Log In

TV Brasil

Destaques do dia: Domingo, 12/11/2006

Pin it
Blade

Warner estréia Blade, a Série: A última estréia da nova programação da Warner Channel é Blade, versão para TV do sombrio herói dos quadrinhos da Marvel e da série de filmes estrelada por Wesley Snipes. O seriado, que estréia esta noite no Brasil, traz o ator Kirk ‘Sticky Fingaz’ Jones (Over There) no papel título. Blade é um híbrido meio-humano, meio-vampiro, que caça outros vampiros. No piloto ele fará uma aliança com uma mulher chamada Krista (Jill Wagner), que busca vingança pelo assassinato de seu irmão. Na Warner, às 22h.

Brotherhood ganha exibição na Fox: Sua operadora ou seu plano de TV por assinatura na oferece o canal FX? Pois hoje a Fox te dará mais um gostinho da programação de seu canal para o público masculino. O piloto do drama adulto Brotherhood, um dos destaques da grade do FX, será exibido na Fox somente neste domingo, às 21h. Excepcionalmente neste domingo a Fox não exibe Malcolm in the Middle.

Novas reconstruções: Finalmente! Depois de meses e meses de reprises, finalmente o People+Arts traz ao Brasil novos episódios do premiado reality show Extreme Makeover: Reconstrução Total. O canal começa a exibir, a partir deste domingo, os 24 episódios da segunda temporada do programa apresentado por Ty Pennington. No P+A, às 20h.

Four Kings

Apresentando os Reis de Nova York: Barry, Ben, Jason e Bobby são quatro amigos de infância que se auto-intitulam os “Quatro Reis de Nova York” e que passarão a morar juntos quando um deles ganha um apartamento de herança. Assim começa a sitcom Four Kings, que teve 10 episódios produzidos por David Kohan e Max Mutchnick, a dupla criativa de Will & Grace. No elenco da série os destaques são Seth Green (Buffy), Josh Cooke (Committed). A série estréia este domingo na Warner, às 13h.

Outros destaques:
Amor Imenso: episódio Eviction. HBO, 23h
Masters of Horror: episódio Jenifer baseado em uma de HQ de Bruce Jones e Bernie Wrightson, dirigida pelo cineasta italiano Dario Argento e escrita e estrelada por Steven Weber (The Weber Show, Wings). FX, 22h
Família Soprano: episódio Luxury Lounge, com participações de Wilmer Valderrama (That ´70s Show), Lauren Bacall e Ben Kingsley. HBO, 22h
Brotherhood: episódio Matthew 12:25. FX, 21h
Os Simpsons: episódio Kiss, Kiss Bang Bangalore, com participação de Richard Dean Anderson (Profissão Perigo, Stargate SG-1). Fox, 20h30
Wildfire: episódio Subtrações (Break Down). A&E, 20h
Monk: episódio Monk cai no Rock (Mr. Monk Goes to a Rock Concert). O episódo encerra a primeira metade da temporada. Universal, 20h
Modern Men: episódios Kyle Dates Up. Warner, 13h30

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

17 Comments

  1. Victor Hugo

    Vou ver se Blade mereceu ou não ser cancelada…
    Obs: Gostei muito da sitcom The Class…foi hilario….

  2. Victor Pacheco

    Pois é… com essa mania ridícula da FOX de transmitir coisas do FX mais uma vez ficamos sem Malcolm e Family Guy no domingo…

    Blade não me interessa…

    Além disso, o que esperar de uma série centrada em idiotas que se auto-intitulam os quatro “reis” de nova york?

  3. Heitor Albernaz

    E eu perdi reprise de Grey’s hj pela mudança dos horários
    ¬¬’
    alguém sabe se tem mais alguma do episodio da terça passada?

  4. Thomás

    Gostei do piloto do The Class também… Não é tão boa quanto Friends – também de David Crane -, mas pelo menos ri o tempo todo.

  5. Marcio

    O Blade foi ±. Não foi tão ruim quanto eu esperava, mas também não foi nenhuma maravilha. É no mínimo “assistível”, tal como o “Birds Of Prey”. Mas tenho é que elogiar a qualidade de legendas e tradução da Warner. Simplesmente perfeitas, não só pela ausência de erros de português como também pelo uso de um linguajar variado conforme o personagem (pomposo, coloquial, “malandro”, e por aí vai).
    Elogios também para a desinibição na hora de traduzir palavrões. Acho que posso contar nos dedos da mão quantas vezes li “merda” ou “puta” nas legendas dos seriados. Os dois juntos então, como ontem – “puta merda” -, nunca imaginei que seriam usados tão naturalmente :D

  6. João da Silva

    O seriado Blade pode até ser só mediano, mas a Jill Wagner, que interpreta a personagem Krista Starr, é linda.

  7. Victor Pacheco

    Se a Jill Vagner é essa na foto com o Blade, sou obrigado a discordar de você… achei ela feia… nenhum monstro, mas certamente não bonita.

  8. Marcio

    É que nessa foto do Teleséries elá está com aqueles dentes de vampira. Mas também nào acho que ela seja algo excepcional. É uma beleza do tipo comum, que a gente acha aos montes só de sair na rua.

  9. Miguel

    Marcio, só uma pergunta, já que eu não vi Blade, mas tinha palavrão mesmo para traduzir? Porque o Warner Channel costuma inventar palavrão onde não deveria ter, já vi várias vezes ‘crap’ virar ‘merda’. A Sony também faz isso de vez em quando.

  10. Marcio

    Não sei. No momento da cena em questão eu estava sem o fone no ouvido (vejo pelo computador, via placa de captura – tem saída para a TV, sim, mas no momento do Blade eu estava teclando no MSN, dividindo a atenção entre o papo e o episódio :P), só li na legenda.
    Mas pela leitura labial (se bem me lembro), a mulher falou “Holly crap”. Traduz isso para português de uma maneira melhor que o “Puta merda”, quando você vir pela primeira vez um vampiro carbonizando bem na sua frente sendo que você não acredita em vampiros :D

    Mas, justo, não sabia dessa “mania” da Warner. Faz muito tempo que não vejo nada além de Smallville no canal.

  11. Marcio

    Crap = Bosta
    Shit = Merda
    Se bem que, tanto um quanto outro são considerados “bad words” em inglês :P

  12. Miguel

    Como o Marcio disse, crap não é merda, per se. E se fosse, você acha que seria livremente usado em séries americanas exibidas na TV aberta? Mesmo sendo uma “bad word”, não tem o mesmo peso de merda (shit). Mas a Warner e a Sony costumam traduzir ‘Holy crap’ para ‘Puta merda’, como se de fato estivesse correto, e ainda exibem em qualquer horário. Não me ofende, não sou pudico, mas acho desnecessário.

  13. Kravis

    Mas “crap” é usado justamente pq a censura não permite “shit”. É um “substituo de mesmo significado, mas não de mesmo peso” assim como “screw you”, que na verdade é “dane-se”, o é para “fuck you”, já q em circunstâncias normais o personagem usaria o termo mais pesado mesmo, e só não usa pela censura da TV aberta. Bosta e merda são sinônimos, ergo, “crap” é “merda”! Até porque, dá na mesma.

  14. Miguel

    Kravis, eu sei que dá na mesma, mas se a tradução quer ser o mais fiel possível, não irá colocar um “merda” onde havia “crap”. Para aqueles que não entendem inglês, fica a impressão de que até leves sitcoms americanas utilizam palavrões, o que não é o caso.

    A HBO, por exemplo, faz o contrário, suaviza TODOS os palavrões. Nunca vi “fuck you” virar algo além de “dane-se”, séries com alto número de palavrões são traduzidas da forma mais politicamente correta possível, alterando o significado e peso original das palavras. E isso, logicamente, é muito pior.

  15. Kravis

    Realmente é pior.
    Mas como eu disse, só se usou o termo mais leve pq não podem usar o termo que uma pessoa normalmente usaria naquelas circunstâncias. Mas uma vez que as legendas não precisam sofrer desse mal, é mais do que certo q se traduza da forma como realmente seria dito, já que se tratam apenas de sinônimos.
    Se fica essa impressão pra quem não entende inglês, que seja, pois é melhor que isso aconteça do que o termo apropriado para a istuação não ser usado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account