Log In

Reviews

Falling Skies – Young Bloods

Pin it
Série: Falling Skies
Episódio: Young Bloods
Número do episódio: 2×04
Exibição nos EUA: 01/07/2012
97
4.8
1

O episódio Young Bloods não faz mistério com o nome e foca nas crianças e jovens, uma característica permanente em produções do Steven Spielberg. A primeira cena já começa com Matt (apelidado de Eminem?) servindo de isca para os skitters e o desfecho rendeu algumas risadas. Por outro lado, os efeitos especiais ficaram devendo um pouco na hora em que os alienígenas chegam perto de Matt. Os skitters são feitos como bonecos de verdade manipulados por vários homens dentro deles, mas nos movimentos de mais ação são usados os efeitos especiais de computador, os quais nessa cena não colaram muito bem.

O pior foi que vi um erro de continuidade, alguém mais? No final da cena, Tector e o outro batedor Boon aparecem olhando de frente para o Matt (aparecem os ombros deles e o garoto ao fundo encostado na parede). Mas eles na realidade deviam estar bem em cima do garoto ou no máximo no telhado ao lado de Matt por causa da direção do primeiro tiro e principalmente devido aos takes anteriores em que Matt olha para o skitter e atrás do alienígena, onde deveriam estar os batedores não tem ninguém e nem sequer o prédio é o mesmo em que depois aparecem Tector e Boon. Mesmo assim, vi esse “detalhe” na segunda checada no episódio e o riso não foi comprometido quando Tector estoura (literalmente) os miolos dos dois skitters.

E o drama da família Mason só aumenta. Além de Tom estar possivelmente ligado aos alienígenas e Ben estar certamente conectado com os skitters, Matt finalmente é enviado para a sua primeira missão, entra na turma dos selvagens da 2nd Mass (agora liderados por Tom) e quase é arriado também. O garoto se junta ao grupo de “crianças perdidas” para tentar recuperar as outras “crianças perdidas”. O resultado foi um banquete para os skitters de futuras crianças com arreios. Agora, imaginem um caracol feio, sem a concha nas costas e com uma boca que se abre em várias agulhas e se acopla na espinha. Bem pior que isso foi ver como os arreios são colocados nas crianças por aqueles bichos cada vez mais feios dos skitters.

Quem também precisou fazer as pazes com Tom foi Tector que está cada vez mais aparecendo no seriado. O batedor usou Matt de isca para pegar skitters, mesmo se arrependendo depois e mostrando ser o mais “certinho” dos selvagens teve que lavar muita roupa suja (literalmente) e ajudar Tom a recuperar as crianças das mãos dos alienígenas para poder voltar ao grupo de batedores. Ainda bem, isso significa mais cabeças feiosas explodindo.

Como o amor sempre está no ar em Falling Skies (e não estou falando do pega no ônibus hospital entre Anne e Tom, flagrados pela coitada da Lourdes), o premiado desta vez foi Weaver. Depois de sofrer com a morte de Jimmy, o líder da 2nd Mass reencontra a filha Jeanne que estava entre as crianças do grupo encontrado por Ben e Hal entocado em um armazém. Weaver recebe uma recompensa depois de tanto sofrimento, e consegue dar a bússula (lembram dela?) para a sua filha, como ele sempre gostaria de ter feito. A chegada da menina faz Weaver, agora mais conhecido como “papai urso”, repensar ainda mais sobre seu comportamento e tentar mudar algumas características ruins que o afastaram da família e nos assustaram durante a 1ª temporada, como seu descontrole e a sua raiva. A não permanência da filha de Weaver com o grupo da 2nd Mass não surpreende, mas esse grupo de “crianças perdidas” deve reaparecer mais a frente e se juntar ao comboio de Weaver.

Mais um país entra nas notícias geográficas de Falling Skies, a aspirante a médica Lourdes pede notícias da cidade de Parra (México) ao líder das “crianças perdidas” Diego (namorado da Jeanne). Lourdes têm parentes na cidade e descobre que ela foi completamente destruída. O amor continua no ar e a garota é consolada pelo faz tudo Jamil. As bandeiras e o orgulho americano também continuam por todos os lados, mesmo a série sendo gravada no Canadá. Quando Ben e Hal têm as motos roubadas aparece ao fundo um outdoor (intacto apesar do local estar cheio de carros destruídos) de um menino batendo continência. Ao fundo do garoto uma enorme bandeira dos Estados Unidos com a frase “orgulho de servir”. Irônico porque o outdoor fica próximo ao prédio usado para colocar os arreios nas crianças e, quando isso acontece, elas acabam servindo aos alienígenas.

O episódio também seguiu com o drama de “o que diabos acontece com Ben”, que depois da morte de Jimmy ficou ainda mais recluso, apesar das investidas de Hal para tentar ajudá-lo. Enquanto o medo de ver ele se tornar um skitter cresce, a preocupação com Tom diminui, afinal ele não parece ter mais nenhuma sequela do parasita que se infiltrou no olho dele. Segundo o site TV Line o showrunner de Falling Skies, Remi Aubuchon, concordou que neste momento Ben pode ser uma ameaça muito maior para a 2nd Mass que o seu pai. Ben adquiriu habilidades depois do arreio que não possuía anteriormente e que agora ajudam muito a 2ns Mass, como sua agilidade, audição apurada e velocidade. No entanto, é claro que a conexão entre ele e os skitters ainda é forte e pode assustar muito as outras pessoas do grupo.

Falling Skies está chegando quase na metade da 2ª temporada e o andamento da série está bom até aqui, o ritmo é bem mais constante que na 1ª temporada. Em cada episódio temos uma reviravolta no caminho da 2nd Mass e novidades que apimentam ainda mais essa trajetória. Personagens diferentes estão ganhando destaque. Tom, Weaver e Ben continuam sendo o centro da estória contada em Falling Skies. Matt tem tido participação mais efetiva no andamento da série. Tector ganha cada vez mais espaço e é uma figura diferente que devemos conhecer ainda mais na sequência da temporada. Weaver está passando por diversas situações emocionais difíceis e Tom se mostra cada vez mais apto a ser um líder de todos. É natural a forma como os membros da 2nd Mass o respeitam e a forma objetiva e justa como ele lida com as situações não deixam dúvidas de que assume com autoridade o papel de protagonista.

Cada vez os skitters passam mais medo, cada patrulha parece que vai apresentar uma nova situação, cada personagem parece que pode mudar o rumo dos acontecimentos. A 2nd Mass segue ainda rumo a Charleston, o possível local seguro onde todas as milícias estão sendo agrupadas em uma organização de força contra a invasão. Tom parece certo da esperança, mas com o skitter de olho vermelho podendo piscar pra ele na próxima patrulha é melhor o comboio seguir com cuidado. Os alienígenas têm se postado muito na defensiva, parecem que concordam com o caminho que a 2nd Mass está seguindo, ou ainda tem um plano de controle de Tom e/ou Ben. O único ataque neste episódio foi ao grupo das “crianças perdidas” e os skitters tiveram várias baixas entre os seus, mas ainda não revidaram – ainda.

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

7 Comments

  1. biancavani

    Juro que pensei que os skitters tivessem sangue verde, ou então outra cor que não fosse o vermelho. Se é assim, então é bem possível que sejam mesmo outras espécies transformadas em skitter e Ben estaria na iminência de se tornar um deles…

    Ainda falando nos skitters, quando eles vão afagar uma criança, a despeito da feldade deles, olham a criança com tanta meiguice, que ficam até bonitinhos, rsrs. E como são espécimes escravizadas pelos Aliens-Alfa, então chegam a dar pena. No outro episódio, mostrou que na hora de nanar, as crianças ficam embaixo e eles por cima, tal qual a galinha cuidando da cria… Pura ternura, rs.

    Bom, eu achei benfeito aquelas crianças, que desobedeceram as ordens, serem pegas pelos skitters. Pena que não foram todas arreadas. E o argumento do Diego (era esse o nome do namorado da filha do coitado do Weaver?) – achavam que tinham mais chances de sobreviver vivendo escondidos – havia acabado de ser desmontado, visto que, naquela ida ao acampamento dos 3nd  Mass, só sobrou uma criança para contar a história. Bem, boa sorte, bobinhos.

    Eu não notei o erro de continuidade, Aline. Vou ver de novo essa passagem.

  2. Aline Ben

    Boa Bianca, não tinha parado pra pensar na cor do sangue deles mesmo. Mas eu não consigo gostar deles, acho os skitters cada vez mais feios e nojentos, hahahaha. Daqui a pouco vou ter pesadelos com eles. E fiquei de cara com aquelas crianças sem noção também, são muito anos 70, vão sair por aí, se esconder e curtir enquanto o mundo é dominado por aliens. Como assim? Por isso acredito que eles devem aparecer novamente. Dá uma olhada no erro de continuidade mesmo, eu olhei umas 20 vezes pra tentar entender aquela montagem, mas não tem como, acho que se perderam mesmo. A imagem ombros dos batedores e na frente deles o Matt olhando pro Tector e pro Boon quebrou a montagem, não faz sentido. Eles não poderiam estar de frente pra ele. Mas olha e vê se não sou só eu que tô viajando! 

  3. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 2 a 8/7

  4. Felipe Trigo

    Sobre o “Eminem”…
    Na verdade, o apelido deve ser por causa do nome do menino: Matt Mason (MM, ou seja “Em and Em”).

    O Eminem de verdade, o rapper, chama Marshall Mathers… e usava o nome artístico de M&M.
    Diz a lenda que ele mudou a grafia pra evitar um processo dos chocolates…

  5. Pingback: Falling Skies – Homecoming

  6. Pingback: Falling Skies – The Price of Greatness

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account