarta temporada, me sinto novamente daquela mesma forma. Se tem uma coisa que sinto medo é de perder as pessoas, principalmente aquelas que eu amo e que sempre estiveram comigo. Este deve ser um medo de qualquer ser humano.

Em compensação, vivo só. E isso, de vez em quando, me deixa confortável sem a pressão de estar com ninguém. Mas, de uns tempos para cá, não tem sido exatamente assim.

Para falar do episódio precisei mesmo fazer esta pequena introdução. O Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos é algo que as pessoas levam mesmo muito a sério. È o momento de reunir a família e de viver coisas boas. Porém, em Dillon, todos estavam apreensivos pelo jogo decisivo entre os Panthers e os Lions.

Para o time do “Coach” Taylor, seria a partida para dar início a um orgulho que eles sempre buscaram durante toda esta temporada, seja na reconstrução da escola, seja na luta por dias melhores do lado “East” ou, ainda, para reconstruir um time que ficou tanto tempo perdido e que ninguém dava conta. Para os Panthers, era a vitória os colocaria nos playoffs e que todos contavam.

Mas antes desse jogo emocionante, que consagrou aqueles que sempre lutaram, o discurso de Billy Riggins no jantar de Ação de Graças tratou de colocar o tom “emoção” que esse episódio viria a ter. Mesmo antes disso, todas as cenas estavam extremamente carregadas de sentimentos, que foram tão bem transmitidos pelas músicas que tocavam e que nos faziam simplesmente ficar pensativos assistindo tudo aquilo.

Enquanto isso, ainda tivemos boas cenas entre Matt e Julie, onde a sinceridade mais uma vez imperou entre eles. Aliás, não se podia esperar nada mais do que isso. É difícil se despedir da pessoa que você ama, porque você parece ter encontrado finalmente alguém para contar, alguém para te fazer companhia quando não existir mais ninguém. Entretanto, cada um deve seguir os seus sonhos em um determinado momento do amor. Nem sempre o amor será o sentimento que irá fazer sentido nas nossas vidas, pois existe também a realidade e existe a vontade de cada um querer (e poder) fazer o que quiserem.

Foi assim que Julie pensou em um belíssimo diálogo com Matt, que havia chegado a hora dela perseguir os sonhos dela. E ela que viu tantas pessoas indo embora, parece que finalmente a vida e as responsabilidades bateram à sua porta. E ela parece estar preparada para seguir em frente. O mesmo acontece com Tami, que desistiu do cargo de diretora da West Dillon e, agora, promete ajudar a East Dillon em sua recuperação. Mal posso esperar para ver tudo isso acontecer na próxima temporada que, provavelmente, deverá ser a última.


E o que dizer de Tim Riggins? Eu nunca havia pensado em um final para ele, na realidade. Sempre imaginei que ele ficaria sozinho, ou que ele estaria em algum lugar bebendo e lamentando alguma coisa que deixou passar. A cena entre os irmãos, um abraçando o outro, e o momento em que Tim vai definir o seu destino, mostrou o porquê de eu dizer tanto por aqui que esta série é realmente especial, ela sabe tratar dos problemas e, acima de tudo, sabe fazer com que cada personagem ganhe seu espaço na trama.

Friday Night Lights busca a realidade em meio a tramas que podem até soar fictícias, apesar de estarem se baseando em um livro que foi escrito com base em eventos reais. De qualquer maneira, teremos que esperar um pouco mais para saber o futuro de cada um desses personagens, o amadurecimento de alguns e a volta por cima de outros. De alguma forma, a série me marcou com algumas tramas relatadas nesta temporada. Depois de 13 capítulos, percebemos que muita coisa mudou e, além disso, se pode ver o quanto esta série amadureceu os seus personagens para enfrentar os dramas que foram colocados ao longo da temporada. Agora, é esperar pela próxima!

* * *

Adaptado de texto publicado originalmente no weblog Sob a Minha Lente.

Séries citadas:

10 Comments

  1. Naianne Lara

    The Son foi um dos ultimos episódios que teve coerência pra mim, depois tudo desandou. Becky e a gravidez; Tami e a cidade contra ela, o romance de Julie e Matt….Landry de novo querendo algo que não vai ter, enfim….acho que tudo meio que desandou. A finale deixou a sensação de que faltou algo pra ser dito. Foi emocionante com certeza, mas faltou muita coisa.

    Eu não engoli o por quê Matt e Julie tinham de terminar e muito menos a prisão de Tim, não que ele merecesse ter um final “feliz”, numa fazenda, bebendo o dia inteiro, mas nunca imaginei que ir para a cadeia seria seu destino. Por mais que as razões sejam nobres, as atitudes dele me parece convenientes considerando que ele é o primeiro a sabotar qualquer possibilidade de crescer na vida.

    Mas to ansiosa pela quinta temporada. FNL vai deixar muita, muita saudade.

  2. Mica

    Oxe, é mesmo! Mas é que a primeira vista não tinha dado XD
    Também, eu já testei todos as opções de comentários. Alguma tinha que funcionar! hehehe

  3. Paulo Serpa Antunes

    Mica, você que usa bastante o Twitter, já testou usar o login e senha do Twitter aqui? Pode ser mais prático, especialmente se você está sempre logada.

  4. Eduardo

    Um episódio de cinco estrelas pra finalizar a temporada, que foi como um todo revigorante e excepcional.

    Foi arriscado introduzir tantos novos personagens no meio de uma série dessa forma sem comprometer as tramas e os rumos dos personagens antigos. Mas Katims e companhia conseguiram balancear tudo isso.

    A ausência de Jeffrey Reiner não comprometeu nem um pouco a qualidade da direção, que continua transmitindo intimidade e realismo sem precedentes em cada cena.

    Era inevitável que Tim Riggins fosse ter um final de certa forma trágico. Mas, ao mesmo tempo, foi uma vitória pro personagem conseguir evoluir além do beberrão sem rumo e tornar-se uma figura heróica e capaz de enxergar um futuro, e dar os primeiros passos para torná-lo realidade.

    Becky não foi uma personagem tão complexa ou definida, mas serviu como um trampolim essencial tanto para Tim Riggins, quanto para Luke e Tami Taylor.

    Tami provavelmente foi quem mais sofreu após aconselhar Becky. E que performance de Connie Britton nessa temporada. Foi uma bela forma de trazer a intolerância do povo de Dillon a tona, e dar um novo rumo para Mrs. Coach.

    Matt Saracen andava perdido desde a morte do pai, e Julie mais jogada a escanteio ainda. Foi legal dos roteiristas darem um ponto final para eles, que fechasse esse arco de forma satisfatória tanto pra eles quanto pro público. Também foi uma boa jogada colocar Landry na carona de Matt pra Chicago.

    Por fim, a vitória final dos East Dillon Lions contra os Dillon Panthers foi um dos momentos mais bem merecidos do ano. A temporada inteira foi construida para esse auge. Também deixou em perspectiva como a vinda dos McCoy destruiu o espírito original dos Panthers e deixou os East Dillon Lions como o novo time em busca de uma liderança honesta.

    Me lembro que a população de East Dillon tinha uma certa relevância no filme de 2004. Foi legal trazerem eles pra série. Vince teve uma jornada e tanto, assim como sua ex, que acabou voltando para seu lado.

    Espero com antecipação pelo quinto e último ano.

  5. Giselle Prudente

    Friday Night Lights é perfeita.
    Adorei esta temporada.
    Só não gostei da Becky.
    Adoro o Matt e a Julie juntos mas achei o final dos dois perfeito.
    E o meu Tim ?
    Não esperava um final feliz pra ele mas ir pra prisão foi um pouco demais.
    E pra fechar adorei a vitória dos East Dillon.
    Agora é aguardar a última temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account