Log In

Memória

‘Firefly’ – Não podem tirar o céu de mim

Pin it

Entre estreantes da temporada e novidades das séries atuais a Comic Con 2012 realizada em San Diego na última semana proporcionou um momento especial aos fãs saudosos da série Firefly e reuniu elenco e produtores em comemoração aos 10 anos do seriado.

Ovacionados por um salão lotado de fãs que passaram a noite acampados na fila do evento para acompanhar o reencontro, os atores Nathan Fillion, Alan Tudyk, Summer Glau, Sean Maher, Adam Baldwin, mais o produtor Tim Minear, o roterista Jose Molina e o diretor Joss Whedon se emocionaram, responderam perguntas e trocaram elogios em um bate papo com a cara de Firefly, intercalando brincadeiras e momentos comoventes.

 

Tudyk lembrou que logo no primeiro dia Fillion lançou uma brincadeira sobre decorar nomes da equipe e aquilo uniu a todos. Sean explicou que para ele a série não se tratava de ficção cientifica estava mais para um faroeste depois do apocalipse.

Sobre seus personagens Summer disse que se inspirou nela mesma com 17 anos para fazer River e Fillion destacou que o Capitão Reynolds foi o trabalho mais importante de sua carreira.

Whedon disse que eles sabiam desde o inicio que estavam fazendo a coisa certa, pelas razões certas e com as pessoas certas. Ele enfatizou que aquele foi o melhor elenco com o qual ele já trabalhou e que os fãs eram parte de tudo aquilo.

Foi dada como possível uma revista em quadrinhos com as histórias de Inara. Já sobre uma série animada Whedon disse preferir um programa de rádio e Tudyk e Fillion improvisaram a radionovela Firefly.

Ficou com saudade? Então que tal recordar?

Era uma vez…

Num futuro não tão distante daqui, Malcolm Reynolds é o capitão da Serenity uma nave espacial de transporte médio tipo Firefly. O braço direito de Mal é a corajosa Zoe (Gina Torres). Seis anos atrás, os dois combateram ao lado dos Independentes contra as forças da Aliança, só que em número muito menor perderam a guerra.

Malcolm mantém seus ideais e compra a nave visando à liberdade que o céu proporcionaria e reúne uma tripulação que busca o mesmo. O engraçado Wash (Alan Tudyk) é o excelente piloto da Serenity e marido de Zoe. A meiga e sonhadora Kaylee (Jewel Staite) é a competente mecânica da nave e o ganancioso Jayne (Adam Baldwin) é o homem das armas. Já a bela Inara (Morena Baccarin) é uma acompanhante de luxo que aluga um dos dois transportes independentes da nave para morar.

A Serenity realiza trabalhos que segundo Malcolm podem ser ilegais, mas nunca desonestos. Na falta de trabalhos maiores o jeito é dar carona para quem possa pagar pela viagem. Assim, se somam à tripulação da Serenity o engomadinho Simon Tam (Sean Maher) e o pastor Book (Ron Glass).

Logo eles descobrem que Simon é um médico proveniente de uma família rica e é procurado pela polícia por ter libertado sua irmã River (Summer Glau) uma jovem super dotada do poder da Aliança. Simon é inteligente e River um gênio. Ainda garota ela foi estudar na Academia, mas lá ela se tornou um experimento e agora é uma jovem traumatizada e instável que a Aliança quer de volta a todo custo. Ao descobrir a história dos irmãos, Malcolm decide aceitá-los em sua tripulação e escondê-los do governo.

Enquanto Kaylee se encanta por Simon, Malcolm arrisca a vida para defender a honra de Inara em um duelo de espadas e Simon tenta descobrir o que fizeram com River e como ajudá-la.

Simon e River são sequestrados para que o médico cuide dos enfermos de um lugar aparentemente calmo onde poderiam viver bem… só que River lê a mente de uma menininha muda e a população acredita que ela seja bruxa e querem queimá-la, então, Malcolm e sua turma resgatam os dois.

 

 

Por dinheiro Jayne tenta entregar os irmãos, mas o plano dá errado, ele volta atrás e os ajuda a escaparem. No entanto, Malcolm descobre a influência de Jayne no ocorrido e o avisa que Simon e River são sua tripulação e não tolerará traições.

Kaylee segue tentando conquistar Simon, Malcolm e Inara seguem implicando um com o outro e fingindo que não se gostam. Para complicar mais ainda as coisas em uma visita a um povoado qualquer Malcolm acaba casado em um ritual que ele não sabia o que significava e a querida esposa é uma golpista que direciona a nave para uma rede espacial e foge. Nada que a eficiência de Wash e Kaylee e a boa mira de Jayne não possa resolver.

No aniversário de Simon, a Serenity sofre uma pane, para no meio do nada e tem poucas horas de oxigênio. Malcolm decide enviar seus tripulantes, quatro a quatro, nos dois transportes avulsos da nave enquanto ele permanece na Firefly.

Sozinho, Mal consegue ajuda, acaba ferido, conserta a espaçonave e desmaia. Quando acorda ele descobre que todos estão de volta à Serenity.

Em uma emboscada, Malcolm e Wash acabam raptados e torturados. Zoe consegue pagar o resgate de Wash, mas não consegue a libertação de Mal. Então, a tripulação se une e vão todos salvar o capitão. No meio da operação regaste, River salva a vida de Kaylee e atira em três oponentes com os olhos fechados.

As atitudes de River, ora uma inocente criança, ora uma inteligente e agressiva pessoa, passam a preocupar toda a tripulação.

No entanto, quando um caçador de recompensas invade a Serenity em busca da garota colocando a vida de todos em risco, River rapidamente elabora um plano, Malcolm confia nela e tudo termina bem. A Serenity segue sua viagem.

… e então…

Firefly estreou nos EUA em 20 de setembro de 2002, com apenas 14 episódios produzidos a série foi abruptamente cancelada e saiu do ar depois da exibição do 11° episódio em 20 de dezembro de 2002. A série de Joss Whedon, mesmo criador de Buffy, a caça vampiros e Angel, teve os seus três episódios inéditos transmitidos entre junho e julho de 2003.

Os fãs da série tentaram evitar o cancelamento e até buscaram outra emissora para continuar a produção, mas nada adiantou. No entanto, graças ao interesse dos fãs a série foi disponibilizada em DVD no final de 2003 e gerou ainda a produção do filme Serenity (Serenity, a luta pelo amanhã) lançado em 2005 que traz um final para a série, que alias eu optei por não colocar, pois traz algumas situações impactantes e fatais (spoilers demais rsrs) para quem só acompanhou a série.

Firefly tinha um pouco de tudo que um seriado precisa pra ser especial, uma série futurista com uma atmosfera de faroeste, muita ação, boa dose de humor, uma pitada de romance e sem deixar de fora a quantidade certa de mistério. Sem dúvida deixou aquele gostinho de quero mais.

Apesar da curta trajetória da série e de estar 10 anos fora do ar, para os fãs a viagem da Firefly não tem fim e Joss Whedon compartilha desse sentimento, como deixou claro no encerramento do painel na Comic Con ao declarar que “Quando você acaba de assistir um ótimo filme, você se sente como parte daquele mundo. Quando você conta uma história, na verdade está tentando se conectar com as pessoas e de um jeito muito particular. É como convidá-las para participarem desse mundo. Vocês habitaram esse mundo, esse universo e tornaram-se parte dele. Quando em vejo vocês (fãs), eu não penso que o seriado está fora do ar. Eu penso em espaçonaves e cavalos… A história ainda está

…viva”.

Séries citadas:

25 anos, Jornalista formada pela Unesp/Bauru. Responsável pela Coluna Memória. Adora um bom livro e não dispensa uma boa música. Mas, confessa que é viciada em séries desde que se conhece por gente. Friends, Angel, One Tree Hill... Game of Thrones, Hart of Dixie, Arrow, The Vampire Diaries, The Originals...

10 Comments

  1. Dres

    Uma série maravilhosa que surgiu de repente e me conquistou. Já acompanhava os trabalhos de Joss Whedon em Buffy e Angel e gostava bastante, mas com Firefly ele saiu do universo que ele mesmo criou dos Vampiros e passou para o espaço. Episódios emocionantes e com muita ação temperados também com muito bom humor fazem de Firefly uma série que será sempre lembrada pelos fãs como uma diversão sem fim. Uma pena o fato de ter sido cancelada de forma tão repentina, afinal tantas porcarias ganham temporadas completas de 22 a 26 episódios só para depois serem canceladas ( Leia-se Ringer), já a série de Whedon só ganhou 14 episódios. Realmente uma pena não terem sido produzidos mais episódios saciar nossa vontade de séries de qualidade no ar. De uma a duas vezes por anos faço minha maratona de Firefly, assisto todos os episódios e de final o filme, acho que farei isso para sempre para homenagear meus heróis que viverão para sempre em nossas lembranças.

  2. biancavani

    De fato, foi maravilhosa. A grande ironia é que Castle, uma série apenas razoável, já está na 4, 5a. temp., e Firefly ficou só na primeira.
    Já algumas vezes que escritor/diretor/atores (Fillion, especialmente) não arquivaram a ideia de algum dia voltar com a série. Torço por isso.

  3. Juninho

    FOX eu te odeio,foi responsavel por cancelar as melhores séries já feita…
    Cancelou nossa eterna Firefly,depois cancelou Terminator: The Sarah Connor Chronicles também com a Summer Glau, e por fim cancelou Dollhouse também do Joss Whedon.
    Só lamento…

  4. Pingback: Após 10 anos da estreia, veja por onde andam os atores de ‘Firefly’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account