Log In

Especiais Opinião

Especial: 10 episódios inesquecíveis de Natal

Pin it
http://www.teleseries.com.br/wp-content/uploads/2008/12/natal.jpg, http://www.teleseries.com.br/wp-content/uploads/2008/12/natal.jpg

Ally McBeal

Tão tradicional como trocar presentes, decorar a casa e comemorar em família, o Natal para muita gente também é época de descansar diante da TV, de preferência vendo filmes sobre esta maravilhosa época do ano. E porque não seriados também? Para comemorar o feriado de Natal, nós aqui do TeleSéries decidimos relembrar alguns dos mais clássicos episódios natalinos de nossas séries favoritas.

Relembramos 10 episódios (e você sabe, podiam ser 20, 30, até mais) e os organizamos em ordem alfabética – afinal, é impossível escolher um melhor, uma vez que cada um deixou sua marca de forma diferente, mas sempre nos lembrando que esta é uma época de celebração, de paz e de solidariedade com o próximo.

Convidamos você a ler os nossos textos e deixar seu comentário, relembrando seus episódios favoritos para assistir neste período tão especial.

Série: Ally McBeal
Episódio: Silver Bells (1×11)
Estréia nos EUA: 15/12/1997

Eu adoro os Natais na Cage & Fish. Foi difícil escolher um entre os cinco episódios de Natal da minha dramédia predileta de todos os tempos. Então resolvi falar sobre o primeiro. Dizem por aí que ‘o primeiro a gente nunca esquece’, não é verdade?!

Acredito que a maioria das pessoas quando pensa em Natal, pensa em família e tradição. E o caso que Ally precisa trabalhar não é nada tradicional. Duas mulheres vivem juntas com o mesmo homem (e seus respectivos filhos) e os três decidem pedir autorização a justiça para que possam formalizar a união a três. Durante todo episódio vemos como o conceito família pode ser encarado de várias formas. Ally, ao mesmo tempo em que não concorda com a situação vivida por seus clientes acaba percebendo que encontra-se numa situação parecida com Georgia e Billy.

Todo episódio é intercalado com a preparação da festa de final de ano no bar aonde todos se encontram no final do dia de trabalho. Ouvimos as músicas que os fãs da série aprendeu a cantar. Temos ainda a disputa entre Elaine e Renée pelo melhor desempenho. No final Cage e Ally dividem suas lembranças de Natal e dançam juntos, numa cena muito bonita. Uma parte de mim sempre torceu pelos dois. Justamente pela forma muitas vezes inocente que tanto ele quanto a Ally tinha da vida. Saudades da Cage & Fish e de seus Natais.

Tati Leite é colaboradora do TeleSéries e mantém um Live Journal

Cena de Barrados no Baile

Série: Barrados no Baile (Beverly Hills 90210)
Episódio: It’s a Totally Happening Life (3×16)
Estréia nos EUA: 16/12/1992

Não sei se é o brasileiro que não assiste a filme em preto e branco ou se são os canais que não passam com medo que os brasileiros não assistam. Mas a verdade é que poucos jovens conhecem A Felicidade não se Compra, talvez o mais importante filme de Natal de todos os tempos. Eu não conhecia quando era jovem, nos anos 90, e por isto achei este episódio de Barrados no Baile completamente surreal, coisa de Além da Imaginação. Anos depois entendi. O episódio presta uma homenagem ao filme e, como no filme, é narrado por duas estrelas/anjos, que contam o que aconteceu com a turma de Beverly Hills na semana que antecede ao Natal.

Aqui todos os jovens estão preocupados com suas vidas e com seus triângulos amorosos e estão visivelmente insatisfeitos quando são obrigados por Donna e pela professora Teasley a viajar num ônibus escolar para distribuir presentes em uma creche.

E o destino de todos é a morte quando o ônibus cruza um motorista bêbado que dirige um caminhão de lixo na contramão (?!). Mas eis que assistimos a um legítimo milagre natalino. Como eu disse antes, o episódio é totalmente surreal. Mas também é delicioso.

Paulo Antunes é editor do Teleséries

Bones

Série: Bones
Episódio: The Santa In The Slush (3×9)
Estréia nos EUA: 27/11/2007

Se muitos se lembram de The Santa In The Slush como o episódio em que Brennan e Booth trocaram o seu primeiro beijo, eu lembro deste episódio com especial carinho por ser o especial de Natal de Bones, que permitiu vermos o quão profundo é o carinho entre os dois parceiros.

Foi um episódio com a vítima ideal, um Papai Noel, com magia, festa e família. No caso, a família de Brennan, o que foi mais significativo. E o ponto principal não foi saber quem matou o Papai Noel que tinha leite e cenouras em sua geladeira, apesar de a investigação ser uma viagem à altura. O ponto principal foi Booth tornando possível para Brennan passar um Natal em família.

Outro que teve papel importante neste momento mágico foi Sweets, que mostra para Brennan que algumas mentiras são permitidas, se elas permitem que as crianças tenham magia em sua vida.

Patricia Belcher, a Caroline, se destacou. Talvez por sempre ter um roteiro que entrega a frase certa para ser dita na hora certa, talvez por ela ter aquele jeito tão seu, encantador e esquisito.

Minha cena preferida, de longe, é a cena em que o telefone de Brennan toca no trailer e Booth pede a ela que olhe pela janela. Fora das grades, Booth e Parker estão ao lado do carro e acendem uma linda árvore de Natal. O olhares de Booth e Brennan e o fato dele ter feito aquilo apenas para deixá-la feliz aqueceu meu coração e acabei com lágrimas nos olhos (nas duas vezes que assisti, diga-se).

Simone Miletic é colunista de Criminal Minds e Life do TeleSéries e autora do blog Só Seriados de TV

Dawson's Creek

Série: Dawson’s Creek
Episódio: Self Reliance (4×10)
Estréia nos EUA: 20/12/2000

Alguém aí ainda lembra de Dawson’s Creek? Aquela série que os jovens falavam difícil e faziam referências a filmes antigos? Pois na quarta temporada conhecemos Gretchen, uma das irmãs mais velhas de Pacey e primeira paixão platônica de Dawson. E aqui, ela percebe que a família de Dawson andava apreensiva por causa do bebê que estava por vir e queria refazer as festas de Natal na casa dos Leerys, que segundo a mesma, eram famosas. Esta sinopse pode parecer simples, mas Dawson’s Creek se resumia nisso, simplicidade.

Neste episódio, vemos Dawson dizendo umas verdades para o rabugento senhor Brooks, que ele descobriu ter sido um promissor diretor quando jovem. E nos sentimos na pele de Dawson – que quer tanto algo, no caso fazer faculdade de cinema, mas na hora que precisa dizer o porquê, ele simplesmente não consegue encontrar a resposta.

Jen também andava com medo de ter que reencontrar os pais e tentava sabotar sua ida pra faculdade, mas Jack e sua avó Evelyn acabam a salvando mais uma vez.

E por fim tivemos uma festa em paralelo com a da casa de Dawson, onde Joey precisava agradar os professores da faculdade que ela queria entrar. E quem acaba conquistando a todos é Pacey, com seu jeito despojado e sincero, quer dizer, dessa vez ele andou contando umas mentiras, mas depois descobrimos o porquê. Tenho certeza que quem tinha duvida dos dois como casal, depois desse episódio teve que se render a química dos dois tinham juntos.

Paulo Fiaes é colunista de One Tree Hill do TeleSéries e autor do blog My Craps

Doctor Who

Série: Doctor Who
Episódio: The Christmas Invasion (especial)
Estréia nos EUA: 25/12/2005

Doctor Who é uma série que tradicionalmente gera muita ansiedade pelo seu especial de Natal. E não é para menos, visto que as temporadas têm apenas 13 episódios e entre a season finale e o Natal lá se vão pelo menos cinco meses. E para os brasileiros é ainda pior, já que o People+Arts simplesmente ignora os especiais natalinos.

The Christmas Invasion é o primeiro episódio de David Tennant como Doutor e ele já passa mais da metade do episódio desmaiado. Mas é um episódio onde tudo acontece. A Terra é invadida, os Tylers são atacados por um pinheirinho natalino e o mais importante, Rose (e todos nós) precisa lidar com a nova face do Doutor. Para mim foi um choque, pois não acompanhei a série no decorrer das décadas e senti muitíssimo a saída do Christopher Eccleston. E Tennant foi sem dúvida um Doutor completamente diferente, seja em aparência, seja em atitudes ou reações. Mas no fim o Doutor é um só, seja lá qual for o rosto que ele estiver usando na regeneração atual.

E duas cenas ganharam meu coração: o Doutor escolhendo seu novo vestuário ao som de “Song for Ten” (cuja letra encaixa tão perfeitamente com os acontecimentos pós-Doomsday, que parece até um prelúdio), e Rose e o Doutor de mãos dadas sob a neve de cinzas. Um Natal inesquecível para uma série inigualável.

Mica é colunista de Torchwood e Terminator: The Sarah Connor Chronicles do TeleSéries e mantém um Live Journal

Cena de ER

Série: ER
Episódio: The Gift (1×10)
Estréia nos EUA: 15/12/1994

Como os primeiros anos de ER não passam mais na Warner (nota estritamente pessoal: canal miserável e safado!) apelei ao DVD pra relembrar The Gift, o primeiro Natal da série. E que episódio gostoso de assistir; foi bom rever o formato antigo da série – filmada como se fosse um documentário, com longas cenas de uma tomada só – inserida em casos que eram sempre novos e que, ao contrário de hoje, não precisavam exagerar pra nos convencer sobre uma boa história.

Perdi a conta de quantos pacientes davam entrada enquanto o pobre Dr. Greene tentava dar uma escapulida pra comprar o presente de Natal da mulher. Sem sucesso, apelou pra “namorada” de Doug, que comprou uma camisola. Doug que foi de penetra na festa de noivado de Carol e acabou conseguindo um soco de Tag. Quase mais sorte teve Carter, amigo-secreto de Susan, que ficou a um centímetro de beijá-la. Contente, dançou feito palhaço no corredor com o casaco que acabara de ganhar.

E o que houve de natalino? Que tal, entre inúmeras outras coisas, a Sra. Cavanaugh e Derek cantando enquanto Benton conseguia autorização, de última hora, para doação de órgãos de um paciente com morte cerebral? Bons tempos. Bons tempos…

Thiago Sampaio é colunista de ER

Friends

Série: Friends
Episódio: The One with the Holiday Armadillo (7×10)
Estréia nos EUA: 14/12/2000

No mais divertido episódio natalino da série, Ben passa o Natal com o pai, Ross, que planeja ensiná-lo sobre o Hanukkah, a festa judaica. No entanto, o garoto quer ver o Papai Noel. Mas quando Ross vai comprar uma fantasia do bom velhinho, ela já se esgotou. No fim das contas, o episódio termina com Ross vestido de tatu, Chandler de Papai Noel e Joey de Super-Homem (!!)

O final é impagável, com o comentário de Rachel, quando todos estão acendendo as velas do Hannukah no escuro:

Meu Deus, o que é isso? O velório do coelhinho da Páscoa?

David Schwimmer em uma das suas melhores atuações. Imperdível.

Marcelo Silva, escreve para o blog Comentando Séries
O texto acima foi publicado originalmente no weblog Comentando Séries.

Cena de Justiça sem Limites

Série: Justiça sem Limites (Boston Legal)
Episódio: Hired Guns (1×10)
Estréia nos EUA: 19/12/2004

A condição permanente de loucura na Crane, Poole & Schmidt sempre invadiu as comemorações do Natal. E foi assim durante esta longa jornada de cinco temporadas (apesar de não ter um episódio mostrando as comemorações natalinas neste último ano). Entre os episódios especiais, gostaria de relembrar aqui o capítulo Hired Guns, da primeira temporada.

O episódio começa com Denny Crane cantando uma música natalina, enquanto que o seu amigo Alan Shore é seduzido pelas mulheres. Naquela oportunidade, ele tinha acabado de terminar com Sally e ainda estava encontrando uma certa resistência em começar um relacionamento com Tara. Mas, na realidade, ele acaba ganhando um beijo de Natal é da sua colega, Lori Colson.

Hired Guns se configura como um dos melhores episódios da série, não por estar retratando o Natal, mas sim pelos casos que os advogados da Crane, Poole & Schmidt tiveram que enfrentar: Alan tem que defender e ajudar uma mulher cujo marido pretende seqüestrar o seu filho (e isso aconteceu nos últimos três anos, sempre na data do Natal) e Brad e Lori precisam defender uma mulher que está sendo acusada de ter matado o próprio marido.

O grande mérito de Justiça sem Limites é esta sábia mescla entre o humor negro e crítica a temas sérios que envolvem a política e a sociedade norte-americana. E este é um seriado que nunca vou me esquecer, muito menos as suas comemorações de Natal. E, neste Natal, o primeiro depois do final da série, sentirei saudades de Denny Crane, de Alan Shore e de todos deste insano, mas incrível escritório de advogacia.

Vinícius Silva é colunista de Heroes e Friday Night Lights do TeleSéries e autor do blog Sob a Minha Lente

The O.C.

Série: The O.C.
Episódio: The Best Chrismukkah Ever (1×13)
Estréia nos EUA: 3/12/2003

Os episódios de Natal de The O.C. ficaram eternizados na memória dos fãs da série e são considerados clássicos. Acho que um dos motivos dos episódios serem tão bons é que a série tinha como pedra angular a unida família Cohen. Tão unida que Seth cria um feriado chamado Christmukah, para que o seu pai Sandy, “um judeu pobre e lutador crescido no Bronx”, e sua mãe Kirsten, “a burguesa protestante”, possam comemorar e quem sabe, atigirem um terço de seu próprio entusiasmo. O afeto entre eles irradia e nos envolve de uma maneira única. As brincadeiras, os comentários sarcásticos, as meias penduradas na lareira, os olhares e sorrisos amorosos. Tudo grita “espírito natalino”.

Sim, essa primeira experiência com o feriado misto dos Cohen é divertida por causa das trapalhadas de Seth tentando se decidir entre Anna e Summer (com sua inesquecível aparição como Mulher-Maravilha); é dramático por Marisa e seus muitos problemas; é interessante por Sandy e Kirsten conseguirem passar uma rasteira no pai dela que estava tentando ludibriá-los e fazerem uma boa ação; e é novamente divertido por termos que ver os esforços hilários de Julie para manter-se bem diante da alta sociedade. Mas The Best Christhmukah Ever é especialmente memorável por ser sobre uma família, que se ajuda e se apóia nas horas sérias, que fazem piadas e riem um dos outros (Seth em especial) e que tentam fazer seu filho adotivo se sentir amado e seguro. The Best Christhmukah Ever é um dos melhores episódios de Natal de todos os tempos, porquê é impossível não se sentir conectado aos Cohen.

Thaís Afonso é colunista de CSI e Lost do TeleSéries e autora do blog Séries Addict

Cena de The Pretender

Série: The Pretender
Episódio: Not Even a Mouse (1×08)
Estréia nos EUA: 14/12/1996

Como um prisioneiro do Centro, Jarod nunca pôde comemorar o Natal. Então, em seu primeiro ano de liberdade, ele tem a chance de experimentar todas as tradições e mitos do feriado da mesma maneira que uma criança deslumbrada, ao mesmo tempo que busca justiça por Christmas George, um homem sem teto que se vestia de Papai Noel e garantia que as criancinhas do orfanato local ganhassem presentes.

Enquanto isso, Sydney e Miss Parker (os caçadores do Centro) precisam admitir que não conseguirão capturar Jarod antes do ano terminar, e enquanto Sydney espera desesperadamente por um telefonema de seu ex-pupilo/prisioneiro, Parker fica refém dos caprichos do pai, que a enche de esperanças de que possam passar o Natal juntos, só para depois arrancá-las.

Esse episódio sempre me dá um aperto no coração, porquê o fato de quê aquelas pessoas não tem ninguém com quem possam simplesmente compartilhar um momento especial fica ressaltado pelo fato de ser Natal. E não só os três, mas as crianças do orfanato, o mendigo cujo único amigo era Christmas George, todos parecem sozinhos e desamparados. É claro que Jarod tenta amenizar a situação, e fazer com quê todos se sintam pelo menos um pouquinho queridos nesse dia (e eu sempre choro naquele final por causa disso). Mas mesmo assim esse episódio de Natal em particular me deixa mais melancólica do quê os demais episódios e filmes de Natal, porquê eu fico com a sensação muito forte de que no mundo há muitas pessoas para quem o Natal é uma época sombria onde o espírito de união e de compras só faz ressaltar que alguns não tem nada e/ou ninguém. E seja Natal ou não, nem mesmo um rato merece tal abandono.

Thaís Afonso é colunista de CSI e Lost do TeleSéries e autora do blog Séries Addict

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

59 Comments

  1. weslei

    Faltou smallville,5.9Lexmas é excelente,mostrando a vida que Lex poderia se realmente quisesse.Em relação a The OC,gostei muito do 4.7The Chrismukk-huh?,mostrando como em Lexmas,como a vida poderia ser difernte.Queria um especial natalino de one tree hill,seis temporadas e nunca comemoraram o natal…

  2. Livia

    Nossa ver The pretender na lista foi tãooooooo bom…

    Amava essa serie, mt boa mesmo.

    Foi uma das primeiras q vi junto com arquivo x e me marcou mt…

  3. bia mafra

    Muitos eu nao lembro, tenho uma memoria pessima, mas abri esse topico esperando ver o natal fantasma de mulder e scully. nao tinha, mas alguem lembrou. com certeza, p ara mim, o melhor episodio de natal.

  4. Laudo Kenji

    Meus 10 episódios de natal favoritos:

    Married With Children (s2x13)- You Better Watch Out. Al Bundy tem q assumir o papel de Papai Noel q acabara de… morrer! Episódio hilariante q eu assisti pela Band.
    __

    The OC (s1x13)- The Best Chrismukah Ever. Primeiro natal de Ryan com a família de Seth. Inesquecível.
    __

    Everybody Loves Raymond (s7x11)- The Thought That Counts. Robert sugere à Ray o melhor presente de natal para a esposa (Debra). Assisti até morrer de rir.
    __

    Everwood (season 1)- Last Episode. Dr. Brown recorda uma noite natalina com a família toda reunida. Os minutos finais são memoráveis.
    __

    ER (S1x10)- The Gift. Os médicos da sala de emergência tentam conciliar o natal com os pacientes. Personagens na sua melhor forma.
    __

    Gilmore Girls (s7x11)- Santa´s Secret Stuff. Lorelai não consegue escrever uma carta de recomendação para Luke. A tarefa acaba ficando para Rory. É o inicio do excelente final da série.
    __

    Friends (s3x10)- The One Where Rachel Quits. O chefe de Rachel pede para q ela faça uma reciclagem profissional. Phoebe faz muita graça na loja de árvores natalinas.
    __

    Charlie Brown (A Christmas Tree)- Espírito natalino com a turma do Snoopy. Clássico.
    __

    Quantum Leap (s3x10)- A Little Miracle. Scott Bakula e Dean Stockwell voltam no tempo para recriar o conto de Charles Dieckens. Outro clássico q eu assistia pela Record.
    __

    House (s3x10)- Merry Little Christmas. Dr House recebe uma surpresa após várias intimações feitas por um detetive. Não é o melhor da série, mas vale a pena assistir.

  5. Thais Afonso

    Não lembro do de Everwood, mas lembro que a primeira e a segunda temporada de Everwood sempre tinham episódios inesquecíveis. Sinto falta dessa série.

  6. Karol

    Friends inesquecível!

    Mas de Ally, sempre que se fala em Natal lembro dela com o Larry (a-ma-va, um dos meus personagens preferidos)no piano e depois uma cena dos dois com nariz de rena piscando encostados um no outro…. muito lindo!!!

  7. Lenira

    Descobrir que mais pessoas adoravam The Pretender como eu, já foi uma alegria. Mas relembrar o episódio de Natal foi MA-RA-VI-LHO-SO! Uma série tão bom e tão esquecida. Obrigada por falarem nela!!!!1

  8. Pingback: 5 episódios de Natal que você deveria ter assistido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account