Log In

Reviews

Downton Abbey – Series 5, Episodes 1 e 2

Pin it

Série: Downton Abbey
Episódio: Series 5, Episodes 1 e 2
Número dos Episódios: 5×01 e 5×02
Exibição no Reino Unido: 21/09 e 28/09/2014

Desde sua estreia em 2010, Downton Abbey tem como foco as mudanças. Sejam elas históricas, sociais ou familiares, as mudanças e o modo como elas são encaradas tem sido o Modus Operandi de Downton. E nessa quinta temporada não está sendo diferente, pelo contrário, há mais mudanças do que os personagens e nós fãs podemos nos dar conta, e vocês são meus convidados para comentarmos um pouco sobre o que está mudando no condado inglês mais famoso de todos os tempos. Como diriam na época de Downton: Shall we?

Uma das personagens que mais está tendo destaque desde a quarta temporada e que também está com um dos plots mais interessantes da série é Edith, que está tentando lidar com a separação de sua filha Marigold que está sendo criada pelos Drewe e tendo que se contentar com apenas ser uma madrinha para a filha ou algo do tipo, já que só sua tia Rosamund sabe sobre a menina. Além do famoso desaparecimento de Michael que até agora não foi totalmente resolvido. Como vimos na temporada passada sabemos que ele entrou numa briga com “um grupo de homens fardados” na Alemanha e depois não se teve mais notícias dele. Tudo indica que esses homens fardados são nazistas, e com a série mostrando mais interesse nas questões políticas dessa temporada é bem provável que também vejamos o Nazismo sendo explorado na série, o que trará uma dinâmica interessantíssima levando-se em conta que a família de Cora é judia. Mas isso é só especulação por enquanto, resta continuar assistindo pra ver como irão explorar isso.

Em uma situação muito menos desesperadora mas igualmente interessante de se acompanhar está sua irmã Mary, que depois de todos os flertes de seus possíveis pretendentes parece ter se decidido por Tony, o primeiro a tentar conquistá-la desde a morte de Matthew, e que parece ter sido o que mais mexeu com o seu coração gelado. E não só está conseguindo fazê-la dar outra chance ao amor como também está a ajudando a redescobrir sua sexualidade com sua proposta mais do que indecente de fazer uma viagem com ela com o intuito de fazê-la descobrir o que ela realmente quer, se é que me entendem. Por mais que Mary seja uma mulher independente e desinibida foi uma decisão e tanto ter aceitado a oferta, e ainda ter lembrado de se prevenir fazendo Anna comprar pra ela o que se presume ser algum tipo de preservativo. Prova de que as mudanças realmente estão acontecendo em Downton (destaque pra cena em que Anna vai à farmácia comprar os tais preservativos, excepcional de tão engraçada).

Outro que também está mudando é Tom, ou melhor, voltando a ser como era. Desde que começou a ter uma amizade com a professora Sarah Bunting (uma das personagens novas mais bacanas da série até agora) ele está se questionando quanto ao seu modo de vida em Downton e o quanto ele mudou desde que passou a viver com os Crawley e ser um deles. Sarah está tentando mostrá-lo que ele pode ser como antes se ele quiser, e parece que ele está cada vez mais disposto a isso, inclusive com planos de se mudar para a América (o correto é Estados Unidos mas não tem como evitar dizer América quando se assiste Downton). Como ele se tornou um dos personagens centrais da trama não é muito provável que isso aconteça, pois os personagens centrais tem suas tramas centradas no condado e algumas vezes em Londres, mas nunca fora do Reino Unido, a não ser que Jullian Fellowes esteja querendo expandir a série e crie mais plots internacionais, o que seria fantástico. Não custa torcer.

Como sempre o que mais tem problemas pra lidar com as mudanças é o cabeça dura do Robert, que não cansa de ser um empecilho para que as coisas fluam melhor (pontos para Hugn Boneville que consegue fazer de forma tão convincente um personagem tão teimoso e retrógrado, completamente diferente do poço de simpatia e carisma que ele é). Desde coisas simples como Rose querer comprar um rádio para Downton até coisas séries como as opiniões políticas de Tom, Robert sempre está a favor do tradicionalismo, do que melhor funciona segundo o seu ponto de vista, chegando a ser imaturo muitas vezes. Mas apesar de tudo isso não há como odiar Robert pois sabemos que ele é uma boa pessoa e que não faz por mal, e também é impossível odiar um personagem interpretado por Hugh Bonneville.

3Fora da mansão temos o relacionamento sempre complicado de Violet e Isobel, dessa vez com o mais novo dilema: a paixonite de Lord Merton por Isobel. Como sabemos Violet é a Condessa Viúva de Downton, algo como a Rainha-Mãe, abaixo apenas de seu filho Robert que é o Conde, e isso faz dela a mulher mais importante do condado, e como sabemos Violet tende a ter um ego demasiadamente grande, então, vendo a afeição de Merton por Isobel ela percebeu uma ameaça a sua soberania. O que ela decide fazer? Tentar juntar ela ao Dr. Clarkson, médico do condado para ela se manter no topo, mas isso está deixando Isobel extremamente irritada, não porque ela goste de Merton (ela não deixou isso claro ainda) mas por Violet estar tentando controlar sua vida tão descaradamente. Já sabemos que amizade das duas já é bem complicada, e isso pode complicar mais ainda a situação. Veremos o que resulta dessa confusão.

Agora vamos falar do andar de baixo de Downton, os criados. Carson, assim como seu patrão, também está encontrando problemas para se adaptar às mudanças, em alguns pontos até demais por conta de seu conservadorismo exagerado, mas assim como Robert tem a Cora para torná-lo mais razoável, Carson tem a Sra. Hughes, sempre o ajudando a enxergar um lado melhor, e nessa temporada eles estão ainda mais parecidos com um casal, com direito a reconciliações e tudo. Só falta se unirem oficialmente.

Daisy está tentando mudar sua vida e garantir um futuro melhor fora de Downton, e pra isso ela começou a estudar redação e matemática para ficar mais preparada para ter uma carreira além de cozinheira, e a Sr.a Patmore está sendo sua mecenas, pagando até aulas particulares com a professora Sarah Bunting. Essa atitude de Daisy apontou um fato decepcionante da época: o quanto as mulheres não se preocupavam em se instruir, com damas da aristocracia beirando o analfabetismo. E é ótimo ver essa mudança da época sendo retratada na série através de uma cozinheira.

James deu adeus a Downton, depois de ter sido pego com sua antiga patroa por Robert durante o incêndio no quarto de Edith (que ela deixou acontecer por negligência devido ao seu desespero comentado anteriormente) e então foi demitido. Thomas foi o que mais ficou sentido, pois como sabemos ele tem uma paixonite por James, e vê-lo partir fez ele refletir um pouco no modo como leva sua vida. Como sabemos ele é a famosa “bicha má” de Downton e tenta sempre conseguir o que quer usando os outros, mas temos que lembrar que Thomas é muito mais vítima do que vilão nesse cenário. Seu passado não foi mostrado na série mas podemos imaginar o que ele deve ter passado sendo homossexual na Inglaterra no início do século XX, então naturalmente ele tem atitudes mais hostis para conseguir as coisas, mas como vimos ele pode estar tentando mudar aos poucos, e assim conseguir seu final feliz, que é o que ele merece apesar de tudo que já aprontou.

Também temos o caso da Sra. Baxter. Como vimso na temporada passada Thomas sabia de um segredo de seu passado e a estava chantageando com isso para conseguir informações úteis, e nessa temporada ela decidiu dar um basta nisso e resolveu contar à Cora seu segredo: ela a havia roubado jóias de sua antiga patroa e foi condenada pelo crime. Cora se mostrou benevolente mas está convencida de que há mais coisas que Baxter não quer contar, e tudo indica que realmente há, mas isso só descobriremos nos próximos episódios.

E pra terminar, começou mais uma das desventuras do nosso querido Bates. No final do segundo episódio um policial vista Downton com respeito à investigação da morte do Sr. Green, o valete que violentou Anna na temporada passada, e aparece informando que há uma testemunha no caso. Como sabemos Bates fez uma viagem misteriosa no final da temporada passada e coincidentemente quando ele retornou Green foi morto, aparentemente em um acidente de carro. Não sabemos se Bates realmente matou Green, mas com certeza isso vai ser mais uma enorme dor de cabeça para o coitado que é especialista em ter dramas. Será que teremos outra campanha no estilo da #FreeBates da segunda temporada? Hugh, pode preparar mais uma encomenda de camisetas.

downton-abbey-hugh-bonneville-61798888Um detalhe extremamente pertinente: a melhor fase de Downton Abbey (duas primeiras temporadas) balanceava os dramas familiares e pessoais com as questões sociais e políticas da época, e nessa temporada estamos vendo exatamente isso, com várias referências ao Primeiro Ministro Ramsay MacDonald, que foi o primeiro do Partido dos Trabalhadores a ser eleito, além de estarem citando bastante a Revolução Russa e seu refugiados, o que inclusive irá trazer à tona algo do passado de Violet, como foi mostrado no Next Time do terceiro episódio que mostra um russo que ela conheceu e que muito provavelmente tem uma história com ela. Downton Abbey está aos poucos voltando a oferecer o seu melhor, e a tendência é só continuar assim.

Séries citadas:

Estudante de Produção Multimídia, cinéfilo de coração e futuro roteirista. Obcecado pelo Reino Unido e tudo que sai daquela ilha mágica, principalmente as séries, em especial Doctor Who, Sherlock e Downton Abbey. Também é apaixonado por animação, e sonha em ser roteirista de uma série animada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account