Log In

Notícias

FlashForward e The Good Wife perdem seus showrunners

Pin it

Joseph Fiennes em FlashForwardMudanças nos bastidores das séries FlashForward, da ABC, e The Good Wife, da CBS. Ambos novatos e com a produção de uma temporada completa já garantida, os programas perderam esta semana seu showrunner.

Marc Guggenheim deixou a produção de FlashForward e quem assume é o co-criador e co-produtor executivo, David Goyer. O mesmo aconteceu na semana passada com The Good Wife, que viu Dee Johnson ser afastado, deixando a série nas mãos do casal co-criador Michelle e Robert King.

A imprensa americana especula que a ABC não estaria satisfeita com o desenvolver da trama de FlashForward pós-piloto. A falta de experiência de Guggenheim como showrunner pesou muito, além de Goyer saber executar bem o cargo, já que fez a mesma função em Eli Stone, co-criação sua.

Goyer será responsável pelo desenvolvimento criativo dos nove episódios adicionais da série, além dos 13 primeiros originalmente encomendados.

Texto publicado originalmente no weblog de Pedro Beck.

Séries citadas:

16 Comments

  1. Bruno Luz

    Espero que a saída do Marc Guggenheim venha pra melhor, porque potencial a séria tem! Sobre David Goyer… o cara já mostrou em Eli Stone que sabe fazer bem-feito!

  2. Pedro Paulo

    A escolha foi boa pra Flash Forward, que está arrastada, e ruim pra The Good Wife, que cada dia está mais perfeita.

    Espero que FF melhore e TGW mantenha este excelente nível.

  3. Caio

    Tomara que ele recupere FlashForward, porque a serie prometia muito, mas depois do segundo episodio foi ladeira a baixo.

  4. Bruno A.

    “A falta de experiência de Guggenheim como showrunner pesou muito, além de Goyer saber executar bem o cargo, já que fez a mesma função em Eli Stone, co-criação sua.”

    Acho que é o contrário. Guggenheim (de Eli Stone) foi contratado para suprir a falta de experiência de Goyer. Assim, com a série embalada, ele saiu e Goyer pode dar seu tom dark a série. Pelo menos, foi o que eu li.

  5. Fernando dos Santos

    Ainda bem que não colocaram o Brannon Braga pra comandar FF.Já é um bom começo.

    Gostei da nomeação de Goyer para o cargo.Se não me engano era ele quem comandava Blade-A Série(ou era o Geoff Johns?).De todo modo eu gostava daquela série embora ela tenha durado pouco.

    Quanto a The Good Wife eu não conheço o currículo dos produtores.Não sei se a mudança pode ser boa ou ruim.

  6. Eduardo

    Guggenheim havia assumido FlashForward porque Brannon Braga tinha contrato pra oitava temporada de 24 Horas, a qual já está bem adiantada.

    Braga sem dúvida vai assumir FlashForward na próxima temporada, caso seja renovada. E não vejo problemas com isso, até porque ele sabe conduzir uma série com experiência de sobra em Star Trek. Ele criou FlashForward e sabe o rumo que a trama deve tomar, assim como Goyer.

    Não conheço Good Wife, mas uma pena abrirem mão de Dee Johnson. Ela é uma boa roteirista que possuia bastante experiência como produtora em ER. E com o futuro de Southland aberto, ela fica sem opções no momento.

  7. Claudemir Antonio Zamproni

    Espero que as mudanças não venham para atrapalhar o andamento das duas séries. Sós e for para ficar melhor ainda; estou acompanhamdo-as e gostando muito.

  8. Claudemir Antonio Zamproni

    Espero que as mudanças não venham para atrapalhar o andamento das duas séries. Só se for para ficar melhor ainda; estou acompanhamdo-as e gostando muito.

  9. Fernando dos Santos

    O que me deixa com um pé atrás em relação ao Brannon Braga é justamente sua experiência com Star Trek.Ele quase destruiu a franquia.

  10. Eduardo

    Acho excessivo dizer que Braga ajudou a destruir Star Trek. Enterprise levou um tempo, e teve seus erros iniciais, mas evoluiu e acabou descobrindo sua identidade, tornando-se uma excelente série. Scott Bakula foi uma ótima escolha para ser o primeiro capitão de uma Enterprise.

    Já o problema de Voyager era que os roteiristas trabalhavam com as mãos amarradas já que os executivos da Paramount não deixavam que eles aproveitassem tramas mais ousadas e com repercussões na série. Tanto Braga quanto Bryan Fuller admitiram isso. Voyager podia ter sido tão bom quanto DS9.

    Além disso, Braga roteirizou alguns dos melhores episódios de A Nova Geração, dentre eles o excelente Cause and Effect, no qual a Enterprise era destruída diversas vezes, mas permanecia voltando, presa em um loop temporal. Ele também escreveu os melhores episódios sobre fobia de teletransporte, usando seu medo de voar como base pros personagens.

    E o filme First Contact, de 1996, foi co-escrito e produzido por ele. Acabou sendo um dos melhores filmes dentre os 11 produzidos.

    O problema é que a franquia se saturou, mas a culpa tem de ir pra Paramount. Foram eles que forçaram a manutenção de Jornada por tanto tempo. Braga estava apenas cumprindo seu contrato.

  11. Jo

    é muito conveniente que ele culpar a paramount, DS9 foi foi uma excelente série, com excelentes roteiristas, recebendo elogios até hoje, realmente Enterprise tinha grande potencial, bons personagens, mas tudo no que ele se preocupou foi em destruir tudo o que foi dito antes, especialmente com relação aos Vulcanos recebendo várias reclamações dos fãs, tentaram consertar na 4 temporada mas ai já era demais… quanto ao Brian Fuller pode ser verdade, os tempos são outros e existe muito mais controle e expectativa com relação a uma série

  12. Eduardo

    DS9 não era exibida em rede nacional de TV. Ela passava pelo processo de “syndication”, então não tinha o mesmo peso ou influência da Paramount sobre suas decisões criativas. Isso garantia mais liberdade a Ira Behr e sua equipe de roteiristas, ao contrário de Voyager, que era o carro-chefe da recém-formada UPN (hoje conhecida como CW). Ninguém podia tentar algo ousado em Voyager, sem ser censurado pela rede.

  13. Fernando dos Santos

    Eu gosto muito de DS9, sou fã de carteirinha da série.No entanto os demais spin-offs de Star Trek nunca me agradaram plenamente.
    Next Generation ainda se salvava pelo elenco carismático mas as histórias eu achava muito fracas, embora reconheça que eles conseguiram melhorar um pouco a partir da quarta temporada.
    Enterprise e Voyager eu sempre achei dispensáveis.Por tudo isto é que não simpatizo com o Brannon, ele ditou um estilo muito sem sal para a franquia(com exceção da visceral e brilhante DS9).
    Eu sei que ele tinha de lidar com imposições da Paramount, mas é justamente sob censura que o talento muitas vezes pode aflorar.Um artista talentoso e sabedor das artimanhas do show business vai saber como driblar o sistema e inserir aquele algo a mais que faz a diferença.Por outro lado, um mero escritor de aluguel vai apenas cumprir o contrato.

    P.S.:Não estou tentando eximir a Paramount, que sem dúvida é a grande culpada pelos maus momentos que Star Trek passou nesta década.Contudo, não consigo ver o Braga apenas como inocente util nesta história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account