Log In

Especiais Opinião

Especial Mid-Season: Almanaque dos Seriados e Almanaque da TV

Pin it

Almanaque dos Seriados e Almanaque da TV

Normalmente quem é viciado em séries (como você e eu, que lemos o TeleSéries), está sempre em busca de notícias sobre aquilo que assistimos e procurando saber e entender a origem de algumas coisas que assistimos na televisão. Mais do que isso: estamos sempre em busca de mais séries para assistir, mesmo não tendo tempo disponível para que isso aconteça. Além disso, acompanhar as produções televisivas têm se tornado cada vez mais difícil, porque não existe mais intervalo. Toda semana sai coisa nova e ficamos completamente loucos porque queremos assistir, queremos escrever e deixar os nossos leitores informados sobre o que está acontecendo nesse mundo fascinante.

Foi com esse intuito que adquiri (faz alguns meses, é verdade) os livros “Almanaque dos Seriados” de Paulo Gustavo Pereira e também o “Almanaque da TV” de Bia Braune e Rixa, ambos da Ediouro. Recentemente terminei de ler os dois livros e garanto a vocês: estou ficando louco. O próprio “Almanaque da TV” sugere no seu slogan: “histórias e curiosidades desta máquina de fazer doido”. Não é por mero acaso que esta frase está colocada logo na capa. É bem verdade que a televisão cria uma loucura em nós. Alguém me explica como uma pessoa chora em prantos com o final de uma novela? Não vale apenas dizer que o sujeito é emotivo e toda essa balela. No final, não existe nenhuma explicação plausível. A televisão foi criada para isso, mas também para nos trazer notícias, entretenimento, curiosidades, descobertas… É tanta coisa que fica difícil de colocar em um simples texto. Walter George Durst, cineasta e escritor brasileiro, dizia que:

Fazer televisão é como escrever na água.

Ele estava certo.

Ambos os livros seguem uma linguagem bem descontraída, não cansando em nenhum momento o seu leitor. Isso é algo extremamente importante, já que segue as características de um Almanaque. A idéia dessa palavra “almanaque” parte do pressuposto da consulta, se tornando um livro de fácil acessibilidade para que possa ser consultado a qualquer momento casa haja dúvidas em relação a um determinado fato histórico. Paulo Gustavo Pereira, por exemplo, em seu “Almanaque dos Seriados” consegue explorar muito bem o universo das séries, fazendo uma divisão por décadas para que o leitor possa melhor se situar dentro da narrativa que ele usa. E tanto Paulo Gustavo quanto os autores do “Almanaque da TV”, não ficam presos apenas aos programas televisivos ou aos seus apresentadores, mas também como a televisão e os seriados começaram a mudar o nosso jeito de pensar, como eles passaram a nos influenciar.

Sem contar o grande número de gravuras, de infográficos e de informações nos cantos das páginas, que possibilitam para o leitor uma chance única de conhecer tudo aquilo que ele poderia achar obscuro até um tempo atrás. Os dois livros seguem esta estética, até para que a leitura não se torne cansativa, já que os dois possuem a intenção de entretenimento sem compromisso. Para mim, o mais interessante dessas almanaques é esta contribuição de contar uma história (que é bastante longa), sem se estender ou tornar a leitura chata e cansativa. Afinal de contas, os livros querem alcançar todas as idades e por isso necessita desse cuidado.

Além disso, os dois livros trazem muitas curiosidades. É a partir delas que resolvi, nessa coluna, criar um desafio com vocês. Vou lançar algumas perguntas para que todos possam responder na caixinha de comentários (não vale utilizar o Google, por favor). Na semana que vem trago as respostas e o saldo de acertos aqui dos leitores. Logo abaixo segue 10 perguntas referentes à televisão (cinco) e aos seriados (também cinco). Não terá brindes para quem acertar mais (a não ser que o nosso editor queira bancar!).

Então, aceitam o desafio?

As perguntas são:

1. Quem é a “padroeira da televisão”?

2. Quando a televisão foi apresentada ao brasileiro?

3. Quem inventou o famoso “ponto eletrônico”?

4. Quem compôs a apavorante vinheta do “Plantão Globo?”

5. O que Glória Maria era antes da fama?

6. Qual foi a primeira série produzida por um grande estúdio de Hollywood?

7. O que os fãs de Roswell fizeram para que a série não fosse cancelada na 1ª temporada?

8. Qual a série favorita do ex-presidente Bill Clinton?

9. Qual a série de maior duração e que nunca recebeu sequer uma indicação ao Emmy?

10. Qual a maior inspiração que Chris Carter considera por ter criado Arquivo x?

Nota do Editor: O Almanaque da TV e Almanaque dos Seriados estão a venda no Submarino e diversas outras livrarias virtuais.

Séries citadas:

12 Comments

  1. thiago machado

    A maioria das curiosidades do “Almanaque dos Seriados” encontra-se no IMDB e/ou outros sites….

  2. Débora

    Olá… Acabei de conhecer seu blog e gostei, mas não vi nada sobre séries de TV Aberta… você não fala delas???

    Abraços

  3. Igor Moraes

    Tenho o livro Almanaque dos Seriados. É sensacional!

    Respostas:
    6- Cheyenne.
    7- Os fãs enviaram garrafas do molho tabasco, que aparecia na lanchonete onde Liz trabalhava.
    8- Justiça sem Limites (Boston Legal).
    9- SOS Malibu (Baywatch)
    10- Kolchak e os Demônios da Noite.

  4. Alex Melo

    Eu li O Almanaque dos seriados inteiro. É muito legal, divertido. Gostei bastante.

    E esta de chorar feito bobo me pegou forte esta semana, quando vi os últimos episódios de A Sete Palmos, e simplesmente fiquei 2 dias abalado com o final do seriado. Lendo na internet, achei diversas pessoas que ficaram mal como eu, com o sentimento de ter perdido um ente querido e coisas assim.
    Este sentimento coletivo só mostra o poder de um roteiro bem escrito, de uma história bem contada. Coisa que só cinema, TV e Literatura conseguem fazer….

  5. David de Carvalho

    Almanaque dos seriados é muito bom mesmo, mas em minha humilde opinião tem três ausências gritantes: Cheers, Becker e Fawlty Towers.
    Tudo bem, Becker não era nada do outro mundo mas eu gostava bastante, agora Cheers e Fawlty são séries clássicas que não podem ficar de fora de um levantamento tão completo.
    Quem sabe em uma próxima edição…

  6. Rafa Bauer

    Eu tenho o almanaque de seriados, e ele é bonzinho. Pra se divertir lendo. Mas quem quiser saber mesmo sobre séries, tem que importar livros ou fazer o curso da Fernanda Furquim, que eu fiz o ano passado e ela continua ministrando, aqui em SP.

    Aí sim, dá pra saber sobre a história das séries.

  7. Pedro Beck

    O Almanaque dos Seriados é um belo caça niquel. O livro serve apenas para consultas simples, sem profundidade, uma vez que não disponibiliza nem o nome original dos seriados, apenas seu nome em português. ;)

  8. Rô Floripa

    Ah Não! o Bill Clinton ter Baywatch como série favorita NÃO! Se fosse meu marido até perdoaria a Mônica Lewinsky, mas isto não!

  9. Paulo Antunes

    Minhas respostas, versão engraçadinha:

    1- Hebe Camargo
    2- Nunca foi, isto que passa na Rede TV! é qualquer coisa, menos televisão
    3- Vanderlei Luxemburgo
    4- Fritz Donner, o irmão do Hans Donner que é compositor
    5- A Gloria Maria serviu bolinhos na Santa Ceia (quote by Dr. Chapatin)
    6- Acho que foi ER, que está no ar há umas 500 temporadas
    7- Trancaram os produtores em uma sala com a Katherine Heigl de TPM
    8- Esta é fácil. O Clinton assiste As Pegadoras. Ele gosta bastante de The L Word também
    9- Acho que é Baywatch. A Academia até pensou em criar uma categoria melhor biquiní pra Pamela Anderson, mas não rolou.
    10- Supernatural. O Chris Carter assistiu Supernatural, que é a melhor série de todos os tempos, pegou sua máquina do tempo voltou 10 anos e criou Arquivo X. Só que ao invés de criar tensão homosexual entre dois irmãos, decidiu colocar um homem e uma mulher, pra não dar bandeira.

    Brincadeira, eu assisto Supernatural e não tem nada de gay na série!

  10. Luciano Cavalcante

    Dentro do espirito dessa seção: Alguém aqui assiste o Discovery/History Channel e cia? no meio desse jejum de novos episódios, essa semana já assisti: um programa sobre os locais mais perigosos do nosso Universo (nem sei por que ainda estamos vivos!) a origem dos sucrilhos (uma explosão, literalmente, de cereais, com a primeira propaganda usando canhão e a guerra entre empresas que veio depois; digno de 24 Horas) e a origem do Hot Dog. Alguem arrisca de onde vem o nome? Ou seja, pra que reprises?

  11. Rubens

    Débora, who cares com a tv aberta? Pra essa existem as Contigo e as Revistas da TV da vida. :-)

  12. Patrícia

    Rô, acho que você leu errado, o Bill Clinton gosta de Boston Legal, Baywatch é a série de maior duração que nunca ganhou uma indicação ao Emmy…
    Há muito tempo estou pensando em comprar o Almanaque dos Seriados… um dia desses, fiquei uma hora lendo uns trechos na FNAC… um dia eu compro… (ou termino de ler em alguma livraria… hehehe)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account