Log In

Especiais

[ESPECIAL] Semana da Diversidade – Saindo do armário

Pin it

17 de maio é o dia internacional de combate à homofobia. A data foi escolhida para celebrar o dia em que a homossexualidade parou de ser considerada doença segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Considerando que vivemos em um mundo onde infelizmente as pessoas desconsideram essa informação e ainda há muito preconceito e exclusão, o TeleSéries resolveu levantar a bandeira do arco-íris e se juntar a causa da comunidade LGBT.  Para comemorar esse dia e celebrar a diversidade e o amor, preparamos um especial sobre personagens gays e seu processo de saída do armário. Enjoy it!

 

Eric Van Der Woodsen – Gossip Girl

Durante muito tempo houve um mistério em torno do que afligia Eric Van Der Woodsen. Ainda na primeira temporada da série, Serena Van Der Woodsen – irmã de Eric e protagonista de Gossip Girl – retorna a Nova York para ficar mais próxima do irmão que tinha tentado se matar e estava internado em uma clínica. Então, em All about my brother (01×16) o garoto é jogado pra fora do armário pela grande bitch Georgina Sparks. Ele foge, mas a irmã corre atrás dele e lhe dá total apoio, assim como Chuck, o irmão emprestado. No fim, Lily surpreende Eric dizendo que continua o amando da mesma maneira, que ele é um filho maravilhoso e que só deseja que ele seja feliz. Depois de todo sofrimento, enfim a felicidade. E é assim que todas as famílias deveriam lidar com isso, né? (Gabriela Assmann)

 

Justin Taylor – Queer as Folk

Queer as Folk é até hoje uma das séries mais importantes quando se trata de falar sobre o mundo gay. Sem medo de tocar em pontos polêmicos, a série foi um marco para a televisão e entre seus principais personagens temos Justin Taylor. O adolescente tem o papel na série de abordar o momento em que um jovem se assume para a sua família. A situação representada é semelhante à de muitos outros jovens. Seu pai e sua mãe não aceitam sua orientação sexual e ele é expulso de casa. Com o tempo, sua mãe acaba aceitando e apoiando o filho, se unindo inclusive a um grupo de defesa dos direitos homossexuais. Além disso, Justin enfrentou problemas com a sua sexualidade na escola, sofrendo bullying dos outros alunos e sendo inclusive espancado na noite do seu baile de formatura por ter levado Brian como seu acompanhante. O personagem é uma das melhores representações de um jovem gay e seus dilemas na ficção. (Beto Carlomagno)

 

Callie Torres – Grey’s Anatomy

Callie não é o tipo de pessoa que descobriu sua orientação sexual cedo na vida. Na verdade, ela só percebeu que era bissexual quando Mark – com a mente voltada para a sacanagem – a alertou sobre a possibilidade de um envolvimento entre ela e Erica Han. Antes disso Callie já havia sido casada, e era convidada frequente da cama de Sloan. Se achando “menos lésbica” do que a parceira, e ainda não convicta do que teria que enfrentar no futuro, Callie acabou saindo do relacionamento. A saída do armário se deu apenas quando a ortopedista conheceu a pediatra Arizona e as duas assumiram o relacionamento. E com o apoio da agora esposa, Callie enfrentou a família – muito religiosa, a mãe não aceita sua orientação sexual – e realizou o sonho de se casar (em um casamento celebrado por Bailey). Atualmente, ela já não tem mais medo do que enfrentará no futuro e forma, com Arizona, um dos casais mais fofos,felizes e queridos do Seattle Grace. (MarielaAssmann)

 

Dana Fairbaks – The L Word

Muitas vezes o processo de assumir sua orientação sexual perante a sociedade é doloroso e traumático. E nesses casos as convenções e pressões sociais acabam colocando medo nas pessoas. Não foi diferente com Dana Fairbaks, que ao mesmo tempo que lidava com sua orientação social e pretendia assumi-la, ficava com medo de colocar em risco sua promissora carreira no tênis. E o sucesso profissional falou mais alto, até que a tenista descobriu que seus patrocinadores já sabiam o que ela tentava esconder, e aceitavam sua orientação com a devida naturalidade. Assim, Dana conseguiu se assumir perante a família e passa a se relacionar abertamente com outras mulheres. A personagem ficou no seriado até a 3ª temporada, quando morreu em decorrência de um câncer de mama. Feliz e com a companhia de sua parceira. (Mariela Assmann)

 

Emily e Naomi – Skins

A relação de Emily e Naomi na 3ª temporada de Skins começa conturbada. Um ano após as duas trocarem um beijo, Naomi sofre com comentários os ofensivos de Katie, irmã de Emily, sobre sua sexualidade, enquanto Emily não faz nada a respeito. Quando Naomi pressiona Emily para que ela assuma sua sexualidade, a menina foge do assunto, negando que seja gay. A relação das duas se torna mais próxima, mas mesmo após trocarem mais um beijo, Emily diz que quer apenas amizade. Depois de uma conversa séria, Emily consegue convencer a amada a assumir a relação. E assim o amor prevalece! (Dierli Santos)

 

Peter – Happily Divorced

Logo no episódio de estreia, Peter, marido de Fran, decide que décadas de casamento teriam que ser deixados de lado para que um dia ele pudesse ser feliz, de verdade. Não que ele não amasse a esposa, claro que amou, afinal de contas ficou com ela por todo esse tempo. Mas a coragem para sair do ‘armário’ chegou com a maturidade apenas, e com o apoio da ex-mulher, ele agora pode vivienciar a sua orientação sexual com todos os direitos. Sim, Peter namorou, curtiu shows que antes não curtia, deu um “up” no visual, e agora ele está “felizmente divorciado” com o mundo heterossexual. Peter é aquele velho exemplo de “antes tarde do que nunca”.  (Maria Clara Lima)

 

Will – Will & Grace

Will sempre gostou de tudo o que sua ex-namorada e melhor amiga gosta: inclusive homens. Pouco antes dele se casar com Grace, Will teve coragem para abrir o jogo e expor sua orientação. Claro que no começo foi um choque para Grace, para família e para os amigos, e mesmo depois de “assumido”, Will teve que lidar com o sentimento de insegurança por muitos anos. Sempre não querendo se achar “gay” demais, ou sempre querendo cobrar algo que ele mesmo não tinha coragem de expor. No final de tudo, as coisas deram certo. Will conquistou a liberdade de ser o que ele era, sem firulas e bastante segurança. (Maria Clara Lima)

 

Kurt Hummel, David Karofsky e Santana Lopez  – Glee

Se tem uma série que retrata muito bem a diversidade – não só a sexual – essa série é Glee. E é por isso que Glee tem três representantes neste especial, já que cada um lidou com sua sexualidade de uma maneira diferente.

Kurt é o gay bem resolvido. Embora tenha tentado sair com a Brittany, podemos dizer que o Kurt nunca teve dúvidas a respeito de sua orientação sexual. Ele é divertido, amigo das garotas e tá sempre causando com seu visual e seu cabelo. Embora tenha sofrido bastante bullying na McKinley High School, e tenha sofrido com os amigos homens que achavam que ele estava sempre dando em cima deles, ele sempre teve todo apoio do pai, que enfrentou tudo e todos para garantir que o filho tivesse sua individualidade respeitada. Depois de tudo isso encontrou Blaine e hoje formam um belo casal.

Karofsky era o maior responsável por maltratar Kurt. O beijou a força e passou a ameaçar o garoto, que até saiu da escola por conta disso. No fim, toda homofobia do personagem era por que ele não sabia lidar com o fato de ser gay. Ele acabou se apaixonando por Kurt e seus colegas do time de futebol americano descobriram. Karofsky sofreu cyberbullying, foi perseguido na escola e no desespero tentou se matar, já que seu círculo de amizades não aceitavam sua homossexualidade. Por fim, Karofsky recebeu o apoio e a amizade de Kurt e dos colegas do New Directions e passou a se aceitar como é.

Quebrando o estereótipo da lésbica normalmente retratada na televisão, Santana Lopez é a capitã da equipe das cheerleaders e é super feminina. Ela sempre foi a pegadora mais raivosa e bitch da McKinley High School. Até o dia em que se apaixonou… pela melhor amiga Brittany S. Pierce. Esse amor revelou outro lado de Santana, um lado mais humano e doce, embora a bitch não tenha desaparecido totalmente. Santana sofreu muito até ser forçada a se assumir para todos, pois inicialmente somente seus amigos sabiam de sua sexualidade. A família ainda não aceita e sua abuela disse que nunca mais queria vê-la. Além de nos possibilitar entender Santana, conhecer outro lado dela e render um dos beijos mais esperados dos últimos tempos, números musicais maravilhosos resultaram daí, como Landslide e Songbird, que ela cantou para Brittany. E as cheerios formam um dos casais mais fofos e cheios de fãs do mundo dos seriados. (Gabriela Assmann)

E você, lembra de algum outro personagem que tenha se assumido nas séries?

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

22 Comments

  1. Thiago

    Teleseries – Meu site sobre séries favorito. 
    Sou gay e vivo na luta diária contra a Homofobia, acredito que o dia em que todos respeitarem os outros, viveremos em uma sociedade mais feliz…

  2. Bruna

    Faltaram o Scotty e o Kevin de Brothers and Sisters e a Katherine de Desperate Housewives.

  3. @ZePicelli

    Poxa, que post mais bacana! Teleseries está de parabéns!

    Além dessa lista, podemos citar também Kevin e Scotty de Brothers & Sisters.

    Outro nome marcante para mim é John Cooper de Southland, Na história ele
    ainda não saiu do armári, porém há uma belíssima cena em que ele
    conversa abertamente sobre sua sexualidade ao tentar convencer um garoto
    em crise a não cometer suicídio.

  4. Igor de Azevedo

    Faltaram o Scotty e o Kevin de Brothers and Sisters e a Katherine de Desperate Housewives. [2]
    Mas enfim, vcs fizeram um apanhado legal e isso que importa. Valeu a pena relembrar nossos gays do mundo das séries preferidos! *-*

  5. Claudia Braga

    Muito legal a lista, eu adorava o David, de Six Feet Under e nossa, não tem melhor que retrata tudo isso quanto Queer as Folks, bons tempos, boas séries!!

  6. Patricia

    Acho que esse post é mais sobre personagens saindo do armário… Kevin e Scott já eram assumidos e bem resolvidos…
    Eu acho que faltou o Jack, de Dawson`s Creek, personagem que, se não me engano, protagonizou o primeiro beijo gay da TV americana…

  7. Mônica Almeida

    Eu sei que eles já tinham saído do armário quando a série começou, mas meu casal gay preferido é Kevin e Scotty. O Kevin fez um dos pedidos de casamento mais fofos da tv que vi até hoje.

  8. Alexandre Dias

    só achei fail não terem colocado dois personagens com grande peso no mundo das séries, o Jack McPhee (Kerr Smith) de Dawson’s Creek – a série que teve o primeiro beijo gay teen. E claro, David Fisher (Michael C. Hall) na sua perfeita atuação em Six Feet Under. :P

  9. Ca Ps.

    Gente, adoro os posts do site mas tá rolando um descaso com a qualidade do conteúdo. 

    Muito antes do Mark insinuar com a Callie que seria interessante algo entre ela e a Hahn, quem faz isso é a Addison, em um episódio de volta ao Seattle Grace.

    E onde, ONDE NO UNIVERSO, que a Grace ia casar com o Will? Cês tão fumado???

  10. Ca Ps.

    E, véi, como assim “a lésbica representada na televisão” não é feminina? Que canais cês tão assistindo? Callie e Arizona, até mesmo o elenco de The L Word. Até nas novelas da Globo as lésbicas não costumam ser as caminhoneironas!(Ex. Milla Christie e Bárbara Borges em Senhora do Destino). Ah nem viu…

  11. Bianca Mafra

    Ainda acho impressionante vcs terem que lutar contra a homofobia, a vida de cada um não deveria ser da conta de ninguém.

  12. Bianca Mafra

    Dierli, nossos gostos são bem parecidos, acho Skins excelentes e o casal Emily e Naomi e um dos meu favoritos. ansiosa pela última temporada.
    Senti falta do filho da Tara em United States of Tara, pela delicadeza do personagem que descobre a sua sexualidade, os passos fora que dá e a atitude dos pais supertranquila, simplesmente esperando, sem nenhum problema sobre qual o opção sexual do filho. achei lindissima!

  13. Mônica Almeida

    Lembrei de um gay que saiu do armário de uma forma super fofa: dançando com o namorado no casamento da mãe. O Justin, sobrinho da Betty, de Ugly Betty.

  14. Nanato

     Cara, rola num começo de temporada, a lembrança dos dois nos 80, ele com “mullets” e calça de moleton com tênis botinha, e ela com cabelo estilo meio Madonna.
    Aparece o Jack num estilo Bob Smith do The Cure, e diz para o Will que já sabe o que só ele não quer admitir… eles vão para o quarto e na hora H ele só se excita com o poster do Kevin Bacon naquele filme das bicicletas… acho que é Quicksilver… aí o troço descamba, e eles acabam o namoro… não tenho certeza se iam casar, mas namorando estavam com certeza!
    Engraçado é agora o Sean Hayes, que fazia o Jack, sair do armário, depois de todo esse tempo…

  15. Ca Ps.

    Pois é… isso rola sim, deles na cama e tals. Mas não tem NADA de casamento não. Sério, esse povo tá fumado! Cada coisa que, aff…

  16. Pingback: Dia da Visibilidade Lésbica – Armário para quê? Séries mostram que diversidade é vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account