Log In

Reviews

Castle – Kill Shot

Pin it

Série: Castle
Episódio: Kill Shot
Temporada:
Número do Episódio: 4×09
Data de Exibição nos EUA: 21/11/2011

Kill Shot foi todo de Stana Katic. A atuação segura da atriz foi o destaque do episódio.

Mas, mais do que para evidenciar a qualidade de atuação de Stana, para mim, Kill Shot serviu para demonstrar quanta coisa mudou em Castle. A trama da noite foi muito bem construída. A história do ‘sniper’ criou tensão e drama na medida certa, e abriu caminho para que Kate discutisse mais sobre o seu trauma, e, finalmente, reavaliasse alguns conceitos e posições.

Saber que pessoas estavam sendo alvejadas, assim como ela, fez da policial durona uma pessoa perturbada. Sim, perturbada. Pelo Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). A similaridade do caso investigado com seu drama recente fez com que a doença se manifestasse, com força. Kate, abatida, ainda tentou que o estresse ocasionado pelo trauma não interferisse na sua vida, na sua missão de proteger pessoas. Ela começou o episódio negando que os acontecimentos estivessem lhe atingindo pessoalmente, ou mexendo com seu psicológico. Tentou passar firmeza para os colegas, e para ela mesma. Negou, para si, e para os outros. Mas, o TEPT estava ali, e, evidentemente, não a abandonaria sem deixar algumas marcas.

Com o desenrolar dos fatos, foi ficando cada vez mais evidente sua incapacidade de lidar com a trama do atirador. Continuou negando para os outros – inclusive para o terapeuta. Mas já não conseguia negar para si mesma. A cena da bebedeira foi muito bem feita, os efeitos visuais transmitiram uma dramaticidade tresloucada que deixou tudo no tom perfeito. Assim como também foram muito bem feitas, e bem impactantes, a cena do corredor (embora eu esperasse mais dela) e a cena da entrada na delegacia.

A terceira fase foi a de aceitação e enfrentamento. Kate enfrentou, ainda que forçada, o seu medo, seu trauma. Assim, reconheceu, também para os outros, a situação de fragilidade que estava vivendo. E, aceitando e reconhecendo, teve forças para sair daquela situação, envolver-se na investigação, e ser peça chave na solução dos crimes.

O final do episódio foi a cereja no bolo do processo de aceitação. Depois de uma longa jornada, de três temporadas e “meia”, Kate decidiu que não quer mais viver sob a sombra do trauma do assassinato da mãe. Ela está pronta para seguir adiante. Com todas as implicações que esse “seguir adiante” pode trazer. Talvez, até um prenúncio de envolvimento caskett.

A pergunta que não quer calar: quanto afetará Beckett a notícia de que Castle esconde informações sobre o assassinato de Beckett-mãe? Seguramente, a revelação irá causar uma profunda ruptura entre a dupla. Quanto Beckett regredirá, quando souber? A notícia lhe fará voltar a ser “obcecada” pelo assassinato? Muitas perguntas, poucas respostas, inúmeros indícios. Embora não tenha certeza de muita coisa, posso afirmar categoricamente: veremos tempos felizes. Mas, antes da felicidade definitiva, haverá muito drama. (Me senti uma vidente charlatã. Mas precisava dizer isso!).

Mas nem só de Beckett foi feito Kill Shot.

Castle também demonstrou que mudou bastante. Ele se portou de forma muito madura em Kill Shot. Reconheceu sua incapacidade em ajudar, de forma efetiva, Beckett. Soube ler muito bem os sinais que Beckett emitia e, embora muito preocupado com as reações de Kate, respeitou o espaço da parceira, buscando em Esposito o apoio que ela necessitava. Mas, principalmente, permaneceu por perto, para auxiliar no que fosse preciso.

E também descobri, assistindo Kill Shot, que Iron Gates não me incomoda mais – tanto. É claro que nosso relacionamento com ela nunca chegará perto do que tínhamos com o Captain. Que ficamos todos um pouco órfãos com a sua partida. Mas não podemos negar que ela cumpre bem o seu papel. E achei interessante ver que a reação da capitã foi de proteger a população da cidade, em primeiro lugar. O drama pessoal de Beckett passou praticamente batido por Gates. Fosse Montgomery o capitão, sabemos que as coisas teriam sido bem diferentes. Beckett teria sido superprotegida, afastada do caso. E, quem sabe, não confrontaria o próprio medo.

Mas se Castle e Gates auxiliaram Beckett – cada um a sua maneira – quem foi decisivo para a saída de Beckett do fundo do poço foi “Javi”. Por ter passado por um trauma semelhante, Esposito foi quem melhor leu a companheira, e ofereceu exatamente aquilo que ela precisava. Se empenhou ao máximo para desvendar o caso – utilizando-se de seus conhecimentos militares – e forçou Beckett a enfrentar seus fantasmas para, finalmente, exorciza-los. A cena na qual ele força o confronto entre Kate e a arma “que a alvejou” foi ótima. Muitos pontos para Katic e Huertas.

Alexis, apesar de ter aparecido pouco, foi muito importante na solução do caso. Graças à ela, foi possível desvendar a questão dos bonequinhos deixados pelo sniper.

Ryan, Lanie e Marta, apenas estavam ali, para lembrarmos que eles existem e fazem parte da série. Mas, não há do que reclamar. Se tem uma coisa que tem sido positiva nessa quarta temporada é o destaque alternado que os personagens tem recebido. As luzes dos holofotes estão contemplando a todos.

Semana que vem vai ao ar Cuffed, o último episódio do ano. E ele promete muitos momentos Casckett. Certeza que iremos gostar.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

4 Comments

  1. Bianca Mafra

    Excelente review, como sempre, transmitiu bem o seriado. so que assistindo quase umas cinquenta series, nem me lembro mais do segredo que o castle esconde, lembra ai, por favor?

  2. Therê

    É  Mariela,  vc.  relatou com  imensa  capacidade,   exatamente  tudo  o  que  aconteceu  nesse   Kill Shot    e  até  conseguiu  captar  os  mais  profundos  sentimentos  de  Kate ..Vc.  é formada  em  advogacia  ou  psicologia? Acho  que em ambas.Nossa  querida  detetive,  enfrentou   realmente  seus  maiores  traumas  e  espero  que  ela  os  tenha  superado  totalmenteApenas achei  que  Castle  deveria  ter  participado um  pouco   mais  desses  acontecimentos  dando  á    Becket  todo  seu  carinho  numa  ocasião  tão  crucial   como  essa.Será  que  Kate  agora já  está  pronta ,   para  derrubar  o  muro  que  edificou  em  seu  coração?Já  chegou  o  momento    dela  expor  seus  verdadeiros  sentimentos  para  Castle? Coisa  que seu  enorme  público  vem  aguardando  com  ansiedade  á  tanto  tempo? Vamos  esperar  pra  ver..Vc.  acaba  de  nos  relatar  que  o  próximo  episódio  será  o  último  deste  ano  (mas  estamos  iniciando    Dezembro)  vamos  ficar  um  mês  inteiro  sem  nosso  seriado  preferido?   Será  que  vamos  aguentar?  

  3. Mônica Almeida

    Ótima review, Mariela. Adorei a participação do Esposito nesse episódio. Aliás, eu adoro ele! E torço pra que ele e a Lanie se acertem.
    E por falar em torcer, vamos torcer para que a Kate realmente derrube o muro e fique logo com o Castle. De preferência no próximo episódio. Assim o hiato vai ser mais suportável.

  4. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 23 a 29/7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account