Log In

Reviews Spoilers

Em dia com One Tree Hill: episódios 7×01 a 7×05

Pin it

One Tree Hill - 4:30 a.m. (Apparently They Were Travelling Abroad)

Caros fãs,

Como todos vocês já puderam perceber, a nossa paciência com a TV paga foi para o ralo. Conversando com o editor do site, cheguei a conclusão que o melhor seria abandonar as reviews de One Tree Hillsincronizadas com a exibição na Fox e bolarmos uma forma de ficarmos em dia com a série – para o caso da série terminar este ano. E, mesmo que não termine, não fiquemos nesta espera de quase um ano pela exibição do seriado no Brasil.

A ideia é fazer um pequeno resumão-especial, comentando de uma só vez cinco episódios deste setimo ano. Não estranhem se a análise dos personagens não forem muito profundas (ou enroladas, como preferirem), como costumo fazer.

Cada texto será dividido ainda em três partes:
Olho no lance – contará o que houve no episódio, de forma reduzida.
Quer que eu vou dizer lá em casa – destaques positivos ou negativo do episódio.
Pelas barbas do Profeta – será o momento de reflexão da série, do episódio ou dos personagens.
E, sim, é uma pequena homenagem ao narrador esportivo Silvio Luiz.

Episódio 7×01 – 4:30 a.m. (Apparently They Were Travelling Abroad)

Olho no lance: A série começa com mais um pulo temporal de 14 meses, e nisso sabemos que Nathan já jogou e muito na NBA, tanto que está em fase de renovação. Além disso, Brooke e Julian estão bem, mas ela que pensava em pedir ele em casamento fica um pouco receosa ao perceber que ele não tem exatamente a mesma vontade. Haley toma conta do estúdio de Peyton e tenta gravar algo novo, Dan fica rico mais uma vez fazendo um programa televisivo de auto-ajuda e remos dois personagens novos: Clay, agente de Nathan e o conquistador das mulheres da vez, e Quinn, que sabemos que é irmã de Haley e só. O evento do episódio é o aniversário de sete anos de Jamie.

Quer que eu vou dizer lá em casa: tivemos Dan apresentando um programa sobre redenção, de longe o que mais me interessou neste episódio – até porque, sem as reflexões de Lucas, foram de Dan os melhores diálogos. Do mais, Jamie, Skills e Mouth foram apenas coadjuvantes de luxo. E as cenas de Skills e Jamie são divertidas, assim como do Skills com Mouth, mas ainda assim, é muito pouco para personagens tão ricos

Pelas barbas do Profeta: O show não tinha que continuar, mas continuou. Ouso arriscar, mas este era o sentimento entre nove dos 10 fãs da série após o final da sexta temporada e principalmente, a confirmação da saída de Hillarie Burton e Chad Michael Murray. E como desenvolver uma temporada se todos os arcos aparentemente foram fechados? Esse episódio me trouxe aquela sensação de familiaridade com o dia seguinte, que é quando realizamos um dos nossos sonhos, mas depois disso temos que mantê-lo, encontrando uma nova estrada pra caminharmos.

One Tree Hill  - What You Are Willing To Lose

Episódio 7×02 – What You Are Willing To Lose

Olho no lance: Tivemos as Daddy Issues de Julian, e depois Brooke enfrentando o pai dele. Sabemos que Dan está casado com Rachel (aquela que era pra ser rival da Brooke e Peyton pelo amor de Luke, depois era pra ser o par romântico de Mouth). Temos dois personagens novos na série, Uma é Alex Dupré que, advinhem?, é uma versão mais nova de Brooke. E Miranda, que faz parte da gravadora que fez sociedade com Peyton e pressiona Haley a gravar algo, senão fechará o estúdio. Descobrimos que Quinn está se divorciando do marido David (também nunca vi mais magro) e toma forma a possível traição de Nathan, que poderá ter um filho com uma outra mulher.

Quer que eu vou dizer lá em casa: Um episódio um pouco melhor, gostei da cena com Julian explicando pra Brooke o porque de querer que o poster do filme Além da linha vermelha fique na sala da casa deles. Outro Daddy Issues da série que funcionou, porém não deixa também de ficar claro a tal das tramas repetitivas que a série tem nos jogado. Se na sexta temporada tivemos Julian dizendo para Victoria (mãe de Brooke) que se ela não tratasse a filha dela direito, ele a proibiria de vê-la, agora tivemos Brooke fazendo algo parecido com o pai de Julian. E apesar de ter sido duas belas cenas, havia ao menos mil outras maneiras de mostrar que Brooke se importa.

Pelas barbas do Profeta: Vale destacar a performance de Paul Johansson, que consegue nos mostrar mais uma faceta, que é de genuinamente querer fazer o bem ao próximo. A cena de Dan com o mendigo é antologica porque ali não havia uma intenção dele em ganhar votos, ou aparecer bem para alguém – ele genuinamente se sensibilizou com o problema do próximo e mostrou que ele (e muitas pessoas) fazem merda. Aliás, nessas horas começo achar que meus devaneios sobre a série fazem algum sentido – justamente por eu ter passado anos dizendo que o que eu mais gostava no personagem Dan Scott depois dele ter percebido os erros que cometeu é que ele em nenhum momento tentou negar isso, muito pelo contrário.

One Tree Hill - Hold my Hand As I'm Lowered

Episódio 7×03 – Hold my Hand As I’m Lowered

Olho no lance: Descobrimos como Dan e Rachel se aproximaram e como ele (ou seria ela?) teve a ideia de escrever o livro, que acabou depois abrindo as portas para o programa de TV. Mouth tenta fazer com que Skills saia do apartamento para que ele possa morar a sós com Millicent. Nathan e Haley acabam decidindo não ceder as chantagens da possível amante de Nathan, que estava pedindo 200 mil dolares para não vazar a noticia da gravidez (e nem aparecer com o filho). Alex, além de dar muito trabalho a Brooke, parece ter se interessado por Julian (ok! E por qualquer homem que apareça na série).

Quer que eu vou dizer lá em casa: A conversa entre Dan e Rachel no flashback deles foi muito boa. A conversa foi sobre as pessoas quererem deixar sua marca no mundo, mas terem medo de viver. Alex é a Brooke de antigamente? Não é muita repetição, já que até uma “brooke” falsa tivemos na sexta temporada? Outro destaque positivo foi Nathan e Haley mostrando o valor do carater deles, tanto individual, quanto como casal, decidindo juntos não ceder a chantagem e correndo risco de perder a renovação da NBA e principalmente machucar Jamie.

Pelas barbas do Profeta: Aqui eu tenho que citar meu amigo Vinicius Silva:

Não consigo entender, por exemplo, onde a série quer chegar com as bobagens entre Mouth e Skills. Afinal, eles são duas pessoas adultas ou ainda são crianças e pensam que podem ficar buscando joguinhos um com o outro por conta de uma besteira? Nem isso eu sei responder. Aliás, se Jamie consegue ser muito mais “centrado” do que o Skills, é porque realmente tem algo de errado. O que importa dizer é que a série conseguiu banalizar os personagens e o sentido que eles tinham para as estórias.

One Tree Hill - Believe me, I'm Lying

Episódio 7×04 – Believe me, I’m Lying

Olho no lance: É o desfile da nova coleção de Brooke, e acaba sendo lançado a campanha “zero não é tamanho” com a Millicent como modelo. Alex revela a Julian que foi ela que escreveu o roteiro que havia entregue a ele no episódio passado e ele se compromete a ajudá-la. A noticia da possível gravidez da possível amante de Nathan vaza e afeta a quase todos, como Jamie, que tem que lidar com o fato de todos os seus amigos comentarem apenas isto; Haley que fica frente a frente com a “sócia” e acaba agredindo ela para a festa dos paparrazos; e Mouth que se recusa a dar a noticia no jornal que ele apresenta sobre a possível gravidez por acreditar de que não se passa de fofoca e pelo princípio de que um canal de esportes deveria falar de esportes e não da vida pessoal dos outros (sejam atletas ou não).

Quer que eu vou dizer lá em casa: A personagem Alex começa a brilhar, aliás, ela e Clay começam a se destacar como os melhores personagens novos da série. Apesar de entender os motivos de Quinn pra querer se separar de David, a historia não empolga. E vai lá, vê-la desabafando com uma criança (que não era o Jamie) foi forçado. O de melhor neste episódio foi que os três grandes plots dessa primeira metade da temporada ficam claros neste episódio: a campanha Zero não é tamanho, a aproximação de Alex e Julian, e a possível traição de Nathan.

Pelas barbas do Profeta: Eu já disse isto antes e tentarei resumir agora – pra assistir essa temporada, você tem que esquecer as seis primeiras. um dos méritos dos produtores foram não tentar criar um novo Lucas, e sim mudar a estrutura narrativa da série que, ao invés de ser centrada num novo “Lucas” e no que acontece ao seu redor, criou diferentes núcleos. O grande problema desses núcleos são as repetições das historias e a falta de diversificação dos personagens. O ideal para um bom relacionamento na sociedade é aceitar as diferenças, e mesmo que Brooke seja esquentada, Clay seja mulherengo, ou que o gato tenha comido a lingua de Quinn, eles ainda parecem os mesmos.

One Tree Hill - Your Cheatin' Heart

Episódio 7×05 – Your Cheatin’ Heart

Olho no lance: Haley acaba sendo presa devida a agressão feita no episódio passado. Quinn e Clay começam a se aproximar. Nathan resolve fazer uma coletiva na imprensa para poder contar o seu lado da história. Mouth é punido pela emissora de TV por não ter dado o “furo” de reportagem a respeito da suposta traição de Nathan. Millie fica indecisa sobre aceitar ou não o convite pra ser modelo. Alex tenta seduzir Julian que acaba inicialmente desistindo da ideia de ajudá-la a desenvolver o roteiro. Brooke a cada dia que passa fica com mais ciúme da aproximação dos dois, e termina o episódio com Dan querendo fazer uma proposta para a mãe de seu possível futuro neto.

Quer que eu vou dizer lá em casa: Dos cinco episódios, este foi o mais fraco. Não que tenha sido ruim, porém não tenho nada a acrescentar que não tenha sido mostrado nos quatro episódios anteriores.

Pelas barbas do Profeta: É interessante notar que hoje, se alguém criar um blog falando que engravidou de alguma celebridade, e se isto que eu falar de alguma forma vender, isto se tornará noticia independente da verdade e se multiplicará pior do que um vírus. Alguns podem argumentar que mas Mouth é um jornalista, mas é aí que entra aquilo que admiro do personagem. Só duas pessoas podiam confirmar essa historia, uma é a possível mãe do filho de Nathan, alguém cujo o passado desconhecemos, e a segunda pessoa seria um dos seus melhores amigos. E por ele ter esssa opinião, de alguém que ele de fato confia, ele se recusou a transformar o programa jornalistico esportivo no qual trabalha em programa de fofocas. Pena que alguns ainda acham que ele errou.

Séries citadas:

7 Comments

  1. Edmar

    Pra mim One Tree Hill já acabou, quando os atores principais saíram. Isso que é duro de um seriado, quando os atores deixam a série, nós fãs ficamos decepcionados.

  2. Lara Lima

    O triste é vê-los querendo fazer suco com o bagaço da laranja.

    Essa questão de renovação ou não nunca me agradou nesse tipo de programa porque enquanto muitas séries podiam ser renovadas – com audiências até razoáveis e tramas boas – não são e One Tree Hill, que já usou todas as cartas e esgotou o roteiro, e ainda, não tinha uma audiência legal tá aí as vias de mais uma renovação.

    “Aliás, se Jamie consegue ser muito mais “centrado” do que o Skills, é porque realmente tem algo de errado.”

    Para isso eu vou citar o Thiago Monteiro que no blog do Vinicius disse: “Então Tree Hill deve ser o maior local de crianças prodígios, ou, de adultos idiotas.”

    E posso falar? Chad e Hilarie tinham seus defeitos mas fazem uma tremenda falta.

  3. Vicente

    Pra quem que, com eu, sofre com a longa espera para assistir a cada nova temporada pela FOX, se não fosse pelos personagens, diria que o que li acima trata de uma outra série, e não da “One Tree Hill” que um dia chegou a ser a minha série favorita…

  4. Paulo Serpa Antunes

    Paulo,
    Como ex-telespectador de OTH eu não tenho muito o que comentar. Apenas duas observações:
    1. Muito engraçada as referência ao Silvio Luiz!
    2. De onde é que os produtores da série tiram estas atrizes gostosas? Tem uma fábrica delas lá nos EUA, hein?

  5. Vitor

    Pelo amor de deus alguem acaba com one tree hill e tira a serie dessa miseria. a serie esta uma porcaria nem é mais a mesma serie bem que dizem, o que as pessoas não fazem por dinheiro até estragar sua propria obra por dinheiro as pessoas fazem.Infelizmente one tree hill sera lembrada como uma serie que não soube a hora de acabar.Como a lara disse esgotou o roteiro não tem mais o que fazer a não ser repitir tudo que ja foi feito mas com personagens diferentes é isso ai lara estão querendo fazer suco com o bagaço da laranja até tentei continuar vendo a serie mais não consegui mais e parei no episodio 7 prefiro ficar com o verdadeiro fim que foi o da sexta temporada

  6. Thiago Monteiro

    Concordo em tudo que a Lara disse e fico agradecido por ter me citado.:D

    Pra mim já virou um grande clichê falar mal de OTH, que outrora chegou a ser minha série favorita. Ingratidão com a má fase, talvez? Pode ser, se isso já perdura 3 temporadas, especialmente nessa que não tem nenhum sentido para existir.

    Um show tem que saber quando é chegado o fim e nem Dawson’s Creek em suas piores fases chegou a ser insuportável. Pelo menos os produtores tiveram o bom senso de encerrar a série no 6º ano, coisa que OTH até agora não sabe fazer.

  7. rita

    só acho que Histórias é com HI e não com E como uma analfabeta quer dar opiniao de alguma coisa? fala serio eh tao burra que não consegue entender q o lance o mouth com o skills eh pra mostrar q acontece com amigos nao conversam dãã t ligaaa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account