Log In

Notícias Programação EUA

Cuidado Sony: ‘Til Death pode ser cancelada

Pin it

Brad GarrettA Fox americana encomendou esta semana aos produtores das sitcoms ‘Til Death e Happy Hour que preparem três roteiros adicionais dos dois programas, que serão analisados pelo canal. As duas séries tem contrato com a Fox para a produção de 13 episódios e dependem da boa avaliação destes roteiros para garantir a encomenda de uma temporada completa, com 22 episódios.

Qual o problema? Até hoje, sempre que a Fox pediu roteiros adicionais, as séries acabaram não ganhando novos episódios. Foi o que aconteceu no ano passado, por exemplo, com Reunion. Quatro roteiros extras foram pedido pelo canal, que acabou decidindo não continuar com a série.

Logo, a notícia indica que ‘Til Death, que estréia na Sony em novembro, poderá ter vida curta. A nova série de Brad Garrett (Everybody Loves Raymond) vem mantendo média de 6,9 milhões de telespectadores por episódio.

Já a solicitação de novos episódios de Happy Hour é até surpreendente. A comédia assinada pelo produtor Tom Werner (That ´70s Show, Roseanne) só teve três episódios exibidos nos EUA, teve desempenho fraco e entrou em hiato. A expectativa da imprensa especializada americana era de que a série não voltaria a ser exibida pela Fox. Mas a série, aparentemente, ainda está nos planos do canal.

Segundo o site TheFutonCritic, outra série da Fox que está a perigo é o drama Vanished, estrelado por Ming-Na (ER) e Rebecca Gayheart (Barrados no Baile). O canal vai exibir os 13 episódios da série para só depois decidir se irá encomendar episódios adicionais ou não.
Nota do Editor: Nota corrigida no dia 21/10.

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

16 Comments

  1. Anderson Vidoni

    A Fox ta muito bonzinha nessa temporada, mas se Justice se salvar pelo menos, já ta bom.

    Dessas ai a melhor disparada é ‘Til Death, Happy Hour é fraca demais.

  2. Miguel

    A FOX tá ruim mesmo, Justice é ridícula, Vanished, um cocô e Happy Hour é mais uma daquelas sitcoms bobas e sem graça. Odeio o Brad Garrett, logo nem vi ‘Til Death e Standoff não me interessou. A segunda temporada de Prison Break está terrível e a terceira de House está cansativa, o formato dos episódios precisa ser remodelado.

  3. Anderson Vidoni

    Miguel, você não poderia estar mais errado, principalmente sobre House, cansativo? Dá até vontade de rir disso.

    Só concordo com relação a Happy Hour.

    ‘Til Death: não é muito bom, mas o Garrett salva.
    Prison Break: começou meio fraca e agora esta bem legal, tem muita gente que prefere a segunda temporada.
    Justice é excelente e o Victor Garber arrebenta na série.
    Vanished, novamente concordo com você, fraca.
    Standoff é bem divertida.

  4. Victor Hugo

    a CW ja cancelou a Runaway….. é a temporada começou a fazer vitimas…. umas injustamente ou de pleno acordo….

  5. Miguel

    Anderson, eu não poderia estar mais errado? Hmm, acho que eu poderia dizer o mesmo sobre vc. Mas seria inútil, não acha?! Não concordar com a opinião alheia é uma coisa, mas querer negá-la é uma atitude extremista. Vamos debater com argumentos.

    Sobre Prison Break, não tenho dúvidas de que tem gente que está adorando e até preferindo a segunda temporada, mas EU realmente não estou. Desde o episódio Manhunt, pra mim, a série perdeu o rumo e está forçando muito a barra. Acho que há limites para o absurdo.

    Sobre House, acho que a fórmula dos episódios está cansativa sim. O Hugh Laurie continua excepcional, mas a maneira como os episódios são conduzidos está muito repetitiva. Introdução do paciente da semana/House e sua equipe trocam idéias/Acham o que pode estar errado/Paciente reage bem ao tratamento/Paciente reage mal/House e sua equipe trocam mais idéias/Finalmente House descobre o problema exato/Paciente fica curado. Excluindo um ou outro episódio, essencialmente esse padrão não muda. Gostaria que eles fossem mais criativos nesse aspecto.

    Sobre Justice, concordo c/ vc. Victor Garber é excelente e justamente por isso, a decepção com a série é ainda maior. Somente vi os dois primeiros episódios e achei ridículos mesmo. Utilizando vários efeitos especiais para tentar tornar o processo judicial mais excitante, o roteiro simplesmente é mal trabalhado. As emoções dos advogados, especialmente da advogada, deveriam ser trabalhadas de maneira mais sutil a fim de construir seus perfis. Mas eles preferem explicitar tudo, tornando óbvia demais a personalidade deles. Boston Legal, por exemplo, não utiliza efeitos especiais mas, através de bons roteiros e um ótimo elenco, cativou o meu interesse desde sua primeira temporada.

  6. Anderson Vidoni

    Miguel vamos lá.

    House: A série é assim desde o primeiro episódio, o segundo foi assim, o terceiro… É como o Juliano disse, ela é procedural. O que me espanta é você achar isso só agora (se achava antes, não deu a entender), já que a primeira temporada é a que mais ficou nessa linha, sendo que na segunda já tivemos mais episódios diferentes. A terceira continua do mesmo nível que a série terminou a segunda e tudo na série esta evoluindo, mas ainda é House. Ela não mudou e seus roteiros estão cada vez melhores.

    Prison Break: Eu gostei da premiere, mas assim como a primeira temporada começou mais ou menos, a segunda também foi assim, mas ela já está entrando nos eixos. Se está falando da diferença sobre aonde terminou a finale e aonde começa a premiere, concordo, mas a série chegou ao episódio 2×07 muito bem, não vou dar mais detalher por poder conter algum spoiler.

    Justice: É uma série do Bruckheimer, os personagen já nascem com perfis prontos, mas ao longo dos episódios e de maneira bem sutile lenta, vemos um pouco melhor cada um. Não acho os roteiros ruins. O legal é que a série mostra a industria dos julagamentos dos EUA, pessoas contratadas para avaliar jurados, testes com pessoas para ver se como a reação dos jurados será, é tudo bem explorado na série. Além é claro da série ser tecnicamente excelente.

    Outra coisa legal na série é mostrar no final, como se fosse fora da série, como foi o final da ação do caso abordado na série, excelente artifício. Outra coisa, a relação do advogado com a imprensa, cara, essas partes são inspiradas na série, é onde o Garber mostra porque é foda. Alias o Kerr Smith e o Eamonn Walker, são excelentes também, a série possui um bom elenco também.

    Enfim, mesmo não sendo a melhor coisa que estreiou, é muito boa a série, tem potencial para crescer ainda mais, adoro a sofisticação dela. Mas se quer um motivo para gostar da série, apreciar o desempenho do Victor Garber. E Miguel, se gosta dele, veja o 1×05, mesmo que não continue vendo a série, é porque o desempenho dele no episódio é digno de prémio.

    É isso, respondi daquele jeito, por ter achado sua resposta meio como sendo a “verdade”, mas entendi. Espero temos nos entendido agora, hehehe.

  7. Miguel

    Anderson, tranqüilo, sem problemas…hehe.

    Mas voltando ao House. Acompanho a série desde o início e acho que é possível que eu nunca tenha sido fã do programa em si. Sempre achei o House, personagem, fascinante, especialmente pelo talento do Hugh Laurie, mas, com exceção da Dra. Cuddy, nenhum dos coadjuvantes me interessa, especialmente os “pupilos” dele. Talvez eu tenha gradualmente ficado cansado dessa forma procedural porque, em geral, eu não gosto desse estilo, com exceção de CSI, o original, porque os spin-offs eu não gosto.

    Aliás, sobre CSI, eu não me interesso somente pelo Grissom. A Catherine, o Warrick, o Nick, a Sara e o Brass também me interessam. Acho que é por isso que eu gosto tanto de CSI, porque mesmo tendo esse estilo procedural, existe um grupo de personagens que eu gosto de acompanhar, mesmo que as suas histórias pessoais sejam desenvolvidas com menos destaque do que “o crime da semana”. E, de fato, no House, quando o próprio ou a Dra. Cuddy não estão presentes, eu perco o interesse. Talvez se os “pupilos” fossem menos chatos eu gostaria mais. De qualquer forma, não vou parar de assistir, ainda gosto do Dr. House. :)

    Com relação a Prison Break, ainda bem que vc tb ñ gostou de como eles retomaram a fuga, foi bem conveniente para os roteiristas, mas ñ foi só isso. Sem querer entrar em muitos spoilers, mas já entrando – Atenção para quem ainda não viu! – teve a mão do T-Bag, a morte de uma personagem, que só serve para prolongar a questão da inocência do Lincoln (isso supondo que vão encontrar alguma forma de voltar nesse assunto), a mudança de comportamento do Michael (que era inteligente e agora já não é mais) e a morte de mais dois personagens (quem vai sobrar nesse ritmo?). Mas o principal problema é o Mahone. É simplesmente inacreditável que o cara seja tão astuto. Inacreditável porque as ligações que ele faz de certas coisas são absolutamente impossíveis. A não ser que ele seja vidente. E outra coisa, de onde eles tiraram aquelas fotos tão detalhadas das tattoos do Michael!? Pra mim, o programa foi criado com uma temporada em mente, mas com o sucesso, e não sabendo para onde ir, decidiram inventar coisas absurdas e jogar um personagem irreal como o Mahone para dar prosseguimento a série. Não sei nem pq eu ainda estou assistindo, talvez seja para ver o que mais de ridículo eles conseguem fazer.

    E finalmente, sobre Justice, também gostei do final, de revelar o que realmente aconteceu e tal. Mas o resto, como eu já descrevi, me incomodou bastante. Achei a Rebecca Mader muito fraca, não me convenceu. O Kerr Smith tava razoável e o Eamonn Walker, julgando pelos dois episódios que eu vi, foi mal aproveitado. Só o Victor mesmo que prendia o interesse. Mas já que vc me recomendou com tanto entusiasmo esse episódio, vou dar outra chance ao programa. Mas olha lá, hein?! Se eu não gostar, vc vai me ouvir, ou melhor, ler…hehe.

  8. Fábio

    Paulo Antunes nao seria Vanished que ta correndo risco e nao Standoff ? Em janeiro de 2007 Standoff vai para a segunda feira ás 8PM(lugar de Prison Break) e 24 Horas ás 9PM (retorna para sua 6º temporada dia 14 de janeiro).

  9. Raphael

    Pelo que estou entendendo todas as series novas da FOX estão “em cima do telhado” ???

    Ou tem alguma que esta se salvando ??

    Minha torcida é por Justice. Se ela ficar tá valendo…o resto não assisto.

  10. Paulo Antunes

    Fábio,

    Você está certíssimo. Cometi um terrível engano. A série da Fox que está ameaçada é Vanished e não Standoff.

    Peço a todos desculpas pelo erro.

  11. Anderson Vidoni

    Miguel, entendi o seu caso com House, é que tinha falado que era cansativo pelo esquema da série, mas agora que explicou melhor te entendi, mas eu adoro tudo em House.

    Sobre Prison, concordo com quase tudo que falou, mas algumas coisas já foram um pouco explicadas e a série até que agora no final, antes dessa parada pro baseball, estava começando a dar uma boa melhorada. Mesmo com varios problemas, não acho que esteja ruim, não é o que já foi, mas pode melhorar.

    Sobre Justice, não acho que vai começar a adorar o programa por esse episódio que falei, mas a atuação do Garber nele é sensacional, pode falar o que achou depois, quero ver sua opinião.

    Paulo, eu tinha percebido que era de Vanished, mas o Fabio já tinha falado, alias a série foi uma decepção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account