Log In

Especiais Opinião

Eu quero uma indicação ao Golden Globe para Mary McCormack

Pin it

Mary McCormack em In Plain Sight

Toda vez que eu sento diante da TV para assistir In Plain Sight (sextas, 21h, no AXN). momentos antes de apertar o play do DVR eu me faço a mesma pergunta: como estará a Mary esta noite? As opções que passam pela minha cabeça são:

A) Atravessada, mas com algum senso de humor
B) Ranzinza
C) De mau humor
D) Puta da cara
E) TPM

Dito isto, desta forma, você vai me perguntar “porque você assiste uma série com uma protagonista assim?” A pergunta não deveria ser esta. Porque se eu me preocupo tanto com o humor dela é porque eu gosto demais dela. Assim como o Chico, digo Rafael, o noivo de Mary em In Plain Sight, eu amo Mary Shannon, em toda sua imperfeição.

E eu adoro In Plain Sight, com todas as suas imperfeições.

In Plain Sight é a típica série que blogueiro que começou a assistir TV ontem e faz pose de crítico adora falar mal. Primeiro porque é uma série ambientada em cenários feios (Albuquerque, Novo México, sempre com sol a pino, mas sem o mar e os filtros amarelados que tornam bonitas as imagens de CSI:Miami), com personagens introspectivos e cheio de problemas, que não vai fundo no drama, nem vai fundo na comédia, não tem mistérios, não é nada de cult e ainda por cima é um drama policial, mas um drama policial que foge da fórmula procedural clássica.

No programa, Mary Shannon e Marshall Mann (Fred Weller, que eu achava insosso mas já estou me dobrando) passam episódios pra lá e pra cá lidando com testemunhas – alguns criminosos odiáveis, outros vítimas das circunstâncias; ora agindo como suas babás, ora os protegendo quando são expostos; e sempre, de um jeito ou de outro, se envolvendo em suas vidas, seja na conclusão de pendências do passado, seja na construção de uma nova vida.

In Plain Sight acaba sendo a mais diversificada série da TV americana do gênero policial (de fato boa parceira para NCIS, outra que consegue trabalhar com diferentes temas como espionagem e terrorismo), porque propõe histórias diferentes e consegue numa semana colocar no ar um episódio em que sequer as armas dos U.S. Marshals saem do coldre e outros em que temos uma saraivada de balar no ar.

Pra complicar, In Plain Sight coloca na tela ainda a família mais disfuncional que eu já vi na televisão – e olha que eu já assisti Malcolm, Um Amor de Família, A Sete Palmos, Família Soprano, Californication… Todos perdem. Nenhuma família é tão doentia como a formada por Mary, sua irmã Brandi (Nichole Hiltz) e Jinx (Lesley Ann Warren). E aida assim nenhuma família permanece tão unida em meio a tanto caos.

In Plain Sight, portanto, é meio que o patinho feio da TV americana, destoa de tudo, e parece que quer ser tudo (de cômica a melodramática) em 42 minutos. Pra uma série com uma fórmula assim funcionar (e estamos indo para o terceiro ano no ar, uma boa marca pra um show de TV paga), é preciso ter uma grande estrela.

E esta estrela é Mary McCormack.

Acredito que se em seu lugar estivesse qualquer outra atriz, In Plain Sight não estaria mais no ar. McCormack, que eu conheci e me apaixonei em The West Wing, tem a tenacidade que o papel exige – ela é bruta, mas ainda assim sensual; ela está sempre de cara fechada, mas também tem que a ironia que torna a personagem e a série suportável; ela é fria e inacessível, mas sempre que necessário mostra que tem coração; é independente, mas especialmente depois dos acontecimentos da primeira temporada (foi sequestrada, quase estuprada e teve sua casa destruída por agentes federais) consegue manter no fundo do olhar aquele pedacinho de fragilidade que a torna humana.

É preciso ser uma grande atriz para nos fazer nos gostar de Mary Shannon. Mesmo de TPM. E Mary McCormack consegue.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

17 Comments

  1. Tati Leite

    Eu a adoro de The West Wing. Não vejo, ainda, In Plain Sight, mas gostaria de vê-la indicada.

  2. Fernando dos Santos

    Eu acho que a Mary McCormack merece um Golden Globe e até mesmo um Emmy(se até a Katherine Heigl ganhou um, por que não a Mary que é boa atriz?).

    Gosto de In Plan Sight e concordo com o texto.A série consegue se diferenciar bastante do que vemos habitualmente no procedural televisivo.Já começa no tema, por se tratar provavelmente da primeira série focada no serviço de proteção a testemunhas.

  3. Ketty

    Nossa estou completamente viciada em In plain sight, e cada dia fico mais apaixonada pela MARY, chego a baixar filmes, e entrevistas com ela!
    E honestamente não a conhecia nem mesmo de TWW, mas ela é tão boa, e até consigo afirmar que ela leva IPS nas costas com essa otima atuação, suas milhares de faces, expressões e como ela consegue ser tão mau humorada e cativante ao mesmo tempo.

    Realmente se compararmos IPS com outras séries com fotográfias invejaveis como CSI Miami, e até mesmo NY porque não, deixa um pouco a desejar, porque o lugar é feio e não tem muitos atrativos, mas saber que ela se mudou com a familia toda para lá, aguenta o clima a poeira e tudo mais e continua linda, sexy mesmo com aquelas roupas kkk e com esse jeito de Mary Shannon é de valer a pena assistir.
    Na minha opnião ela super merece uma indicação não só no Golden Globe como no Emmy também fato!

    Existiu uma série de episódios que não diria estar chatos, mas ficando repetitivos quando ela saia de casa, salvava o mundo e voltava pra brigar com o Rapha sabendo do seu quase envolvimento com a Brandi.

    Acho superrrrrr fofo o Mann com aquele “cuidado” todo com ela, e não deixa nada a desejar em relação a outras séries como por exemplo Life no qual os principais não tiveram nenhum envolvimento, não que seja obrigatório, mas tenho a impressão de que ela sabe desse carinho dele por ela, mas esse tempo de parceirias e cumplicidade fala mais alto em te-lo por perto do que não ter como na epoca que ele cogitou em se afastar do cargo.

    Na realidade o que mais me cativa é a história dela em si, seus casos amorosos, porque como eu pelo menos não sei se é verdade ou não o que se passa na trama em relação ao programa de proteção a testemunhas, também não poderia ser diferente, ela brava, alegre dificil hã? suas tiradas, devoção a testemunhas e muitas outras coisas fazem com que Mary McCormack mereça uma indicação.

  4. Eliane Moura

    Dude, vc tem problemas sérios! A série é ruim de doer e ela é uma péssima atriz!! Vc tá apaixonado por ela, num tá? :0)

  5. jorge

    eu quero um golden globe para Michael C. Hall… a atuação dele nessa 4ª temporada de dextr foi incrivel! mto bem feita!

  6. MARCELO

    In Plain Sight, NUNCA VI, NEM COMI MAS VOU TENTAR ACOMPANHAR. DEPOIS DE TAMANHO ELOGIO VAMOS CONFERIR.

  7. Thiago FLS

    Eu gosto de Mary McCormack, mas não consigo assistir a essa série porque fico distraído com a horrível injeção de colágeno que fizeram nos lábios outrora perfeitos dela. Até mesmo as fotos que ilustram este artigo são um exemplo disso.

    Aliás, existe alguma mulher no mundo que tenha ficado mais bonita depois desse tratamento idiota que tantas quarentonas teimam em fazer?

  8. Fábio Campos

    Quero um emmy pro Arthur Mitchel aka John Ligtow, inverti mesmo, porque esse personagem foi perfeito. Por favor alguém defenda esse prêmio para ele.

  9. Lu

    Dude, vc tem problemas sérios! A série é ruim de doer e ela é uma péssima atriz!! Vc tá apaixonado por ela, num tá? :0) [1]

  10. Claudemir A. Zamproni

    Não consegui passar do primeiro episódio desta série. Horrível!!! Não suporto nem ter que assistir as chamadas da emissora. Impossível que alguém goste… E a atriz em questão, gente, tanta atriz boa vai ficar de fora da lista de indicados e tem gente que me vem com esta… Ora, que imaginação mais estagnada, hein!?

  11. Fernando dos Santos

    Observando as reações extremas que o review do Paulo Antunes causou, eu chego a conclusão que In Plain Sight faz parte daquele grupo de atrações que não deixam espaço para meio-termo.O pessoal gosta muito ou odeia com todas as forças.
    Essa reação me surpreende pois a série não gera tanto “buzz”, não tem tanta mídia.Quando vejo o pessoal xingando por exemplo CSI(série que gosto muito) eu acho compreensível.Afinal de contas, CSI é uma produção que está super-exposta na mídia faz quase dez anos, então ninguém consegue ficar indiferente a ela.
    Quanto a mim, como já disse antes faço parte do time que gosta de In Plain Sight apesar das várias imperfeições, muito bem apontadas no texto.

  12. Fernando dos Santos

    P.S.:Não me entendam mal, eu acho que as pessoas tem todo direito de não gostar e expressar sua opinião.Eu apenas fiquei surpreso ao ver reações tão extremas referentes a uma série que costuma passar batida para a maioria do publico.

    E em relação a In Plain Sight estou curioso pra ver como a série vai ficar a partir do próximo ano quando haverá troca de showrunner, será adotado um tom mais leve e alguns personagens regulares vão se tornar apenas recorrentes.

  13. Ketty

    Realmente é o tipo de série que ou você ama e se deixa cativar pela MARY SHANNON E SUAS VÁRIAS EXPRESSÕES, ou você odeia tudo!
    Confesso que estou completamente apaixonada, mas existe gosto pra tudo ne, e chego até compreender quem odeia AHAHAH pq sim a série pode ser detestavel sem esses vários atrativos das famosas e milionárias séries policiais.

  14. Andréa

    Eu não conhecia a atriz antes e só vejo a série por causa dela. Aquela família e o noivo para mim são dispensáveis, e a série ia ficar muito melhor sem esses malas!

  15. vi

    nossa, eu adoro também. torço por ela, me identifico com ela (qdo ela tá put…..), to com vc e não abro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account